ANÁLISE: ASUS MAXIMUS VI IMPACT

ANÁLISE: ASUS MAXIMUS VI IMPACT

Os hardwares vêm diminuindo de tamanho com o passar dos anos. Mas em muitos casos, quando acontece isso, o desempenho é afetado pela limitação dos hardwares mais compactos. Ou melhor, era afetado.

Ultimamente, as grandes empresas têm apostado em placas-mãe Mini ITX de alto desempenho, com tamanho de 17x17cm. Na maioria das vezes, esse formato traz, curiosamente, mais tecnologias embarcadas que modelos tradicionais de tamanho ATX e Micro ATX, bem maiores.

Mas a Asus decidiu inovar ainda mais e lançou a primeira placa-mãe da empresa com esse formato e com selo RoG, a MAXIMUS VI IMPACT, com socket Intel LGA 1150 que sem sombra de dúvidas é a melhor solução do mercado nesse formato. Com uma série de diferenciais, como Áudio de alta qualidade com chip SupremeFX e placa com conexão Wireless, Bluetooth e ainda um socket mSATA M.2, ela se destaca também em overclock, com um projeto bastante diferenciado e acima do que estamos acostumados a ver em placas com esse tamanho.

Logicamente, seu preço também é o mais alto, chegando a ser o dobro de outros bons modelos com mesmo chipset. A mainboard é um produto direcionado ao público entusiasta e a quem pretende montar uma mÁquina top de linha em um gabinete compacto. 


Tecnologias by ASUS
Abaixo, vamos listar algumas das principais tecnologias da placa-mãe. Mas antes, uma foto detalhando algumas dessas tecnologias:


A ROG realizou testes e modificações de layout para garantir a compatibilidade com designs de chassis Mini-ITX e coolers para a CPU. Além de manter a Área da CPU livre para permitir um suporte melhor.

- Continua após a publicidade -

Impact Power
Os engenheiros da ROG remodelaram o Extreme Digi+ III com Impact Power em um design vertical. Agora, o usuÁrio pode se beneficiar de um gerenciamento preciso de energia e overclock estÁvel na Mini-ITX. A qualidade alta dos componentes é a mesma das demais placas ROG.

SupremeFX Impact
Experiência de 115dB de relação sinal-ruído de Áudio na mini-ITX graças à placa de som SupremeFX Impact. Além de manter o slot PCIe 16x livre para a placa de vídeo.

Música PnP (Plug e Play)
A nova tecnologia exclusiva da ROG encaminha o Áudio estéreo diretamente para os alto falantes quando o PC estÁ desligado. Basta conectar um dispositivo com o Áudio na entrada de microfone e deixar a música tocar.

Perfect Voice
Essa tecnologia melhora chamadas de voz via internet e promete deixar a comunicação "clara como cristal". A ferramenta ainda elimina ruídos durante pausas na fala e barulhos do ambiente.

Sonic Radar
Dedicado aos games FPS, o Sonic Radar mostra a origem do som em um radar e permite identificar, por exemplo, a origem dos tiros ou dos passos do inimigo.

- Continua após a publicidade -

SSD Secure
O SSD Secure Erase garante a remoção de dados completa e o restauro do desempenho do SSD direto da BIOS, sem precisar usar aplicativos de terceiros e reduzindo os problemas de compatibilidade.


Combo mPCIe II
A placa de expansão mPCIE Combo II traz novas opções de conexão sem ocupar um slot PCI Express adicional. Traz Wi-Fi padrão 802.11ac (três vezes mais rÁpido que o 802.11n) e Bluetooth 4.0 integrados. Um conector M.2 Next Generation Form Factor (NGFF) permite instalar os drives SSD ultrafinos. A ROG estÁ trabalhando com fabricantes de dispositivos de armazenamento como ADATA e SanDisk para o lançamento de drives SSD M.2 em breve.

UEFI BIOS atualizada
A placa jÁ sai de fÁbrica com uma ROG UEFI BIOS atualizada, que é compatível com novos modos de configuração do PC. O SSD Secure Erase foi incorporado à ROG UEFI BIOS, garantindo a remoção de dados completa e o restauro do desempenho do SSD direto da BIOS, sem precisar usar aplicativos de terceiros e reduzindo os problemas de compatibilidade.

ROG RAMDisk
A ferramenta ROG RAMDisk transforma a RAM em um armazenamento temporÁrio para acelerar o desempenho do sistema operacional e reduzir o tempo de carregamento do OS e de jogos. Ela pode usar até 80% da memória disponível do sistema e acessar arquivos sem realocÁ-los para proteger os dados e minimizar acidentes.


Dual Intelligent Processors 4
Um clique para melhor performance, eficiência, controle digital de energia, redução de ruído e resfriamento melhorado. A otimização 4-way automaticamente detecta a melhor configuração para seu sistema baseado no uso atual.

