ANÁLISE: Avell Titanium G1511

ANÁLISE: Avell Titanium G1511

O Avell Titanium G1511 é um notebook com tela de 15 polegadas equipado com uma GTX 660M, placa de vídeo capaz de encarar games em alta qualidade. Tem entre seus destaques um preço bastante acessível, considerando que é um notebook gamer, e um peso leve para o segmento.


{break::Especificações, video-anÁlise e comparativos}Especificações técnicas

37.3(largura) x 24.9(comprimento) x 1.6~4.2(altura) cm
Peso: 2.6 Kg
Cor: Preto
Intel Core i7 Ivy Bridge - 3610QM 2.3 GHz, 6MB Cache (3.3 GHz com Max Turbo)
8 GB DDR3 (1600 MHZ) / ( 2x 4 GB)
1TB - 5400 RPM SATA 300
Leitor/Gravador DVD 8X DVD±R/RW/4X +DL Super-Multi Drive
Nvidia GeForce GTX 660M GPU com 2GB GDDR5 Video Dedicado
15.6" 16:9 (1920X1080) Full HD LED backlit (glossy)
Realtek 802.11 B+G+N Wireless Lan + Bluetooth
Sem Sistema Operacional
Licença Office 2010 Starter (Word e Excel)
3 Anos de Garantia (Peças e mão de obra)  Bateria: 1 ano
Artic Silver 5 thermal
Leitor de Impressão Digital

- Continua após a publicidade -

GE70 0ND vs G75VW vs Titanium



MSI GE70 0ND
ASUS G75VW
Avell Titanium G1511
Processador
Intel Core i7 3610QM
Intel Core i7 3610QM
Intel Core i7 3610QM
Chip GrÁfico
NVIDIA GTX 660M
NVIDIA GTX 660M
NVIDIA GTX 660M
Memória RAM
8GB
16GB
8GB
VRAM
2GB GDDR5
3GB GDDR5
2GB GDDR5
Tela
17.3" FullHD Led-backlight, antirreflexiva
17.3" FullHD Led-backlight 120Hz
15.6" FullHD Led-backlight
Dimensões (AxPxL)
41.8 x 3.9 x 26.9 cm
 41.5 x 1.7~5.2 x 32  cm
41.2 x 4.18~4.54 x 27.6 cm
Peso
3 Kg
3.9 Kg
2.6 Kg
Armazenamento

750GB HDD

2x 500GB HDD 750GB HDD
Bateria
6 células Li-Ion
8 células Li-Ion (5200 mAh)
8 células Li-Ion
Suporte ao 3D estereoscópico



Preço
R$ 5.999,00
R$ 7.799,00
R$ 3.499,00

Em nosso comparativo, fizemos uma guerra entre notebooks equipados com GPUs Nvidia GeForce GTX 660M, mostrando as características de cada um. Como é possível notar, o modelo da Avell tem como grande destaque o seu preço bastante competitivo frente aos outros dois modelos com chip grÁfico semelhante, além de um peso mais leve. O modelo recebido para anÁlise, equipado com processador Intel Core i7, fica um pouco mais caro que os modelos com i5 e i3, que estão na casa dos 2.999 reais.

{break::Fotos, design e aquecimento}Como jÁ vimos em outros modelos da Avell analisados por aqui, os notebooks da marca utilizam carcaças genéricas para seus modelos, buscando entregar um hardware potente a preços competitivos, como forma de trazer um diferencial frente a concorrência. O resultado é um design bastante neutro, com cores bem sóbreas e linhas retas.

Apesar de não se destacar com formatos e designs próprios, para os mais pragmÁticos o design do Titanium é bastante eficiente, com um teclado confortÁvel e um touchpad com qualidade regular. Alguns difereciais, neste modelo, são o leitor de digital entre os botões do touchpad e dois botões na lateral direita, um para acionar ou desabilitar o sinal wireless, e outro para ligar a placa de vídeo dedicada ou utilizar apenas os grÁficos integrados.

- Continua após a publicidade -

Aquecimento
Realizamos o nosso tradicional teste de medição da temperatura com os notebooks, feito enquanto rodamos o benchmark de Crysis 2 em alta qualidade.

