ANÁLISE: MSI GE70 0ND 033US

ANÁLISE: MSI GE70 0ND 033US

GE70 é o notebook gamer de entrada da MSI, equipado com uma placa de vídeo GTX 660M e capaz de rodar games em alta qualidade. As especificações incluem também um processador Core i7-3610QM e uma série de acabamentos voltado aos gamers, como o teclado da StellSeries e tela anti-reflexiva.

O design é leve e portÁtil para os padrões de notebooks gamers, mas poderia ter materiais melhores. Em nosso teste de estresse, houve um aquecimento moderado no notebook, além do cooler ser um pouco ruidoso quando operando em sua capacidade mÁxima.

Equipado com o Windows 7, o modelo vendido no Brasil recebe o upgrade gratuito para o Windows 8 e também possui garantia de 2 anos. O MSI GE70 é um modelo interessante para quem deseja um notebook gamer, mas não deseja encarar o preço e o peso dos modelos mais potentes da empresa.

{break::Especificações, video-anÁlise e comparativos}Especificações técnicas

Processador:  Intel Core novo i7-3610QM 2.3GHz, Turbo 3.3ghz

Memória:
  Instalada: 8GB (suporta até 16GB)
  Frequência: 1600mhz
  Tipo: DDR3

Tela:
  Resolução: 1920x1080
  Tamanho: 17.3"  antirreflexiva
  Tecnologia:  FULL HD LED Backlit Display

Sistema Áudio:
  THX TruStudio PRO

Sistema GrÁfico:
  Processador GrÁfico: Geforce GTX660M
  Video RAM 2GB GDDR5

Disco Rigido:
  Capacidade: 750GB   
  Velocidade: 7200 RPM
  Interface: Serial ATA

Hardware:
  Camera:720P HD Video Camera
  Leitor de Cartão: 5-in-1 Card Reader (SD/ SDHC/ MMC/ MS/ SDxC)

Rede:
  LAN: 10/100/1000 Mbps Ethernet LAN (RJ-45)
  WiFi:  Integrada 802.11n Wireless conection
  Bluetooth Tecnologia: Sim


Drive óptico:
  DVD Super Multi Drive

Portas e conexões:
1 x VGA port for external monitor
1 x USB 2.0 port
2 x USB 3.0 ports
2 x Audio jack : 1 Head phone / 1 Mic-in
1 x LAN RJ-45
1 x HDMI

Bateria:
  Capacidade: 6 Células Lithium-Ion

Pesos e Medidas:
  Dimensões:  40,9cm x 26,6cm x 3.7cm
  Peso: 2.9 Kilos

- Continua após a publicidade -

GE70 0ND vs G75VW vs Titanium



MSI GE70 0ND
ASUS G75VW
Avell Titanium G1511
Processador
Intel Core i7 3610QM
Intel Core i7 3610QM
Intel Core i7 3610QM
Chip GrÁfico
NVIDIA GTX 660M
NVIDIA GTX 660M
NVIDIA GTX 660M
Memória RAM
8GB
16GB
8GB
VRAM
2GB GDDR5
3GB GDDR5
2GB GDDR5
Tela
17.3" FullHD Led-backlight, antirreflexiva
17.3" FullHD Led-backlight 120Hz
15.6" FullHD Led-backlight
Dimensões (AxPxL)
41.8 x 3.9 x 26.9 cm
 41.5 x 1.7~5.2 x 32  cm
41.2 x 4.18~4.54 x 27.6 cm
Peso
2.9 Kg
4.5 Kg
2.6 Kg
Armazenamento

750GB HDD

2x 500GB HDD 750GB HDD
Bateria
6 células Li-Ion
8 células Li-Ion (5200 mAh)
8 células Li-Ion
Suporte ao 3D estereoscópico



Preço
R$ 5.999,00
R$ 7.799,00
R$ 3.499,00

Em nosso comparativo, fizemos uma guerra entre notebooks equipados com GPUs Nvidia GeForce GTX 660M, mostrando as características de cada um. O modelo da MSI fica entre um intermediÁrio do Avell Titanium e do Asus G75VW, em critérios como peso e preço.

