ANÁLISE: Asus Zenbook Touch U500VZ

ANÁLISE: Asus Zenbook Touch U500VZ

Zenbook Touch U500VZ é um Ultrabook com uma característica rara entre este modelos ultrafinos: ele vem com chip grÁfico dedicado: uma Nvidia GeForce GT 650M. Do ponto de vista do design, este poder de fogo adicional impactou na portabilidade, mas sem comprometer em excesso: a espessura varia de 6mm a 2cm, enquanto que o peso chega a 2.2kg, maior que em outros modelos da linha Zenbook também por conta da tela maior. 

Especificações técnicas
Processador Intel Core i7-3612QM/i7-3632QM
Chip grÁfico: NVIDIA GT650M
Memória:  DDR3 1600MHz 4GB (on board)
Tela: 300nits 15.6" 16:9 FHD IPS (1920 x 1080) com tela multitoque
Sistema Operacional Windows 8
Armazenamento: Até  512GB SSD SATAIII com suporte para a tecnologia RAID 0
Bluetooth 4.0
Bateria: 8 células, 70W, autonomia estimada em 7 horas
Teclado     Teclado chiclet 286mm iluminado
Câmera: HD 720p CMOS module
Áudio: Sistema de Áudio com subwoofer externo, construído em parceria com Bang & Olufsen ICEpower
Tamanho: 380 x 254.5 x 6mm~19.7mm
Peso: 2.2Kg

Comparativos


Zenbook Infinity UX301
Zenbook U500VZ
Acer Aspire S7 391
Processador
Intel Core i7 4558U
Intel Core i7 3632QM
Intel Core i7 3517U
Chip GrÁfico
NVIDIA GTX 770M
NVIDIA GT 650M Intel Graphics HD 4000
Memória RAM
8GB
8GB
4GB
VRAM
Chip integrado
2GB GDDR5
Chip integrado
Tela
13.3", 2560x1440,  Led-backlight
15.6" FullHD Led-backlight
13.3" FullHD Led-backlight
Dimensões
32.5 x 22.3 x 1.5 cm
38 x 25.4 x 6~1.9 cm
32.3 x 21.8 x 1.3 cm
Peso
1.4 Kg
2.2 Kg
1.3 Kg
Armazenamento

750GB HDD

256 + 256 GB SSD 128 + 128 GB SSD
Bateria
8 células Smart Li-Ion
9 células Li-Ion (7800 mAh)
4 células Li-Ion
Tela sensível a toques


Preço
R$ 8.999,00
R$ 7.999,00
R$ 6.999,00


Design e tela

O Touch U500VZ segue o estilo Zenbook, com um design fino, acabamento em aço escovado e um visual "premium". Este modelo escapa um pouco da lógica dos demais aparelhos da família, sempre muito finos, por conta de seus componentes: a placa de vídeo dedicada não tornou possível ao U500VZ rivalizar com os modelos equipados apenas com grÁficos integrados. Ainda assim, considerando a presença de uma GeForce GT 650M e um monitor de 15.6", o peso de 2.2kg não é nada mal.

- Continua após a publicidade -

O corpo praticamente inteiriço em aço escovado dão muita robustez ao conjunto. O efeito circular na tampa também é bastante bacana, somente vulnerÁvel a algum eventual risco. Não é à toa que incluíram a proteção em Gorilla Glass no Zenbook Infinity.

 

Por ser "um pouco maior", o U500VZ inclui uma boa quantidade de conexões e, mais importante, em seus tamanhos convencionais. Além das três portas USB 3.0. o aparelho traz ma conexão HDMI e um de rede Ethernet em seus formatos tradicionais, algo que costuma ficar de fora nos Ultrabooks mais compactos. Também hÁ uma porta mini-VGA, que pode virar uma saída VGA através de um pequeno adaptador incluso na caixa do U500VZ.