Diferente de modelos com 17 polegadas, que possuem muito espaço para um sistema eficiente de resfriamento, em modelos de tela de 15 polegadas costumam aquecer mais por serem menores. Assim, o G1511 não consegue a mesma eficiência que vimos no Avell FullRange, e chegou a aquecer em algumas regiões além da Área próxima a saída de ar.

O aquecimento maior foi na parte inferior, atingindo temperaturas na casa dos 30 graus celsius na maior Área da base do notebook, algo que não chega a ser um aquecimento excessivo. Um ponto importante é que este aumento de temperatura não chega a atingir a parte superior do aparelho, que manteve temperaturas em sua maioria abaixo dos 30 graus, especialmente na Área onde é apoiado os pulsos, o que levaria a um desconforto maior no uso.

Naturalmente, esta temperatura é medida em um teste de muito estresse do sistema, e em uso cotidiano o aquecimento do sistema é praticamente impercetível. Mesmo trabalhando em capacidade mÁxima, o Titanium não apresentou um aquecimento excessivo, que pudesse tornÁ-lo desconfortÁvel para o uso ou que pudesse causar a redução da vída útil dos componentes.

{break::CineBench, WinScore, WinRAR e Conversão de vídeo}Começamos nossa bateria de testes com os softwares mais sintéticos. O Cinebench tem como objetivo verificar a capacidade do aparelho lidar com a API OpenGL (com a GPU) e com o processamento de imagens em 3D (com a CPU).

- Continua após a publicidade -

Na primeira rodada de testes, vemos que o Titanium consegue um desempenho intermediÁrio lidando com o OpenGL e com os testes de processador, ficando 27% abaixo do modelo da MSI com GPU GTX 680M e, no caso dos processadores, ficando 34% atrÁs dos modelos da ASUS e da MSI equipados com uma CPU mais potente.

Com o Winscore, a pontuação dada pelo sistema Windows ao notebook, vemos uma pontuação muito boa, "gargalando" apenas nos testes com o HD. Para quem deseja um sistema mais fluído e responsivo, para uso cotidiano, deve cogitar incluir um SSD. Para games, porém, a única diferença que isto farÁ é na performance para carregar as fases (isto se você instalar o game no SSD).

Com o WinRAR, a CPU é o hardware mais exigido, e neste teste vemos que o Titanium alcançou um bom desempenho, ficando atrÁs apenas dos modelos da ASUS e da MSI equipados com processadores superiores.

Utilizando o notebook para converter um vídeo, vemos um empate entre o notebook da MSI, o GT70, e o modelo da Avell, quando utlizamos a iGPU para realizar a renderização. Este resultado jÁ é esperado, jÁ que apesar dos processadores diferentes, ambos possuem grÁficos integrados idênticos (Intel HD Graphics 4000), e ambos põem uma boa vantagem sobre o modelo da ASUS que não utiliza os grÁficos integrados (perdendo o Intel Quick Sync Video) e ativa a GPU Nvidia para acelerar a conversão via hardware. Desativando a aceleração por hardware no processo, vemos um equilíbrio entre os modelos da MSI e da Avell, e uma vantagem para o modelo da ASUS.

{break::PCMark, Photoshop e autonomia}Começamos a segunda parte de testes sintéticos com o PCMark, software que verifica o desempenho geral do sistema em uma série de atividades como rodar vídeos e converter arquivos.

O Avell Titanium consegui uma boa performance, principalmente para um notebook que não possui um SSD, algo que impacta bastante no resultado deste teste que, em vÁrios momentos, precisa acessar e abrir arquivos. Neste link estão os dados completos do teste.

Na hora de aplicar um filtro no Photoshop, porém, o Avell não se destacou, levando mais de quatro minutos para aplicar o efeito, algo em torno de 30 a 40% mais lento que outros notebooks gamers, como o G75VW e o GT70.

Autonomia
Chegamos ao ponto crítico para todo notebook gamer: o tempo que ele consegue ficar longe da tomada. No teste de autonomia, dividimos em dois perfis: no primeiro, rodamos o Powermark no modo produtividade, em que o aplicativo se limita a navegar na internet e editar documentos de texto, com o brilho da tela no mínimo e o sistema operacional configurado para economizar o mÁximo de energia. No segundo, mais exigente, colocamos a tela em brilho mÁximo, alteramos o gerenciador de energia do sistema para modo alto desempenho, e configuramos o Powermark para realizar o benchmark no modo "entretenimento", em que pode-se alternar entre executar vídeos e renderizar animações em 3D.