- Continua após a publicidade -

Notebooks MSI



GT70 - GTX680M
GT70 - GTX675M
GT70 - GTX670M
GE70 - GTX660M
Processador
Intel Core i7 3610QM
Intel Core i7 3610QM
Intel Core i7 3610QM
Intel Core i7 3610QM
Chip GrÁfico
NVIDIA GTX 680M
NVIDIA GTX 675M
NVIDIA GTX 670M NVIDIA GTX 660M
Memória RAM
16GB
16GB
12GB
8GB
VRAM
4GB GDDR5
2GB GDDR5
3GB GDDR5
2GB GDDR5
Tela
17.3" FullHD Led-backlight, anti reflexiva
17.3" FullHD Led-backlight, anti reflexiva
17.3" FullHD Led-backlight, anti reflexiva
17.3" FullHD Led-backlight, anti reflexiva
Dimensões
42.8 x 5.5 x 28.8 cm
42.8 x 5.5 x 28.8 cm
42.8 x 5.5 x 28.8 cm
41.8 x 3.9 x 26.9 cm
Peso
3.9 Kg
3.9 Kg
3.9 Kg
2.9 Kg
Armazenamento

2x 128GB SSD (Raid 0) + 750GB HDD

750GB HDD 750GB HDD 750GB HDD
Bateria
9 células Li-Ion (7800 mAh)
9 células Li-Ion (7800 mAh)
9 células Li-Ion (7800 mAh)
6 células
Suporte ao 3D estereoscópico




Preço
R$ 11.999,00
R$ 7.999,00
R$ 6.999,00
R$ 5.999,00

No comparativo com a "família" de notebooks gamers da MSI no país, o GE70 é o modelo de entrada, com as configurações (e o preço) mais leve.

{break::Fotos, design e aquecimento}O MSI GE70 possui um design relativamente portÁtil para um notebook gamer com tela de 17 polegadas, com um peso de 2.9 KG e espessura de 3.9 centímetros, algo que não impressiona tanto na era dos Ultrabooks mas que também não deixa de ser interessante dentro desta classe de notebooks.

- Continua após a publicidade -

A carcaça do notebook é em plÁstico, o que faz o modelo perder uns pontos no quesito acabamento, e traz um design interessante na tampa, com um efeito colorido de acordo com a incidência de luz sobre ele. Alguns detalhes em vermelho tornam o modelo mais "arrojado", mas nada exagerado comparado a outros designs de notebooks para games.

A tela é um dos destaques neste e em outros modelos da MSI. Do tipo antirreflexiva, é muito confortÁvel utilizÁ-la mesmo em ambientes com excesso de luz ou com muitas paredes e móveis brancos, como nossa redação.

O teclado traz o selo "SteelSeries", marca conceituada de acessórios para games. Com isto, as teclas são posicionadas em ângulos mais adequados para gamers, com teclas estratégicas ampliadas ou alinhadas, como o combo "Ctrl"+"Shift"+"Alt", por exemplo. Obrigatório em notebooks gamers, a tecla Windows é deslocada para a direita. O teclado é confortÁvel, e só ficou devendo teclas no padrão ABNT-2 para quem deseja utilizar o notebook em atividades cotidianas.

O touchpad neste modelo é um pouco exótico: tem um acabamento Áspero, com os botões bem definidos, o que pode gerar um estranhamento inicial, jÁ que a maioria dos fabricantes utilizam peças mais lisas e vem integrando cada vez mais os botões no touchpad (quando não estão todos em uma peça única). As respostas a gestos são apenas aceitÁveis, e somado ao seu tamanho pequeno, sem dúvida os gamers não hesitarão em conectar um mouse ao notebook na hora dos jogos, e possivelmente até nas atividades comuns.

Aquecimento
Realizamos o nosso tradicional teste de medição da temperatura com os notebooks, feito enquanto rodamos o benchmark de Crysis 2 em alta qualidade.

Neste aspecto o GE70 não se destacou de outros modelos com hardware semelhante, como o Avell Titanium. O aquecimento chega a ser perceptível na parte superior, e atinge também a porção central do notebook. As temperaturas não chegam a níveis exagerados, com exceção da saída de ar, onde é normal verificar um aquecimento alto. Apesar da desvantagem frente aos concorrentes, o aumento da temperatura não chega a comprometer o modelo e, na maioria dos usos, não chegarÁ a aquecer desta forma, pois esta temperatura foi medida durante um teste de estresse do sistema. Na maior parte do tempo, o notebook se mantém em baixas temperaturas.

{break::CineBench, WinScore, WinRAR e Conversão de vídeo}Abrimos nossa série com testes "sintéticos" do sistema, mostrando com notebook lida com diversas atividades. Para começar, utilizamos o CineBench, uma ferramenta de benchmark que mede a capacidade do sistema (processador e placa de vídeo) em ligar com a API OpenGL, importante para quem deseja usar aplicações profissionais que trabalham neste padrão.

