ANÁLISE: MSI GT70 0NE

ANÁLISE: MSI GT70 0NE
Como jÁ publicamos por aqui, a MSI ensaiou nos últimos meses a sua entrada no mercado brasileiro de notebooks gamers. Hoje, oficialmente, seus primeiros modelos fazem sua estreia no Brasil: três versões do GT70 e um modelo do GE70, sendo que jÁ havíamos visto alguns deles no estande da MSI, lÁ na Computex 2012.

Temos aqui, em primeira mão, a anÁlise de um dos mais potentes modelos a chegar ao país: o MSI GT70 0NE, um notebook gamer de alta performance com vÁrios dos melhores hardwares disponíveis no mercado, como SSD em Super Raid (isso é algo MUITO rÁpido) e a placa de vídeo NVIDIA GTX 680M. Com tela de 17 polegadas do tipo fosca, o que reduz bastante os reflexos, este modelo promete não deixar nenhum gamer na mão, rodando todos os jogos em alta qualidade sem "engasgar" em momento algum. Sendo parte dos modelos lançados oficialemente no Brasil, também temos a grande vantagem de contar com a garantia local, que nos casos do GT70 e GE70, é de dois anos.

Em nossos testes, que podem ser conferidos nas pÁginas seguintes, o hardware do GT70 0NE não decepcionou e, na maioria dos casos, cravou novos recordes em nossos benchmarks. O caso mais notÁvel é o HDTune, em que o Super Raid do aparelho da MSI entregou quase o triplo de performance que o nosso ex-primeiro colocado.

Em outros detalhes, como acabamento, Áudio e aplicativos adicionais, a MSI fez um bom trabalho com o notebook, resultando em um dos melhores aparelhos disponíveis no país e, até o momento, no mais poderoso notebook gamer a passar pelos testes aqui do Adrenaline. Entre os seus principais defeitos, estÁ o excesso de ruído da fan quando em atividades pesadas, como games, mas que o que realmente incomoda é o preço: este modelo analisado serÁ comercializado por nada menos que 11 mil reais, um investimento que restringe bastante o público deste produto.


{break::Especificações, vídeo-anÁlise e comparativos}Como listamos na introdução, as especificações do GT70 0NE colocam este notebook na posição de "o mais poderoso" que jÁ passou por aqui. Com processador Intel Core i7 geração Ivy Bridge, 16 GB de RAM, 4 GB VRAM, placa de vídeo GTX 680M e armazenamento em dois SSDs em RAID (conhecido como Super RAID), é difícil encontrar testes em que ele não apresentou a melhor performance.



- Continua após a publicidade -

Especificações técnicas

CPU: Intel Core i7 (Ivy Bridge)
OS: Windows 7 (com update gratuito para o Windows 8)
Chipset: Intel HM77 Chipset
Memória: 16GB DDR3 1600MHz, 4 slots (expansível até 32GB)
Tela: 17.3" Anti glare full HD 1920x1080 LED backlight
GPU: nVIDIA Geforce GTX680M 3D Graphic Card
VRAM: GDDR5 4GB
Armazenamento: 256GB SSD + 750GB SATA
Drive óptico: BD Writer / Blu-ray / DVD Super Multi
Áudio: Audio Boost, 2 Speakers, 1 subwoofer
Webcam: HD Webcam([email protected])

Conexões:
Leitor de cartão    SD(XC/HC)/MMC/MS(PRO)/xD
LAN     10/100/1000 Killer E2200 Networking
Wireless LAN     802.11 b/g/n
Bluetooth 4.0
D-Sub (VGA) 1
HDMI 1 (v1.4)
Portas USB: USB 2.0   2
USB 3.0   3
eSATA 1
eSATA/USB Combo  1
Mic-in/Headphone-out 1/1
Line-in 1

Teclado: 102 teclas, retroiluminado
AC Adapter 180W
Bateria de 9 células
Gerenciamento de energia: MSI execlusive ECO engine
Garantia: 2 anos
Dimensões: 428 x 288 x 55mm
Peso: 3.9kg

Como comparativos, vamos colocar os três últimos modelos de notebooks para gamers que passaram por aqui, o Avell FullRange (que na época possuía um processador Sandy Bridge, mas hoje tem CPUs mais atualizadas) e o ASUS G75VW, produto que recentemente veio ao país.

