ANÁLISE: Raidmax Raptor

ANÁLISE: Raidmax Raptor

Mesmo sendo uma empresa que jÁ atua hÁ bom tempo em mercado internacional, como o americano e asiÁtico, a Raidmax ainda não é muito conhecida no Brasil. Visando mudar isso, a partir do ano passado, começou a dar mais destaque para nosso país quando passou a ter uma empresa representando oficialmente a marca por aqui.

Naturalmente, começaremos a ver uma quantidade maior de seus produtos, especialmente gabinetes e fontes de energia.

Hoje iremos conhecer um pouco do Raptor, um dos gabinetes gamers da empresa que entra em um mercado cheio de opções e com marcas de peso, como Cooler Master e Thermaltake.


{break::Especificações e tecnologias}Entre os destaques das especificações, citamos os quatro FANs de 120mm (um frontal, dois superiores e um na parte traseira), sendo três deles com LED, no caso do modelo analisado, na cor vermelha (tem outro modelo na cor azul). Na parte superior do gabinete, temos a possibilidade de controlar a rotação de alguns dos FANs e também da intensidade dos LEDs.

O tamanho mÁximo de placa-mãe suportado é ATX, além logicamente de compatibilidade com tamanhos menores como Micro-ATX e Mini-ATX. 

A seguir temos uma imagem mostrando as principais tecnologias do gabinete, com destaque para conexão USB 3.0 frontal, facilidade na instalação das peças do sistema, FANs para melhor dissipação do calor, LEDs nos FANs superiores e frontal, suporte a water cooler e design com apelo para o público gamer.

{break::Fotos}Abaixo temos algumas fotos do gabinete. Como todo modelo destinado a um público mais exigente, traz uma série de facilidades para montagem do sistema, além é claro de trazer tecnologias visando a melhor dissipação do calor, menor ruido, suporte a conexão USB 3.0 frontal, compatibilidade com water cooler e um design tentando conquistar o público gamer, com cores preto e vermelho.

- Continua após a publicidade -

O design busca atrair quem deseja um gabinete com estilo gamer, especialmente pela parte frontal e superior, com detalhes que remetem a algum robô ou coisa parecida.

Outro destaque do modelo é que dois dos quatro FANs de 120mm possuem LEDs na cor vermelha, prometendo criar um ambiente interessante para quem curte esse tipo de "personalização". Vale destacar que os LEDs podem ser desligados através do controle de intensidade dos mesmos junto às conexões frontais. Outro controle interessante é da rotação dos FANs, dando ao usuÁrio a possibilidade de fazer os FANs trabalharem de forma mais rÁpida ou lenta, importante para regiões mais quentes ou para sistemas overclockados.

A parte interna é bem acabada e com o fundo da base para a placa-mãe na cor vermelha, que gera um visual bem interessante e pode combinar com algumas placas que utilizem essa cor, como os modelos da linha RoG da ASUS. Algumas baias de HDs podem ser removidas, possibilitando fazer a limpeza ou troca do FAN de 120mm frontal.

- Continua após a publicidade -

Presilhas que não necessitam de chaves de fenda para prender os HDs, placas add-on também estão entre os destaques, além dos acessórios para organizar os cabos internamente.

{break::Instalação}Para a instalação usamos uma plataforma Intel LGA 1155 com um processador Core i5 3570K e cooler BOX, além de uma placa de vídeo GeForce GTX 680 modelo referência da NVIDIA. Também utilizamos uma fonte de energia não modular da Thermaltake. Isso nos dÁ a noção de espaço interno para organização de cabos, afinal uma fonte modular acaba não dando a noção do espaço interno, logicamente caso não tivesse usando os cabos desnecessÁrios (o diferencial de uma fonte modular).

O processo de instalação é bastante simples, como o gabinete é relativamente espaçoso e com bastante possibilidades para organizar os cabos internamente, torna o processo de instalação muito prÁtico.

Primeiro prendemos a placa-mãe e logo depois a fonte de energia, os dois hardwares que precisam de parafusos para fixar internamente. O SSD também vai precisar para prender na "gaveta". Assim como grande parte dos gabinetes diferenciados, HDs e SSDs são fixados através de gavetas, tornando o processo de instalação e manutenção mais prÁtico.

- Continua após a publicidade -

A parte de organização de cabos ficou bem boa, com vÁrias "saídas" na armação interna, inclusive com alguns velcros que facilitam a organização dos cabos, evitando que os mesmos fiquem soltos.

Como podemos ver abaixo, a GTX 680 entrou sem problemas, não gerando limitação de espaço, possibilitando inclusive modelos maiores. Reparem que os cabos da fonte ficaram posicionados na parte inferior, sobre a base de instalação de drives tamanho 2.5 (essa base pode ser removida).

