ANÁLISE: CM Storm Sirus

ANÁLISE: CM Storm Sirus
A Cooler Master, empresa especializada em soluções térmicas, fundada em 1992, é hoje uma das maiores referências no ramo de tecnologia quando o assunto é refrigeração. Aproveitando a qualidade de seus produtos, a CM expandiu seus negócios produzindo um leque maior de hardware, passando a fabricar desde coolers, VGAs e notebooks, a fontes, mouses, fones e gabinetes.

Há alguns anos, a empresa começou a participar também do ramo de produtos para entusiastas, lançando a linha Storm, que é enfocada em acessórios voltados para o público gamer e/ou entusiasta. Desde então, a Cooler Master Storm virou sinônimo de produtos com alto poder de desempenho e com quesitos que cativam os apaixonados por games, como design agressivo e conforto para ajudá-los nas longas horas de jogatina.

Hoje você conhecerá mais um destes produtos: o Sirus 5.1. Existe muita polêmica com relação a fones de ouvido com capacidade para reproduzir sons em 5.1 canais - um sistema mais conhecido como Surround Sound - que em resumo é uma qualidade muito superior às tecnologias comuns como stereo e mono, já que adiciona mais canais de áudio, fazendo com que ele venha de três ou mais direções, dando ainda mais sensação de estar presente no ambiente em que tais sons foram gravados. Desta maneira você tem a percepção exata se o som está vindo da sua direita, esquerda, da frente ou de trás, além do incremento de um subwoofer.

O Sirus veio para desmistificar esta ideia de que fones de ouvido não conseguem reproduzir  estas mesmas sensações. Acontece que, a maioria dos fones de ouvidos que se dizem 5.1, tem apenas um auto-falante de cada lado e apenas simulam os outros canais por meio de software, sendo apenas uma maneira de emular o sistema surround, e não um considerado verdadeiro. Por esta razão, os engenheiros da Cooler Master implantaram no Sirus, 8 auto-falantes ao longo do fone - 4 de cada lado. Com isso, cada som é reproduzido em lugares diferentes, posicionados em locais estratégicos ao redor de seu ouvido, te dando uma noção mais precisa da fonte de emissão dos ruídos. Por isso, o headset leva o sobrenome de True 5.1 (ou 5.1 real em português).

Confira nas páginas seguintes, se o Sirus consegue realmente passar a percepção exata de um sistema surround, tal qual um home theater, além das especificações, qualidade de áudio, design, acabamento e conclusão.

Especificações:



  • Modelo: SGH-6000-KK5R1
  • Canais: True 5.1
  • Driver: F/R/C: 30mm Sub: 40mm
  • Impedância: F/R/C: 32 Ohms Sub: 16 Ohms
  • Transducer principle: Dynamic closed
  • Acoplamento auricular: Circumaural
  • Almofadas de micro fibras destacáveis
  • Sensibilidade: > 105dB
  • Frequência de resposta: 10Hz - 20,000Hz
  • Distorção: Menor que 1%
  • Padrão de microfone: Uni-direcional
  • Frequência de resposta do microfone: 100Hz – 10,000 Hz
  • Impedância do microfone: 2.2k Ohms
  • Sensibilidade do microfone: -46 dB ±3dB
  • Código UPC:    884102012273

Nas páginas seguintes você conhecerá um pouco mais do Sirus True5.1 Surround Sound Gaming Headset, com design, acabamento, funcionalidades, qualidade de áudio e conclusões.

{break::Design e acabamento} O Sirus não chega a ser exatamente um headset exuberante. Seu design é robusto e bonito, mas nada que chame muito a atenção. Sem muitas cores ou traços arrojados, os únicos pontos que saltam aos olhos são aqueles que fazem referência à sua marca. Isto não chega a ser ruim, na verdade há quem goste de várias referências às empresas ao longo de todo o produto, sempre com muita cor, iluminação e conotações de poder e potência.