Com o testes de economia de energia, o Avell Titanium conseguiu um resultado intermediÁrio, conseguindo funcionar por 4 horas na bateria, em modo de economia de energia, e levando apenas uma hora e meia pra descarregar no nosso teste em que "forçamos a barra".


{break::Mafia II}

Abrimos a série de teste com games com o Mafia II, continuação do aclamado game de ação em terceira pessoa ambientado no obscuro mundo da mÁfia italiana dos anos 40 e 50, nos EUA.

Este primeiro teste vemos uma diferença grande entre o modelo da Avell e o da Asus, equipados com o mesmo chip grÁfico. O que causa esta diferença, que é reduzida a medida que tornamos o teste mais exigente, é o Nvidia Optimus, ausente no G75VW (o que explica o péssimo desempenho em autonomia), e que atua economizando energia mesmo com o notebook no modo "Alta Performance". Ao chegar aos 60 fps, o software da Nvidia passa a economizar energia, colocando o modelo da Avell em "desvantagem" (afinal, renderizar acima de 60 fps é desperdício de hardware e energia).

FullHD
Aumentamos a resolução para o FullHD (1920x1080) nos modelos que possuem tela com suporte a esta definição, para verificar como o sistema se comporta com o aumento da qualidade.

Em FullHD, o desempenho do Titanium ficou mais próximo do esperado, jÁ que o Optimus não viu "oportunidade de encomizer energia", e assim o Avell ficou bem próximo do ASUS G75VW, notebook também equipado com uma GTX 660M.  Ao longo dos testes, a diferença entre os dois oscilou entre 14 a 7%, em favor do modelo da ASUS. Contra modelos com a GTX 675M, a diferença foi de 30%, enquanto no notebook da MSI com a GTX 680M entregou o dobro de performance.

PhysX
Por fim testamos um dos recursos mais interessantes do Mafia, no caso de notebooks com placa da Nvidia: o PhysX. Com ele a GPU é colocada para atuar também em cÁlculos de física, ampliando o número de elementos visuais na tela (e também o "serviço" da placa de vídeo).

Novamente vemos uma diferença grande entre o modelo da Avell e da ASUS, equipados com a a mesma GPU, nos testes mais leves. É notÁvel o desempenho do modelo G75VW, que se equipara com modelos com GPUs superiores, caso do FullRange. Progressivamente, porém, os dois modelos com GTX 660M voltam a apresentar performance semelhante, a medida em que aumentamos a qualidade grÁfica. Contra a GTX 680M da MSI, neste caso, a diferença cai também, ficando entre 30 a 40% abaixo em performance.

{break::Alien vs. Predator}

Nosso próximo teste é com o game Alien vs. Predator, muito elogiado pelo uso das tecnologias disponíveis no DirectX 11, e que serÁ testado utilizando o Adrenaline Benchmark Tools, para rodar a bateria de testes.

FullHD

Tessellation 


Para fazer estes testes em seu computador/notebook, é preciso possuir o jogo e baixar o Adrenaline Alien vs Predator Benchmark Tool. As filas de testes rodados estão disponíveis em duas resoluções, de acordo com a tela do notebook: 1366x768 e em modelos que suportam o FullHD.

{break::Crysis 2}

Como comentamos, para os teses utilizamos a ferramenta Adrenaline Crysis 2 Benchmark Tool, que, lançada no ano passado, é utilizada por praticamente todos os websites internacionais para benchmarks com o Crysis 2. O game, como todos sabem, é referência em qualidade de imagem, e no mês de junho de 2011 finalmente ganhou seu patch com suporte ao DirectX 11, jÁ que originalmente o game vinha apenas em DX9.

Um ponto importante sobre este benchmark é que aqui forçamos o hardware com configurações avançadas (é do HIGH pra cima, a coisa), então os resultados baixos não significam que os modelos são incapazes de rodar o game em qualidade satisfatória. Realizando ajustes, é possível rodar o game na maioria dos modelos analisados, porém nossa intenção nesta parte é mesmo "fazer um teste de estresse". 


