ANÁLISE: Avell Premier G1310

ANÁLISE: Avell Premier G1310

Premier G1310 é um notebook que alia duas características difíceis de serem equilibradas: um formato compacto e alta potência. Ele vem equipado com uma placa GTX 765M da Nvidia, chip gráfico que vem surgindo em modelos bastante interessantes como o MSI GS70 Stealth e o Razer Blade, também focados neste balanço entre design e potência.

Comparativos



MSI GS70 Stealth
Asus G750JW-DB71
Avell Premier G1310
Processador
Intel Core i7 4700MQ Intel Core i7
4700HQ
Intel Core i5
4200M
Chip Gráfico
Nvidia GTX 765M Nvidia GTX 765M Nvidia GTX 765M
Memória RAM
16GB 12GB 8GB
VRAM
2GB GDDR5
2GB GDDR5 2GB GDDR5
Tela
17.3' FullHD (1920x1080) Antirreflexiva 17.3' FullHD (1920x1080) 13.3' FullHD (1920x1080) 
Dimensões (AxPxL)
41,8 x 28,7 x 2,2 cm 41 x 31,8 x 5 cm 33 x 22,7 x 3,19 cm
Peso
2.6 Kg 4.5 Kg 2 Kg
Armazenamento

2x 128GB SSD
750GB HDD

1TB HD 750 GB HD
Bateria
6 células Li-Ion
89 Wh Li-Ion 6 células Li-Ion
Suporte ao 3D estereoscópico



Preço (14/03)
R$ 9.999,00
R$ 5.499,00 R$ 3.779,10

No comparativo, o modelo da Avell mostra uma clara vantagem no custo em relação ao modelos da MSI e da ASUS, lembrando que ele também é o com a tela menor e também não traz um projeto ultrafino, como no caso do GS70 Stealth.

Design e tela

O Premier não é o notebook gamer que você normalmente espera. Com dimensões bem compactas, ele pesa apenas 2 quilos e tem um formato que está muito mais para um netbook do que para um produto típico para jogadores. Com isto, ele é muito prático para ser carregado a qualquer lugar, sem trazer nenhuma dificuldade para quem quiser levá-lo em uma mochila.

Seu teclado do tipo ilha é eficiente, e apesar do espaço menor disponível, não é desconfortável digitar neste modelo. O Touchpad, porém, sofre mais com a falta de espaço: ele é bastante pequeno e vai ser usado só nos momentos em que você não tem um mouse disponível, pois sua pouca área não facilita seu uso.

 

- Continua após a publicidade -

Apesar do tamanho reduzido, o Premier não economiza em conexões, sendo que possui três entradas USB 3.0 e uma USB 2.0, uma saída VGA e HDMI e porta de ethernet. Os acabamentos não são de um produto premium, sendo que bordas são bem evidentes, e os encaixes possuem frestas perceptíveis mas, em termos gerais, não é um produto ruim, sendo que o acabamento emborrachado da tampa com o logo da empresa em prata ficou com um bom visual (apesar de encher de marcas de dedos) e a tela não chega a ter uma moldura com borda muito fina, mas também não é algo grande demais. Com certeza, a empresa trouxe uma evolução considerável desde o último modelo compacto que analisamos, o Diamond, em termos estéticos.

A tela vem com resolução FullHD, algo que traz uma boa densidade de pixels já que possui apenas 13.3 polegadas. O display tem bons ângulos de visão e uma qualidade de cores e contrastes dentro da média. Seu porte reduzido pode desagradar muitos gamers, que com certeza irão optar por ligá-lo em um monitor ou em uma televisão, quando estiverem em casa ou em algum ambiente que tenham isto disponível. Mas este porém é inevitável: se quer um produto compacto, a tela terá que ser pequena também. O máximo que dá para conseguir é um produto como o GS70 Stealth, que pesa um pouco mais e é um tanto maior para acomodar uma tela de 17 polegadas.

Aquecimento e autonomia

Com um projeto compacto e chips potentes, a preocupação fica por conta do sistema de resfriamento, que precisa lidar com o aquecimento destes componentes em tão pouco espaço. Felizmente, o Premier consegue lidar muito bem com esta dificuldade, e as soluções térmicas implementadas pela Avell funcionam bem. O aquecimento é perceptível apenas em alguns pontos, e em geral a temperatura da carcaça fica em torno dos 30 graus celsius. O mais preocupante é o centro do aparelho, que chegou a 44 graus, mostrando que o aparelho não conseguiu dissipar totalmente o calor do seu interior. Apesar deste aquecimento, a temperatura não chegou a um nível preocupante.  