- Continua após a publicidade -



Porém, lamento uma única coisa neste quesito; o uso de apenas as cores preta e cinza em todo o headset. Algo que, na minha opinião, já está meio saturado neste mercado, fazendo com que fique além de comum, meio sem vibração. Talvez abusar um pouco mais de tons como vermelho ou azul, ou até mesmo fazê-lo com a predominância de cores como branca, vermelha, ou que fosse todo em preto ou cinza, enfim, faltou um pouco mais de vibração nele.

Quanto ao acabamento, aí não tem o mínimo para se dizer. Excepcional. Todos os materiais são excelentes, tudo bem firme, encaixado, confortável, enfim. Muito bom mesmo. O fone acompanha, inclusive, um outro tipo de almofada que imita o couro para ser trocada caso seja de seu interesse (eu, particularmente, preferi o que já veio nele, já que o que imita couro esquenta bastante e meio que faz "suar" as orelhas).


Falando em almofadas, orelhas e conforto, este é um dos poucos headsets que eu já vi que trazem uma almofada extra, na parte superior do mesmo, para que não seja desconfortável para que não tenha cabelos, ou mesmo para quem os tem e gosta de algo mais fofinho ou que não os arranque em movimentos bruscos.


Sou também obrigado a citar o excelente material do qual é feito o microfone, que é muito flexível e firme, te deixando movê-lo para qualquer lugar, ficando exatamente onde você quis, sem dar a menor menção de que vai quebrar ou deformar de vez.

- Continua após a publicidade -

Um único item que não teve 100% de aprovação foi o seu peso, que tem cerca de 415g, quase meio quilo!, e que a Cooler Master não o coloca entre suas especificações, justamente porque se trata de um dos seus poucos defeitos. Sim, isso é um puxão de orelha dona CM.

{break::Recursos}Mais uma vez o Sirus se sai muito bem em uma das categorias de teste. Ao contrário de vários headsets voltados para o público gamer, este traz tanto a possibilidade de utilizar 2 entradas USB, quanto utilizar, caso sua placa de som seja compatível, entradas p2 destinada para cada um dos canais, além de exigir mais uma entrada USB, para servir como fonte de energia pro acessório.

É uma pena que não seja possível fazer headsets com surround com apenas uma entrada p2 (para que você possa utilizar em aparelhos portáteis como mp3, ipod e etc), pelos motivos óbvios de diferenciação de canais e alimentação de energia.

Um bom recurso existente no Sirus é seu controle de volumes, já que é feita em uma base fixa, bonita e bem acabada, que controla todos os canais à sua escolha. Diferentemente de alguns outros headsets que testamos, que utilizavam estes controle ao longo do cabo - o que deixava o processo de customizar o volume algo complicado e desastroso, à medida que se esbarrava em outros botões sem a itnenção, este tem uma base que facilita imensamente a ação.

Vale lembrar também que além deste controle físico do volume, também é possível fazê-lo por meio do software do produto, disponível no site da empresa. Falando no software, aqui é um bom momento para explicar que a instalação dele se dá de forma totalmente plug and play (conecte e use), sem encessidade de cd ou dirver.

- Continua após a publicidade -

Por último, temos o próprio fato do Sirus ser do tipo True Surround, que traz 8 alto falantes, ao invés dos convencionais 2. A qualidade deles você confere na página sequinte.

{break::Áudio}Parece puxação de saco, mas não é. O Sirus se saiu muito bem também neste quesito. Você que acompanha o Adrenaline, sabe que quando temos que falar mal de qualquer produto, falamos sem pena, como já o fizemos diversas vezes - inclusive com produtos da Cooler Master.

Felizmente este é um caso onde quase todos os quesitos são excelentes. O áudio não foge a esta regra. A ideia da CM era enfocar na qualidade do som e não apenas na intensidade dele. Como se dedicaram a isso, conseguiram criar uma reprodução excelente, com qualidade muito boa mesmo. E o melhor de tudo é que não tiveram que sacrificar o volume do som, uma vez eu pudemos utilizar ele em altíssimo volume, sem perda de qualidade. Não é nem um pouco exagero dizer que você pode utilizá-o como se fosse uma caixinha de som, basta encostá-lo em sua mesa e colocar o volume no máximo. É sério.

