ANÁLISE: Seagate Momentus XT (750GB)

ANÁLISE: Seagate Momentus XT (750GB)

Recebemos da Seagate um drive da linha Momentus XT, modelo topo de linha da empresa que chega com novo conceito, chamado SSHD. Ele promete unir o espaço de um HD e a velocidade de um SSD. O drive que recebemos é o modelo topo de linha no formato 2.5 inch (polegadas), padrão utilizado em notebooks. O Momentus XT possui 750GB de espaço no HD e 8GB no SSD.

O conceito, em teoria, é simples: utilizar os dados do HD para armazenar arquivos e o SSD para dar boot no sistema e fazer cache dos arquivos mais utilizados. Seu preço é o dobro do valor de um modelo de mesma capacidade com características semelhantes, mas sem o SSD integrado. O Momentus XT de 750GB custa cerca de U$ 139 (pesquisa feita na newegg.com no dia 28/05/2013).


{break::Especificações}Confira abaixo as especificações do modelo de 750GB e de 500GB da linha Momentus XT da Seagate.

Reparem que hÁ algumas diferenças entre os dois modelos. Entre as principais, o modelo de 750GB tem 8GB de espaço no SSD e é baseado em conexão Sata III, jÁ o modelo de 500GB tem apenas 4GB de espaço no SSD e é baseado em conexão Sata II.

Abaixo, a tabela completa comparando os dois maiores modelos da linha, que ainda possui um modelo de 320GB e outro de 250GB. 

Update de Firmware
A Seagate tem uma ferramenta que detecta se o drive requer update e orienta o procedimento para a atualização.

Updates de firmware são importantes para corrigir problemas no drive, mas a grande maioria das empresas só indica fazer o procedimento caso o dispositivo esteja apresentando problemas.

- Continua após a publicidade -

Em se tratando da instalação, não existe a necessidade de instalar nenhum aplicativo obrigatório, basta conectar no sistema e seguir o mesmo processo que um HD normal. Vale destacar que o sistema não irÁ reconhecer o SSD, ele fica "escondido" e não pode ser utilizado para armazenar dados do usuÁrio. 

{break::Entenda o HD}

O HD, também conhecido como Disco Rígido, é a parte responsÁvel pelo armazenamento de todos os dados do computador, como programas e arquivos. É considerado uma memória não-volÁtil, ou seja, as informações não são perdidas quando o computador é desligado. Nos sistemas mais recentes, o HD também é utilizado para expandir a memória RAM. Existem vÁrios tipos diferentes de interfaces para discos rígidos: IDE, ATA, Serial ATA, SCSI, Fibre Channel e SAS.

Os HDs possuem discos magnéticos que são recobertos por uma camada magnética extremamente fina. Quanto mais fina for a camada de gravação, maior serÁ a sua sensibilidade e, consequentemente, maior serÁ a densidade de gravação permitida por ela. Isso possibilita que HDs, independente da capacidade, tenham o mesmo tamanho, pois, em HDs que suportam mais dados, o conteúdo serÁ gravado em um menor espaço, ao contrÁrio dos que suportam menos.

A cabeça de leitura e gravação de um disco rígido funciona como um eletroímã extremamente pequeno e preciso, a ponto de ser capaz de gravar trilhas medindo menos de um centésimo de milímetro de largura. Os dados são armazenados em muitos dígitos 1's e 0's. Esses dígitos binÁrios são organizados de maneiras diferentes para representar diferentes personagens. Quando estes são lidos de volta pela cabeça os dados são recuperados e transformados.

Ao ler um arquivo, a controladora posiciona a cabeça de leitura sobre a trilha onde estÁ o primeiro setor referente a ele e espera que o disco gire até o setor correto. Esse tempo inicial, necessÁrio para iniciar a leitura, é chamado de tempo de acesso, e mesmo os HDs atuais de 7.200 RPM ficam em torno de 12 milésimos de segundo, o que é uma eternidade em se tratando de tempo computacional. O HD é relativamente rÁpido ao ler setores sequenciais, mas ao ler vÁrios pequenos arquivos espalhados pelo HD, o desempenho pode cair assustadoramente. É por isso que existem programas desfragmentadores, que procuram reorganizar a ordem dos arquivos, de forma que eles sejam gravados em setores contínuos.

- Continua após a publicidade -

Para ler e gravar dados no disco, são usadas cabeças de leitura eletromagnéticas que são presas a um braço móvel, o que permite seu acesso a todo o disco. O braço de leitura é uma peça triangular, também feita de ligas de alumínio, para que seja ao mesmo tempo leve e resistente.