O MSI GE70 apresentou um ótimo desempenho em relação ao processador, equiparando-se aos melhores colocados neste aspecto (que, por sinal, usam a mesma CPU), enquanto que a placa de vídeo alcançou um dos melhores resultados entre os produtos testados por aqui. A placa Radeon HD 6850m do notebook da HP segue imbatível, neste teste.

Com o WinRar, uma atividade que requer bastante performance do processador, o MSI GE70 se saiu bem, equiparando-se aos melhores modelos neste benchmark, todos equipados como uma CPU Intel Core i7 3610QM.

Com o Winscore, ferramenta do sistema Windows para medir a performance de diversos elementos do hardware, o MSI GE70 apresentou um resultado bastante comum para este tipo de dispositivo: ótimas notas, que engasgam apenas no disco rígido. Equipado com um HD, é preciso substituir este dispositivo de armazenamento por um SSD, para melhorar esta nota.

Como MediaEspresso testamos a velocidade de conversão de um vídeo com o codec .H264 em resolução FullHD, com e sem aceleração por GPU. No primeiro caso, o programa ativa a tecnologia Intel Quick Sync, presente no processador, para agilizar a conversão do vídeo, enquanto que no segundo caso nenhuma aceleração de hardware é utilizada.

Com este teste, segue o equilíbro entre os modelos analisados até o momento, decorrente da semelhança entre os notebooks analisados até o momento. O único aparelho que se destaca (negativamente) é o Asus G75VW, único modelo que não utiliza os grÁficos integrados da Intel e, por conseguência, o Intel Quick Sync.

{break::PCMark, Photoshop e autonomia}Começamos a segunda parte de testes sintéticos com o PCMark, software que verifica o desempenho geral do sistema em uma série de atividades como rodar vídeos e converter arquivos.

Com o PCMark, o desempenho do GE70 é intermediÁrio, muito por conta do HD. Como o carregamento e manipulação de arquivos é algo recorrente neste teste, um dispositivo de armazenamento rÁpido é indispensÁvel para alcançar uma boa nota. Os dados completos do teste com o PCMark 07 estão disponíveis neste link.

Utilizando o Photoshop, o MSI GE70 volta a figurar entre os melhores desempenhos medidos por aqui.

Autonomia
Chegamos ao ponto crítico para todo notebook gamer: o tempo que ele consegue ficar longe da tomada. No teste de autonomia, dividimos em dois perfis: no primeiro, rodamos o Powermark no modo produtividade, em que o aplicativo se limita a navegar na internet e editar documentos de texto, com o brilho da tela no mínimo e o sistema operacional configurado para economizar o mÁximo de energia. No segundo, mais exigente, colocamos a tela em brilho mÁximo, alteramos o gerenciador de energia do sistema para modo alto desempenho, e configuramos o Powermark para realizar o benchmark no modo "entretenimento", em que pode-se alternar entre executar vídeos e renderizar animações em 3D.


Como esperamos de notebooks gamers, o MSI GE70 não se sai muito bem nestes teste, conseguindo "segurar na bateria" por, no mÁximo, 3 horas economizando bateria e 1h15 quando em atividades mais pesadas. Este resultado não é muito bom, mesmo considerando que se trata de um notebook gamer, pois modelos com hardware semelhante conseguiram ficar até uma hora a mais ligado, no modo economia de energia.

{break::Mafia II}

Abrimos a série de teste com games com o Mafia II, continuação do aclamado game de ação em terceira pessoa ambientado no obscuro mundo da mÁfia italiana dos anos 40 e 50, nos EUA.

Na primeira parte do teste vemos um equilíbrio muito grande entre os modelos de hardware parecido, o MSI GE70 e o Avell Titanium. Apesar de também possuir a mesma GPU e CPU, o notebook da Asus fica bastante a frente, por dispensar o Intel Graphics e outras configurações que poupam energia (o que se reflete lÁ no teste de autonomia, também). A medida que aumentamos a intensidade do teste, o modelo da Asus, da Avell e da MSI ficam mais próximos.

Como é notÁvel, o jogo roda de forma excelente, mantendo-se próximo dos 60fps mesmo nas configurações mais avançadas. O modelo ficou 40% abaixo do notebook equipado com uma GTX 675M (FullRange), enquanto o GT70, com uma GTX 680M, entregou uma performance duas vezes superior.

FullHD
Aumentamos a resolução para o FullHD (1920x1080) nos modelos que possuem tela com suporte a esta definição, para verificar como o sistema se comporta com o aumento da qualidade.