GT70 0NE vs G75VW vs FullRange



MSI GT70 0NE
ASUS G75VW
Avell FullRange G1730 D1HJ
Processador
Intel Core i7 3610QM
Intel Core i7 3610QM
Intel Core i7 2630QM
Chip GrÁfico
NVIDIA GTX 680M
NVIDIA GTX 660M
NVIDIA GTX 675M
Memória RAM
16GB
16GB
8GB
VRAM
4GB GDDR5
3GB GDDR5
2GB GDDR5
Tela
17.3" FullHD Led-backlight, anti reflexiva
17.3" FullHD Led-backlight 120Hz
17.3" FullHD Led-backlight
Dimensões (AxPxL)
42.8 x 5.5 x 28.8 cm
 41.5 x 1.7~5.2 x 32  cm
41.2 x 4.18~4.54 x 27.6 cm
Peso
3.9 Kg
3.9 Kg
3.9 Kg
Armazenamento

2x 128GB SSD (Raid 0) + 750GB HDD

2x 500GB HDD 120GB SSD + 750GB HDD
Bateria
9 células Li-Ion (7800 mAh)
8 células Li-Ion (5200 mAh)
8 células Li-Ion
Suporte ao 3D estereoscópico



Preço
R$ 11.999,00
R$ 7.799,00
R$ 4.599,00

Nosso segundo comparativo, juntamos os quatro modelos de notebooks gamers da MSI que chegaram ao país, com as três variantes de configuração para o GT70 e o modelo do GE70.

- Continua após a publicidade -

Notebooks MSI



GT70 - GTX680M
GT70 - GTX675M
GT70 - GTX670M
GE70 - GTX660M
Processador
Intel Core i7 3610QM
Intel Core i7 3610QM
Intel Core i7 3610QM
Intel Core i7 3610QM
Chip GrÁfico
NVIDIA GTX 680M
NVIDIA GTX 675M
NVIDIA GTX 670M NVIDIA GTX 660M
Memória RAM
16GB
16GB
12GB
8GB
VRAM
4GB GDDR5
2GB GDDR5
3GB GDDR5
2GB GDDR5
Tela
17.3" FullHD Led-backlight, anti reflexiva
17.3" FullHD Led-backlight, anti reflexiva
17.3" FullHD Led-backlight, anti reflexiva
17.3" FullHD Led-backlight, anti reflexiva
Dimensões
42.8 x 5.5 x 28.8 cm
42.8 x 5.5 x 28.8 cm
42.8 x 5.5 x 28.8 cm
41.8 x 3.9 x 26.9 cm
Peso
3.9 Kg
3.9 Kg
3.9 Kg
3 Kg
Armazenamento

2x 128GB SSD (Raid 0) + 750GB HDD

750GB HDD 750GB HDD 750GB HDD
Bateria
9 células Li-Ion (7800 mAh)
9 células Li-Ion (7800 mAh)
9 células Li-Ion (7800 mAh)
6 células
Suporte ao 3D estereoscópico




Preço
R$ 11.999,00
R$ 7.999,00
R$ 6.999,00
R$ 5.999,00

{break::Fotos, design e aquecimento}O GT70 0NE tem um corpo, na maioria, composto em um acabamento em aço escovado na cor preta, com um visual bastante discreto. VÁrios acabamentos estão no estilo "preto piano" com um ou outro detalhe em cores como vermelho e cinza escuro. É o caso das caixas de som na cor prata, que são bastante aparentes nas laterais.

O projeto parece todo bem encaixado, com bons acabamentos e transmitindo a impressão de um produto resistente e bem desenvolvido.

Um dos primeiros elementos a chamar a atenção é o backlight do teclado. No padrão "arco-íris", ele é bastante chamativo. Quem prefere o estilo discreto, pode ficar tranquilo: com o software KLM, incluso no sistema, você pode modificar o padrão de cores, definindo uma cor para cada Área, e até mesmo um padrão de mudança, como efeito onda ou o visual "respirando", em que ele fica esmaecendo lentamente. É uma pena não existir uma configuração bem específica para games, iluminando apenas teclas como o Alt, Ctrl e as quatro melhores amigas dos fãs de shooters, "W", "A", "S" e "D".

