ANÁLISE: Fractal Design Core 3000 USB 3.0

ANÁLISE: Fractal Design Core 3000 USB 3.0

Como jÁ destacamos na anÁlise do gabinete Define R4 Branco com Janela, a empresa Fractal Design é de origem sueca, conhecida mundialmente pela qualidade e acabamento de seus produtos, e que começa a ganhar espaço em mercado nacional.

Novamente por intermédio da MegaMamute (uma das empresas que revende a marca no Brasil), recebemos o gabinete Core 3000 USB 3.0, que promete ser uma boa opção para quem procura um modelo de qualidade superior, mas não quer investir muito.

No Brasil o Core 3000 custa em média R$ 360 atualmente, valor cobrado por diversos modelos jÁ consagrados no mercado, o que coloca o gabinete da Fractal Design em uma briga bastante acirrada.


A seguir iremos detalhar o produto analisando e se o mesmo estÁ dentro do que se espera no segmento.

Características
- Suporte a USB 3.0 nas portas frontais;
- Três ventoinhas R2 da série Silent;
- Otimizado para funcionar com múltiplas opções de resfriamento;
- Possui sete slots para ventoinhas (uma de 120mm + uma de 140mm na frente, duas de 120/140mm em cima, uma de 120mm em baixo e uma de 120mm atrÁs);
- Seis baias de HD pintadas de branco e completas com anéis de isolamento de vibração feitos de silicone – cada baia suporta HDs ou SDDs de 3,5" ou 2,5";
- Baia de HD da parte superior pode ser rotacionada ou removida;
- Painel frontal facilmente removível;
- Filtros de poeira para PSU e slots de ventoinha frontais.

Especificações técnicas
- Compatibilidade com placas-mãe ATX, Micro ATX, Mini ITX e DTX
- 7  slots de expansão
- 2 baias de 5.25"
- 6 baias de 3.5" para HDs, todas compatíveis com SSDs de 2,5"
- 2 slots ODD
- 1 slot  FDD, com conversor para ODD incluso
- Suporta placas de vídeo de até 270mm de comprimento com HDs instalados em todas as baias, e de até 420mm quando a baia superior é removida
- Suporta coolers para CPU com até 160mm de altura
- Suporta PSUs com até 160mm de comprimento quando a ventoinha de 120mm da parte de baixo estiver instalada. Quando a ventoinha não estÁ instalada, suporta PSUs de até 250mm de comprimento
- Filtro de poeira removível abaixo da PSU (PSU não inclusa)
- Dimensões do case (LxAxC): 200 x 444 x 480mm
- Peso 7,9 kg

Interface frontal
- Duas portas USB 3.0 com conector interno e duas portas USB 2.0;
- Entrada (mic) e saída (fones de ouvido) de Áudio de 3,5mm;
- Botão desligar com LED;
- Botão reiniciar;
- LED do HD

Para mais detalhes sobre as especificações do gabinete, clique aqui.

- Continua após a publicidade -

Fotos
Abaixo algumas fotos do gabinete, na cor preta sem grandes destaques visuais. Vai agradar quem não gosta muito de formatos diferentes na parte externa, algo característico de vÁrios modelos da Fractal Design, que procura criar gabinetes com bom acabamento e design sem arriscar muito no formato externo.

O Core 3000 USB 3.0 tem linhas retas com grade frontal que quebra o visual as laterais. Na parte superior ele possui saídas de ar para dois FANs de até 140mm, com suporte a um bloco duplo de liquid cooler. A lateral esquerda também possui saída de ar, posicionada sobre o processador.

O material utilizado é bom, mas sem grande destaque. Diferente do R4, o Core 3000 não possui isolamento nas tampas laterais e tem um visual mais robusto ao invés de bonito esteticamente.

JÁ em se tratando de conexões frontais, ele traz conexão para fone, microfone, 2 x USB 2.0 e também 2 x USB 3.0. Entre as conexões estÁ o LED do HD e botões de Power e Reset.

- Continua após a publicidade -

Tiramos algumas fotos do Core 3000 ao lado do Define R4. Podemos ver que o Core 3000 é um pouco menor, mais baixo e menos largo, consequentemente seu peso final é de 7,9Kg, contra 12,3Kg do Define R4.

{break::Instalação}Para a instalação usamos uma plataforma Intel LGA 1155 com um processador Core i5 3570K e cooler BOX, além de uma placa de vídeo GeForce GTX 680 modelo referência da NVIDIA. Também utilizamos uma fonte de energia não modular da Thermaltake. Isso nos dÁ a noção de espaço interno para organização de cabos, afinal uma fonte modular se diferencia justamente por possibilitar colocar apenas o que for utilizar.

O processo de instalação é bastante simples e tranquilo pelo bom espaço interno, com bastante possibilidades para organizar os cabos como todo gabinete que se preze nos dias atuais. Diversos buracos projetados para a passagem dos cabos de energia da fonte e demais cabos do sistema possibilitam boa organização interna.

A fonte, localizada na parte inferior, pode ter até 250mm caso não tenha um FAN instalado. Os "pés" de borracha ajudam evitar trepidação da mesma. Como vemos, a tampa lateral não possui proteção como o Define R4, que era interessante para diminuir a trepidação e o barulho do sistema que passa de dentro pra fora. É possível prender um FAN de 140mm sobre a saída de ar.

Dois FANs de 140mm jÁ acompanham o gabinete, um instalado na parte superior e outro na traseira. Os FANs podem ser ligado direto na placa-mãe ou controlados em conjunto pelo adaptadores que acompanham o gabinete.

