ANÁLISE: Tech Dealer Playstation Move Kit

ANÁLISE: Tech Dealer Playstation Move Kit

Os controles sensíveis a movimento ganharam grande força a partir de 2006 com o lançamento do Nintendo Wii. O apelo maior chegou em 2010 quando Sony e Microsoft resolveram lançar, respectivamente, Playstation Move (Playstation 3) e Kinect (Xbox 360), acessórios que trouxeram novas possibilidades de interação às suas plataformas.


Controles sensíveis a movimento: Wii Remote, Playstation Move e Kinect


Assim como outras empresas nacionais e estrangeiras do setor, a Tech Dealer agora chega com uma linha de acessórios compatíveis com o Playstation Move. Ao todo, são quatro itens: um volante, uma pistola, duas capas de silicone e um kit completo de esportes contendo outros quatro itens numa só caixa.

Segundo a companhia, os produtos foram fabricados para aumentar o desempenho geral e o nível de sensação de realismo do consumidor enquanto joga. Mas serÁ mesmo que esses produtos são tão essenciais assim para valer o investimento e agregar ainda mais diversão, jÁ bem proporcionada pelo periférico central do console?



É isso o que você vai descobrir nas pÁginas a seguir. Cada um dos itens serÁ analisado individualmente, com avaliações e escores próprios. Na última pÁgina, faremos uma compilação de notas, que resultarão num conceito final para todos os itens conjuntamente, indicando a validade de compra dos produtos.  

{break::Volante - R$ 59.90}É óbvio que acessórios para um controle sensível a movimentos teria um volante entre os itens primordiais. O Volante Tech Dealer é feito de plÁstico sólido na cor preta e não emborrachado. O acabamento cumpre o essencial e não faz o item parecer que irÁ se desmantelar em poucas semanas (ou meses) de uso, embora não contenha nenhum tipo de reforço de material na carcaça.

Possui, na verdade, esporas anti-derrapantes nas laterais da "pegada" convencional à simulação da dirigibilidade de um veículo, colaborando na firmeza  e solidez das mãos, que começam a suar em cerca de 25 minutos. O que compromete o uso contudo, é que a pegada, pelo menos no lado esquerdo, não é completa. Ou seja, a sua mão nunca irÁ completamente encaixar e se fechar sobre o volante, o que gera desconforto considerÁvel a curto prazo.



Esse tipo de contratempo logo pode fazer o jogador desistir das partidas, pois acaba cansando e causando estranheza pela forma com que é obrigado a segurar o volante, sem opções de alternativas que ajustem o mal trejeito. Nem mesmo a posição do botão de acelerar (T) do PS Move (acoplado ao item) salva, porque é justamente o uso dele que impede a "pegada" completa no volante, prejudicando parte do controle sobre o jogo.

Falando em jogos, a propósito, é bastante vÁlido salientar que quase não existem jogos de corrida com suporte ao Playstation Move. E isso elimina, consequentemente, grande parte das chances de também adquirir o volante pois, quem estaria disposto a gastar quase R$ 60 por um acessório que nem compatibilidade em quantidade tem? E, os que têm, nem grandes títulos realmente são? A única opção disponível na redação era "MotorStorm Apocalypse". Pois é, "Gran Turismo 5", "Shift 2", "DiRT 3" e "GRiD", por exemplo, não têm compatibilidade...



Por isso, recomendamos o acessório da Tech Dealer apenas se você quiser algum diferencial (mínimo) na hora de jogar games de corrida com o Playstation Move. O volante não irÁ interferir diretamente no controle dos veículos, jÁ que essa função é do acessório próprio do console. Ou, ainda, se não estiver disposto a gastar R$ 200 a mais em algum outro volante desenvolvido especificamente para jogos de corrida, o que seria bem mais interessante e inteligente, principalmente se você gosta de simuladores.

 

- Continua após a publicidade -
  • Design = 6.0 = Visual convencional na cor preta simples e sem muitos detalhes
  • Acabamento = 7.5 = PlÁstico sólido não emborrachado; esporas anti-derrapantes
  • Funcionalidade = 7.5 = Precisão e agilidade dos comandos; atrasos em algumas curvas
  • Preço = 5.0 = Alto pela baixa frequência de uso (pouquíssimos games de corrida)
NOTA: 6.5

{break::Pistola - R$ 59.90}Jogos de tiro existem aos montes e, assim como o item da pÁgina anterior, poucos têm realmente compatibilidade com o Playstation Move e, consequentemente, com a Pistola Tech Dealer. Feita de plÁstico sólido na cor preta e não emborrachado, possui detalhes em azul nas laterais e na parte superior que mais chamam atenção aos que realmente ligam para o visual de um acessório.