O teclado (coloridamente) retroiluminado é bastante confortÁvel, assim como o touchpad que é eficiente. As teclas também foram adaptadas pensando em jogadores, com o deslocamento da "tecla Windows" para a direita, para evitar esbarrões acidentais, assim como as setas que não estão "contraídas", e sim apenas pegando um pedaço do numpad à direita. A única ressalva por aqui é o padrão: infelizmente as teclas não estão no padrão ABNT-2, o que pode ser inconveniente para pessoas que pretendem utilizar este modelo como ferramenta de produtividade.

A tela de 17 polegadas de LED possui bons contrastes, cores vivas e uma distorção bastante baixa da imagem. Outro ponto positivo é que ela é do tipo "fosca" (anti glare), o que reduz muito os incômodos com reflexos de luz na tela, comuns em momentos que utilizamos o notebook em locais externos ou com uma fonte de iluminação muito forte.

- Continua após a publicidade -


Aquecimento

Equipado com uma GTX 680M, o aquecimento do sistema é um ponto crítico, jÁ que falamos de um chip grÁfico bastante poderoso (atualmente, o mais potente da NVIDIA para notebooks). Os sistema de resfriamento do GT70 dÁ conta do recado, e após rodar Crysis 2 em alta resolução por alguns minutos, conseguiu evitar que todo o corpo do laptop aquecesse, e também garantiu temperaturas aceitÁveis.

Por aqui, o problema foi outro: o fan, quando operando em capacidade mÁxima, é bastante ruidoso, chegando a 60 decibéis. Melhor jogar com fones.

{break::CineBench, WinScore, WinRAR e Conversão de vídeo}Abrimos nossa bateria de testes "sintéticos" com o CineBench, a pontuação do Windows e o Winrar. Com o CineBench verificamos a capacidade do processador e da placa de vídeo ao lidar com grÁficos gerados através do OpenCL e OpenGL.


No primeiro testes utilizando a GPU, tivemos uma surpresa: a GTX 660M que equipa o ASUS G75VW se saiu melhor no teste, batendo chips grÁficos teoricamente superiores, como o GTX 680M do modelo da MSI e o GTX 675M da Avell. O modelo da HP continua sendo o melhor notebook neste teste, mostrando uma vantagem da AMD (Radeon HD 6850M) na hora de lidar com esta API em chips para notebooks.

Na parte em que os processadores são testados, temos um empate técnico entre os modelos da ASUS e da MSI, algo esperado jÁ que ambos usam processadores Intel Core i7 3610QM.

Como o esperado, o hardware impressionante do GT70 0NE puxou as notas para muito próximo do 7.9, limite mÁximo na pontuação do Windows. Os destaques são os 7.6 e o 7.9 em gaming graphics e disk transfer rate, respectivamente. Estas são as maiores notas que um notebook atingiu por aqui, até o momento.

Com o WinRAR, o GT70 0NE cravou um novo recorde por aqui, batendo o modelo da ASUS com uma performance em torno de 5% superior, um bom resultado considerando que ambos possuem o mesmo modelo de CPU, que é a parte do hardware mais exigida neste teste.

Estreamos um novo benchmark nesta anÁlise, a conversão de vídeo com o software CyberLink Media Espresso, com o uso das GPUs dedicadas e integradas dos notebooks.

Ativando as placas de vídeo dedicadas, a GTX 660M se saiu melhor que a GTX680M, neste software.

Aqui vemos dois resultados muito diferentes entre os modelos da MSI e da ASUS, por conta do ótimo desempenho do Intel HD Graphics, o processador de vídeo integrado, com este software. Como o G75VW não utiliza sua GPU integrada, a diferença no teste, quando não se habilita o chip grÁfico dedicado, traz uma vantagem gritante ao modelo da MSI, que ativa o recurso (mesma razão da autonomia superior do GT70 0NE, com podem conferir na próxima pÁgina).

