ANÁLISE: HP Pavilion dv6-6170br

ANÁLISE: HP Pavilion dv6-6170br

O HP Pavilion Dv6-6170br é um modelo do segmento intermediÁrio de notebooks, segmento que possui a vantagem de trazer aparelhos de boa potência, sem serem pesados e caros como notebooks de alta performance para games. Naturalmente, em contrapartida estes aparelhos perdem um pouco de desempenho, se comparado aos modelos para entusiastas, sem conseguir rodar games recentes em configurações avançadas.


Os destaques deste modelo da HP são a sua tela de LED com capacidade de reproduzir imagens em FullHD, o leitor de Blu-ray e o potente sistema de som Beats Audio, conjunto de especificações que tornam o notebook uma ótima opção multimídia, além da placa de vídeo dedicada que torna possível rodar aplicações mais pesadas, como games, mesmo que não nas qualidades mais altas.

Vejamos o que mais o Dv6 6170br tem a oferecer, no restante da anÁlise.

{break::AnÁlise geral e especificações}O HP Pavilion traz uma série de configurações intermediÁrias em seu hardware, como processador AMD A6-3400M e placa de víde Radeon HD 6750. Como o A6 faz parte da família de processadores da AMD que trazem um processador grÁfico, as APUs, o notebook utiliza a tecnologia CrossFireX, combinando a placa dedicada com a placa integrada no processador para trabalharem em conjunto, da mesma forma que acontece em computadores de mesa com mais de uma placa de vídeo.

Apesar de interessante na teoria, o resultado da combinação com a 6750M (placa dedicada) e a 6530G (placa integrada) não é tão empolgante na prÁtica, talvez por conta da pouca potência do processador, como é possível ver nas próximas pÁginas com os testes.

Se o desempenho não é excepcional, em compensação as qualidades multimídias do notebook estão muito acima da média do segmento intermediÁrio. A tela com resolução para rodar filmes em alta definição (FullHD) do tipo LED tem uma imagem muito nítida, pouca distorção em vÁrios ângulos de visão e tem pouquíssima reflexão, o que torna confortÁvel seu uso mesmo em locais com muita claridade. O som possui o selo Beats Audio, que traz uma definição e intensidade sonora acima da média e, para "fechar a conta", o leitor de Blu-ray torna a experiência multimídia mais completa, sendo que o Dv6-6170br é uma boa pedida para ver um filme, jÁ que apesar de não empolgar tanto nos games, o hardware do notebook sobra para rodar um longa em alta definição.


Especificações Técnicas



- Continua após a publicidade -

Processador:  Tecnologia VISION A6 da AMD com processador acelerado AMD Quad-Core A6-3400M (2,3 GHz, Cache L2 de 4 MB)
Sistema operacional: Windows® 7 Home Premium autêntico de 64 bits(1)
Memória: DDR3 de 4 GB (expansível a 8 GB)
Placa de vídeo: CrossfireX AMD Radeon HD 6750 e Memória Dedicada GDDR5 de 1024MB e até 3061MB de memória grÁfica total
Tela: 15,6" FullHD (1920x1080) do tipo LED antirreflexo
Acabamento: Alumínio escovado em cinza azulado
Webcam: HD HP TrueVision com microfone digital integrado
Leitora de digital: HP SimplePass com leitor de impressão digital integrado
Armazenamento: HDD SATA II de 750 GB (5.400 RPM) com HP ProtectSmart
Leitor óptico: dispositivo Blu-ray e gravador de DVD SuperMulti
Leitor de cartão: Digital Media Card Reader para cartões Secure Digital e Multimedia
Áudio: Beats Audio
Teclado: tamanho normal em estilo chiclete com teclado numérico integrado
Touchpad com suporte a vÁrios gestos com LED de realce das bordas e botão liga/desliga
Conexões: 2 Universal Serial Bus (USB) 3.0 supervelozes
                  2 Universal Serial Bus (USB) 2.0
                  1 HDMI
                  1 VGA (15-pin)
                  1 RJ -45 (LAN)
                  2 saídas de fone de ouvido
                  1 entrada de microfone
                  WLAN 802.11b/g/n(10b)
                  Bluetooth 3.0

