ANÁLISE: GIGABYTE G1.Sniper 5 (Z87)

ANÁLISE: GIGABYTE G1.Sniper 5 (Z87)

Dando sequência às interminÁveis anÁlises das placas-mãe com chipset Intel de 8ª geração, hoje iremos analisar uma das mais desejadas do mundo pelo público gamer, a GIGABYTE G1.SNIPER 5. A mainboard traz uma série de diferenciais, começando pelo seu visual, mas com foco em uma grande quantidade de tecnologias, algumas delas bem direcionadas aos gamers, com o que existe de melhor para placas-mãe da Creative.


Em cenÁrio internacional, na newegg.com, ela custa US$399,00 (pesquisa dia 11/10/2013). No Brasil ela fica, em média, na casa de R$1.800,00. Vale destacar que esse é o modelo topo de linha da série Sniper 5, ainda existe um modelo chamado Sniper M5, formato Micro-ATX, que custa metade do preço do modelo maior.

Tecnologias by GYGABYTE
Abaixo algumas das principais tecnologias da placa, inclusive com detalhamento delas na própria placa através da imagem abaixo:

Resfriamento
A placa-mãe Gigabyte G1 Sniper 5 possui um sistema de heatsink para a Área PWM que permite aos usuÁrios utilizar as configurações passiva, ativa e com liquid cooler.

Suporte ao Gigabyte fan OPT
As placas-mãe série 8 da empresa possuem suporte ao fan OPT, uma "ventoinha" adicional que pode ser usada para conectar resfriamento líquido e configurada para operação de alta velocidade contínua. O fan OPT pode ser utilizado também por coolers com duas ventoinhas.

9 conectores para ventoinhas
Para ajudar a eliminar o calor, a placa possui nove conectores para ventoinha. Equipadas com seu próprio sensor termal individual, sete delas podem ser controlados pela BIOS e pelo utilitÁrio Gigabyte EasyTune.

- Continua após a publicidade -

Suporte a multi-GPU

Com suporte ao mais recente PCIe 3.0, a mainboard permite a utilização de até 4 placas de vídeo da AMD ou Nvidia.

Gigabyte on/off charge 2
A Gigabyte oferece a tecnologia "On/Off Charge 2" para permitir aos usuÁrios que carreguem a bateria dos seus dispositivos Android ou iOS através da porta USB mesmo quando o PC estÁ desligado.

- Continua após a publicidade -

Áudio

Áudio AMP-UP
Assim como outras placas da série G1-Killer, a Sniper 5 possui o socket OP-AMP onboard que pode ser trocado caso o usuÁrio queira personalizar o Áudio com outros op-amps disponíveis no mercado. A placa ainda vem com um kit adicional que possui um par de amplificadores operacionais e um extrator IC para retirar o op-amp.

Creative Sound Core3D e SoundBlaster
A Sniper ainda possui a tecnologia Creative Sound Core3D, que consiste em um processador de Áudio dedicado multi-core da Creative. Ela e o SoundBlaster prometem Áudio melhorado e rico em detalhes.


Amplificador para headphone e Audio Noise Guard
Desenvolvido para gamers, as placas-mãe da série G1-Killer utilizam um amplificador para headphones de 600Ω. Com a intenção de proteger a fidelidade do som, a tecnologia Audio Noise Guard separa os componentes sensíveis de Áudio analógico de uma poluição sonora potencial no PCB. Uma luz de LED mostra a separação das camadas do PCB.

- Continua após a publicidade -

Killer 2200
Por fim, as mainboards da série possuem o Killer E2200 da Qualcomm Atheros, um controlador que promete oferecer as melhores soluções para games e mídia online. O Killer 2200 possui a tecnologia Advanced Stream Detect, que identifica e prioriza o trÁfego da rede para que as aplicações mais importantes tenham uma conectividade mais rÁpida.

{break::Fotos e BIOS}Vamos às fotos da placa. Mostraremos mais fotos do que o normal, porque ela tem vÁrios detalhes que a diferenciam de outros modelos, alguns associados apenas à parte visual, mas grande parte deles relativos a tecnologias disponíveis na placa.

Começamos pelos acessórios que acompanham a placa. Destaque para a placa WiFi/Bluetooth e para o "alicate" que permite trocar um amplificador de Áudio da placa, diferencial destinados aos usuÁrios mais entusiastas nesse assunto. 