4 Key Tuning Pillars

- Continua após a publicidade -

- Desempenho: desbloqueio da performance da CPU/iGPU com o TPU.
- Eficiência: Alcança eficiência energética reduzindo o consumo de energia
- Gerenciamento em tempo real do regulador de voltagem da CPU via DIGI+ Power Control
- Controle customizado do fan: supervisão detalhada de cada ventoinha instalada melhora o resfriamento e reduz o ruído com o Fan Xpert 2.

{break::Fotos e BIOS}Seguindo o padrão de modelos da linha RoG, a Maximus VI Impact possui layout nas cores preto e vermelho. Como jÁ destacamos, é a primeira placa da empresa no formato Mini ITX com selo RoG, produto desenvolvido com foco no público gamer, entusiasta e overclocker.

A mainboard, como toda Mini ITX, vem em uma caixa bem menor do que modelos tradicionais, mas nem por isso deixa de vir com vÁrias tecnologias, como jÁ destacamos. Na foto abaixo, podemos ver que junto com a placa-mãe hÁ duas outras placas que podem ser conectadas a ela para dar novas funcionalidades, como Wireless/Bluetooth e o próprio Áudio, através de uma placa com tecnologia SupremeFX, prometendo qualidade muito superior a modelos tradicionais.


Seu tamanho de 17x17cm engana quem pensa que por ser bem menor hÁ um limite de tecnologias. O conceito desse tipo de produto é justamente o contrÁrio: adicionar o mÁximo possível. Nesse modelo, além de conexão Wireless/Bluetooth e SSD padrão M.2, ainda temos um projeto focado em overclock, sendo um produto que promete bom comportamento também nesse tipo de situação. A Asus adicionou o que chama de "Impact Power", controladores de fases em uma peça vertical encaixada na placa. Essa solução pretende garantir melhor desempenho em overclock sem gerar limitações com coolers.

Quatro conexões Sata 3, slot PCI-Express 3.0, conexão USB 3.0 para gabinetes, botões de power e reset e até mesmo debug led e botões das tecnologias MemOK e DirectKey estão presentes na placa. Esses últimos, através do painel traseiro, que ainda traz 8 portas USB (4x 3.0 e 4x 2.0), uma porta E-Sata, HDMI, DisplayPort etc.

Abaixo algumas fotos com o cooler utilizado, um CoolerMaster TPC 812 jÁ montado sobre a placa-mãe. Pelo seu tamanho, quase que esconde a placa.

É importante destacar que ao montar a placa no gabinete, serÁ necessÁrio remover dois parafusos que prendem um componente sobre a placa. Veja na imagem abaixo, que caso os mesmos não sejam removidos, não serÁ possível fazer a fixação da forma correta.

BIOS
A Asus não fez grandes mudanças visuais em suas BIOS da geração de placas com chipset série 8, mas deu alguns retoques para melhorÁ-las em relação à geração anterior.

Assim como outros modelos, a Maximus VI Impact tem as cores da BIOS seguindo as mesmas da placa, em tons pretos e vermelhos.

Por ser um modelo diferenciado, com componentes de alta qualidade e baseada no chipset Z87, opções avançadas para overclock estão disponíveis aos interessados nessa prÁtica, sem abrir mão de opções pré-configuradas para facilitar o overclock aos usuÁrios com menos experiência, como o "Overcloking Presets", que traz uma série de perfis de overclock prontos.

Vale destacar ainda que a Asus tem um sistema bem legal para atualização da BIOS, bastando colocar um pen drive com o software em uma conexão USB e apertar um botão na traseira da placa para o sistema entender que deve fazer a atualização. 

Abaixo uma série de telas da BIOS da Maximus VI Impact:


{break::MÁquinas/Softwares utilizados, CPU/GPU-Z}Abaixo, detalhes sobre os sistemas comparados, drivers e aplicações utilizadas nos testes. Mas antes, fotos da placa analisada montada com demais hardwares do sistema que utilizamos:

MÁquinas utilizadas nos testes:
- Intel Core i7 4770K + ASUS Maximus VI Impact (U$ 229)
- Intel Core i7 4770K + ASUS Maximus VI EXTREME (U$ 399)
- Intel Core i7 4770K + ASUS Gryphon (U$ 169) + Armor Kit (U$45)
- Intel Core i7 4770K + ASUS Sabertooth Z87 (U$ 249)
- Intel Core i7 4770K + ASUS Z87-DELUXE (U$ 289)
- Intel Core i7 4770K + ECS Z87H3-A2X Extreme (U$239)
- Intel Core i7 4770K + GIGABYTE Z87X-OC (U$ 199)

* Pesquisa de preço feita dia 09/08/2013 no site newegg.com.

