ANÁLISE: D-Link DCS-5211L

ANÁLISE: D-Link DCS-5211L

A D-Link DCS-5211L é uma câmera projetada para pequenas e médias aplicações, que traz a opção de realizar um monitoramento remoto, através da internet. Ela possui sensor de imagens de alta definição, que a permite gravar até em 720p, junto de um LED infravermelho, que serve para Áreas escuras e de baixa iluminação.

Entre as opções de gravação estão um modo contínuo, a possibilidade de gravar apenas quando um movimento for detectado ou conforme uma programação pré-estabelecida. Outro recurso é o de ser avisado por e-mail quando um evento específico acontecer, o que mantém o usuÁrio informado sobre o que estÁ acontecendo. Ela também pode ser usada como parte de um sistema de monitoramento com múltiplas câmeras, através do software D-viewCam, que permite o gerenciamento de até 32 câmeras.

Características

Especificações gerais
- Sensor CMOS Progressivo de 1/4" Megapixel
- Alcance de iluminação infravermelha de 5 metros
- Iluminação mínima de 0 lux com LED infravermelho ligado
- Módulo de Filtro IR-Cut Removable (ICR) incorporado
- Infravermelho Passivo incorporado (PIR)
- Comprimento fixo de 4,57 mm
- Abertura F1.9
- Ângulo de visão:
(H) 45,7°
(V) 29,5°
(D) 52,9°
- Microfone/Alto-falante incorporados

Compressão de vídeo
- JPEG para fotografias
- Compressão simultânea nos formatos H.264/MPEG4/MJPEG
- Streaming de multicast H.264/MPEG4

Resolução de vídeo
- 16:9 (suporta taxa de até 30 quadros por segundo)
- 1280 x 720, 640 x 352, 320 x 176 ou 160 x 80

Pan/tilt/zoom
- Alcance da função Pan: -170° a 170º
- Alcance da função Tilt: -25° a 90°
- Zomm Digital: 4x 2

Dimensões (C x L x A)
- 114 x 114 x 125 mm (4,46 x 4,46 x 4,92")

Fotos

  

  

  

 

Design

A primeira coisa a ser dita sobre o design da câmera é que – até por ser um produto de maior preço – ela é mais bonita e melhor construída do que os modelos com os quais estamos acostumados. Não hÁ porque se preocupar, pois ela não estraga-rÁ a decoração da sua sala ou quarto. Seu desenho lembra uma mistura do R2-D2 (de Star Wars) e dos robôs da série de games Portal, o que traz um resultado agradÁvel, familiar e meio futurista também.

DÁ para dizer que a câmera é um tanto grande, se comparada a outros modelos, mas isso é facilmente justificado pela sua extensa lista de funcionalidades, principalmente pelo pan & tilt. Por outro lado, apesar dela ser um pouco mais pesada do que se espera, ela continua sendo bastante portÁtil, e isso também não chega a ser um problema, jÁ que ela fica o tempo todo apoiada em alguma superfície.

Porém, é preciso notar que a DCS-5211L possui 2 grandes falhas no projeto. A primeira é que sua lente e seu sistema de pan & tilt estão completamente desprotegidos, e podem facilmente ser manipulados por alguém que tiver contato com a câmera. JÁ a segunda é ainda mais grave: o cartão microSD fica totalmente exposto, o que significa que, caso o usuÁrio não tenha um FTP ou receba as imagens por e-mail, um ladrão poderia retirÁ-lo e sair com as imagens do próprio roubo.

Qualidade de imagem

A câmera oferece a possibilidade de gravar até em resolução 1280 x 720, a 30 quadros por segundo. O problema é que a qualidade de imagem oferecida estÁ abaixo do que se espera para uma câmera com essa resolução. Falta clareza na imagem, que acaba ficando muito granulada.

Olhando para o sensor da DCS-5211L, é possível entender porque isso acontece. Ela usa sensor do tipo CMOS, de tamanho 1/4", resultando numa Área de captação de luz de 7,68 mm². Para comparar, o iPhone 5s usa um sensor de tamanho 1/3", que oferece Área de 17,94 mm², o que corresponde mais que o dobro da câmera da D-Link. Uma câmera compacta de baixa qualidade possui Área de captação de luz de 28 mm².

