ANÁLISE: FIFA 14 (PC)

ANÁLISE: FIFA 14 (PC)

Nesta geração que estÁ se encerrando, a série "FIFA" virou a disputa contra os jogos da franquia "Pro Evolution Soccer", e conquistou, aos poucos, o público e a crítica. Tanto que, até aqui no Brasil – antes território de PES – a série de futebol da EA Sports estÁ vendendo mais. Em 2013, FIFA 13 ficou, pela primeira vez, na frente de um jogo da franquia da Konami. É por isso que a missão da EA Sports, com "FIFA 14", é manter a base de fãs jÁ conquistada, se mantendo à frente de Pro Evolution Soccer.

Jogabilidade

Na primeira vez que se pega o controle para jogar "FIFA 14", se tem a impressão que pouco mudou em relação ao "FIFA 13". E isso não deixa de ser verdade. A base da mecânica de jogo Â– que é a mesma desde "FIFA 12" – permanece inalterada, continuando com a tÁtica de "não mexer em time que estÁ ganhando".

Mesmo assim, hÁ melhorias e modificações nessa base, algumas delas muito importantes. A principal é algo que era pedido hÁ muito tempo pelos fãs: a representação do "momento físico". É um conceito difícil de ser dito. Para explicar, é mais fÁcil de ser mostrar.

No trailer abaixo, aos 0:43, Messi corre para dominar uma bola na lateral. Ele consegue tocar nela, mas depois tem bastante dificuldade de mudar de direção. Na mesma situação em "FIFA 13", Messi iria mudar de direção quase de imediato, de uma maneira que seria impossível na vida real. Ou seja, agora podemos dizer que a série FIFA respeita a Primeira Lei de Newton, também conhecida como a Lei da Inércia.

Ainda na Área da física, estÁ a outra grande novidade do jogo, que são os refinamentos na física da bola. Agora, a bola se comporta de diferentes maneiras após um chute, o que dÁ mais variedade aos gols marcados. Após uma finalização, a bola pode sair alta, e cair exatamente antes de chegar ao gol. Ela também pode subir sem variações de trajetória, ou ir quicando, por baixo. HÁ ainda outros tipos de chute, mas dÁ para ter uma ideia. Marcar um gol agora estÁ mais satisfatório do que nunca.

GrÁficos e Som

Os grÁficos são a parte mais decepcionante do jogo, ainda mais pelo jogo estar sendo analisado no PC. O motor grÁfico Â– que era belíssimo em 2008 Â– passou os últimos 4 anos quase sem ser atualizado. Por isso, a parte grÁfica do jogo estÁ completamente defasada. Em "FIFA 14", encontra-se texturas de baixíssima definição, uma modelagem de jogadores abaixo da ideal, e uma coisa bÁsica em jogos de esporte: movimentação dos calções, camisas e cabelos dos jogadores. Afinal, isso é fundamental num jogo tão movimentado.

- Continua após a publicidade -

E o pior de tudo é que todos esses efeitos foram implementados na versão do jogo para Xbox One e PlayStation 4. AliÁs, a diferenciação entre as versões para estes consoles e a versão PC é algo incompreensível por parte da EA, que chegou a dizer que os computadores não teriam capacidade de rodar a Ignite Engine. Bom, o que sobrou foi uma grande diferença entre as versões, que pode ser percebida na comparação abaixo.

Mas é possível relevar boa parte dos defeitos, jÁ que, por ser um jogo de futebol, sua câmera padrão fica bem distante da ação. E, como a EA Sports fez um ótimo trabalho na captura de movimentos, os jogadores se movem de maneira bastante realista, o que disfarça ainda mais as falhas grÁficas. Ainda assim, uma atualização nos grÁficos é necessÁrio, principalmente na versão PC.

JÁ na parte do som, a série continua bastante competente. Tirando alguns deslizes na narração, onde o narrador Tiago Leifert fala o nome errado do goleiro, por exemplo, todo o resto beira a perfeição. Um enorme número de jogadores e equipes têm seus nomes gravados, hÁ bastante falas e variedade durante as partidas, e até piadinhas ocasionais, principalmente nos modos online.