Fontes: Hardware.com e Wikipédia

{break::Entenda o SSD}JÁ o solid-state drive (SSD) é um disco de armazenamento de dados que utiliza módulos de memória NAND Flash (microchips) onde são mantidas as informações. Diferente dos hard disk drives (HDD) que utilizam discos magnéticos e cabeçotes para leitura/escrita, os SSDs não possuem peças móveis para o processo de leitura, gravação e armazenamento dos dados.


Imagem ampliada do SSD. Fonte: How It Works

Os dados são armazenados em chips, na mesma lógica do HDD, no padrão de zeros e uns. Cada bit é alocado em um transistor microscópico, mil vezes mais fino que um fio de cabelo. Quando "em branco", todos os transistores estarão sem carga, o que representa o valor "1". Para gravar o valor "0", o transistor é carregado com elétrons (e-), ficando com com carga negativa em um extremo, e tornando-se positivamente carregado no outro extremo (B).


(A) Base do microchip, (B) extremo carregado positivamente e (C) extremo carregado negativamente. Imagem ampliada 110 mil vezes. Fonte: How It Works

A leitura é feita lançando uma corrente elétrica através da base do chip (A). Onde não houver carga, a corrente circularÁ livremente e retornarÁ o valor "1". JÁ nas partes que foram carregadas com elétrons, a corrente não conseguirÁ passar, e serÁ registrado o valor "0".

- Continua após a publicidade -

Para gravar dados, é preciso lançar elétrons em um transistor na frequência específica de 20 volts. Só assim os elétrons mudam de posição e altera-se o valor do bit. Essa estabilidade é o motivo que garante menos perdas de dados em caso de choque, e também diminui o consumo de energia para manter os dados. A leitura por corrente elétrica também é muito mais Ágil que a leitura por cabeçotes dos HDDs, pois não necessita da aceleração do giro do disco, e também é praticamente irrelevante a localização do bit no espaço físico do driver de armazenamento.

{break::Diferenças entre HD e SSD}Temos algumas diferenças "gritantes" entre SSD e HD. Vamos falar um pouco de algumas que julgamos estar entre as principais. Fica difícil determinar qual é mais relevante, sendo que em todas elas temos uma disparidade muito grande.


Barulho
A diferença é simples, o HD faz o barulho clÁssico das agulhas procurando os dados nos discos, jÁ o SSD faz ...... ops, ele não faz barulho, isso mesmo, nenhum SSD emite ruído algum, característica muito importante para muitos usuÁrios, especialmente para alguns equipamentos como notebooks. Mesmo que um HD não seja um dos componentes mais barulhentos de um computador, se ele fizer pouco barulho (ou nenhum, como no caso de um SSD), melhor.

Temperatura
HDs mais recentes, por possuírem maior velocidade e capacidade, se tornaram bastante compactos internamente, gerando mais calor. Com isso, ajudam a aumentar a temperatura interna de um gabinete, ou notebooks, onde existe pouco espaço e a dissipação do calor é precÁria.

Na comparação com um HD, o SSD tem uma temperatura menor em...... ops, SSD não esquenta! E quando dizemos que não esquenta, não é que ele "esquenta menos" ou "pouco", ele não esquenta mesmo, fica totalmente frio. Para comparação, ao usarmos um termômetro a laser, a diferença da temperatura dele desligado para a alcançada durante os testes de performance foi de menos de 0,5 graus, ou seja, a temperatura dele serÁ praticamente igual à temperatura ambiente.

Velocidade
Mesmo com a significativa diferença dos dois primeiros pontos acima, a velocidade é um dos aspectos que mais atraem os usuÁrios, justamente porque, no caso específico desse tipo de produto, vai impactar diretamente o tempo das ações, tornando a mÁquina mais rÁpida seja para carregar o sistema operacional e alguns aplicativos, seja na transferência de dados.

Para muitos, esse ganho de velocidade não representa muita coisa. JÁ para outros, faz toda a diferença.

Enquanto nos discos magnéticos a velocidade é medida em RPMs (rotações por minuto), ou seja, uma velocidade angular, nos SSDs o desempenho é mensurado normalmente em MB/s, valor da taxa de transferência dos dados, seja de escrita ou leitura. Dessa forma, não é possível fazer uma comparação direta de desempenho entre um SSD e HD apenas pela "leitura" de suas especificações. É preciso partir para testes de desempenho.

Nos modelos baseados em conexão SATA III de 6GB/s, a velocidade teórica é o dobro da anterior. Na prÁtica, os tempos de leitura e escrita não atingem o dobro da velocidade, mas ficam muito próximos.