A tela de 15.6 polegadas do tipo IPS LCD é um dos grandes destaques deste Ultrabook. Com resolução FullHD e ótimos contrastes e cores, seu uso é bastante agradÁvel. A visibilidade é muito boa, mesmo de ângulos de visão muito inclinados em relação a tela, e apesar de reflexiva, os 300 nits de luminância encaram de forma satisfatória ambientes mais claros. A touchscreen também é um destaque, que combinado ao hardware potente do Ultrabook torna a experiência de uso deste modelo muito responsiva.

Performance e autonomia

JÁ nas especificações vemos que o U500VZ não é um Ultrabook padrão. O aparelho vem com 8GB de memória RAM (enquanto muitos modelos se limitaram a 4GB) e um chip grÁfico dedicado, coisas incomuns nesta classe de aparelhos ultrafinos. Combinando isto com o armazenamento em RAID 0 dos dois SSDs, com um total 500GB de espaço, temos um notebook que "voa" pelo Windows 8.


Todas as aplicações do cotidiano rodam de forma muito responsiva, e abrir aplicativos acontece de forma instantânea (exceto aplicativos como a Loja, que depende da conexão com a internet). Em atividades mais específicas, como games e vídeos, onde a placa de vídeo é o componente mais exigido, o U500VZ também vai longe, e supera até mesmo outros modelos com o mesmo chip grÁfico.

- Continua após a publicidade -

 A autonomia deste modelo do Zenbook é muito boa, especialmente se considerarmos que ele é um Ultrabook com especificações "mais parrudas". Ele ficou acima da maioria dos ultrafinos com CPU Ivy Bridge que jÁ testamos, como o Aspire S7 e o Ioga 13. Em nosso teste com o Powermark, com o mínimo de brilho de tela e rodando apenas aplicações como editor de texto e navegação na internet, o Zenbook "segurou" na bateria por 5h e 16 min.


Como vem com um chip grÁfico dedicado, é de se esperar que o U500VZ "dê um caldo" em games. E é exatamente isto que acontece. Em nossos benchmarks, que podem ser conferidos nas outras pÁginas, o ultrafino conseguiu rodar franquias como Tomb Raider e Bioshock Infinite em qualidade intermediÁria e resolução HD, um resultado bem interessante se considerarmos a portabilidade do modelo.

Acessórios

Este modelo veio acompanhado de alguns adicionais interessante, como o leitor de CD/DVD externo. Como vem acontecendo em praticamente todo ultrafino, o leitor óptico tem ficado de fora, e este adicional resolve o problema de quem ainda depende desta mídia. O leitor é conectado via porta USB 3.0 e é uma ótima solução para quem ainda tem alguns arquivos em DVDs, por exemplo. Como se torna "uma coisa a mais para carregar", é pouco provÁvel que você vÁ usÁ-lo o tempo todo.

Subwoofer adicional do Zenbook U500VZ

Outro extra bem interessante é a caixa de som. O sistema integrado do Zenbook usa a tecnologia Bang & Olufsen ICEpower e jÁ entrega uma qualidade e intensidade interessante, considerando a portabilidade do sistema, mas o subwoofer externo faz toda a diferença. Ele é conectado na porta de fone de ouvido, e passa trabalhar em conjunto com o Áudio integrado do U500VZ. O resultado é bastante impressionante: as frequência mais graves ganham muito mais destaque, efeitos como "eco" ficam muito mais realistas e é possível até perceber sons que simplesmente não eram audíveis apenas com o som integrado. Em resumo: o discreto cilindro preto é uma ótima adição ao produto.

Outro acessório, este mais discreto, é o cabo adaptador mini-VGA, que transforma o "não tão popular" mini-VGA presente no Zenbook no ainda onipresente VGA, algo que possivelmente serÁ útil, em algum momento.

- Continua após a publicidade -

Conclusão

Em geral, estamos acostumados a abrir mão dos games nos Ultrabooks. Limitados ao chips grÁficos integrados no processador da Intel, por mais que muito empenho para evoluir a iGPU venha sendo feito, normalmente temos que nos contentar com rodar apenas alguns games específicos, e em qualidade entre a baixa e a intermediÁria. Mas não aqui.

