ANÁLISE: Samsung Galaxy S4

ANÁLISE: Samsung Galaxy S4

O Galaxy S4 chegou com um montão de promessas. Hardware super robusto (com versões quad e octa-core), design mais leve, fino e um tanto mais resistente, e recursos de software exclusivos e inovadores.

No Brasil, o preço é proibitivo: o valor sugerido é R$2.499 para a versão 4G, a mesma que recebemos para testes. O que coloca o aparelho no mesmo patamar do iPhone 5 - enquanto há várias alternativas mais baratas, como nós já listamos.

O saldo é mais positivo que negativo. Muitos recursos de câmera, um assistente pessoal com reconhecimento de voz que entende o português (ao contrário do Siri do iOS), uma tela ligeiramente maior que a do antecessor sem acarretar em um aumento geral do dispositivo e algumas perfumarias, como o S Pause e o Smart Scroll.

Ainda assim, para quem tem um Galaxy S III, a troca não precisa ser imediata. O desempenho não mudou - apesar de ser de uma geração passada, o aparelho anterior continua com excelente performance. E nem todos os recursos a mais funcionam a contento. Entenda melhor nas páginas a seguir.

Vídeo-review, especificações e comparativos


Dimensões:
 136.6 x 69.8 x 7.9 mm
Peso: 130g 
Tela: 5.0" Super AMOLED 1080x1920 
Memória: 16/32/64GB de armazenamento, 2GB de RAM
Cartão SD: expansível em até 64GB
WLAN: Wi-Fi 802.11 a/b/g/n/ac, dual-band, DLNA, Wi-Fi Direct, Wi-Fi hotspot
Bluetooth: 4.0 com A2DP, EDR, LE
NFC: Sim 
DLNA: Sim
HDMI: Não
MHL: Sim
USB:  microUSB 2.0
Câmera traseira: 13MP (4128x3096 pixels), autofoco, flash LED
Vídeo câmera traseira: [email protected]
Câmera frontal: 2MP
Sitema operacional: Android 4.2.2 (Jelly Bean) 
CPU: Qualcomm Snapdragon 600 quad-core de 1.9GHz
Sensores: Accelerometro, giroscópio, proximidade, bússola, barômetro, temperatura, umidade, gestos
GPS: Sim, A-GPS e GLONASS
Bateria:  Li-Ion 2600 mAh

 

Galaxy S4 x Xperia ZQ x iPhone 5


Galaxy S4
Xperia ZQ
iPhone 5
Processador
Exynos 5 Octa / Snapdragon 600 quad-core 1.9GHz Snapdragon S4 Pro quad-core 1.5GHz Apple A6 dual-core 1.2GHz
Armazenamento
16/32/64GB (interna) + 64GB (microSD) 16GB (interna) + 64GB (MicroSD) 16/32/64GB (interna) 
Memória RAM
2GB 2GB 1GB
Sistema operacional
Android 4.2.2 (Jelly Bean)
Android 4.1.2 (Jelly Bean) iOS 6
Câmeras
Traseira 13MP / Frontal 2MP Traseira 13MP / Frontal 2MP Traseira 8MP / Frontal 1.2MP
Tela
Super AMOLED 5' (1080 x 1920) TFT 5' (1080 x 1920) LED IPS LCD 4' (640 x 1136)
Dimensões
136.6 x 69.8 x 7.9 mm 131.6 x 69.3 x 9.8 mm 123.8 x 58.6 x 7.6 mm
Peso
130g 151g 112g
Bateria
Li-Ion 2600 mAh Li-Ion 2370 mAh Li-Po 1440 mAh
LTE



HDMI



Preço (28/06/13) R$2.031 R$1.999 R$2.598

{break::Design e tela}O Galaxy S4 não mudou muito em relação ao S III. Infelizmente, continua com sua maior parte constituída de plástico, embora tenha um acabamento melhor que o do seu antecessor, e seja um tanto mais resistente. As bordas ganharam um material superior, menos suscetível ao descascamento. 