Vale destacar também que opções na BIOS e no sistema operacional fazem toda a diferença no uso de um SSD, como ativar a opção AHCI nas opções de modo Sata da BIOS da placa-mãe(também importante para drives de HD Sata III). Fazendo isso, seu sistema trabalharÁ de forma mais rÁpida com o drive SSD. Isso pode, no entanto, impactar o sistema operacional. Caso ocorra algum problema, basta retornar ao modo anterior. O ideal é fazer essa mudança antes da instalação do sistema. Dizem que utilizar modo RAID mesmo tendo apena sum HD/SSD também é uma boa alternativa, jÁ que o sistema automaticamente direcionaria o modo ideal, desde que se faça a alteração antes de instalar o sistema operacional.

Preço
Depois de vÁrias tecnologias que destacam positivamente um SSD comparado a um HD, não teria como não vir o lado ruim, que estÁ no preço desses produtos, muito mais caros que HDs, mesmo com capacidade bem inferior.

Um SSD de 120GB custa o mesmo valor que um drive de HD de 1TB ou até maior, consequentemente é um fator crucial na decisão de compra de muita gente, mesmo com todos os benefícios destacados. Vale ressaltar que a cada ano os drives de SSD tem seu preço reduzido, ainda longe de ser comparados com HDs, mas se tornando uma realidade maior para quem antes pensava que era um produto fora de cogitação.

Outras diferenças
Além das três diferenças citadas acima, temos outras também muito importantes. Primeiro o tamanho, jÁ que o padrão de drives SSD é 2.5, diferente de HDs para computadores desktop que é 3.5. Também temos o fator peso, muito menor em um SSD. Os componentes utilizados em um SSD são bem mais leves que em um HD, isso que dizer que mesmo um SSD de 3.5 seria mais leve que um HD de mesmo tamanho.

Entre outros fatores favorÁveis ao SSD, temos o consumo de energia menor, a durabilidade em impactos, tornando um SSD bem mais resistente, jÁ que ele não possui as famosas "agulhas" e "discos" onde os dados são gravados, mas, como vimos, pequenas "memórias".

{break::Entenda o SSHD}

Depois de entenderem as diferenças entre SSD e HD, apresentamos o conceito do que é o Seagate Momentus XT: um SSHD.

A nova categoria dos drives híbridos de armazenamento sólido (SSHD) combinam em um só drive o armazenamento em memória flash, que existe nos SSDs, com o através de discos magnéticos, atualmente nos HDDs comuns.

Essa solução surgiu para atender às necessidades dos usuÁrios por tecnologias que melhorem a performance de armazenamento sem perder a grande capacidade interna.

Ao fundir essas funcionalidades, foi possível trazer dispositivos que são compatíveis com os módulos de HDD tradicionais ao mesmo tempo em que entregam um desempenho próximo ao dos atuais SSDs do mercado. A expectativa é que os SSHDs se aproximem cada vez mais da velocidade dos SSDs em transferências de arquivos. 

Essa união também proporcionou modelos muito compactos, que alcançam tamanhos de até 2.5 polegadas com capacidade de memória de 1TB. Até por isso, essa tecnologia poderÁ ser o "futuro" para alcançar o aumento do poder de armazenamento em dispositivos portÁteis como tablets. 

{break::Fotos}Abaixo, algumas fotos do modelo analisado, formato 2.5'', bastante semelhante a outros modelos desse padrão. Como pode ser visto, as memórias NAND utilizadas para o SSD integrado ao drive não ficam aparentes. No mais é um drive como outro qualquer no que diz respeito à parte visual.


Nas fotos abaixo comparamos o Momentus XT com um HD normal formato 2.5 inch. Reparem que visualmente não existe diferenças grandes. O SSD fica localizado por baixo da placa principal do drive (essa na cor azul).

{break::Testes}Abaixo, detalhes completos do sistema utilizado, baseado em uma mainboard com chipset Z77:

Drives utilizados nos comparativos com seus respectivos preços (preços pesquisados na última semana de maio de 2013):

- HD Seagate Momentus XT 750GB (Sata 3) = U$ 139 (cerca de R$ 400 a 450 no Brasil)
- HD Seagate Momentus 750GB (Sata 3) = U$ 69 (cerca de R$200)

- HD Seagate Barracuda 2TB (Sata 3) = R$ 450
- HD Samsung 500GB (Sata 2) = R$ 230
- SSD OCZ Vertex 2 60GB (Sata 2) = R$ 250

MÁquina utilizada nos testes:
- Mainboard Gigabyte GA-Z77X-UP7
- Processador Intel Core i7 3770K
- Memórias G.Skill 8GB (2x4GB) ARES
- Fonte XFX 850W Black Edition
- Cooler BOX Intel

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 7 Pro 64 Bits com updates
- Intel INF 9.3.0.1021
- Intel HD Graphics Drivers 15.26.12.2761
- Intel Rapid Storage Technology 11.5.4.1001

Aplicativos:
- ATTO Disk Benchmark 2.4x
- CrystalDiskMark 3.x
- HD Tune Pro 5.xx

Antes de começarmos com os testes, abaixo a tela do CrystalDiskInfo e do HD Tune Pro com alguns detalhes técnicos do HD.