A placa tem cores jÁ características da linha Sniper, preto e verde limão em sua maioria. Dissipadores bem robustos e estilizados geram visual ainda mais gamer.

Diversas conexões SATA, botões de acesso rÁpido como Power, Reset e ClearCMOS, além de conectores para gerenciar as voltagens do sistema estão presentes no PCB.

Outro destaque estÁ no processador de Áudio quad core da linha Creative Sound Core3D, que promete entregar o que existe de melhor em Áudio de placas-mãe, inclusive com diversas das conexões banhadas a ouro para melhorar a fidelidade sonora. Além, é claro, da possibilidade da troca do amplificador, como jÁ mencionamos.

Nas fotos abaixo temos os dissipadores, que trazem suporte a liquid cooler, possibilitando overclocks mais altos do sistema quando combinado a esse tipo de solução de resfriamento, mais eficiente.

Em relação às conexões traseiras, as de vídeo e Áudio são banhadas a ouro, visando entregar maior fidelidade para o usuÁrio.

Realmente uma placa bastante diferenciada, com possibilidade de se conectar 4 placas de vídeo através das tecnologias AMD Crossfire ou NVIDIA SLI, um prato cheio para qualquer gamer entusiasta. 

BIOS
As BIOS mais recentes da Gigabyte estão entre as melhores visualmente e tecnicamente. Na nova geração com placas chipset Série 8 Z87, a empresa fez mudanças visuais alterando totalmente a BIOS anterior, felizmente, para melhor. Agora as BIOS seguem as cores físicas da placa, mas o mais importante é que além de uma série de tecnologias para facilitar a vida do usuÁrio, elas mantém bem claras as opções disponibilizadas. No caso de uma placa desse nível, são muitas as opções, vÁrias delas bem avançadas, dando controle sobre diversas funcionalidades do sistema, na grande maioria dos casos visando overclock, em outros facilitando esse tipo de característica através de perfis pré-programados.

AliÁs, essa tem sido uma grande aposta das empresas - e a Gigabyte estÁ entre as melhores -, possibilitando inclusive usar perfis pré-programados e personalizar/salvar perfis. 

Abaixo algumas telas da BIOS da placa.

{break::MÁquinas/Softwares utilizados, CPU/GPU-Z}Abaixo, detalhes sobre o sistema que utilizamos em todas as anÁlise de placas-mãe com mesma série de chipset, além de drivers e aplicações utilizadas nos testes.

Mas antes, fotos da placa analisada montada com demais hardwares do sistema que utilizamos, reparem na última foto que a Gigabyte adicionou um "filete" de LED na cor verde limão, visual que a Asus jÁ utiliza em diversos modelos da linha RoG, que geral uma iluminação legal para quem possui gabinete com lateral acrílica transparente.

MÁquinas utilizadas nos testes:
Todas os sistemas utilizaram os mesmos hardwares para os testes:
- Processador: Intel Core i7 4770K
- Placa de vídeo: NVIDIA GeForce GTX 680 referência
- Memórias: 8 GB G.Skill Trident 2400MHz @ 1600MHz (2x4GB)
- SSD: Corsair Neutron GXT 240GB Sata III
- HD: Seagate ST31000528AS 1TB SATA II 7200RPM
- Cooler: Cooler Master TPC 812
- Fonte de energia (PSU): XFX ProSeries 850W PSU

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 7 64 Bits com Updates
- Intel INF 9.4.0.1017
- Intel HD Graphics Drivers 9.18.10.3165
- NVIDIA GeForce 320.18

Aplicativos/Games:
- CineBENCH 11.5
- MaxxMEM
- x264 FHD Benchmark 1.0.1
- wPrime 2.09

- 3DMark 11 (DX11)
- Aliens vs Predator (DX11)
- Tomb Raider (DX11)

CPU-Z, GPU-Z
Abaixo, telas do CPU-Z e GPU-Z mostrando detalhes da placa-mãe. Curiosamente a Gigabyte vem colocando em todas as suas placas-mãe a frequência um pouco abaixo de 100MHz, consequentemente o clock do processador e das memórias ficam um pouco abaixo do clock default, dessa forma o desempenho das placas tende a ficar levemente atrÁs de outras empresas que colocam a frequência um pouco acima, como a Asus. Vale destacar que na BIOS a frequência estÁ setada como 100MHz, mas na prÁtica como vemos ela fica um pouco abaixo, no caso desse modelo 99.77MHz.