- Continua após a publicidade -

Possui gavetas para fÁcil instalação de drives. Curiosamente o material das gavetas é metÁlico e não plÁstico como na grande maioria dos casos, não que influencie negativamente, mas plÁstico no mínimo deixaria o gabinete mais leve e não compromete em nada. Na parte inferior abaixo do FAN da fonte, ele possui uma tela para fÁcil limpeza da poeira que ficarÁ ali acumulada, protegendo um pouco a fonte. Seus "pés" são feito de uma espuma que também ajudam a minimizar a trepidação.

Nas fotos abaixo temos a fonte utilizada para o sistema e um SSD fixo sobre o case metÁlico para drives formato 3.5 e 2.5 inch, além de fotos que mostram a lateral direita, onde é possível organizar parte dos cabos e mesmo fazer a instalação de um cooler no sistema sem necessidade de remover a placa-mãe do gabinete como ocorre em alguns modelos sem esse buraco sobre o socket.

Vale destacar que as baias de drives podem ser rotacionadas de acordo com a necessidade do usuÁrio. Outro destaque é que elas possuem silicone anti-vibração.

Abaixo temos o sistema instalado sem uma VGA dedicada. Para os mais organizados, existe um bom espaço para dobrar os fios da fonte e deixar o sistema mais bonito internamente, com a possibilidade de instalar um FAN na parte inferior, isso caso a fonte de energia não seja maior do que 160mm.

Instalamos uma GTX 680 modelo referência da NVIDIA, pelo seu tamanho o gabinete suporta placas de alto desempenho, inclusive os modelos maiores como uma GTX 690. Porém, para suportar placas maiores, de até 420mm, é necessÁrio remover algumas baias de drives 3.5 inch (imagem abaixo), caso contrÁrio o suporte mÁximo serÁ de 270mm, suficiente para instalar uma GTX, 680 por exemplo.

{break::Testes}Fizemos alguns testes de temperatura com o gabinete analisado comparando com os resultados apresentados por outros modelos utilizando o mesmo sistema com um Core i5 3570K e cooler BOX, mais a GeForce GTX 680 referência da NVIDIA.

Os testes consistem em medir a temperatura mÁxima do CPU e da placa de vídeo em modo ocioso e rodando algumas aplicações.

Também fizemos um teste overclokando o processador para 4.5GHz. Vale destacar que não fizemos teste de overclock em todos os gabinetes, porque alguns utilizaram uma placa-mãe Mini-ITX com chipset H77, sem suporte a overclock.

Confiram abaixo os testes:

Temperatura CPU
Começamos pelos testes de temperatura do CPU, sendo que as temperaturas foram medidas com o sistema em modo ocioso, rodando o 3DMark 11 e, por fim, o wPrime.

IDLE
O modo IDLE, ou ocioso, consiste em testar a temperatura do sistema quando o mesmo não estÁ executando nada além do Windows aberto, esperando alguma ação do usuÁrio.

3DMark 11
JÁ o 3DMark é um teste que exige tanto o CPU como o GPU, dando a real noção de como o sistema vai se comportar em situação na qual a mÁquina é bastante exigida. No caso da tabela abaixo, mostrando a temperatura do CPU.

wPrime
Por fim, o teste com o wPrime estressa o CPU e todos seus cores, sendo um bom teste para ver como fica a temperatura do processador em uma situação extrema. 

Temperatura da Placa de vídeo
Também fizemos testes de temperatura com uma GTX 680 referência.

IDLE
Primeiro o teste em modo ocioso, com o sistema em espera.

3DMark11
Por fim rodando o 3DMark 11 que exige bastante da placa de vídeo.

{break::Conclusão}O Core 3000 USB 3.0 é uma opção dentre as diversas do mercado para quem procura um gabinete com suporte a hardwares de alto desempenho, como placa de vídeo dual-chip, liquid cooler e por ai vai. Possui bom acabamento, mas sem grandes destaques.

Bom projeto interno e fÁcil instalação dos componentes estão entre seus destaques. É possível instalar liquid cooler com radiador duplo preso na parte superior. Dois FANs de 140mm vêm instalados, que ajudam a melhorar a dissipação do calor interno. Até seis drives de 3.5 inch podem ser instalados, sendo que as baias podem girar para qualquer um dos lados ou mesmo para dentro do gabinete dependendo da necessidade do usuÁrio. O que não gostamos é que as presilhas são de metal e não plasticas, além de aumentar o peso final passam um ar de robustez que não combina.

Como portas frontais, temos fone e microfone, 2 x USB 2.0 e 2 x USB 3.0, essas últimas mais rÁpidas e que jÁ podem ser consideradas padrão de qualquer gabinete que procure atingir um público mais exigente nos dias atuais.

Nos testes de temperatura se saiu muito bem, ficando entre os melhores modelos comparados na maioria dos testes.

Na MegaMamute, ele pode ser comprado por pouco mais de R$320 à vista, preço que o coloca na média ou pouco acima de outros modelos concorrentes. Pelas suas características, seu preço deveria ficar no mÁximo em R$250 para brigar com maior chance de sucesso nesse mercado que é muito concorrido e com uma variedade muito grande de modelos.

PRÓS
Bom acabamento apesar do visual simples
Suporte a hardwares de alto desempenho
FÁcil instalação dos componentes
Boa dissipação do calor interno do sistema
CONTRAS
Visual e design bastante simples
Material espartano
Preço alto
Encontrado a venda em poucas lojas no Brasil
Assuntos
Tags
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.