ANÁLISE: ASUS G75VW

ANÁLISE: ASUS G75VW

ASUS G75VW é o notebook voltado a gamers e entusiastas que desejam um aparelho com todos os recursos possíveis, como especificações poderosas como processador Intel Core i7 Ivy Bridge e uma placa NVIDIA GeForce GTX 670, além do suporte a tecnologias como 3D estereoscópico, através do 3D Vision.

Como todo notebook da categoria gamer, este produto traz características que desafiam o conceito de portabilidade: é grande, pesado e com pouca autonomia. No caso do G75VW, estas características estão um pouco mais acentuadas que em outros modelos da mesma categoria, com seus 4.5kg e uma duração de bateria ainda mais comprometida pela ausência de tecnologias como o NVIDIA Optimus, que auxiliaria a "dar uma esticada" no tempo que o notebook consegue ficar longe da tomada.


Recebemos um modelo com dois HDs de 7200RPM que não mostraram boa performance durante os testes, e fizeram o notebook perder um pouco de agilidade em testes de atividades cotidianas. A boa notícia é que também existem versões do G75VW com SSD, o que traz um bom ganho de performance em algumas atividades como iniciar o sistema, abrir programas ou processar arquivos maiores. 

Além da boa combinação de processador, placa de vídeo e memória RAM, o notebook também possui uma série de recursos adicionais, como um subwoofer de qualidade, teclado retroiluminado e um dos melhores acabamentos que jÁ vimos por aqui, em notebooks. É possível encontrar notebooks com hardware semelhante ou superior, muitas vezes com valor abaixo do cobrado no G75VW, mas o custo em torno de R$ 7.799 é justificado por este modelo trazer todos os recursos que podem interessar a um gamer, tudo com um acabamento muito superior ao presente na maioria dos concorrentes.

{break::Especificações e vídeo-anÁlise}Como esperamos de um aparelho voltado ao público gamer, a ASUS equipou o G75VW com componentes capazes de entregar alta performance, através da combinação da placa grÁfica GTX 670M e do processador Intel Core i7 3610QM (geração Ivy Bridge), que são capazes de rodar todos os games atuais (vamos detalhar melhor isto em benchmarks). Outros destaques são a tela com suporte ao 3D estereoscópico da NVIDIA, o 3D Vision. Em nosso modelo analisado, os componentes só escorregam em um aspecto: os dois HDs. Uma combinação SSD + HDD tornaria o sistema muito mais Ágil, e em alguns de nossos testes a desvantagem de não possuir um solid state drive fez as pontuações do notebook cair consideravelmente (casos do WinScore do PCMark 7). Felizmente, hÁ opções do produto em que um SSD é incluído, resolvendo esta questão.



- Continua após a publicidade -

Especificações ténicas
Processador Intel Core i7 3610QM
Sistema Operacional: Windows 7 Home Premium
Chipset: Intel HM77 Chipset
Memória: DDR3 1600 MHz SDRAM, 4 x SO-DIMM soquete para expansão de até 16 GB SDRAM
Tela: 17.3" HD with EWV (1366 x 768) / FHD 3D LED Backlight
GrÁfico: NVIDIA GeForce GTX 660M/670M com 2GB/3GB GDDR5 VRAM
Armazenamento: 2.5" SATA Dual HDD
1TB 5400rpm
750GB 5400rpm/7200rpm
500GB 5400rpm/7200rpm
750GB 7200rpm SSH
256GB SSD
RAID0/1 Support
Drive Óptico: DVD Combo Blu-Ray
Super-Multi DVD
Blu-ray reader
Leitor de Cartão Leitor de cartão 3 em 1 ( SD/ MS/ MMC)
Câmera    
Networking Integrado 802.11 b/g/n
Bluetooth V4.0 (Opcional)
10/100/1000 Base T

Conexões:
1 x Entrada para microfone
1 x Saída para fone de ouvido
1 x porta VGA/Mini D-sub de 15-pinos para monitor externo
4 x porta(s) USB 3.0
1 x RJ45 para LAN
1 x HDMI
1 x SPIDIF speaker out
1 x mini Display Port