Imagem normalmente tem essa qualidade, um pouco granulada

Curiosamente, a qualidade de imagem da visualização por streaming (função da qual vou falar mais adiante) ficou melhor do que a das gravações salvas no cartão SD, no FTP ou enviadas por e-mail (também falarei destas funções). No caso do FTP, ainda foi observado um problema que causa com que a imagem ficasse bastante estranha e mal-definida durante o final da tarde, como mostra imagem abaixo. Possivelmente, este é um problema de codec, que pode ser resolvido numa futura atualização de firmware. JÁ nos vídeos salvos no cartão SD, isso não aconteceu, independente do horÁrio.


Se durante o dia a qualidade de imagem não se destaca, à noite isso muda. A câmera traz LEDs infravermelhos que alcançam até 5 metros de distância, permitindo continuar enxergando o que acontece, mesmo depois de apagar as luzes. O resultado, nesse caso, fica como na imagem abaixo, em preto e branco.

Testes

Os testes da câmera foram realizados filmando uma Área específica da redação, onde ficam o micro-ondas, o purificador de Água e a cafeteira. Com isso, além de testar os recursos da câmera, também foi possível saber como andava a nutrição dos meus colegas. Brincadeiras à parte, a Área foi escolhida por ser um lugar onde as pessoas circulam com frequência, sendo ideal para testar a detecção de movimentos.

Detecção de movimentos que, aliÁs, funcionou muito bem durante todo o tempo. É possível programar a câmera para que ela grave sempre que detectar um movimento, e salve este vídeo num FTP, cartão SD, ou o envie por e-mail. Sempre que alguém foi pegar um café ou beber uma Água aqui na redação, a câmera estava de olho, gravando e me avisando de que algo estava se mexendo na sua frente.

DÁ para configurar uma Área específica, para que a câmera só grave se houver movimento naquele local. No meu caso, eu marquei apenas a Área da cafeteira, para que a câmera só seja ativada quando alguém for tomar café. Como a imagem abaixo mostra, a Área em vermelho é onde eu quero que sejam detectadas possíveis movimentações.

Outra possibilidade oferecida pela D-Link é conferir o que a câmera estÁ filmando em tempo real, por streaming, em alta definição. Isso é feito através do site My D-Link, que também permite que o usuÁrio grave ou tire uma screenshot manualmente. Na pÁgina inicial do portal, encontra-se a versão em baixa definição (240p) da transmissão das imagens da câmera. Para conseguir assisti-la em HD, é preciso logar diretamente na pÁgina interna da câmera. Isso requer que o usuÁrio configure um serviço DDNS – que é oferecido de graça pela D-Link Â– e defina um IP estÁtico para a câmera.

Feito isso, é possível, inclusive, cadastrar um usuÁrio como visitante no sistema, e lhe dar seu próprio login e senha. Essa conta tem acesso mais limitado, podendo apenas mover a câmera e receber sua imagem. Além disso, é no My D-Link que estão todas as configurações da câmera, como opções de rede, imagem e som.

Mas não é apenas isso que pode ser feito pela extensa lista de opções do site. HÁ por exemplo, uma configuração onde se determina certas posições para a câmera, para que ela se vire com apenas um clique. Um exemplo é a mostrada abaixo, que fica nas minhas costas. Junto disso, é oferecida uma série de opções de ajuste de imagem, como brilho, contraste, nitidez, saturação, e matiz, assim como a possibilidade de espelhar a imagem ou virÁ-la de cabeça para baixo. 

Uma coisa da qual senti falta, durante os testes, foi o suporte a conexões wireless, algo que é esperado para uma câmera deste segmento. A única opção que a DCS-5211L oferece é a conexão via cabo ethernet, que limita bastante o uso dela, principalmente em relação aos locais onde ela pode ser instalada.