O formato é o mesmíssimo do S III, arredondado nas bordas e com apenas o logo da empresa e o botão Home “quebrando” a hegemonia do visual. O que muda – pouquíssimo – é o tamanho. Apesar de ter uma tela maior (5Â’Â’ contra 4,8Â’Â’), o S4 é mais estreito! E qual é a mágica? Simples: o telefone praticamente não tem bordas laterais (mais ou menos como o Xperia ZQ, que também analisamos no Adrenaline), o que dá mais espaço útil para o display.

- Continua após a publicidade -



A traseira – ainda removível – é bastante flexível e super fácil de retirar. Como é bem maleável, não dá aquela impressão esquisita de que irá quebrar ou rachar facilmente. O lado ruim é que continua lisa feito um sabonete, e ainda tem um acabamento brilhante meio esquisito, que acumula muitas marcas de dedos. Pessoalmente, prefiro o material dos Lumias ou do Xperia ZQ, que têm uma aderência bem agradável, um “atrito” que evita ao máximo escorregadas acidentais.


O display, além de maior, ganhou ainda mais resolução. São 1080x1920 pixels, o que dá uma densidade de 441 pixels por polegada. A tecnologia ainda é a Super AMOLED Plus, grande trunfo da Samsung, o que proporciona cores vivas, ótimo nível de contraste e boa visibilidade inclusive sob sol forte.

- Continua após a publicidade -


A tela ainda é protegida por Gorilla Glass 3, o que confere um pouco mais de resistência ao dispositivo. Mas não o suficiente para passar uma sensação completa de segurança. O Galaxy S4 é extremamente fino (7,9mm) e leve (130g), o que é um ponto positivo. Mas, ao mesmo tempo, uma armadilha: seu acabamento escorregadio pode provocar quedas acidentais facilmente e o plástico não parece aguentar muito o tranco. Por um dispositivo de mais de R$2 mil, dava pra usar um material melhor. Um Lumia 920 custa menos que isso e é fabricado todinho em policarbonato.

{break::Câmeras e multimídia}O Galaxy S4 é recheado de recursos multimídia. Com duas câmeras, uma de 13 megapixels e outra de 2 megapixels, o aparelho não só entrega ótimas imagens, com pouco nível de ruído e cores vivas, como utiliza de maneira inovadora as duas câmeras em conjunto.

Isso significa que você, quando for o fotógrafo, não precisa mais ficar de fora da foto da galera. Uma opção coloca o seu rosto junto da imagem, no exato momento em que você fotografa. É possível alterar a posição do seu rosto, alterar o tamanho e até modificar a moldura. São várias opções: um quadradinho, um selo, um coração, uma bolha, e até um modo “meio-a-meio” em que a tela fica totalmente dividida: uma com a sua cara e a outra com o que você fotografou.

O aplicativo de câmera também traz vários filtros para aplicar efeitos nas fotos. Funciona de uma maneira parecida com o Photo Booth, da Apple: você visualiza os resultados em tempo real, na medida em que move a câmera. É interessante, pois possibilita ter uma ideia prévia do efeito final e você pode alterar a opção quando quiser rapidamente e tirar a foto só depois de ter certeza da sua escolha.

- Continua após a publicidade -

De modo geral, as fotos saem ótimas, algo característico da linha Galaxy. Mesmo em condições não muito favoráveis, como dentro de casa ou em dias nublados, as imagens saem com pouca granulação, bastante nitidez e ótima fidelidade de cores. O contraste é tão grande que pode ser uma armadilha eventualmente: em dias muito ensolarados, há o risco das fotos sairem saturadas demais. Existem ainda várias opções no app de câmera, como balanço de branco, ISO e valor de exposição.

Há ainda uma série de modos de fotografia. Além do automático, há a opção “embelezar rosto”, que dá aquela embaçadinha marota na foto para disfarçar poros e espinhas. A “melhor foto” tira uma série de fotos rapidamente para você escolher qual ficou melhor – ideal para fotos de gatinhos, que se mexem sem parar.

Você ainda pode tirar várias fotos e escolher duas para compor uma imagem mista: a melhor foto, com o melhor rosto, que pode ser tirado de outra foto. Fora isso, ainda há o modo “esportes”, “foto com som” e “ação”. Este último é ótimo para fotografar certas modalidades, como skate, por exemplo. Isso porque você pode inserir todos os movimentos de uma manobra em uma única foto.