Todas os sistemas utilizaram os mesmos hardwares para os testes:
- Placa de vídeo: NVIDIA GeForce GTX 680 referência
- Memórias: 8 GB G.Skill Trident 2400MHz @ 1600MHz (2x4GB)
- SSD: Corsair Neutron GXT 240GB Sata III
- HD: Seagate ST31000528AS 1TB SATA II 7200RPM
- Cooler: Cooler Master TPC 812
- Fonte de energia (PSU): XFX ProSeries 850W PSU

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 7 64 Bits com Updates
- Intel INF 9.4.0.1017
- Intel HD Graphics Drivers 9.18.10.3165
- NVIDIA GeForce 320.18

Aplicativos/Games:
- CineBENCH 11.5
- MaxxMEM
- x264 FHD Benchmark 1.0.1
- wPrime 2.09

- 3DMark 11 (DX11)
- Aliens vs Predator (DX11)
- Tomb Raider (DX11)

CPU-Z, GPU-Z
Abaixo, telas do CPU-Z e GPU-Z mostrando detalhes da placa-mãe. Reparem que o processador estÁ setado em 3.9GHz, normal devido ao Turbo Boost. Mas o curioso é que a Asus setou esse clock 100%, dessa forma o sistema pode ter leve ganho sobre outros modelos que diminuem o clock do processador dependendo da demanda do sistema.


Consumo de energia
Além de teste em modo ocioso, criamos duas situações de testes de consumo com o sistema sendo exigido: uma apenas dos modelos com vídeo integrado rodando o 3DMark 11 e outra com os sistema rodando com uma NVIDIA GeForce GTX 680 referência, também rodando o 3DMark 11.

IDLE (Sistema ocioso)
Começamos pelo teste com o sistema em modo ocioso.

Rodando o 3DMark 11
Quando colocamos os sistema com vídeo integrado rodando o 3DMark 11, temos os consumos abaixo:

{break::Testes com uso do CPU}CineBENCH 11.5
Iniciamos os testes de desempenho em aplicações com o CineBench, que testa o processador convertendo uma imagem. 

x264 Full HD Benchmark
Em um teste de conversão de vídeo Full HD, temos os seguintes resultados:

MaxxMEM
O aplicativo MaxxMEM serve para testar o desempenho das memórias. Os testes são do modo "copy".

wPrime
Rodando o wPrime, teste que estressa todos os cores do processador, temos os resultados abaixo:

Conversão de vídeo
Através do software CyberLink MediaEspresso, fizemos testes de conversão de vídeo com os processadores com vídeo integrado.

{break::Testes com uso do vídeo integrado}Agora vamos aos testes com o vídeo integrado do Core i7 4770K utilizado nos sistemas.

3DMark 11
Começamos nossos testes com o 3DMark 11.

Aliens vs Predator
Em teste de games utilizamos o "Aliens vs Predator" para medir o desempenho do HD Graphics 4600 e dos sistemas comparados.

Tomb Raider
Para finalizar os testes de games, vamos ao teste de desempenho do "Tomb Raider".

Versões futuras do pacote de drivers de vídeo da Intel podem trazer boas melhoras de desempenho e, consequentemente, gerar uma diferença superior entre os sistemas. 

{break::Testes com uma GeForce GTX 680}Além dos testes com o vídeo integrado, fizemos alguns testes com os sistemas rodando em conjunto com uma Nvidia GeForce GTX 680 referência. Confiram abaixo os resultados:

3DMark 11
Começamos pelo 3DMark 11:

Aliens vs Predator
Damos sequência com o game "Aliens vs Predator":

Tomb Raider
Por fim, abaixo os resultados com o "Tomb Raider".

{break::Overclock}Assim como as outas placas-mãe Z87 que analisamos, fizemos alguns testes overclockando o Core i7 4770K utilizado. JÁ vimos que essa revisão que temos tem certas limitações de overclock, mas conseguimos alguns resultados interessantes.

Nosso overclock de 4.7GHz foi através do perfil "Gamer´s" da BIOS da placa-mãe. O único porém é que nosso processador requer mais do que os 1.25v setados pelo perfil. Tivemos que forçar 1.35v para o sistema estabilizar, assim como aconteceu em outras mainboards que testamos.

Agora, o overclock que mais nos chamou a atenção e que na prÁtica trouxe o melhor resultado, foi quando utilizamos o processo de over do aplicativo Asus Suite III. Tudo é feito de forma automÁtica pelo software, apesar de dar algumas opções ao usuÁrio. No caso do processador que utilizamos, ofereceu clocks de 4.2GHz, 4.4GHz e 4.6GHz. Tentamos com o clock mais alto, mas o sistema não ficou estÁvel, aí setamos 4.4GHz e passou tudo certinho, com ganhos excelentes, assim como podem ver nos testes a seguir, especialmente com vídeo integrado. Vale destacar que, automaticamente, o software detecta que temos um kit de memórias de 2.4GHz instalado na mÁquina e aplica esse clock, trazendo bom ganho em algumas aplicações, especialmente as que usam o vídeo integrado.