Reparem que na tela do CrystalDiskInfo a temperatura estÁ setada em 32 graus, com o sistema em modo ocioso. JÁ a tela do HD Tune mostra a temperatura logo após rodar um teste, com a temperatura em 41 graus, dentro da normalidade.

{break::ATTO Disk Benchmark}Abaixo temos o comportamento de todos os drives em cima do ATTO Disk Benchmark, conceituado utilitÁrio que testa performance desse tipo de produto.

Começamos os testes de desempenho com o modo leitura do ATTO, onde o  Momentus XT de 750 GB ficou pouco à frente de um modelo Sata II de 500 GB formato 3.5 Inch. A diferença para um modelo Sata II de 2TB ficou na casa de 18%.

É importante destacar que drivers de formato 2.5 inch (utilizados em notebooks), mesmo os modelos de 7200RPM, são mais lentos que drivers formato 3.5 inch (utilizados em computadores desktop).

O último colocado da tabela é um drive 2.5 inch Sata II de 320GB, que ficou 37% atrÁs nesse teste. Mas, em teoria, não devido ao mesmo não ter um SSD integrado, mas sim por ser baseado em conexão Sata II e ter "apenas" 5200 RPM.

Apesar de não ter nenhuma mudança na tabela, no modo de escrita a diferença para o modelo Sata III de 2 TB aumentou, e a diferença para de 500GB Sata II diminuiu. Consequentemente, o drive ficou mais lento nessa situação.

A diferença para o outro drive de HD 2.5 inch ficou semelhante ao teste de leitura.


Abaixo a tela do aplicativo com os resultados, mostrando mais detalhes.


{break::CrystalDiskMark}Com o aplicativo CrystalDiskMark, outro muito famoso para testes de drives, optamos por utilizar o teste "Seq". Abaixo, seguem os resultados.

No modo leitura do CrystalDiskMark não tivemos mudanças na tabela em relação ao teste anterior, mas novamente a diferença do Momentus XT para o modelo de 2TB Sata III aumentou e para o modelo de 500GB Sata II diminuiu, destacando que ambos são 3.5 inch.

JÁ quando comparamos o Momentus XT com o drive HD 2.5 inch Sata II de 320GB a diferença ficou em 38%, semelhante ao teste anterior.

No modo escrita sequencial, o SSD da OCZ utilizado não conseguiu bom resultado, fazendo todos os demais modelos subirem uma posição. O lado negativo, novamente, é que o drive Momentus XT teve uma aproximação ainda maior do modelo de 500GB Sata II formato 3.5 inch. Na verdade, podemos considerar empate técnico entre esses dois modelos.

Novamente a mesma diferença para o modelo de HD formato 2.5 inch utilizado nos comparativos. 

Abaixo a tela do aplicativo com os resultados, mostrando mais detalhes.


{break::HD Tune Pro}Também utilizamos o benchmark em "modo leitura" (read) do HD Tune Pro, um dos mais reconhecidos do mercado.

No primeiro teste, onde é medida a velocidade de leitura média, o resultado foi semelhante à grande maioria, com o Momentus XT ficando entre um modelo 3.5 inch Sata III e outro Sata II, e mantendo uma boa margem sobre o drive de HD formato 2.5 inch.

Também fizemos os testes no modo "File Benchmark". No modo leitura (read) podemos ver bem a eficiência de um SSD frente a HDs, infelizmente os 8GB do Momentus XT não fazem grande diferença nesse caso, mantendo-o na mesma posição que os testes anteriores.

Mesma coisa no modo escrita, o SSD disparado na frente e o drive híbrido Momentus XT entre o modelo 3.5 inch de 2TB Sata III e o 500GB Sata II. 

Abaixo, telas do aplicativo com os resultados dos testes:

{break::Win7 Exp., Tempo de BOOT, Carregando um game}Windows 7 Experience
O Windows 7 possui uma ferramenta de teste de desempenho de alguns dos hardwares do sistema, entre eles do dispositivo de armazenamento onde o sistema operacional estÁ instalado.