Também é notÁvel a diferença de processamento entre as placas da NVIDIA dedicadas e o processador integrado Intel, que, com a tecnologia Quick Sync Video, conseguiu reduzir em quase 80% o tempo para fazer a conversão.


{break::PCMark, Photoshop e autonomia}Na segunda bateria de testes, avaliamos a capacidade dos notebooks ao processarem filtros no Adobe Photoshop, os seus desempenhos em uso geral com o PCMark e a autonomia dos sistemas operando na bateria.

Com o filtro extrude do Photoshop o GT70 cravou mais um recorde em nossos testes. Na disputa com o ASUS GT75VW, a vantagem foi estreita: pouco mais de 1%, o que resultou em apenas dois segundos de diferença para finalizar o processamento. Uma vitória com cara de empate.

No PCMark a superioridade do hardware do modelo da MSI fica mais evidente, com 12% de vantagem para o modelo da Avell, o segundo colocado. No comparativo com o G75VW, a vantagem é mais confortÁvel, com desempenho 60% superior. O principal motivo desta diferença é o dispositivo de armazenamento, pois o modelo da ASUS testado por aqui vinha com HDs, enquanto o GT70 vem com nada menos que dois SSDs em Raid. Ao longo dos testes (execução de vídeo, navegação na internet, e renderização 3D, etc) isto faz muita diferença.


Autonomia
Chegamos ao ponto crítico para todo notebook gamer: o tempo que ele consegue ficar longe da tomada.

No teste de autonomia, dividimos em dois perfis. No primeiro, rodamos o Powermark no modo produtividade, em que o aplicativo se limita a navegar na internet e editar documentos de texto, com o brilho da tela no mínimo e o sistema operacional configurado para economizar o mÁximo de energia. No outro, mais exigente, colocamos a tela em brilho mÁximo, alteramos o gerenciador de energia do sistema para modo alto desempenho, e configuramos o Powermark para realizar o benchmark no modo "entretenimento", em que pode-se alternar entre executar vídeos e renderizar animações em 3D.

O GT70 conseguiu um bom resultado, considerando o hardware potente e a tela de 17 polegadas que possui. Ele garantiu o funcionamento por duas horas, em um uso mais exigente, e até quatro horas se você "pisar bem de leve no acelerador". Nada que impressione contra dispositivos como o Ultrabook Folio 13 e suas quase oito horas de operação, mas nada mal se comparado aos outros modelos gamers.

{break::Mafia II}

Abrimos a série de teste com games com o Mafia II, continuação do aclamado game de ação em terceira pessoa ambientado no obscuro mundo da mÁfia italiana dos anos 40 e 50, nos EUA.

Em nossa primeira bateria de testes, a GTX 680M do GT70 não decepcionou, com uma boa vantagem sobre os modelos equipados com os chips GTX 675M (FullRange) e GTX660M (G75VW). A superioridade da placa apareceu principalmente no teste mais exigente, quando apresentou performance 40% e 60% superior, respectivamente.


FullHD
Subimos a resolução para o 1080p, para verificarmos o comportamento dos notebooks nesta definição.

Novamente o desempenho do GT70 é o novo recorde em nossas anÁlises, rodando acima de 60 fps mesmo com mais filtros ativos. A vantagem para a GTX 675M do FullRange chega a 55%, e contra a GTX 660M do G75VW a performance entrega quase o dobro de frames. É notÁvel como este chip abre muita vantagem comparado aos demais no teste com qualidade mais alta.


PhysX
Por fim, ativamos o PhysX, tecnologia proprietÁria da NVIDIA que coloca a GPU para processar elementos de física e assim aumentar a riqueza de detalhes nas cenas dos games. Como podemos esperar, este "trabalho a mais" para as placas de vídeo são a parte mais desafiante do teste com Mafia II.


Apesar de não ter conseguido mais manter a média acima dos 60fps, o desempenho do GT70 não deixa de impressionar. Com 40 fps na qualidade mais alta testada, o game roda de forma muito fluida neste notebook, mesmo como PhysX ativo.