Na primeira parte parte do teste, o modelo da Avell ficou em torno de 10% abaixo do desempenho do notebook da ASUS, e conseguiu manter uma performance 35% superior ao do modelo Diamond, equipado com uma GT 650M. O modelo da MSI com uma GTX 680M foi em torno de 78% superior, nestes testes.

FullHD
Novamente repetimos os comparativos, desta vez filtrando para apenas os notebooks compatíveis com a resolução FullHD, em suas telas.

 

Como jÁ observamos em outros games, o modelo da Avell se aproxima bastante do G75VW quando aumentamos a carga do teste, sendo que a diferença entre os dois aparelhos cai para a casa dos 5%. Em compensação, no comparativo com a GTX 680M do modelo da MSI, a comparação fica difícil: o concorrente entregou o dobro de performance e, junto com o modelo FullRange (GTX 675M), foram os únicos a conseguir manter uma média de fps boa para jogar, nestas configurações.


Para fazer estes testes em seu computador/notebook, é preciso possuir o jogo e baixar o Adrenaline Crysis 2 Benchmark Tool. As filas de testes rodados estão disponíveis em duas resoluções, de acordo com a tela do notebook: em 1366x768 e para modelos que suportam também o FullHD.

{break::Recursos adicionais e armazenamento} O Titanium traz alguns adicionais interessantes, caso do leitor de digitais localizado no touchpad. Com ele, é possível dispensar o uso de senhas, substituindo o "destravamento" através do leitor biométrico, em atividades como fazer o login no sistema ou desbloquear a tela no Windows.

Outro recurso interessante são os dois slots para HDs. É uma boa pedida para que necessita de mais capacidade de armazenamento ou, para quem deseja mais desempenho, unir um SSD de menor capacidade, para o sistema e principais aplicativos, com um HDD convencional para suas tralhas seus arquivos.

Outro ponto interessante é a conectividade, pois além das indispensÁveis conexões HDMI, USB 3.0 e de rede, o notebook dispensou a conexão VGA e colocou no lugar uma porta e-SATA, algo interessante para quem necessita deste recurso.

Armazenamento
Rodamos o aplicativo HDTune para mensurar a velocidade do disco presente no Titanium.

O desempenho do HDD de 7200 RPM ficou dentro do esperado para este tipo de hardware, ficando na média de notebooks equipados com dispositivos de armazenamento semelhantes. A curva de ganho de desempenho fica visível a partir do Folio 13, primeiro modelo com SSD (que quase dobra a performance no comparativo com o melhor HD) e o Super Raid (dois SSDs em Raid 0) presente no GT70 se mantém soberano.

{break::Conclusões}O Titanium se mostrou uma ótima opção, ao longo de nossos testes, para quem busca um notebook gamer mas que não deseja um modelo muito pesado ou caro. Comercializado a partir de R$ 2.999,00, é um dos notebooks mais baratos a trazer a GPU gamer GeForce GTX 660M.

No design, o modelo é bastante sóbrio e bem "quadradão", com pouco apelo em seu visual comparado a outros concorrentes mais arrojados nas formas. Pode ser um contra para quem gosta adquirir produtos diferenciados, mas para os mais pragmÁticos que querem apenas um ótimo hardware e um design funcional, o Titanum não irÁ decepcionar.  Além do teclado chiclete confortÁvel, ele traz uma tela FullHD com backlight em LED e um touchpad bom.


É bom salientar que o Titanium tem entre suas peculiaridades não possuir um sistema operacional instalado por padrão, da mesma forma como acontece com outros produtos da Avell. É possível incluir o sistema na hora da compra, mas o comprador precisarÁ desembolsar mais R$ 199 a R$ 499, de acordo com a versão do Windows que deseja instalada.

Para quem deseja todo o "poder de fogo" da linha GTX da Nvidia, mas não quer desembolsar caro por isto, este é o modelo gamer de entrada mais competitivo disponível. Um ponto importante é que o modelo mais bÁsico, vendido por R$ 2.999, vem equipado com o dual-core Core i3. Considerando a GPU, pode compensar desembolsar um pouco mais e adquirir o modelo com um quad-core Core i5 (que estÁ em promoção, ficando pelo mesmo preço que o i3), ao menos.

PRÓS
Otimo preço por um notebook gamer
Leve para o segmento
CONTRAS
Sem sistema operacional
Teclado fora do padrão ABNT-2
Assuntos
Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.