Vale destacar também que novas atualizações de BIOS podem melhorar o comportamento da placa em overclock.

A variação entre os sistemas existe pelo comportamento diferente entre cada marca e modelo quando overclockados, especialmente quando utilizamos perfis pré-programados de overclock, onde cada empresa seta as suas configurações.

Consumo de Energia
O consumo de energia normalmente sofre um bom aumento dependendo do overclock feito, entre os motivos por aumentar a "entrega" de energia ao processador e sistema.


CineBENCH 11.5
Abaixo o desempenho dos sistemas na conversão de imagem do CineBench.

wPrime
Em um teste que mais vale como validador para o overclock feito, devido estressar todos os cores, temos o seguinte resultado:

3DMark 11
JÁ no 3DMark 11, que vai ter maior ganho em overclocks que também aumentem o clock do vídeo integrado, temos os seguintes resultados:

Aliens vs Predator
Por fim, rodando o "Aliens vs Predator" os sistemas tiveram os seguintes resultados:

{break::Conclusão}A Maximus VI Impact é aquele produto que chamamos de pequeno notÁvel. Sem sombra de dúvidas é a melhor placa-mãe Mini ITX jÁ criada, seja no acabamento com visual gamer por trazer selo RoG, ou pelas diversas tecnologias integradas, com o diferencial de não criar limitações como acontece em alguns modelos com esse formato, jÁ que a empresa adotou um método com placa vertical para alguns componentes, como os controladores de fases, placa wireless/bluetooth e de Áudio.

Ela é a primeira mainboard da Asus com selo Republic of Gamers no formato Mini ITX, comprovando uma tendência de mercado que vem ganhando cada vez mais espaço com computadores compactos de alto desempenho.

Um processador top de linha socket LGA 1150 como o Core i7 4770K é uma bela combinação para essa placa. Especialmente por ela trazer características de modelos diferenciados da Asus quando se trata de overclock, não apenas por ser baseada no chipset Z87, mas pelo projeto criado pela empresa, mesmo compacto, "achando" espaço para adicionar componentes que melhorem o desempenho da placa em situações adversas de overclock. Ela possui 8+2 controladores de fases.

Outro grande destaque é o Áudio SupremeFX, que vai agradar muito aos gamers que procuram um produto nesse tamanho, mas que não tinham algo diferenciado, com diversas tecnologias para melhorar a qualidade de Áudio.

Tecnologias comuns em placas Mini ITX como conexão Wireless e Bluetooth também estão presentes na Maximus VI Impact, mas com promessa de melhor desempenho do que o oferecido por produtos concorrentes, sem contar que a placa ainda traz suporte a SSD padrão M.2, nova conexão que deve começar a ganhar produtos nos próximos meses.

Uma série de tecnologias aplicadas pela primeira vez em mainboards através da geração de placas com chipset Intel serie 8 da Asus, como a RAMDisk, também faz parte desse modelo. No caso dessa tecnologia, a mesma promete ganho de desempenho em situações como carregar mapas de games quando o sistema tiver um SSD.

Outra coisa que temos que destacar quando se trata de Asus, é a suite de aplicativos, muito acima de qualquer outra empresa do ramo. Fica muito mais fÁcil utilizar as tecnologias oferecidas com os aplicativos da empresa, feitos para facilitar a vida do usuÁrio, diferente de algumas empresas onde a tecnologia estÁ disponível, mas em muitos casos é difícil de ser utilizada. 

Fora do Brasil ela custa U$229,00 (pesquisa feita dia 18/08/13 na newegg.com), no Brasil ainda não chegou, mas seu preço deve ficar na casa de R$ 1.000 ou mais. O valor é alto para uma placa-mãe, mas comparado a outros modelos com projetos diferenciados da Asus, quem pretende montar uma mÁquina top de linha com gabinete compacto, sem sombra de dúvidas esse é o melhor modelo disponível.

PRÓS
Ótimo acabamento
Componentes de alta qualidade
Excelente suíte de aplicativos, muito à frente da concorrência
Conexão Wireless, Bluetooth e M.2 (para SSD)
BIOS com opções avançadas
Perfis de overclock altos e de fÁcil acesso
Botões de acesso rÁpido a diversas opções no PCB e painel traseiro
Áudio SupremeFX
CONTRAS
Preço alto
Para ficar completa só faltou uma conexão Thunderbolt
Assuntos
Tags
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.