Áudio: Microfone e alto-falantes embutidos, subwoofer
Bateria: 8 células, 5200 mAh 74 Whrs
Adaptador de Energia: 19 V DC, A, 180 W
Input: 100 -240 V AC, 50/60 Hz universal
Dimensões: 415 x 320 x 17 ~52 mm (largura x profundidade x altura)
Peso: 4.5 kg (com 8 células de bateria)

Segurança: Kensington lock 

{break::Fotos, design e aquecimento}O G75VW é, até o momento, o melhor notebook que jÁ "pôs os pés" aqui na redação, do ponto de vista da ergonomia. Seu design é totalmente especializado no público gamer, com muita qualidade em todos os detalhes. Com uma leve inclinação, o teclado é muito preciso, retroiluminado e confortÁvel. O único recurso que ficou devendo, em comparação a alguns modelos do mesmo segmento, é cores das teclas configurÁveis, para destacar algumas como o "A", "S", "D" e "W", por exemplo. Pode ser interessante para alguns, mas considero este recurso bem dispensÁvel.

Além do teclado, o touchpad é muito bom, creio que este é o mais aceitÁvel que jÁ usei. SerÁ um bom "quebra-galho" para os momentos que não quiser conectar o mouse, sendo bastante preciso, mas nem pense em jogar com ele. Na hora da jogatina, um mouse ainda é indispensÁvel, e duvido que algum gamer vÁ discordar.

O acabamento é todo feito em preto fosco, com um corpo emborrachado. Esta escolha do material faz com que a pegada do o notebook seja muito firme, algo muito positivo jÁ que não é fÁcil carregar algo com mais de 4kg. O visual é bastante discreto (principalmente para os padrões dos notebooks gamer), sem deixar de ser imponente, tanto pelo tamanho quanto por detalhes como as entradas de ar na parte traseira. O acabamento emborrachado segue até a base onde ficam os punhos, o que torna a jogatina muito confortÁvel. Este material também tem outra vantagem: não risca facilmente, algo que "deteriora" o visual de notebooks com acabamentos em materiais brilhantes, como plÁstico ou aço escovado.

Com 4,5 quilos, este notebook não é nem de longe uma opção para quem busca portabilidade, mesmo dentro do segmento de notebooks gamers. O FullRange, por exemplo, pesa 3,9kg (o que também não é lÁ muito leve). No final das contas, se você busca portabilidade, esqueça este segmento de notebooks e busque opções intermediÁrias.

- Continua após a publicidade -

O bom projeto do G75VW também foi minucioso no sistema de resfriamento dos componentes. Aproveitando o bom espaço disponível no corpo do aparelho, os dissipadores e coolers instalados no notebook da ASUS conseguiram manter a temperatura confortÁvel em vÁrios pontos importantes, como teclado e apoio para os pulsos, rodando games em alta resolução e qualidade.

O calor ficou bem concentrado na parte traseira esquerda, com uma leve dissipação pelo centro na parte inferior, mas não atingindo temperaturas excessivamente altas. A verdade é que, com seu tamanho e peso, as preocupações com o aquecimento fica mais em função da preservação dos componentes do que por um eventual desconforto de se utilizar no colo este notebook. Os 34 graus medidos no centro, durante uma atividade pesada como rodar o game Crysis 2 em alta resolução, é um ótimo resultado. 

{break::CineBench, WinScore, WinRAR}Abrimos a nossa série com testes mais "sintéticos", começando com o CineBench, que testa a capacidade de executar o OpenGL, uma importante API para aplicações profissionais, tanto pelo processador quanto pela placa de vídeo.

 

Na parte de CPU, nenhuma surpresa: a nova geração de processadores Intel bateu todos os modelos anteriores, na maioria i7 Sandy Bridge, com um ganho na casa dos 15/20%. Com as GPUs, um ótimo rendimento da GTX 670M, batendo inclusive a GTX 675M que equipa o modelo da Avell, que não se mostrou excepcional neste teste. Um ponto importante neste grÁfico é reparar na posição da GTX 460M presente no modelo Lamborghini VX7, muito bem neste teste apesar de se tratar de um modelo de duas gerações anteriores.