Por fim vemos a parte traseira do gabinete. Reparem que em ambas as laterais temos dois "puxadores" para facilitar a remoção das "tampas" laterais. Não achei útil e inclusive atrapalha um pouco na rotina se o usuÁrio mexe bastante no sistema. Mas é possível remover as mesmas.

Para quem gosta de levar o sistema em LAN Partys, ele foi desenvolvido de forma que o usuÁrio possa carregar mais facilmente o sistema, como pode ser visto na foto abaixo: 

{break::Testes}Fizemos alguns testes de temperatura com o sistema utilizado comparando com os resultados apresentados pelo Elite 120 Advanced e Bitfenix Prodigy, ambos os gabinetes utilizando o mesmo processador, CPU cooler e placa de vídeo. Os testes consistem em medir a temperatura mÁxima do CPU e da placa de vídeo em modo ocioso e rodando algumas aplicações.

Também fizemos um teste overclokando o processador para 4.5GHz. Vale destacar que não fizemos teste de overclock nos sistemas com os outros gabinetes porque ambos foram feitos com uma placa-mãe Mini-ITX com chipset H77. 

Confiram abaixo os testes:

Temperatura CPU
Começamos pelos testes de temperatura do CPU, sendo que as temperaturas foram medidas com o sistema em modo ocioso, rodando o 3DMark 11 e, por fim, o wPrime.

IDLE
Em modo ocioso o gabinete sem comporta muito bem, inclusive com o processador overclockado. Vale destacar que os outros dois modelos comparados são mais compactos, especialmente o Elite 120 Advanced.

3DMark 11
Rodando o 3DMark 11 o Raptor ficou com temperatura um pouco acima do Prodigy, inclusive deixando ele próximo ao Elite, resultados um pouco altos se levarmos em conta que o gabinete da Cooler Master é bastante compacto e por lógica tem maior dificuldade em dissipar o calor.

Quando overclockamos o processador a temperatura mÁxima ficou em 75 graus, valor que apesar de dentro da normalidade para o modelo de processador e cooler utilizados, deixa o usuÁrio em sobreaviso.

wPrime
Em nosso teste mais exigente, onde todos os cores trabalham estressadamente, o Raptor novamente ficou atrÁs do Prodigy. Entre os provÁveis motivos dessa maior eficiência do gabinete da Bitfenix, estÁ a posição dos FANs e saídas de ar nas tampas laterais e superior.

A temperatura quando overclockamos o processador subiu em 6°C, ficando em uma Área de cuidado, até mesmo podendo gerar instabilidade do sistema. 

Temperatura da Placa de vídeo
Também fizemos testes de temperatura com uma GTX 680 referência, afinal de contas ele é um gabinete com características gamer.

IDLE
Como vemos abaixo, todos os sistemas se comportaram igual em modo ocioso, com a temperatura da GTX 680 cravada em 35°C.

3DMark11
Quando rodando o 3DMark 11, a temperatura da GTX 680 dentro do Raptor foi a mesma alcançada dentro do Prodigy, 76°C, dois a menos que o gabinete da CM.

{break::Conclusão}O Raptor confirma que a Raidmax tem modelos de boa qualidade e com bons projetos, afinal hoje em dia não adianta ser bonito e ter bom acabamento se o projeto, especialmente interno, não for funcional do ponto de vista de instalação e manutenção dos equipamentos.

Mas apesar do design com apelo gamer, esse estilo que remete a um robô estÁ manjado demais nos dias de hoje, modelos com os da série HAF da Cooler Master são tão imponentes quanto sem incomodar quem não gosta do estilo.

Como destaque podemos citar os quatro FANs de 120mm que acompanham o gabinete, sendo três deles com LEDs na cor vermelha. Também vale ressaltar que o gabinete possui controlador da intensidade dos LEDs na parte superior(mesmo os LEDs sendo bastante fracos sem que incomodem quem não goste do estilo) e também controlador de velocidade dos FANs. Uma porta USB 3.0 completa os destaques frontais.

O suporte a water cooler e possibilidade de se montar quase todo o sistema sem necessidade de ferramentas também estão entre os atrativos.

Infelizmente, seu custo ainda é consideravelmente alto no país, na casa de R$ 350 (sem fonte de energia). O Raptor é mais caro que modelos jÁ consagrados como os da série HAF da Cooler Master para citar um exemplo. Esperamos que a Raidmax consiga através de seus distribuidores melhorar o preço de seus produtos, porque a empresa pode vir a conquistar uma boa fatia de mercado, ao menos quando se trata de modelos com apelo gamer, jÁ que esses são os modelos mais diferenciados. 

Update 15/04/2013: A assessoria da Raidmax entrou em contato destacando que algumas lojas estão com preços na casa de R$ 300. A lojas são: Pichau, Terabyte e Balão da InformÁtica.

Assuntos
Tags
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.