Dimensões: 37.8cm (largura) x 24.66cm (comprimento) x3.12cm (altura mínima)/3.53cm (altura mÁxima)
Peso: 2.73 kg
Segurança:  Slot de trava Kensington MicroSaver
                     Senha de inicialização
                     Aceita dispositivos de trava de segurança de terceiros
Bateria: íon de lítio de seis células e 62 Wh

{break::Design, fotos e aquecimento}O corpo em alumínio escovado dÁ um bom visual e sensação de resistência ao Dv6-6170br, que possui um design bonito e discreto. O teclado no estilo chiclete é do tipo completo, com teclado númerico à direita e é bastante confortÁvel no uso. A "gambiarra" para posicionar as setas não agrada muito, sendo que a HP preferiu reduzir as setas "acima" e "abaixo" para ocuparem o espaço equivalente de uma única tecla. As soluções roubando um pouco do espaço do dígito "0" do teclado númerico costumam ser mais confortÁveis, jÁ que é difícil não bater na tecla errada, sendo estas duas tão finas.


Ele possui luzes embutidas nas teclas indicando o acionamento do CAPS LOCK, da rede WiFi e o Áudio no mudo, o que dÁ um bom acabamento e que tem virado um padrão na maioria dos aparelhos com design mais trabalhado. Em torno do touchpad hÁ uma luz, o que não me parece trazer nenhuma vantagem estética ou mesmo de localização (alguém aqui fica olhando para o touchpad quando usa ele?). Acho que ter um teclado retroiluminado adicionaria muito mais ao produto. O touchpad também não possui um acabamento excepcional ou uma sensibilidade que se destaque, tendo uma resposta ruim no gesto multitoque de "scroll", e inclusive dando a sensação de ser feito em um material frÁgil. Mas estÁ dentro da média da maioria dos notebooks.

Minha grande implicância é com a fonte. Em uma era em que a portabilidade ganha cada vez mais destaques nos aparelhos, o que a HP tinha na cabeça quando colocou uma fonte tão grande e pesada, como a que acompanha este notebook? Com cara de fonte de laptops dos anos 2000, é uma peça de museu ao lado de fontes mais leves e portÁteis, presente em outros aparelhos. Para terem uma amostra, na foto temos, abaixo, uma fonte de um notebook da linha Dv6800, de 2007, e acima a fonte do modelo em anÁlise.


- Continua após a publicidade -







Este modelo do Pavilion consegue concentrar o aquecimento na parte traseira esquerda com um relativo sucesso, mas chega a espalhar um pouco do calor para a parte dianteira esquerda (o que é bastante negativo, jÁ que é onde ficam apoiados os pulsos). Houve também um pouco de aquecimento na parte central, embaixo do notebook. Não chega a ser desconfortÁvel, mas o recurso coolness HP, que estÁ entre os destaques do aparelho, não é excepcional comparado com produtos de outras marcas.


{break::Cinebench, PCMark, Winscore e Photoshop}No teste com o PCMark07, o desempenho do Dv6-6170br não se destacou, ficando distante dos modelos analisados anteriormente e, inclusive, bem atrÁs do RF511, que possui um preço semelhante.

{benchmark::2416}

Nos testes com o Photoshop e o WinRAR, a velocidade do Pavilion Dv6-6170 para realizar os teste de descompactação ou de aplicação de um filtro em uma imagem não é nada que impressione.

- Continua após a publicidade -

{benchmark::2476}

{benchmark::2452}

No teste com o CineBench temos uma visão clara da desvantagem do Dv6 na competição com os outros notebooks, delimitando inclusive o vilão: o processador A6, do segmento intermediÁrio, fica com um resultado bem inferior ao dos i7, do segmento intermediÁrio/alto, presentes na maioria dos outros modelos. Seria interessante comparar a performance com o AMD A8, presente no Dv6 6190br, porém a HP não possuía este modelo disponível para anÁlise.