O drive Momentus XT ficou em pé de igualdade com os demais drives de HD. Apenas o SSD se sobressai nesse teste.

Tempo de BOOT (Windows 7 Pro)
Com o software BootRacer medimos o tempo necessÁrio para inicializar o Windows 7.

Finalmente um teste onde o Momentus XT conseguiu mostrar o diferencial de ter um SSD integrado, na verdade, seu grande diferencial frente aos demais drives de HD: fazer o sistema bootar de forma mais rÁpida.

Reparem que o Momentus XT se aproximou bastante do drive SSD, sendo apenas 28% mais lento. JÁ comparado ao melhor drive de HD utilizado no comparativo, O Momentus XT foi 109% mais rÁpido, jÁ para com o HD 3.5 inc modelo de 500GB Sata II foi de nada menos que 204%.

A diferença mais gritante ficou na comparação com o drive Sata II de 320GB formato 2.5 inch, "apenas" 542% de melhora para a solução híbrida da Seagate, mostrando a grande eficiência nessa situação e o grande ganho que pode trazer na velocidade do boot de notebooks.

Carregando um game
Outro teste interessante é carregando um game. Para isso, utilizamos o Crysis Warhead com teste em cima do mapa "ambush". O conceito do teste foi simples: computar o tempo que levou desde a hora que clicamos até a hora em que o gameplay começa.

Nesse teste voltamos a ver o que vimos na grande maioria dos testes, o Momentus XT entre o HD de 2TB e o de 500GB.

{break::Cópia de arquivo}Cópia de arquivo
Em um teste prÁtico de cópia de arquivos enviando e recebendo 16GB, organizados em pouco mais de 800 pastas e representando um total de 35 mil arquivos a serem copiados, vamos fazer uma cópia de um HD Externo WD 1TB USB 3.0 para o PC com o drive analisado, e depois faremos o mesmo processo do PC de volta para o HD Externo.

HD Externo para PC
Na cópia de arquivos de um drive externo para o PC, o Momentus XT ficou atrÁs 11% atrÁs do HD de 2TB Sata III e empatado tecnicamente com o modelo de 500GB Sata II.

PC para HD Externo
No processo contrÁrio, copiando do PC para o HD externo, no caso leitura do drive, a surpresa é que o Momentus XT foi inferior ao modelo de 500GB, curioso pela diferença entre os dois, 22%, e pelo fato do Momentus XT ter ficado empatado no teste anterior, de escrita que, teoricamente, exige mais do drive.

{break::Conclusão}Com todos os testes que fizemos ficou bem claro uma coisa, o Momentus XT é uma opção muito boa e talvez a melhor do mercado para quem quer um drive formato 2.5 inc, mas principalmente para quem deseja se beneficiar do boot mais rÁpido do sistema operacional devido ao mesmo ter um SSD integrado. Porém, na grande maioria dos testes ele não deve ter grande melhora sobre modelos sem SSD integrado como os da linha Momentus.

O preço desse drive comparado a um modelo da própria Seagate com características idênticas(Momentus), mas sem SSD integrado, é nada menos que o dobro. O benefício real ficou em uma situação, então o usuÁrio só precisa saber se quer ou não boot mais rÁpido no seu sistema. Se a resposta é sim, talvez o investimento valha a pena, afinal pode ser 1/3 inferior a um drive idêntico. Mas caso espere algo a mais, pode se frustrar.

O Momentus XT com SSD integrado é um ótimo drive formato 2.5 inch, mas o benefício sobre um modelo normal fica por conta do imenso ganho de velocidade no boot do sistema operacional.

É importante destacar dois pontos. Primeiro que drives de HD formato 2.5 inch (utilizados em notebooks) são mais lentos que drives formato 3.5 inch (utilizados em computadores desktop/de mesa). O segundo ponto é que notebooks em sua grande maioria têm apenas um "espaço" para drive formato 2.5 inch. Dessa forma, quem pensa em fazer um upgrade visando melhorar a velocidade do boot, pode adquirir um SSD, mas perde espaço, ou opta por uma solução como o Momentus XT, que não perde espaço e ganha velocidade no boot do sistema.

PRÓS
Melhora bastante a velocidade do boot do sistema operacional
Solução híbrida com SSD integrado ao HD
Instalação simples sem necessidade de drives ou aplicativos
CONTRAS
Custa o dobro de um HD idêntico sem SSD integrado
SSD se mostrou presente apenas na melhora da velocidade de BOOT do sistema
Assuntos
Tags
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.