MMA felino também é esporte

Ainda há o modo “foto animada”, que funciona como aplicativos como o Fotodanz: você tira uma foto e escolhe uma área específica para animar. O Galaxy S4 também inclui modo panorama e HDR. Tudo isso torna a sua câmera a mais completa do segmento.

A câmera frontal também faz um ótimo trabalho. A nitidez é surpreendente, comparável a de câmeras traseiras. Imperfeições na pele, por exemplo, ficam bem visíveis. As cores também são bastante vivas, algo um tanto raro nesse tipo de câmera.

Como não poderia deixar de ser, o Galaxy S4 filma e reproduz vídeos em FullHD sem problemas. As filmagens ficam decentes, com boas cores, pouco ruído e bastante fluidez.

Faltou só um pouco de esmero na parte musical. O player não traz nenhuma novidade realmente interessante. O único recurso que merece atenção é o “salão”, que reproduz músicas de acordo com uma característica que você escolher: alegre, calmo, apaixonada ou excitante.

{break::Funcionalidades e desempenho}O Galaxy S4 tem especificações robustas. Mesmo na versão 4G que recebemos para review, “só” quad-core, o aparelho tem um desempenho impressionante. Você não vai sentir quando tiver muitos aplicativos abertos, nem quando tiver acabado de sair de um jogo pesado ou de um vídeo em alta resolução. 

A transição entre telas é muito suave, bem como a navegação web. Fazer movimentos de rolagem e de zoom é sempre agradável com respostas imediatas, sem travadinhas. Os números estão aí para mostrar isso. O Galaxy S4 está no topo dos smartphones, perdendo por pouquíssima diferença para ele mesmo, na versão sem 4G com processador octa-core.


Nem tudo é digno de elogios. O Galaxy S4 tem um problema sério de hardware, por culpa do software, como nós já noticiamos. E comprovamos isso: a nossa unidade, de 16GB, chega de fábrica com pouco mais de 9GB livres de espaço para armazenamento. Mesmo com suporte para cartão microSD, a Samsung não permite mover apps para o cartão – algo que a empresa prometeu corrigir em uma atualização futura. O parco espaço disponível é consequência das inúmeras funcionalidades do smartphone. Os software proprietários da coreana ocupam um bocado de espaço e é um pouco chato pagar mais de R$2 mil em um aparelho com tão poucos GBs.

Além disso, existe o fator bateria, ainda um calcanhar de Aquiles da maioria dos bons smartphones. Se você for usar todos os recursos do Galaxy S4, provavelmente precisará plugar o telefone na tomada antes mesmo de um dia inteiro. Em stand by, ele até aguenta quase dois dias. No geral, a autonomia está no mesmo patamar de outros tops de linha. Se você prioriza a duração da bateria acima de tudo, é melhor recorrer aos modelos MAXX da Motorola.


Pelo menos os recursos adicionais compensam. O Galaxy S4 é um smartphone completíssimo. O WatchOn, por exemplo, funciona não só como um controle remoto para TVs, blu-ray players e receptores de TV a cabo, mas como um guia completo da programação. E o S Voice, assistente pessoal com reconhecimento de voz à la Siri tem uma vantagem crucial em relação ao iPhone: tem suporte ao idioma português. E funciona bem! Parecidíssimo com a solução da Apple, você precisa estar conectado para usar. 


O problema é que, apesar de reconhecer bem suas frases, nem sempre ele retorna o resultado esperado. Parece que, na verdade, você precisa dizer exatamente o que o app quer ouvir. Por exemplo, ao perguntar “como está o tempo hoje”, o S Voice respondeu “vou procurar o boletim meteorológico para você”, mas não retornou a temperatura nem o clima. Precisei reformular a frase para “como está o tempo PARA hoje”, para receber as informações completas.