Consumo de energia
Fizemos os testes do sistema em modo ocioso e rodando o 3DMark 11, aplicativo que exige bastante do sistema.

IDLE (Sistema ocioso)
Começamos pelo teste com o sistema em modo ocioso.

Rodando o 3DMark 11
Quando colocamos os sistema com vídeo integrado rodando o 3DMark 11, temos os consumos abaixo:

{break::Testes com uso do CPU}CineBENCH 11.5
Iniciamos os testes de desempenho em aplicações com o CineBench, que testa o processador convertendo uma imagem. 

x264 Full HD Benchmark
Em um teste de conversão de vídeo Full HD, temos os seguintes resultados:

MaxxMEM
O aplicativo MaxxMEM serve para testar o desempenho das memórias. Os testes são do modo "copy".

wPrime
Rodando o wPrime, teste que estressa todos os cores do processador, temos os resultados abaixo:

Conversão de vídeo
Através do software CyberLink MediaEspresso, fizemos testes de conversão de vídeo com os processadores com vídeo integrado.

{break::Testes com uso do vídeo integrado}Agora vamos aos testes com o vídeo integrado do Core i7 4770K utilizado nos sistemas.

3DMark 11
Começamos nossos testes com o 3DMark 11.

Aliens vs Predator
Em teste de games utilizamos o "Aliens vs Predator" para medir o desempenho do HD Graphics 4600 e dos sistemas comparados.

Tomb Raider
Para finalizar os testes de games, vamos ao teste de desempenho do "Tomb Raider".

Versões futuras do pacote de drivers de vídeo da Intel podem trazer boas melhoras de desempenho e, consequentemente, gerar uma diferença superior entre os sistemas. 

{break::Testes com uma GeForce GTX 680}Além dos testes com o vídeo integrado, fizemos alguns testes com os sistemas rodando em conjunto com uma Nvidia GeForce GTX 680 referência. Confiram abaixo os resultados:

3DMark 11
Começamos pelo 3DMark 11:

Aliens vs Predator
Damos sequência com o game "Aliens vs Predator":

Tomb Raider
Por fim, abaixo os resultados com o "Tomb Raider".

{break::Overclock}Assim como as outas placas-mãe Z87 que analisamos, fizemos alguns testes overclockando o Core i7 4770K utilizado. Nosso modelo do processador não conseguiu chegar em 4.7GHz em todos os cores em nenhuma das placas, inclusive na G1.Sniper 5, mas fizemos alguns testes bem interessantes usando o aplicativo EasyTune da Gigabyte.

Na BIOS da placa tem alguns perfis pre-programados, com clocks de até 4.7GHz. JÁ pelo aplicativo EasyTune, além dos perfis pre-programados, ainda é possível overclockar o sistema através da opção "Auto Tuning", onde o sistema vai sendo overclockado e testado aos poucos, até chegar a um clock alto sem comprometer a estabilidade do sistema. Abaixo algumas imagens do aplicativo e processo de overclock, que no nosso caso colocou o Core i7 4770K trabalhando em 4.6GHz, além do GPU em 1600MHz e memórias em 1200MHz(vale destacar que o kit de memórias é de 2400MHz, dessa forma o sistema apenas colocou elas em seu clock mÁximo, sem overclock).

Vale destacar também que novas atualizações de BIOS podem melhorar o comportamento do sistema em overclock.

Abaixo mais algumas imagens do aplicativo EasyTune da Gigabyte. 

A variação entre os sistemas existe pelo comportamento diferente entre cada marca e modelo quando overclockados, especialmente quando utilizamos perfis pré-programados de overclock, onde cada empresa seta as suas configurações.

Consumo de Energia
O consumo de energia normalmente sofre um bom aumento dependendo do overclock feito, entre os motivos por aumentar a "entrega" de energia ao processador e sistema.