- Continua após a publicidade -


A pontuação do Windows para o sistema jÁ nos indica o potencial deste hardware, cravando notas a partir de 7,4. A exceção é um ponto que jÁ havíamos destacado: equipado com dois HDDs, o disco rígido primÁrio é a pontuação que puxa o score para baixo. O G75VW poderia entregar mais agilidade se equipado com um SSD, e inclusive hÁ opções deste modelo equipados com este tipo de armazenamento.

 

O teste com o WinRAR é uma boa amostra da capacidade do processador, componente mais exigido neste teste. Aqui vemos a evolução desta geração de processadores Core, batendo todos os i7 Sandy Bridge com vantagens superiores a 25%.

{break::PCMark, Photoshop, autonomia}Na segunda parte do teste, vamos verificar a capacidade do notebook em atividades cotidianas, capacidade de processamento com o Photoshop e a autonomia do notebook operando na bateria.

Nos testes com o PCMark vemos como o modelo não possuir um SSD o penalizou em algumas atividades. O resultado do teste entregou um score final abaixo de aparelhos como o Folio 13, um Ultrabook que não possui placa de vídeo dedicada, mas que conseguiu uma performance geral melhor, ao longo dos testes, por conta do armazenamento mais Ágil.

 

Com o Photoshop voltamos a ver o ganho de desempenho da nova geração de processadores Intel, parte do hardware mais "cobrada" na hora de aplicar o filtro extrude. O ganho foi de 10% sobre o melhor modelo Sandy Bridge para notebooks analisado até o momento, 

A autonomia, junto com a portabilidade, são os pontos críticos de notebooks gamers. Além de pesados, esta categoria de aparelhos costuma não entregar uma boa autonomia, e este modelo da ASUS não saiu da lógica. Inclusive, este é um dos pontos fracos deste modelo: conseguiu ficar abaixo até mesmo de outros notebooks gamers.

{break::Mafia II}

Abrimos a série de teste com games com o Mafia II, continuação do aclamado game de ação em terceira pessoa ambientado no obscuro mundo da mÁfia italiana dos anos 40 e 50, nos EUA.

Na primeira bateria de testes, com a resolução 1366x768 (a mais comum em notebooks hoje) vemos que o G75VW tem condições de rodar o game em qualquer qualidade grÁfica, com uma quantidade de quadros por segundo dentro do ideal, que é uma média de 60fps. 


FullHD
Aproveitando que temos um modelo capaz de executar o game em resolução 1920x1080, realizamos o teste para ver o comportamento do sistema em 1080p.

Trabalhando em uma resolução mais alta, vemos que apesar de uma queda de quadros por segundo, especialmente em qualidade mais alta, o notebook ainda é capaz de entregar uma média acima de 30 fps, o que torna o gameplay fluído. 


PhysX 
Outro elemento importante que podemos testar com o Mafia é a capacidade da placa de trabalhar com o PhysX, tecnologia proprietÁria da NVIDIA que coloca a GPU para trabalhar em elementos de física, melhorando o jogo na parte estética, com muito mais partículas compondo a cena.

Claro que, ligando este componente, o "serviço extra" para a placa de vídeo derrubou a média de quadros por segundo, mas compradores/donos de um G75VW, nada temam: esta redução só comprometeu na qualidade mais alta, onde o notebook ficou na casa dos 28 quadros por segundo. Ainda é jogÁvel, jÁ que o se aconselha manter uma média superior a 24fps, mas quem dÁ prioridade a jogabilidade "lisinha", talvez seja o ideal ficar ali pela configuração intermediÁria.

Olhando a briga das GTXs,  em alguns momentos a GTX 670M se aproxima da GTX 675M, mas no geral a segunda consegue manter vantagens que oscilam entre 13 a 25%.

{break::Alien vs. Predator}

Nosso próximo teste é com o game Alien vs. Predator, muito elogiado pelo uso das tecnologias disponíveis no DirectX 11, e que serÁ testado utilizando o Adrenaline Benchmark Tools, para rodar a bateria de testes.

Em nossa primeira bateria de testes, com a resolução 1366x768, vemos que o G75VW encara tranquilamente o game com todas as configurações possíveis, sempre ficando com médias bem acima dos 30 quadros por segundo. No comparativo com o modelo FullRange, equipado com uma GTX 675M, a GTX 670M ficou aproximadamente 30% abaixo, em performance.