{break::Alien vs. Predator}

Nosso próximo teste é com o game Alien vs. Predator, muito elogiado pelo uso das tecnologias disponíveis no DirectX 11, e que serÁ testado utilizando o Adrenaline Benchmark Tools, para rodar a bateria de testes.

Sem surpresas na primeira rodada de testes: o GT70 0NE volta a manter a liderança em todas as configurações de filtros e qualidades grÁficas, com ganhos em torno de 30% sobre modelos com a GTX 675M (Avell) e até 80% sobre a GTX 660M (ASUS).

 

 

 


FullHD
Em nossa segunda bateria de testes, aumentamos a resolução para o FullHD, nos notebooks que possuem suporte a esta definição em suas telas.


Aqui temos mais um passeio do GT70 0NE, que manteve vantagem de 80% a 70% em relação ao ASUS G75VW e entre 30 e 40% sobre o Avell FullRange.


Tesselation
Fechamos nossos testes com o game Alien vs. Predator verificando a capacidade dos notebooks em executar o benchmark com o Tessellation ativo, recurso que melhora a composição de objetos na cena, mas ao mesmo tempo aumenta em muito o trabalho das placas de vídeo. 

Mais um teste, e mais um recorde. Assim como as posições, as diferenças entre os modelos analisados se mantiveram estÁveis neste teste, com a liderança do GT70 0NE por boa margem. Outro ponto interessante é observar que o game sempre rodou com uma quantidade grande de quadros por segundo, independente de nossa configuração, ou seja: Alien vs. Predator pode ser rodado na qualidade grÁfica que o usuÁrio quiser, neste modelo.


Para fazer estes testes em seu computador/notebook, é preciso possuir o jogo e baixar o Adrenaline Alien vs Predator Benchmark Tool. As filas de testes rodados estão disponíveis em duas resoluções, de acordo com a tela do notebook: 1366x768 e em modelos que suportam o FullHD.

{break::Crysis 2}

Como comentamos, para os teses utilizamos a ferramenta Adrenaline Crysis 2 Benchmark Tool, que, lançada no ano passado, é utilizada por praticamente todos os websites internacionais para benchmarks com o Crysis 2. O game, como todos sabem, é referência em qualidade de imagem, e no mês de junho de 2011 finalmente ganhou seu patch com suporte ao DirectX 11, jÁ que originalmente o game vinha apenas em DX9.

Um ponto importante sobre este benchmark é que aqui forçamos o hardware com configurações avançadas (e do HIGH pra cima, a coisa), então os resultados baixos não significam que os modelos são incapazes de rodar o game em qualidade satisfatória. Realizando ajustes, é possível rodar o game na maioria dos modelos analisados, porém nossa intenção nesta parte é mesmo "fazer um teste de estresse". 

 

 

 

No primeiro grupo de testes vemos um comportamento semelhante ao observado nos games anteriores, com o GT70 0NE mantendo próximo de 30% de vantagem sobre o modelo da Avell com uma GTX 675M, e 60% sobre o modelo da ASUS com uma GTX 660M. Em 1366x768, o modelo da MSI consegue manter os fps acima de 60, sendo que este é o primeiro modelo a conseguir este feito.


FullHD
Subimos agora a resolução da tela para 1080p, nos modelos que possuem tela com suporte a este número de pixels.


Em FullHD, a diferença do modelo da MSI em relação a concorrência aumentou, chegando a ser 50% superior ao notebook com a GTX 675M (Avell) e entregando quase o dobro de número de quadros por segundo que o ASUS G75VW conseguiu neste teste.

Mais um conjunto de recordes para a GTX 680M que equipa o GT70 0NE, e uma clÁssica pergunta respondida. Sim, ele roda Crysis.


Para fazer estes testes em seu computador/notebook, é preciso possuir o jogo e baixar o Adrenaline Crysis 2 Benchmark Tool. As filas de testes rodados estão disponíveis em duas resoluções, de acordo com a tela do notebook: em 1366x768 e para modelos que suportam também o FullHD.