{benchmark::2504}

{break::Mafia II}Hora do game da 2K Czech, que nos dÁ a oportunidade de testar recursos como o PhysX. Ou não. Como a GPU é da ATI, o desempenho com este recurso é algo a se desconsiderar, ficando abaixo dos 5 fps e tornando sem sentido fazer o teste com a tecnologia. No teste em 1366x768, o Dv6 ficou pouco atrÁs do RF511 e manteve uma boa vantagem em relação ao Asus N53Jq.

{benchmark::2412}

No teste em FullHD, o CrossFireX surpreende nos testes mais pesados, ultrapassando o Lamborghini a medida em que o teste se torna mais exigente. Observamos um comportamento do notebook, que se repetirÁ em outros testes: conforme subimos as configurações, a queda no fps é menor do que acontece em outros modelos testados.

{benchmark::2413}

{break::F1 2010} Em nosso teste com o game F1 2010, utilizando o Adrenaline Racing Benchmark Tool, o HP Pavilion não impressiona. Novamente observamos um comportamento bom a medida que aumentamos o estresse do teste, tornando possível para o Dv6 ganhar do N53Jq quando rodamos o game em alta qualidade.

{benchmark::2415}

No teste com resolução FullHD, o VX7 manteve uma boa vantagem em relação ao HP. O Pavilion alcançou um resultado suficiente para jogar apenas até as configurações intermediÁrias, onde manteve uma média acima dos 30 fps. Na resolução ULTRA, o aparelho quase alcança o Lamborghini, mas ambos os fps (18 e 16) mostram que o jogo fica impraticÁvel nesta qualidade, nos dois notebooks.

{benchmark::2414}

O teste no Ultra no Benchzone não é nada para se orgulhar, também. (Tem também o teste no Ultra low, no modo Ranked)

{break::Alien vs. Predator}Continuamos a série de testes com games com Alien vs. Predator, que nos traz a possibilidade de testar o comportamento do Dv6 com o DirectX 11 e também Tessellation. O CrossfireX começa mostrar a que veio neste game, cravando os melhores resultados na maioria dos testes, e deixando inclusive o Lamborghini VX7 "comendo poeira" (o trocadilho é horrível, mas eu não me segurei).

{benchmark::2440}

Na segunda rodada, agora com o Tessallation ativo, o Pavilion perde para o Lamborghini mas continua com um bom desempenho, especialmente no comparativo com o RF511.

{benchmark::2441}

Nos próximos testes entramos no seleto grupo dos notebooks capazes de exibir o FullHD em seus monitores nativos. Novamente o Pavilion se sai muito bem, ganhando do Lamborghini em diversos momentos. Nada mal, considerando que custa 5x menos e é mais leve.

{benchmark::2438}

No teste mais pesado com este game, o VX7 e o Dv6-6170br ficam empatados.

{benchmark::2439}

{break::Armazenamento e autonomia}

O armazenamento fica em um HD da Toshiba de 5400RPM, o que não é uma especificação para se orgulhar. O desempenho ficou pouco acima do presente no RF511, mas nada que o diferencie muito. O SSD Sata III do Zenbook faz "pouco caso" dos dois, nos testes. Quanto ao espaço, os 750GB são mais que o bastante.

{benchmark::2451}

Com o teste de autonomia, a dupla A6 e a Radeon HD 6750M se saíram muito bem para manter o notebook rodando um vídeo em FullHD, com brilho mÁximo de tela e volume no limite.  O Dv6 consumiu apenas 17% da bateria para manter o filme rodando por 30 minutos, ganhando até de aparelhos ultracompactos com ênfase na autonomia, caso do Zenbook.