Como jÁ falei, na hora de salvar o conteúdo gravado, hÁ 3 opções: usar um cartão SD, um servidor FTP ou enviar por e-mail. Em todas elas, dÁ para programar a DCS-5211L para gravar sempre que detectar um movimento, ou programÁ-la para ser ativada em certos dias e horÁrios, escolhidos pelo usuÁrio.

Quando se usa o cartão SD, o menu de configurações da câmera permite que se grave de 1 a 6 minutos de cada vez. Além disso, pode-se escolher também quanto espaço livre deixar no cartão, sendo que o mínimo é 200 MB, assim como definí-lo para apagar os vídeos mais antigos automaticamente, assim que se detectar uma falta de espaço.

JÁ as gravações no FTP e no e-mail funcionam de maneira um pouquinho diferente, com algumas limitações. Por exemplo, ao invés de gravar por até 6 minutos, aqui a limitação fica em até 10 segundos. A configuração, no caso do FTP, é simples, e o recurso funciona quase perfeitamente, sendo que a única exceção é aquele problema verificado na imagem. Para receber vídeos os imagens da câmera por e-mail, é necessÁrio fornecer o endereço do servidor SMTP do serviço utilizado e a porta, além do endereço de e-mail e a senha. No nosso caso, utilizei o Gmail, que usa o endereço smtp.gmail.com, e as portas 465 ou 587.

Para finalizar essa parte, só falta falar do aplicativo My Dlink Lite, que estÁ disponível para iOS, Android e Windows Phone. Ele é gratuito, e permite que se acompanhe o streaming da câmera em tempo real, só que eu resolução mais baixa (240p). Outra função dele é a de movimentar a câmera, através de botões virtuais localizados no canto da tela. Enquanto o aplicativo não é tudo aquilo, pode-se dizer que ele "quebra bem um galho", principalmente quando se estÁ longe de um computador.

Conclusão

Não faltam recursos para a DCS-5211L: visualização de streaming em tempo real, pan & tilt, e as dezenas de configurações do site My Dlink. Coisas como configurar o local de gravação dos vídeos ou escolher uma Área de detecção de movimento ficam bastante simples e intuitivas no menu da câmera.

Só é uma pena que, durante o dia, a qualidade da imagem fique abaixo do esperado, deixando os vídeos um tanto granulados. Pelo menos o mesmo problema não acontece durante a noite, quando o modelo da D-Link mostra seu verdadeiro pontencial. Seus LEDs infravermelhos mostam até 5 metros de distância no escuro total, com uma definição acima da média.

Quando olhamos para o mercado de câmeras Â– e para os recursos oferecidos Â– os R$ 1,6 mil cobrados podem ser considerados mais do que adequados. É difícil achar uma câmera do tipo no Brasil, ainda mais trazendo tantas funcionalidades.

Na parte do design, dÁ para dizer que essa não é daquelas câmeras que estraga a decoração da sala de estar. O único porém são algumas falhas de design, como o cartão SD ficar exposto, mesmo quando a DCS-5211L estÁ montada. 

Por isso tudo, a câmera é indicada para quem precisa de muitos recursos, especialmente do pan & tilt e da ótima visão noturna. Porém, se você acha que a qualidade de vídeo durante o dia é mais importante que a quantidade de recursos, talvez esse não seja o modelo mais indicado. Mas não dÁ para negar que ela possui tudo que se espera de uma câmera do tipo.

PRÓS
Grande quantidade de recursos
Possibilidade de assistir transmissão das imagens em tempo real pela internet
Design bonito, futurista e familiar
Ótimo menu de configurações
CONTRAS
Qualidade de imagem durante o dia fica abaixo do esperado
Cartão SD fica exposto com a câmera montada
Não permite conexão via wi-fi, apenas via cabo ethernet
Tags
  • Redator: Carlos Felipe Estrella

    Carlos Felipe Estrella

    Apaixonado por games desde os 6 anos de idade, quando ganhou um Playstation, época em que também se divertia com o Super Nintendo dos outros. Em 2005 migrou para o PC, e aí começou a se interessar por tecnologia também. Apesar disso, nunca conseguiu largar a preferência por jogos de corrida e de esporte, principalmente os de futebol. Estuda jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.