Na parte de autonomia, vemos que não foi por acaso que o GS70 Stealth segurou tão pouco tempo. O Premier, com um hardware parecido e uma tela bem menor, também não consegue ir longe: ele foi capaz de rodar por 2h55min, em modo de economia de energia, com mínimo de brilho na tela e executando apenas coisas leves, como navegação na internet e aplicativos de produtividade. 

 

- Continua após a publicidade -

Performance

Apesar de compacto, o Premier não faz feio. Ele foi capaz de encarar todos os games de nossos benchmarks, e ficou um pouco acima do desempenho apresentado pelo GS70 Stealth, notebook da MSI de hardware semelhante. A margem, porém, é bem curta, normalmente 5%, o que indica que os drivers mais atualizados de seus testes podem ter feito a diferença.

 

 

- Continua após a publicidade -

A maior parte das franquias puderam ser rodadas em resolução FullHD com gráficos configurados em High e com uma boa quantidade de filtros ativos, para uma taxa de quadros por segundo na casa dos 40FPS. Colocar tudo no talo, em geral, é cair para uma média próxima dos 30FPS, algo que já aciona o sinal vermelho por potencialmente comprometer a fluidez da jogabilidade. 

Um detalhe importante é que nosso exemplar de testes não veio com o Core i5 do modelo mais básico do Premier. O notebook da análise veio com um Core i7 porém, considerando o comportamento comum dos benchmarks, onde a GPU é mais determinante para o desempenho, o modelo com o Core i5 básico deve ficar bem próximo (se não for idêntico) na performance em games. Em outros benchmarks que demandam mais de CPU, como o WinRAR e o filtro do Adobe Photoshop, por exemplo, deve haver uma diferença considerável (algo na casa dos 20 a 40% menor no Core i5).

Conclusão

O Avell Premier G1310 é um ótimo aparelho para quem busca um notebook potente e fácil de carregar, mesmo que isto cause alguns inconvenientes como um teclado e touchpad pequeno, além da tela de tamanho longe daquele que empolga qualquer gamer. Apesar destes efeitos colaterais, este notebook pode facilmente ser ligado em um monitor de maior porte e em periféricos que resolvam esta dificuldade, quando você estiver em casa. Tudo com o benefício de, em poucos instantes, desligá-lo e enfiar na mochila (lembrando o carregador, porque ele não fica muito tempo longe da tomada).

Na hora dos games, ele não fez feio e rodou games em resolução FullHD e com qualidade alta, mantendo uma ótima média de quadros na casa do 40-50FPS, algo que irá ser suficiente para uma boa parcela dos jogadores. Gamers mais entusiastas, que fazem questão de 60 quadros por segundo sem falhas e configurações "no talo" precisarão de um notebook mais parrudo (e caro), ou partir para um desktop.

Seu design e componentes como tela não fazem frente aos modelos mais caros dos concorrentes, mas ainda assim estão em um nível que não compromete o produto, e a vantagem que trazem para o preço final irá atingir em cheio o público que prefere que o custo do gadget seja muito mais direcionado aos componentes do hardware do que no seu design. 

Com o preço próximo aos 4 mil reais, ele tem um custo alto se compararmos com o necessário para montarmos um PC de mesa equivalente (ou até mais potente), mas a portabilidade é MUITO superior, inclusive comparado a outros notebook gamers. Para quem quer o design mais compacto possível, ainda mantendo um bom desempenho em games, esta é a melhor opção disponível no mercado hoje. Se você não curtiu seu design  no estilo "netbook", e não quer abrir mão de uma ampla tela e teclado, pode aumentar um pouco o tamanho, o peso e o preço, e comprar o GS70 Stealth no lugar

O Premier G1310 é o notebook ideal para quem quer o modelo mais compacto possível sem abrir mão de games em boa qualidade

[+update:] Com a chegada da linha 800M, a Avell está atualizando a linha Premier com novos chips, disponíveis para pre-venda neste link.