{break::Recursos adicionais e armazenamento}
Um dos primeiros recursos chamam bastante a atenção logo que ligamos o aparelho: o teclado retroiluminado da SteelSeries. No padrão chiclete, ele é bastante confortÁvel e se destaca por ser colorido (logo que chega, estÁ em um padrão "arco-íris"). Para quem quer mais discrição em seus modelos, basta abrir o aplicativo KLM, que possibilita mudar o padrão de cores e até definir algumas "animações", como um efeito de esmaecer ou algo no estilo "onda".

Do ponto de vista estético, dÁ pra configurar muita coisa neste aplicativo, definindo uma cor para cada terça parte do teclado, mas do ponto prÁtico este KLM ficou devendo tornar possível a iluminação ou o realce apenas das teclas que realmente importam ao jogador, como Ctrl e Alt.

Outro destaque é o Áudio: com ótima definição, especialmente nos tons mais graves, o sistema "powered by Dynaudio" estÁ entre os melhores presentes em notebooks. Além das caixas de som, o notebook possui as tecnologias MSI Audio Boost, que promete um ganho de até 30%, com a presença de conectores especiais e amplificadores diferenciados que melhoram a definição do aúdio em fones de ouvido.

Outro diferencial deste modelo é um ponto que muitas vezes é "esquecido" em outros produtos: a mídia de armazenamento. O Super RAID (dois SSDs em RAID) do GT70 0NE entrega uma performance que fez os outros SSDs parecerem lentos, e os HDs parecerem parados. É o caso do hard disk de 7200 RPMs que equipa o próprio modelo da MSI. Ele possui uma boa performance comparado com outros modelos semelhantes, mas é 90% mais lento que o Super Raid.


Por fim, outro diferencial do notebook é a tecnologia Killer E2200 Intelligent Networking, que garante a prioridade aos games e ao streaming de vídeo nos momentos em que a banda de internet fica "estreita". Assim, outros aplicativos passam a utilizar menos da capacidade da conexão de rede para garantir que o game ou o streaming da partida não "gargale".


{break::Conclusões}O GT70 0NE chegou cravando novos recordes na maioria de nossos benchmarks, logo é inegÁvel que aqui estamos falando do mais poderoso notebook a ser testado pelo Adrenaline. O chip grÁfico GXT 680M e o Super Raid são especificações de altíssima performance, e que não decepcionaram em nossos testes.

Nos demais aspectos, a MSI entregou um bom projeto, com design eficiente e recursos que interessam muito aos jogadores. Mas hÁ algumas exceções, como a ausência de uma tela de 120Hz, recurso necessÁrio para quem deseja utilizar as tecnologias 3D. O teclado fora do padrão ABNT-2 não chega a desmerecer o produto, jÁ que seu enfoque é games, mas não faria mal nenhum o notebook vir adaptado ao modelo nacional, e pode irritar quem pretende usar o notebook para outras atividades de produtividade.

Ao mesmo tempo que entrega as melhores peças disponíveis no mercado, o GT70 0NE traz o seu custo: com preço de 11 mil reais, ele é um desafio para a maioria dos orçamentos familiares. É inegÁvel a superioridade deste hardware em relação a concorrência, porém para quem deseja mesmo um notebook para games, e não tem tanta coragem (leia-se dinheiro) para investir no aparelho, modelos equipados com uma GTX 660M, como o GE70 da própria MSI e o ASUS G75VW jÁ podem dar conta do recado. Modelos da Avell também costumam entregar uma boa performance, e podem ser uma opção para quem se importa com o desempenho, e não se importa com o acabamento e os recursos adicionais que marcas como MSI e ASUS agregam em seus produtos.

O GT70 0NE é o mais poderoso notebook gamer que jÁ testamos, e é a melhor opção para quem deseja o mais potente aparelho que o dinheiro (e haja dinheiro!) consegue comprar


PRÓS
Peças poderosas
SSD em Super Raid é algo realmente impressionante
Bom acabamento
Tela do tipo fosca reduz bastante os reflexos
CONTRAS
Fans em 100% são muito barulhentas
Tela não tem suporte ao 3D estereoscópico (não é de 120Hz)
Teclado fora do padrão ABNT-2
O preço leva seu orçamento ao infinito e além
Assuntos
Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.