ANÁLISE: ZOTAC Zbox Nano VD01 Plus

ANÁLISE: ZOTAC Zbox Nano VD01 Plus
Por 26/01/2012 16:15 comentários Reportar erro

Fizemos hÁ alguns dias a Review do super portÁtil HTPC Zotac Zbox nando AD10 e chegamos a um bom resultado. É um aparelho razoÁvel para quem quer economizar espaço e ainda ter uma ótima experiência para assitir vídeos ou mesmo para computação casual. Hoje, vamos testar outro modelo da mesma linha, o Zotac Zbox nano VD01, um aparelhinho muito parecido com o primeiro, mas com menos potência.

 

Considerados os menores mini-PC do mundo, com apenas 12,7cm X 12,7cm X 4,5cm, a linha Zbox nano foi desenvolvida pensando nas necessidades de Media Center ou mesmo para computação casual. É o chamado HTPC. É um aparelho simples, silencioso e, principalmente, muito pequeno. As especificações é que deixam a desejar.

O processador do mini-PC é um VIA Nano X2 U4025, dual-core, com capacidade de até 1,2GHz. A GPU utilizada é uma VIA Chrome 9 graphics processor. O chipset utilizado foi o VIA VX900H Media System Processor. Para aqueles que quiserem, o Zbox ainda vem com um slot DDR3-1066 SO-DIMM de 204 pins que suporta até 4GB de memória e um outro slot SATA 2 de 2,5 polegadas para HDs. Assim, mesmo essa maquininha pode ser modificada e atualizada. Abaixo, você pode ver uma imagem com as especificações:

O mini-PC pode ser conectado a qualquer monitor ou televisão com conexão HDMI, a não ser pelo detalhe que a caixa não traz nenhum cabo para conexões de vídeo ou Áudio. Nem mesmo um DisplayPort que, embora seja muito pouco usado, pode servir como conexão para o aparelho. Junto do Zbox recebemos os manuais de instrução, um adaptador AC, um cabo de energia, um controle remoto, pilhas, um receptor externo de infra-vermelho e um CD com os drivers de instalação. Algumas coisas interessantes sobre esse kit: O PC não tem drive de CD ou DVD e, portanto, um CD com drivers parece ser, no mínimo, inútil; em contraposição, a Zotac adicionou um receptor externo de infra-vermelho para que se possa equilibrar a caixa atrÁs do monitor e não sofrer com o sinal do controle remoto.

Nas próximas pÁginas vamos desvendar um pouco mais sobre o menor desktop do mundo e você vai poder decidir se ele atende ou não às suas necessidades. Mas, antes, vamos entender melhor o que é um HTPC.

{break::HTPC} Nos últimos anos assistimos à saída dos computadores dos escritórios e, cada vez mais, eles tomam conta de outras partes da casa. Os Home Theater Personal Computer (HTPC), principalmente os portÁteis como o Zbox, são a última prova de que os PCs estão tomando múltiplas funções na nossa vida. Ligados a uma TV ou a um monitos, os HTPC funcionam como agregadores, funcionando como um DVD/Blu-Ray player, um CD player, um gravador de mídias e vÁrios outros dispositivos multimídia.

Mesmo que notebooks sejam fÁceis de carregar e possam ser usados em diversas tarefas, muitos pecam no desempenho na hora de reproduzir mídias. Para suprir essa necessidade foi que surgiram os HTPCs. E por mais que nem todo mundo tenha um em casa, sua popularidade têm crescido e, de fato, é difícil encontrar uma TV hoje que não tenha suporte para exibição da tela de PCs através de HDMI ou VGA.

- Continua após a publicidade -

Os HTPCs ainda podem ser personalizados para aumentar sua performance, o que agrada a muitos fãs de hardware. Para melhorar, ainda são estremamente silenciosos e ficam bem nos ambientes comuns, coisas essenciais para aparelhos que a pessoa deixa na sua sala enquanto assiste a um filme.

Em geral, como acontece no Zbox, ele jÁ vêm com controle remoto e sistemas de reprodução de mídia, como o Windows Media Center.

{break::Design}Por fora, o Zbox Plus é uma caixa quadrada de metal com uma tampa plÁstica negra. Ele é bem parecido com um Apple Mac mini, mas é muito menor e tem a parte de cima e de baixo pretas. Suas bordas tem acabamento arredondado bastante bem feito. De fato, é um aparelhinho simpÁtico. Quando ligado, um círculo laranja se acende na parte superior, dando uma estética high tech bem interessante.

 

Na parte da frente, o aparelho tem, além do botão liga/desliga, dois LEDs indicando funcionamento, um receptor de infra-vermelho, um leitor de cartões, uma saída para microfone e uma para headphone. Nas laterais, ficam as saídas de ar para resfriamento. AtrÁs, estÁ a antena, além das duas entradas USB 2.0, as duas entradas USB 3.0, a porta eSATA, as conexões HDMI e DisplayPort, uma entrada para ethernet, e uma para o cabo de força.

O Zbox Nano é o tipo de aparelho que fica bem em qualquer ambiente. É super discreto e, mesmo ligado, tem um ar elegante. Ele não vai ficar feio na sua sala, mas o melhor mesmo é a possibilidade de fixÁ-lo à parte de trÁs do monitor ou da TV com o adaptador VESA. Muito útil para ambientes com pouco espaço ou mesas pequenas.