Aumentando a carga do teste, e tirando assim de cena os mecanismo de economia de energia dos notebooks, o GE70, Titanium e G75VW ficam bem equilibrados, com diferenças menores que 5% no teste de maior estresse para o sistema. Mesmo nas configurações avançadas, o game rodou com média acima de 30 fps, o recomendÁvel para uma jogabilidade fluída.

PhysX
Por fim testamos um dos recursos mais interessantes do Mafia, no caso de notebooks com placa da Nvidia: o PhysX. Com ele a GPU é colocada para atuar também em cÁlculos de física, ampliando o número de elementos visuais na tela (e também o "serviço" da placa de vídeo).

Neste teste a memória de vídeo extra do G75VW parece ter dado uma vantagem no comparativo com os demais modelos com hardware semelhante (GE70 e Titanium). Foi possível rodar o PhysX com o notebook da MSI, mas com as configurações mais elevadas, os fps começam a cair para uma casa que pode comprometer a qualidade do gameplay, além de ficar 27% e 37% abaixo dos concorrentes com o mesmo hardware (Avell Titanium e Asus G75VW, respectivamente).


{break::Alien vs. Predator}

Nosso próximo teste é com o game Alien vs. Predator, muito elogiado pelo uso das tecnologias disponíveis no DirectX 11, e que serÁ testado utilizando o Adrenaline Benchmark Tools, para rodar a bateria de testes.

 

Como acontece nos primeiros testes com o Mafia II, o modelo da Asus abre vantagem nas partes do testes onde o hardware é menos exigido, chegando a algo próximo do equilíbrio quando tentamos configurações mais avançadas. Na parte mais exigente do testes, temos um empate técnico entre os três modelos de hardware parecido.


FullHD
Aumentando a resolução, e exigência do teste, os três modelos com a dupla Core i7+ GTX 660M ficam "na mesma balada", com uma performance muito semelhante. Nas configurações mais avançadas, o MSI GE70 jÁ começa a ficar com uma taxa média de quadros por segundo abaixo do recomendÁvel para um bom gameplay.


Tessellation
Por fim, acionamos a tecnologia do Tessellation, que aumenta a qualidade grÁfica tornando a modelagem dos objetos mais complexa e, de quebra, tornando mais difícil para a placa executar o game.

Novo equilíbrio entre os três modelos, com diferenças que não chegam a 3% (nem chegam a 2 frames por segundo). Com o tessellation ativo, o MSI GE70 foi capaz de rodar o game mantendo uma boa média de quadros por segundo, suficiente para jogar.


Para fazer estes testes em seu computador/notebook, é preciso possuir o jogo e baixar o Adrenaline Alien vs Predator Benchmark Tool. As filas de testes rodados estão disponíveis em duas resoluções, de acordo com a tela do notebook: 1366x768 e em modelos que suportam o FullHD.

{break::Crysis 2}

Como comentamos, para os teses utilizamos a ferramenta Adrenaline Crysis 2 Benchmark Tool, que, lançada no ano passado, é utilizada por praticamente todos os websites internacionais para benchmarks com o Crysis 2. O game, como todos sabem, é referência em qualidade de imagem, e no mês de junho de 2011 finalmente ganhou seu patch com suporte ao DirectX 11, jÁ que originalmente o game vinha apenas em DX9.

Um ponto importante sobre este benchmark é que aqui forçamos o hardware com configurações avançadas (é do HIGH pra cima, a coisa), então os resultados baixos não significam que os modelos são incapazes de rodar o game em qualidade satisfatória. Realizando ajustes, é possível rodar o game na maioria dos modelos analisados, porém nossa intenção nesta parte é mesmo "fazer um teste de estresse".

 

 

Em nossa primeira bateria de testes, o MSI GE70 se saiu bem, entregando performance suficiente para rodar o jogo em alta qualidade, na resolução 1366x768. O modelo da Asus mostrou uma performance levemente superior, quase chegando aos 10% de vantagem, mas nada que chegue a ser perceptível para quem estÁ jogando.

FullHD
Novamente repetimos os comparativos, desta vez filtrando para apenas os notebooks compatíveis com a resolução FullHD, em suas telas.


Aumentando a resolução para 1920x1080, o MSI GE70 e os demais notebooks com hardware parecido "engasgam", não entregando performance suficiente para rodar o game nas altas qualidades dos três testes. A partir da GTX 675M, em torno de 28% superior e presente no Avell FullRange, o game roda com quadros o suficiente e em alta qualidade.


Para fazer estes testes em seu computador/notebook, é preciso possuir o jogo e baixar o Adrenaline Crysis 2 Benchmark Tool. As filas de testes rodados estão disponíveis em duas resoluções, de acordo com a tela do notebook: em 1366x768 e para modelos que suportam também o FullHD.