{break::Benchmarks: CineBench e WinRAR}Abrimos nossa série com testes "sintéticos" do sistema, mostrando com notebook lida com diversas atividades. Para começar, utilizamos o CineBench, uma ferramenta de benchmark que mede a capacidade do sistema (processador e placa de vídeo) em lidar com a API OpenGL, importante para quem deseja usar aplicações profissionais que trabalham neste padrão.

WinRAR
Com o programa de compactação de arquivos temos um ótimo teste para a capacidade de atuação do processador, a peça de hardware mais demandada por este aplicativo.

{break::Benchmarks: PCMark e 3DMark}Começamos a segunda parte de testes sintéticos com o PCMark 8, software que verifica o desempenho geral do sistema em uma série de atividades como rodar vídeos e converter arquivos.

3DMark
Hora de colocar as GPUs para esquentar com o software da Futuremark. Nesta bateria de três testes temos vários recursos pesados rodando, vendo como a placa se comporta desde as animações mais simples até renderização de elementos complexos como fumaça e tesselação.

{break::Benchmark: Autonomia, HD Tune e Photoshop CS5}Rodamos o software PCMark 8 no modo Office, com o notebook em modo de economia de energia e com pouco brilho na tela, para tentar verificar o "máximo" que dá para tirar da bateria do aparelho.

Adobe Photoshop CS5
Aplicamos o filtro Extrude, em uma imagem com resolução 5182x9754 e 4.5GB, para verificar o tempo que o notebook leva para aplicar este efeito.

HD Tune

Neste benchmark verificamos a velocidade de operação do dispositivo de armazenamento presente no aparelho. Este componente é importante principalmente nos tempos de resposta do notebook, como velocidade para abrir programas, arquivos ou ligar o sistema, sendo assim uma parte importante da experiência como gadget.

{break:: Benchmark: Alien vs. Predator}

Nosso próximo teste é com o game "Alien vs. Predator", muito elogiado pelo uso das tecnologias disponíveis no DirectX 11, e que será testado utilizando o Adrenaline Benchmark Tools, para rodar a bateria de testes.

Tessellation
Acionamos a tesselação, recurso que aprimora muito o design dos objetos no game, e ao mesmo tempo aumenta a carga de processamento da placa de vídeo.

FullHD
Aumentamos a resolução para a 1920x1080, para ver o comportamento das placas renderizando mais pixels na tela. 


Para fazer estes testes em seu computador/notebook, é preciso possuir o jogo e baixar o Adrenaline Alien vs Predator Benchmark ToolAs filas de testes rodados estão disponíveis em duas resoluções, de acordo com a tela do notebook: 1366x768 e em modelos que suportam o FullHD.

{break:: Benchmark: Bioshock Infinite}


O game "BioShock Infinte" é um grande sucesso de crítica (inclusive aqui no Adrenaline) desenvolvido pela 2K Games. Para os testes com o este jogo utilizamos a ferramenta "Adrenaline Action Benchmark Tool"

FullHD
Aumentamos a qualidade gráfica para 1920x1080 de resolução, o que impacta no desempenho do sistema.


Para fazer estes testes em seu computador/notebook, é preciso possuir o jogo e baixar o Adrenaline Action Benchmark ToolAs filas de testes rodados estão disponíveis em duas resoluções, de acordo com a tela do notebook: 1366x768 e em modelos que suportam o FullHD.

{break::Benchmark: Tomb Raider}


O game marca o reboot da histórica franquia de Lara Croft, desenvolvido pela Crystal Dynamicscom sua engine própria, a Crystal Dynamics Engine. Este game tem apoio da AMD, e inclusive contém recursos exclusivos voltados aos chips da empresa. Para os testes com o este jogo utilizamos a ferramenta "Adrenaline Action Benchmark Tool".

FullHD
Aumentamos a resolução para os 1080p, e rodamos novamente a bateria de testes.

Para fazer estes testes em seu computador/notebook, é preciso possuir o jogo e baixar o Adrenaline Action Benchmark ToolAs filas de testes rodados estão disponíveis em duas resoluções, de acordo com a tela do notebook: 1366x768 e em modelos que suportam o FullHD.

PRÓS
Design leve e compatco
Boa performance
CONTRAS
Acabamentos de qualidade intermediária
Touchpad pequeno
Pouca autonomia
Assuntos
Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.