{benchmark::2510}

{break::Multimídia e recursos adicionais}Na parte de multimídia, o Dv6 tem o seu ponto forte. A tela FullHD do tipo LED tem pouca distorção de imagem, de acordo com o ângulo de visão, e possui um vidro levemente fosco, o que garantiu muito menos reflexo e maior facilidade de usar o computador em ambientes muito claros. O som com a tecnologia Beats Audio traz uma experiência superior a média, colocando próximo de sistemas como o Sonic Master e Bang & Olufsen ICE Power, presente no N53Jq e no Zenbook. Na comparação direta, comparando o sistema do Dv6 com os presentes no Zenbook e N53Jq, creio que o Sonic Master presente nos dois últimos leve vantagem na intensidade e na definição do Áudio.

Para "fechar o caixa", o Dv6 ainda possui um leitor óptico de Blu-ray, o que torna ele uma solução multimídia muito completa para quem quer um dispositivo móvel para curtir um filme, por exemplo (com direito a FullHD e tudo mais).

Um recurso extra presente no notebook é um leitor de digitais, útil para quem não quer ficar digitando senhas o tempo todo. Com ele é possível substituir a digitação das senhas pela leitura biométrica dos dedos da mão. Além de destravar o PC, dÁ para cadastrar ações para cada digital, então seu polegar pode virar seu comando para abrir o Gmail e Facebook (só não consegui configurar para jÁ abrir logado, talvez seja uma incompatibilidade com o Firefox).


O aparelho também possui o HP Support Assistant, software que ajuda a manter o computador em dia, seja em atualizações ou até mesmo aprendendo como usar alguns recursos do Dv6. Em geral, este programa auxilia em configurações jÁ possíveis através do sistema operacional, e acaba não sendo muito interessante para usuÁrios com mais experiência. Para os  leigos, ou quem não estÁ afim de perder muito tempo otimizando seu PC, é uma ferramenta interessante.

{break::Conclusão}O Dv6 6170br é um ótimo modelo para quem busca um notebook de desempenho intermediÁrio e que faz questão de uma boa tela e um bom Áudio, além de um driver óptico de Blu-ray. As qualidades multimídias do produto são seu ponto alto, junto com o bom acabamento em alumínio escovado.

O desempenho da dupla A6 e HD 6750M em CrossFireX não empolgou muito na hora dos games, mas basta para a maioria das atividades cotidianas e para rodar games recentes em configurações intermediÁrias. Para quem prefere mais performance, deve pensar em desembolsar um pouco mais e levar o modelo 6190br, que traz um processador A8, ou ir mesmo com o modelo americano Dv6 6190us que substitue os processadores da AMD por um Intel Core i7 e a placa de vídeo por uma HD 6770M, o que deve dar uma melhorada na velocidade na hora dos games e aplicativos mais pesados (e sobe o preço em uns 600 reais, também). Apesar do baixo desempenho, a dupla da CPU e GPU do Dv6 6170br trouxeram a vantagem de ter uma melhor autonomia entre todos os nossos testes, rodando um vídeo em FullHD. 

O teclado no estilo chiclete é confortÁvel, e o touchpad não é nada que se destaque, apenas regular. A HP trouxe um bom sistema de resfriamento, que não aumentou em excesso a temperatura mas, infelizmente, não foi eficiente em concentrar o calor na parte traseira esquerda, onde estÁ localizada as saídas de ar, e acabou aquecendo um pouco a parte central. Isso pode ser incômodo para quem usar o notebook nas coxas, mas não vai tornar impossível usÁ-lo desta forma, afinal ele atingiu 37 graus na parte inferior central em um teste "de estresse" com games, então deve ficar bem abaixo disso no uso cotidiano.

A fonte do notebook foi uma mancada da HP, não deu para entender a razão de algo tão grande e pesado, na contramão do conceito de portabilidade que vem ganhando força na indústria tecnológica. Em um aparelho com ótimo design, alguns décimos se perdem em um detalhe tão trivial...

 

PRÓS
Tela FullHD de LED com pouquíssimo reflexo e distorção
Blu-ray
CrossFireX
Sistema de Áudio
Bom acabamento
CONTRAS
Desempenho fraco da CPU
Fonte grande e pesada
Assuntos
Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.