CineBENCH 11.5
Abaixo o desempenho dos sistemas na conversão de imagem do CineBench.

wPrime
Em um teste que mais vale como validador para o overclock feito, devido estressar todos os cores, temos o seguinte resultado:

3DMark 11
JÁ no 3DMark 11, que vai ter maior ganho em overclocks que também aumentem o clock do vídeo integrado, temos os seguintes resultados:

Aliens vs Predator
Por fim, rodando o "Aliens vs Predator" os sistemas tiveram os seguintes resultados:

{break::Conclusão}Talvez a essa nova geração de placas-mãe compatíveis com processadores socket LGA 1150 seja uma das que possui a maior variedade de modelos, tornando o processo de escolha difícil se o usuÁrio não estÁ bem certo de qual produto comprar.

A GIGABYTE G1.Sniper 5 é um modelo desenvolvido focado em dois públicos alvo, gamers e entusiastas. Apesar de ter funções avançadas de overclock, e se comportar muito bem nessas situações, seu visual e tecnologias não escondem que é o gamer que ela busca conquistar, mas pelo acabamento e quantidade de tecnologias embarcadas, vai agradar qualquer entusiasta. Destacamos a possibilidade de se conectar 4 placas de vídeo através de Crossfire ou SLI, mas o mais atrativo para os gamers entusiastas deve ser o chip de Áudio Creative Sound Core3D e componentes de alta qualidade banhados a ouro, tudo isso visando entregar mais fidelidade sonora ao usuÁrio e efeitos diferenciados. Outro destaque estÁ na possibilidade de trocar um amplificador de Áudio da placa, característica incomum nesse tipo de produto e que mostra o cuidado que a empresa teve em tentar trazer diferenciais para quem busca algo único nessa característica.

Como outros modelos de placas-mãe topo de linha, a G1.Sniper 5 ainda traz uma série de tecnologias, como possibilidade de adicionar um liquid cooler sobre os dissipadores dos controladores de fases e chipset, placa com conexão Wireless e Bluetooth 4.0, placa de rede Atheros Killer, a mais premiada do mundo para o segmento prometendo melhorar a fidelidade dos dados transferidos, consequentemente melhorando características como "ping" dentro do gameplay.

Não podemos deixar de destacar também a nova suite de aplicativos da Gigabyte, finalmente ela estÁ conseguindo se aproximar da suite da Asus, em alguns aplicativos, inclusive com melhores resultados, como o Auto Tuning, que provou ser uma ótima solução para overclock "automÁtico". O aplicativo EasyTune especificamente, é o grande diferencial do APP Center, seus perfis pre-programados podem dar ao sistema bom ganho de desempenho, através de um processo bastante simples, bastando alguns cliques, sem necessidade nenhuma de conhecimento técnico.

É importante que se diga, que diversas das tecnologias da placa precisam dos aplicativos instalados para funcionarem de forma ideal, como para carregar dispositivos de forma mais rÁpida através das conexões USB, ou dar boot mais rÁpido no sistema. 

Em se tratando de desempenho, o diferencial de uma placa desse nível fica sobre seu potencial de overclock, muito bom na G1. Sniper 5, no mais é uma placa como qualquer outra com chipset Intel série 8. O lado curioso é que a Gigabyte, ao contrario da Asus por exemplo, coloca a frequência um pouco abaixo de 100MHz, consequentemente cpu, gpu e memórias também ficam um pouco abaixo e isso se reflete nas tabelas comparativas, é uma diferença bem pequena, quase imperceptível, mas porque não colocar um pouco acima?

O lado ruim não poderia deixar de ser seu preço, na newegg.com estÁ custando U$339 dólares(pesquisa feita em 15/10/13), jÁ no Brasil ela custa pouco mais de R$1.850, valor bem alto para uma placa-mãe. Por outro lado, ela teve uma queda de U$60 desde seu lançamento em cenÁrio internacional. O modelo concorrente da Asus, a MAXIMUS VI EXTREME, continua custando U$399. Preço alto? Sim, muito, mas bom pelo corte e por tudo que envolve um produto tão diferenciado como esse. Vale destacar ainda que o socket deve ser compatível com a 5ª geração de processadores da linha Intel Core.

PRÓS
Excelente acabamento
Componentes de alta qualidade
Ótima suíte de aplicativos, destaque para o EasyTune
Conexão Wireless e Bluetooth
Suporte a 4 placas de vídeo
BIOS com opções avançadas
Perfis de overclock altos e de fÁcil aplicação pela BIOS ou EasyTune
Botões de acesso rÁpido a diversas opções no PCB
Áudio Creative Sound Core3D
CONTRAS
Preço alto
Tags
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.