O Zenbook U500VZ e seu chip GeForce GT650M consegue ir mais longe na hora dos games, conseguindo rodar até mesmo franquias mais "pesadas" na qualidade intermediÁria. Esta GPU é a mais potente fora da linha gamer "GTX", e consegue atender um jogador que não é exigente na qualidade grÁfica.

Mas performance adicional sempre traz seu custo, e o U500VZ não consegue fazer frente ao demais Ultrabooks na portabilidade. Apesar de suas medidas relativamente enxutas, considerando que possui uma placa dedicada e uma tela de 15.6", ele pesa 2.2kg e não serÁ a primeira opção para quem quer mesmo é um dispositivo leve.

Juntando estas características, vemos que o Zenbook servirÁ para um nicho: aquele que se interessou em toda a "redução de medidas" e o acabamento de alta qualidade nesta linha da ASUS, mas que não quer abrir mão de uma tela maior e um chip grÁfico dedicado. Como acontece em outros "Zenbooks", o critério "custo vs benefício" não se aplica. Sendo vendido na casa dos R$ 7.999,00, é para quem faz questão de todas as características deste modelo, e que pode se dar ao luxo de não ficar fazendo contas na hora de pagar.

O Zenbook U500VZ é o aparelho para quem sempre quis esta linha de ultrafinos da Asus, mas não abre mão de uma tela maior e rodar games.


{break::Benchmarks: CineBench, WinScore, WinRAR}Abrimos nossa série com testes "sintéticos" do sistema, mostrando com notebook lida com diversas atividades. Para começar, utilizamos o CineBench, uma ferramenta de benchmark que mede a capacidade do sistema (processador e placa de vídeo) em lidar com a API OpenGL, importante para quem deseja usar aplicações profissionais que trabalham neste padrão.

Com o modo CPU, o Zenbook se saiu muito bem com seu i7 geração Ivy Bridge, batendo até modelos mais potentes, como notebooks gamers como Titanium. No modo OpenGL, onde quem "comanda" é a GPU, o chip GT 650M mostrou boa performance, e chegou a bater até mesmo modelos teoricamente mais potentes como o GTX 660M do modelo da Avell.


WinRAR
Com o programa de compactação de arquivos temos um ótimo teste para a capacidade de atuação do processador, a peça de hardware mais demandada por este aplicativo.

Novamente o poder de processamento do Zenbook U500VZ chega a brigar com aparelhos "da classe gamer", levando a melhor sobre modelos bastante potentes, como o MSI GT70 0NE.

{break::Benchmarks: PCMark, 3DMark e Winrar}Começamos a segunda parte de testes sintéticos com o PCMark, software que verifica o desempenho geral do sistema em uma série de atividades como rodar vídeos e converter arquivos.

O U500VZ é o melhor Ultrabook, até o momento, neste teste, superando alguns modelos gamers novamente, e passando perto de notebooks como  o Avell G1743, atualmente o melhor dispositivo que jÁ rodou este benchmark por aqui.

3DMark
Hora de colocar as GPUs para esquentar com o software da Futuremark. Nesta bateria de três testes temos vÁrios recursos pesados rodando, vendo como a placa se comporta desde as animações mais simples até renderização de elementos complexos como fumaça e tesselação.

Neste benchmark voltamos a ter um resultado acima do esperado, com direito a uma briga com o Ideapad Y580, um modelo em tese superior por trazer uma GeForce GTX 660M. Em comparação a GT640M, a vantagem oscilou bastante: em alguns momentos a GT650M entregou quase o dobro de performance, em outras só 30% a mais.

{break::Benchmark: Powermark e Photoshop CS5}Rodamos o software Powermark em modo de economia de energia, com pouco brilho na tela e no modo produtividade, para tentar verificar o "mÁximo" que dÁ para tirar da bateria do Asus Zenbook U500VZ.

Apesar dos componentes adicionais,  como o chip grÁfico dedicado, o Zenbook não ficou longe de outros ultrabooks, muitos deles inclusive com display menores (o que ajuda na hora de reduzir o consumo). Só não conseguiu se aproximar dos dois melhores modelos neste aspecto, o Folio 13 e o XPS 12, e também não passa nem perto do Slidepad. Mas aí, a comparação é injusta: o modelo da LG vem com Atom, processador com consumo muito menor. 