Na linha de aplicativos de voz, o S4 ainda traz o S Translator, app de tradução simultânea, que também exige conexão com a Internet. Mas ao contrário do S Voice, ele não reconhece tão bem assim as frases. Funciona assim: você escolhe um idioma de “entrada” e um de “saída”, para conversar com alguém em outra língua. O smartphone funciona como um intérprete. Mas, não raro, ele entende mal as frases e dá uma tradução BEM literal, o que vai exigir um bocado de criatividade e interpretação ligada ao contexto para desvendar o resultado. Mesmo assim, é uma inovação interessante, que só tende a ser aperfeiçoada.


Fora isso, ainda há o Samsung Link, que ajuda você a reproduzir conteúdo multimídia do seu aparelho em televisores ou computadores da marca, o S Health, um aplicativo para manter os exercícios físicos, o peso e a queima de calorias em dia, e o Story Album, que permite a criação fácil e rápida de álbuns de fotografias, com diagramação e efeitos instantâneos.

Tudo isso sem contar os recursos de rolagem e controle. Você não precisa tocar os dedos na tela para deslizar para cima ou para baixo uma página web, por exemplo. Você pode fazer esse movimento simplesmente com os olhos, ou ao passar a mão alguns centímetros acima do display. Funciona bem, mas a rolagem é um tanto imprecisa, correndo rápido demais.

O Smart Pause é outro recurso interessante. Ele pausa automaticamente um vídeo caso você desvie o olhar da tela e retoma a reprodução quando você volta a olhar. Mas ele não funciona tão bem quanto o prometido. É preciso manter o telefone na altura do queixo e ter uma boa fonte de luz, senão, nada acontecerá. Nos nossos testes, conseguimos usar o Smart Pause com sucesso apenas em ambientes externos.

{break::Conclusão}O Galaxy S4 deixou claro uma coisa: este é um ótimo momento para comprar um Galaxy S III. O smartphone da geração passada pode ser encontrado por cerca de R$1,3 mil e continua fazendo um ótimo trabalho. O processador mais poderoso do S4 ainda não faz diferença no uso cotidiano - octa cores em um Android ainda é um tremendo exagero.

Os recursos extras do S4, que são um belo chamariz para a compra, não funcionam tão bem como o prometido. O Smart Scroll, que rola a página de acordo com a direção do seu olhar, parece "mágico", mas não é muito preciso e é bem provável que você irá preferir desativá-lo. O Smart Pause também - e ainda funciona só em condições bem específicas de luminosidade.

Um dos pontos altos do S4 é o design, levemente melhorado e um pouco mais resistente - embora ainda longe de ser o aparelho mais forte do mercado. A tela levemente maior que o do seu antecessor (5 polegadas contra 4,8') é uma vantagem, ainda mais porque isso não acompanhou um aumento do corpo do aparelho.  

Outro aspecto matador do S4 é a câmera, a mais completa disponível atualmente no ramo de smartphones. São tantos modos de câmera, tantos efeitos possíveis, que você levará dias até conhecer tudo.

Mesmo assim, se você tem um S III, a troca não é fundamental e nem precisa ser imediata - ainda mais porque a Samsung pretende disponibilizar para a geração anterior alguns dos recursos de software do novo smartphone. O que não desmerece, é claro, o mais novo top de linha da Samsung: é, sem dúvidas, o smartphone mais poderoso disponível hoje no Brasil. 

A Kabum tem uma oferta bastante atrativa para o Galaxy S4. O modelo com 4G sai por R$2.031 à vista, no boleto bancário. Sem 4G, o smartphone custa menos de R$2 mil. Confira neste link.

PRÓS
Desempenho imbatível (por enquanto)
Ótima câmera, com muitos modos e efeitos
Assistente pessoal e tradutor com suporte ao português
Design levemente aprimorado
CONTRAS
Na prática, a performance não muda muito
"Perfumarias" que não funcionam como o esperado
Material menos resistente que outros aparelhos do segmento
Assuntos
Tags
  • Redator: Risa Lemos Stoider

    Risa Lemos Stoider

    Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e gamemaníaca desde os 4 anos de idade. Já experimentou consoles de várias gerações e atualmente mantém uma ainda modesta coleção. Aliando a prática jornalística com a paixão pela tecnologia e os games, colabora com a Adrenaline publicando notícias e artigos.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.