{break:: Vídeos e Games}Uma especialidade do mini-PC é a reprodução de vídeos em altíssima qualidade. Porém, diferente do modelo que testamos nos dias anteriores, o VD01 Plus não roda vídeos em Full-HD de forma muito suave. Foi uma grande decepção tentar assistir a um filme no aparelho, pois as cenas ficam um tanto travadas, o que atrapalha bastante a experiência. Rodamos aqui na redação um filme em Full HD, em resolução 1360 x 768 e tivemos um resultado bem ruim. A transposição de frames acontecia com falhas. Considerando sua disposição a HTPC, uma grande falha da mÁquina. Se não for para assistir filmes, o aparelho tem pouca serventia.

- Continua após a publicidade -


É claro, os desenvolvedores  jÁ colocaram junto com o aparelho um controle remoto com todas as funções necessÁrias para o um reprodutor de vídeos. Inclusive um grande botão verde que acessa o Windows Media Center em apenas um toque. Além, é claro, dos clÁssicos volume, pause, play, avanço e até REC. Usamos a nossa TV como monitor, mas a tentativa de assistir vídeos com 1080p foi um fracasso.

Nos games, o Zbox também não se sai nada bem. Claro, o aparelho não foi nem pensado para esse tipo de público, mas o desempenho dele chega a ser desesperador. Testamos aqui na redação o FarCry 2, e nas configurações mais baixas o sistema dificilmente chegava aos 25fps. Nas configurações médias, o jogo travava muito e nas altas era impossível querer fazer qualquer coisa. Claro, você ainda vai poder usÁ-lo para jogar o seu Angry Birds, mas qualquer jogo mais potente fica descartado.

Como eu estava dizendo no início, esse não deve ser o seu computador principal se você precisa de desempenho. Claro, ele nunca foi pensado para isso. O Zbox Nano pretende ser uma alternativa para a computação casual e é uma bela idéia em um mundo no qual a portabilidade é cada vez mais desejada.

Um ponto extremamente bem-vindo é o silêncio da mÁquina. O único barulho que o Zbox faz é quando estÁ ligando. Depois, mesmo quando rodamos os vídeos, o silêncio é absoluto. E, se unido com uma bela caixa de som, o Áudio produzido por ele também é considerÁvel. O som é bom, transmitido pelo HDMI, mas não compensa as falhas da reprodução em FullHD.

{break::Benchmarks} Abaixo vocês podem ver algumas imagens dos softwares CPU-Z e GPU-Z com dados específicos da plataforma Zacate rodando. O core speed fica na casa dos 1066,8MHz, mas o clock da placa de vídeo não pôde ser calculado por falta de compatibilidade entre o software e a GPU.

- Continua após a publicidade -

   

Com o Cinebench, os resultados foram baixíssimos. No teste de CPU as velocidades do Zbox foram as últimas do ranking e nem foi possível realizar o teste do OpenGL. No teste de CPU, o aparelho recebeu 0, 51pts, abaixo mesmo do resultado do Zbox Nano AD10 Plus, que tinha conseguido um score de 0,64pts. De fato, valores muito baixos que só fazem reforçar que o mini-PC não é para ser usado para nenhuma atividade que demande muita performance.


Fizemos também um teste com o Photoshop, tentando aplicar um dos filtros mais pesados, o Extrude, em uma imagem de 2,7MB. O aparelho demorou 968 segundos para aplicar o filtro, registrado pelo contador de tempo do próprio Photoshop.

Nos testes com o BenchMark de Crysis 2, os resultados foram abaixo do esperado mesmo para um processador fraco. Foi impossível jogar mesmo nas configurações mais baixas, o frame rate não permitia a movimentação. Nas configurações Low o framerate médio chegou a 16,78fps e nas altas não passou de 11,37fps.

{break::Conclusão} O Zotac Zbox é, basicamente, um computador para uso casual. Não serve muito bem nem como Media Center e qualquer uso fora disso, é um desastre. É um aparelho que não compensa, mais vale a pena comprar um Zbox AD10, que pelo menos roda filmes suavemente.

Não que desempenho seja tudo, mas a experiência proporcionada pelo aparelhinho não compensa. Não doeria nada ele ter ali uma placa de vídeo melhorzinha. Digo isso até porque o preço da mÁquina no Brasil ainda estÁ altíssimo. LÁ fora eles não podem reclamar, por US$300 compram uma mÁquina dessas e usam quando precisarem, mas aqui os mais de R$1000 que o Zbox custa inviabilizam a compra dele como segunda opção de computador.

Pessoalmente, não recomendo a compra. Existem outras mÁquinas compactas muito melhores do que esta e, mesmo a economia que a pessoa poderia ter escolhendo este modelo não justifica a falta de qualidade. Talvez alguém que tenha pouquíssimo espaço e queira somente utilizar a mÁquina para acessar a internet possa se beneficiar. Fora isso, é uma aquisição que não valhe a pena para ninguém.


PRÓS
Design Bonito e compacto
Silêncioso
CONTRAS
Não roda bem vídeos
Desempenho muito ruim
Não roda jogos
Caro no Brasil
Assuntos
Tags
  • Redator:

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.