Agora chegamos num ponto crítico, o tal do 5.1. Os aficcionados por qualidade sonora logo vão dizer que é impossível que um headset consiga reproduzir com perfeição um som em 5.1 canais, e eles têm certa razão. Mesmo o Sirus fazendo seu trabalho brilhantemente, você não consgue distinguir com perfeição a origens dos ruídos quando elas estão um pouco mais para sua traseira. Isso ocorre porque os alto falantes estão posicionados muito próximos um do outro, e igualmente, muito próximo ao seu ouvido, dificultando a percepção de distância necessária para que as sensações corretas ocorressem.

Não confunda, porém, os sons que deveriam vir exatamente das suas duas diagonais traseiras, porque estes canais só existem em sistemas do tipo 7.1, ou alguns poucos 5.1, o que não é este o caso. Cuidado para não criticar sem conhecer. Veja na figura abaixo aonde estão os alto falantes deste headset e quais você deveria poder destinguir em um jogo ou mídia.

Esta figura acima mostra o painel de configuração de reprodutores de áudio do Windows 7. É importante frisar que para poder apreciar toda a tecnologia surround, você terá que configurá-lo no sistema operacional, além de se certificar que o que você está tentando reproduzir suporte esta tecnologia, nem adianta utilizar os "testes de surround" no Youtube porque o próprio site não é compatível comesta tecnologia. Em casos de jogos, é extremamente ficar atento a quais são compatíveis e onde e como fazer as configurações corretas nos menus de opções.

{break::Fotos}Veja abaixo mais fotos deste pdoeroso headset:


 
 
 
 
 
 
 
 
 
{image} {image}{image}
{image} {image}{image}

{break::Conclusão}Que o Sirus True 5.1 Surround Sound Gaming Headset é um excelente acessório, você não deve ter mais a menor dúvida. A questão é: vale a pena comprá-lo?

Eu diria que depende. Mesmo ele sendo um dos melhores e mais completos headsets que já tivemos a oportunidade de testar, seu preço, mesmo que não tão absurdamente caro (no exterior, cerca de 119$), ainda é suficiente para comprar concorrentes muito conceituados no mercado e que não necessariamente sejam voltado para o público gamer.

Meu veredito é: se você é um entusiasta de games, gosta bastante de colecionar produtos voltados para este nicho de mercado, dá bastante valor à qualidade do som, com certeza esta será uma boa aquisição para se aprimorar em sua arte gamer.

Contudo, se você apenas gosta de headsets com qualidade de som, mas não necessariamente quer usá-lo para jogos e/ou não tem fixação por produtos especializados nesta área, te aconselho a gastar a mesma quantia em fones voltados apenas para a qualidade de reprodução sonora.

Na verdade tudo vai depender da quantidade de dinheiro que você quer investir e até quanto está disposto a pagar por um produto feito para um público específico. Você faz parte deste público? Se sim, ele será seu novo companheiro de batalhas virtuais, caso contrário, diga 'oi' para um fone menos rebuscado mas mais barato e com a mesma qualidade de som.

PRÓS
- Bonito;
- Confortável;
- Redução de ruído do ambiente excelente;
- Sistema surround 5.1
- Subwoofer
- Qualidade do áudio
- Possibilidade de uso por USB ou p2 por canal
- Excelente acabamento
CONTRAS
- Não tem suporte às tecnologias sem fio;
- Surround não é tão bom quanto de um home theater, claro
- Design poderia ser mais arrojado
- Preço um pouco caro
Assuntos
Tags
  • Redator: Pedro Lima

    Pedro Lima

    Graduando de Jornalismo e Ed. Física, Pedro cresceu jogando videogames e futebol. Dividiu sua infância e adolescência com master-system, super nintendo, 486, k6-2, playstations e outros eletrônicos. Com eles aprendeu, além de gostar de games, tecnologia e ciência, a idolatrar Homer Simpson e Jaiminho, do Chaves.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.