A única crítica fica por conta da distância entre os comentÁrios em português e os comentÁrios em inglês. Na narração inglesa, hÁ mais situações que são comentadas, como o estado atual dos times, a importância da competição que eles estão disputando e sua história.

De resto, barulhos de chutes, carrinhos e divididas estão bem representados, e são mais altos quando acontecem próximos a um dos microfones que ficam na beira do campo. Os principais times europeus têm os gritos de suas torcidas bem representados, mas é uma pena que poucos times brasileiros tenham o mesmo. E a trilha sonora, como é costume da série, traz novos artistas ou músicas pouco conhecidas, mas que são de ótima qualidade. 

Modos de jogo

- Continua após a publicidade -

Os modos multiplayer representam o ponto alto de "FIFA 14". Seja de maneira local ou online, o jogo oferece grande variedade de modos. Pode-se reunir os amigos e criar um torneio personalizado, como jÁ é costume de muitos nos últimos anos, por exemplo. Também hÁ o retorno do modo Temporadas Online, onde joga-se temporadas de 10 jogos, sempre com uma meta de pontos conquistados para subir ou ser campeão da atual divisão. E foi adicionado o novo Temporadas Co-op, que nada mais é que o modo Temporadas, mas junto de um amigo.

Mas o grande modo de jogo segue sendo o FIFA Ultimate Team, que estÁ presente na série desde "FIFA 09". Ele possui uma jogabilidade um pouco diferente do resto do jogo. Aqui, tudo acontece de maneira mais rÁpida, a ponto de a velocidade ser um dos principais atributos de um jogador nesse modo. Juntando-se isso à experiência de comprar pacotes e trocar cartas de atletas com outros usuÁrios, percebe-se que esse é um modo totalmente diferente dos outros. Mesmo assim, o modo pouco mudou nos últimos 3 anos, e carece de inovações.

JÁ o modo carreira teve a sua base mantida, mas tem uma pequena mudança que altera bastante a experiência de jogo. Em "FIFA 13", quem quisesse comprar um jogador, só precisava procurar no mercado de transferências, e encontraria absolutamente todas as informações sobre ele. Mas agora isso mudou, com a adição do "Global Scouting Network".

No "FIFA 14", é preciso contratar olheiros, e lhes dar a informação de que tipo de jogador você estÁ atrÁs. Depois de um tempo, você recebe uma lista, que pode mostrar atributos bastante vagos ou nenhum atributo sequer. Para saber os stats desses atletas, é necessÁrio mandar um olheiro acompanhÁ-lo, o que torna o jogo bem mais realista. A única exceção são os jogadores mais famosos. Também foi adicionada uma Copa Libertadores "fake", chamada de Copa Latina. Para se classificar para a competição, basta ficar entre os 4 primeiros da Liga do Brasil. Infelizmente, não houveram outras grandes mudanças no modo, que continua bem parecido com o do ano passado.

Conclusão

Com "FIFA 14", a EA Sports apenas adiciona mais um pouco ao competente trabalho que fez durante toda a geração. Apenas trazendo alterações de pequeno e médio impacto a uma base bastante sólida, a empresa encerra a geração sem trazer nenhuma grande inovação. Mas isso não é necessariamente ruim.

- Continua após a publicidade -

Juntando uma jogabilidade que mistura bem realismo e diversão a um multiplayer variado, duradouro e divertido, a série FIFA se mantém como a principal escolha quando o assunto é futebol. Mas é bom que tragam algo de novo em "FIFA 15".

PRÓS
Mantém a ótima jogabilidade
Física bastante realista
Um dos melhores multiplayer disponíveis
Ótima qualidade de Áudio
CONTRAS
GrÁficos decepcionam
Não usa a Ignite Engine
Narração poderia focar mais em times brasileiros
Falta inovação
Tags
  • Redator: Carlos Felipe Estrella

    Carlos Felipe Estrella

    Apaixonado por games desde os 6 anos de idade, quando ganhou um Playstation 1. Em 2005 migrou para o PC, e aí começou a se interessar por tecnologia. Formado jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.