{break::Recursos adicionais e armazenamento}A MSI incluiu alguns diferenciais em seu notebook, como objetivo de entregar um produto mais completo para gamers. A empresa incluiu a tecnologia de rede da Killer Gaming Networking, a Killer E2200, que reconhece os pacotes de dados relacionados a games que transitam pela placa de rede do notebook, e dÁ prioridade a eles, reduzindo problemas como lag e pings ruins em partidas online.

O teclado SteelSeries também é focado em gamers, com um melhor alinhamento e tamanho para teclas mais utilizadas em games. Os botões tem resiliência e respostas tÁteis especialmente desenvolvida para jogos e, indispensÁvel, o "botão Windows" é deslocado para a direita, para evitar toques acidentais. Nos uso, o teclado é realmente confortÁvel com boas respostas e um bom posicionamento de teclas, e deve incomodar apenas aqueles que desejam usar o notebook como ferramenta de produtividade, pois estÁ fora do padrão ABNT-2.

Outra tecnologia embarcada no modelo é o MSI Audio Boost, que melhora em até 30% a potência do Áudio através de fones de ouvido. Com conexões foleadas a ouro e AMP (Audio Power Amplifier, o som chega mais nítido e com maior intensidade ao gamer. As caixas de som THX TrueStudio Pro fecham o conjunto de Áudio do modelo, entregando uma boa qualidade e intensidade de Áudio acima da média, mas que poderia se destacar mais em tons graves. Gamers não se incomodarão com este aspecto, jÁ que a preferência é mesmo pelos fones para jogar.

Outro grande destaque é a tela, com um acabamento fosco que reduz drasticamente os reflexos de luz e melhoram muito a visualização dos conteúdos. Este recurso, presente em toda a linha de notebooks gamers da MSI, melhora em muito a visibilidade da tela em locais abertos ou com excesso de luminosidade, evitando que você não consiga ver as imagens, especialmente em aplicativos com tons escuros (ou seja, vÁrios dos games).

Outro ponto interessante, para os compradores brasileiros, é o update gratuito para a nova versão do sistema, o Windows 8, além de garantia de dois anos.

Armazenamento
Rodamos o aplicativo HDTune para mensurar a velocidade do disco presente no notebook.


{image}{image}

Como jÁ comentamos nas partes sobre o PCMark e o Winscore, o HD é um limitador de performance neste modelo. Apesar de ser o melhor desempenho jÁ medido entre este tipo de armazenamento, em notebooks, ainda é visível o "buraco" entre ele e o pior SSD. O RAID 0 de SSDs do GT70 segue imbatível, e nem colocamos ele neste benchmark porque ele "avacalha" com os resultados dos HDs, tornando muito difícil enxergar as barras finas deles.

{break::Conclusões}O MSI GE70 é uma ótima adição a linha de notebooks gamers da MSI, entregando um produto mais leve (1kg de diferença) e barato (R$ 1000 a menos que o segundo mais em conta) que os modelos GT70.

Este modelo consegue juntar uma boa portabilidade, para um notebook gamer, com quase 3kg e quase 4 centímetros de altura, com uma placa de vídeo potente, a Nvidia GeForce GTX 660M. Apesar de entregar menos performance que a GTX 675M e 680M, em compensação ela não aquece tanto e possbilita um modelo mais leve. No comparativo com outros modelos com placas semelhante, porém, o MSI apresentou um aquecimento acima dos concorrentes, porém sem chegar a patamares comprometedores.

A MSI incluiu bons diferenciais para gamers, como teclado SteelSeries, o sistema de Áudio MSI Audio Boost, a conexão de rede Killer Gaming Network e outros detalhes como um botão dedicado a colocar o notebook no perfil alta performance. Outros pontos que são importante para os compradores é o update garantido para o Windows 8, algo que muitos podem não fazer questão jÁ que o notebook não possui tela sensível a toque, e a garantia de dois anos, importantíssimo considerando o alto investimento necessÁrio para adquirir um notebook gamer.

Do ponto de vista do hardware, hÁ produtos com peças semelhantes e por preços mais acessíveis, caso do jÁ analisado Avell Titanium, sendo que a compra ainda se justifica para aqueles que desejam um produto com os diferenciais incluídos pela MSI neste produto.

PRÓS
Leve para um notebook gamer com tela de 17 polegadas
Tela anti-reflexo
Mais barato que os demais modelos gamers da MSI
Performance suficiente para rodar games em alta qualidade
CONTRAS
Aquece em atividades pesadas
Teclado fora do padrão ABNT-2
Assuntos
Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.