FullHD

Nos testes em resolução 1080p, vemos que o ASUS G75VW ainda é capaz de rodar o game em boa qualidade, porém forçando demais as configurações jÁ começamos a verificar uma média quadros por segundo que pode comprometer a fluência do jogo.

 


Tessellation
Ativando este filtro pesado, vemos que o aparelho da ASUS lida muito bem com o Tessellation, pois a queda nos quadros por segundo não foi algo que impossibilitou uma boa jogabilidade (54.9 para 32.6), mostrando que gamers neste notebook podem acionar o recurso sem medo de "ferrar a coisa toda".

 


Para fazer estes testes em seu computador/notebook, é preciso possuir o jogo e baixar o Adrenaline Alien vs Predator Benchmark Tool. As filas de testes rodados estão disponíveis em duas resoluções, de acordo com a tela do notebook: 1366x768 e em modelos que suportam o FullHD.

{break::Crysis 2}

Como comentamos, para os teses utilizamos a ferramenta Adrenaline Crysis 2 Benchmark Tool, que, lançada no ano passado, é utilizada por praticamente todos os websites internacionais para benchmarks com o Crysis 2. O game, como todos sabem, é referência em qualidade de imagem, e no mês de junho de 2011 finalmente ganhou seu patch com suporte ao DirectX 11, jÁ que originalmente o game vinha apenas em DX9.

Um ponto importante sobre este benchmark é que aqui forçamos o hardware com configurações avançadas, então os resultados baixos não significam que os modelos são incapazes de rodar o game em qualidade satisfatória. Realizando ajustes, é possível rodar o game na maioria dos modelos analisados, porém nossa intenção nesta parte do teste é mesmo "fazer um teste de estresse". 

Na primeira bateria de testes, na resolução 1366x768, vemos que o G75VW fica em torno de 25% abaixo do FullRange, desvantagem que acontece novamente por conta da GPU mais poderosa que equipa o modelo da Avell. Em relação a modelos intermediÁrios, o notebook da ASUS tem um desempenho em torno de 40% a 60% superior. Pra quem é gamer, vale a pena investir neste tipo de aparelho.


FullHD
Subindo a resolução dos testes, vemos que ainda não é para os notebooks encarar o game em qualidades altas. A GTX 670M que equipa o ASUS G75VW ficou em torno de 30% abaixo da GTX 675M do FullRange, nos testes nesta resolução. Mas não se engane pelo benchmark: com os devidos ajustes, o game Crysis 2 roda com liso e com muita qualidade grÁfica, nos dois modelos, na resolução 1080p (com direito a 3D estereoscópico, no caso do G75VW).


Para fazer estes testes em seu computador/notebook, é preciso possuir o jogo e baixar o Adrenaline Crysis 2 Benchmark Tool. As filas de testes rodados estão disponíveis em duas resoluções, de acordo com a tela do notebook: em 1366x768 e para modelos que suportam também o FullHD.

{break::Recursos adicionais e armazenamento}A ASUS incorpora uma série de tecnologias próprias em seus notebooks, sendo muitas delas presentes em todas suas categorias de aparelhos (desde os de entrada até os topo de linha). O conjunto de softwares adicionais instalados estão organizados no ASUS Resourse Center, um painel de controle adicional que organiza os principais aspectos de configuração e administração do notebook, dando "uma mãozinha" para usuÁrios leigos e até mesmo os avançados, que não precisam ficar vasculhando pelo sistema onde estão os principais ajustes do computador.

Entre os principais aplicativos adicionais da ASUS, para administração do sistema, estão o Power4Gear Hybrid, um sistema avançado de gerenciamento de energia com diversos perfis pré-definidos, o InstantON, que acelera o início do sistema, entre outras ferramentas que incluem ações como backup, otimização de performance, gadgets de ajustes para o incluir no desktop, etc.

Outro extra deste notebook é muito bem-vindo: a tela de 120Hz é compatível com a tecnologia 3D Vision, inclusive com os óculos de segunda geração. Isto é uma adição muito interessante para os gamers entusiastas do 3D estereoscópico, que poderão aproveitar o recurso neste notebook. Outro ponto importante: esta tecnologia demanda mais do hardware, como é possível notar no benchmark abaixo.