Adobe Photoshop CS5
Aplicamos o filtro Extrude, e uma imagem com resolução 5182x9754 e 4.5GB, para verificar o tempo que o notebook leva para aplicar este efeito.

O Zenbook segue entregando um desempenho acima do que vemos em Ultrabooks convencionais, sendo entre e 20 e 30% mais rÁpido que os modelos que testamos até o momento. Novamente, ele passa perto até de aparelhos gamers.

{break:: Benchmark: Alien vs. Predator}

Nosso próximo teste é com o game "Alien vs. Predator", muito elogiado pelo uso das tecnologias disponíveis no DirectX 11, e que serÁ testado utilizando o Adrenaline Benchmark Tools, para rodar a bateria de testes.

Neste primeiro grupo de testes, em resolução HD, a GT 650M se virou muito bem e manteve a média acima dos 30 quadros por segundo. O Zenbook conseguiu até um ganho considerÁvel sobre o Avell Diamond, um aparelho com chip grÁfico semelhante.


Tessellation
Acionamos a tesselação, recurso que aprimora muito o design dos objetos no game, e ao mesmo tempo aumenta a carga de processamento da placa de vídeo.

Forçando um pouco mais, vemos que o Zenbook consegue manter uma boa taxa de frames mesmo acionando o Tessellation.


Para fazer estes testes em seu computador/notebook, é preciso possuir o jogo e baixar o Adrenaline Alien vs Predator Benchmark ToolAs filas de testes rodados estão disponíveis em duas resoluções, de acordo com a tela do notebook: 1366x768 e em modelos que suportam o FullHD.

{break:: Benchmark: Bioshock Infinite}


O game "BioShock Infinte" é um grande sucesso de crítica (inclusive aqui no Adrenaline) desenvolvido pela 2K Games. Para os testes com o este jogo utilizamos a ferramenta "Adrenaline Action Benchmark Tool"

Bioshock exigiu mais dos sistemas, e por conta disto o Zenbook não consegue manter uma taxa alta de frames em todos os teses. Em resolução HD, ele consegue manter-se acima dos 30fps até na qualidade ULTRA.

FullHD
Aumentamos a qualidade grÁfica para 1920x1080 de resolução, o que impacta no desempenho do sistema.

O aparelho se sai muito bem nesta qualidade, passanod perto do chip GTX 660M (Ideapad Y580), teoricamente mais potente. Ainda assim, o Zenbook só conseguiu rodar o game de forma satisfatória em baixa qualidade, o que indica que a resolução FullHD provavelmente não é a melhor opção para este game, neste dispositivo.

{break::Benchmark: Tomb Raider}


O game marca o reboot da histórica franquia de Lara Croft, desenvolvido pela Crystal Dynamicscom sua engine própria, a Crystal Dynamics Engine. Este game tem apoio da AMD, e inclusive contém recursos exclusivos voltados aos chips da empresa. Para os testes com o este jogo utilizamos a ferramenta "Adrenaline Action Benchmark Tool".

Novamente o Zenbook rivaliza com o Ideapad, um notebook equipado com um chip grÁfico superior (GTX 660M). Sua performance é interessante nas configurações intermediÁrias, mas basta acionarmos todos os filtros para quem haja uma queda bastante pesada no FPS médio.

FullHD
Aumentamos a resolução para os 1080p, e rodamos novamente a bateria de testes.

Temos a mesma situação que observamos em resolução: uma boa performance, capaz de rodar o game em qualidade intermediÁria, mas que fica bem longe de atingir algo aproveitÁvel em alta qualidade. Ainda assim, dependendo dos filtros e a qualidade em uso, dÁ para cogitar o game em FullHD, neste Zenbook.

PRÓS
Chip grÁfico dedicado, capaz de rodar games em boa qualidade
Acabamento de alta qualidade
Ótima tela
Acessórios interessantes
CONTRAS
Caro
Não chega a portabilidade de outros Ultrabooks
Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.