Neste ponto, o aparelho da  ASUS tem a vantagem de possuir bons componentes, conseguindo manter um FPS suficiente para jogar, mesmo com o recurso ativo. Mesmo assim, ligar os óculos 3D pode forçar o gamer a dar uma reduzida em alguns filtros em jogos mais pesados, mas para quem é entusiasta da tecnologia estereoscópica, compensa.

Outro destaque deste modelo é o subwoofer, instalado na parte inferior à esquerda. Em atividades como ouvir música, ver filmes e jogar, este equipamento fez a diferença, tornando os tons graves das multimídias mais intensos e melhor definidos. Nas outras frequências, com tons mais agudos ou intermediÁrios, a qualidade e intensidade sonora foi regular, distorcendo bastante se colocado no volume mÁximo.

Como jÁ comentamos em outras partes, o dispositivo de armazenamento não é o ponto alto do modelo que analisamos. Equipado com HDs de 7200 RPM, o desempenho ficou abaixo de outros modelos que operam nestas rotações, e abaixo até mesmo de notebooks com discos rígidos de 5200 RPM.

{break::Conclusões}O ASUS G75VW é o modelo mais completo de notebook para games que analisamos. Além de uma combinação de processador (Core i7 Ivy Bridge) e placa de vídeo (GTX 670M) de alto desempenho, ele traz recursos e detalhes que o tornam um aparelho muito completo.

O acabamento do G75VW é muito bom, e a ergonomia torna jogar nele muito confortÁvel, graças a elementos como a base emborrachada para o apoio dos punhos e a inclinação do teclado. Outro destaque é a tela de 120Hz de 17 polegadas e com resolução FullHD. Além da boa qualidade de imagem, ela possui suporte a tecnologia 3D Vision, algo muito interessante para quem é entusiasta do 3D estereoscópico.


Groaaaaarrrrrrr! 

Como nada é perfeito, o G75VW tem suas escorregadas: o HD de 7200 RPM se saiu, em nossos testes, pior que muitos modelos de 5400 RPM. Com um hardware desta potência, o dispositivo de armazenamento acabou virando o gargalo que reduziu muitas das notas e pontuações do notebook ao longo de nossos benchmarks. O problema pode ser facilmente  resolvido substituindo um dos HDs por um SSD, ou jÁ adquirindo uma versão do notebook com este componente mais Ágil.

Outro ponto que pode incomodar é o quanto o conceito de portabilidade se perde, neste modelo: com 4.5kg, ele é pesado até mesmo para a categoria gamer, sendo que é possível encontrar modelos mais leves (como o FullRange, também com tela de 17" e peso de 3.9kg). Além de não ser fÁcil carregÁ-lo, este notebook não consegue ficar muito longe da tomada: foi o dispositivo com menor autonomia, em nossos comparativos, ficando no mÁximo 2 horas longe de uma fonte de energia.


Aprende aqui, HP. É assim que as setas devem ficar em um notebook de 17 polegadas, e não assim.


Na performance, o hardware instalado pela ASUS enfrentou todos os games e teses com aplicações com facilidade, ficando entre os melhores modelos analisados e, especialmente nos casos em que o processador era a peça mais demandada, cravou novos recordes em nossos benchmarks.

O ASUS G75VW é o notebook gamer mais completo que jÁ passou pela redação. Com acabamento impecÁvel, hardware potente e recursos como 3D Vision, não fica devendo nada para quem quer uma jogatina em alta qualidade.

Com preço na casa dos R$ 7.799, no modelo mais simples, é possível encontrar outros produtos com preço mais em conta, ou hardware superior pelo mesmo valor, mas a grande quantidade de recursos adicionais e a qualidade nos acabamentos e nos componentes deste modelo o tornam uma boa opção para quem deseja um notebook gamer completo e de alta qualidade.

PRÓS
Hardware potente
Suporte ao 3D estereoscópico (3D Vision de segunda geração)
Acabamento de alta qualidade
Ótimo design
CONTRAS
Pesado
Baixa autonomia
Desempenho ruim do HD de 7200RPM
Assuntos
Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.