O processo de encaixe do PS Move na pistola pode ser considerado um pequeno contratempo, pois alguns jogadores podem ficar tão ansiosos e logo querer abrir a carcaça da pistola e acoplÁ-lo a ela de maneira brusca. O perigo é que, se não destravar de maneira correta, pode acabar quebrando o periférico da Tech Dealer. Tudo depende da força e do jeito. Não que seja feito de material duvidoso em termos de qualidade, mas não aparenta ser muito resistente a forças maiores e a quedas a longo prazo.



Diferentemente do volante, a pistola jÁ é compatível com alguns medalhões do Playstation 3, o que jÁ torna o acessório da companhia bem mais interessante para justificar sua compra. São eles: "Killzone 3" (FPS), "Resistance 3" (FPS) e "Socom 4" (TPS). Outros menos famosos em também têm compatibilidade, como "The Shoot", "Dead Space Extraction HD", "The House of the Dead: Overkill" e "Time Crisis: Razing Storm" (todos são FPS/tiro ao alvo em trilhos).  Durante os testes, utilizamos o primeiro, o segundo e o quarto jogos citados.

O que mais divertiu certamente foi "The Shoot". Pela sua simplicidade e agilidade dos comandos, a pistola em nenhum momento causou estranheza ou desconfortos na "pegada": a mão se fecha completamente e não existem situações que anulem a firmeza na hora de segurÁ-la durante as partidas.



O que pode cansar mesmo são os ombros e o punho. Isso porque a posição de braço esticado, caso queira realmente simular o empunho de uma arma de fogo, cansa em cerca de 10 minutos, jÁ que a ação é constante e os alvos não param de aparecer de todos os lados e cantos da tela. Mesmo com o braço abaixado e apenas o punho inclinado a conseqüência é semelhante. A mesma situação também acontece com "Killzone 3" e "Resistance 3".

Só que esses dois últimos, muito mais elaborados em termos de grÁficos e gameplay, também têm suporte ao Navigation Controller. É obrigatório usÁ-lo juntamente com o Motion Controller (jÁ acoplado à pistola) para poder jogar. E você terÁ que se desdobrar para calibrar a sensibilidade, casar todas as possibilidades de comandos e aprender todas as variações de combinações entre eles para se acostumar com a dinâmica dos controles. E isso leva, pelo menos, uma hora.



O detalhe é que, por mais que pareça diferente e interessante à primeira vista, o uso da pistola logo cansa pela mesmice de repetições de momentos. Você sabe que, na verdade, quem estÁ trabalhando no processo é o PS Move. A pistola é um mero item que promete trazer maior inserção e interpretação dos movimentos realizados por ele. Só que essa "magia" logo passa e, por isso, só a recomendamos se realmente quiser uma "pegada" mais semelhante a uma arma de fogo.

  • Design = 8.5 = Visual geral na cor preta e detalhes em azul convincentes
  • Acabamento = 7.5 = PlÁstico sólido não emborrachado; pode quebrar com muita força no encaixe
  • Funcionalidade = 9.0 = Respostas rÁpidas; sensibilidade e agilidade em tela customizÁveis
  • Preço = 8.0 = Não é caro, mas perde a graça em pouco tempo.
NOTA: 8.2

{break::Capas de silicone - R$ 39.90}Capas de silicone para proteger equipamentos eletrônicos existem aos montes, de diversas formas e cores. A Tech Dealer mostra que não quer ficar de fora dessa tendência e também estÁ lançando duas capas protetoras de silicone para o Playstation Move, incluindo o Navigation Controller, acessório secundÁrio ao conjunto de periféricos da Sony.

Segundo a empresa, as capas foram realmente feitas para proteger os dois itens em caso de queda. Mas logo que as pus no Playstation Move – uma delas com dificuldade extrema pela maneira com que é encaixada no Motion Controller, deve-se ressaltar – não é essa impressão que passa, mas o contrÁrio.



As capas de silicone, coloridas em azul, são muito finas e só convencem que realmente podem safar algo de quebrar caso caia se a altura não for muito grande. Uma pessoa com 1,80m de altura, por exemplo, jÁ posicionaria suas mãos em relação ao chão com uma distância considerÁvel e, por mais que os itens estivessem protegidos, não sentiria muita confiança de que estariam protegidos.

Ainda mais porque as partes inferiores de ambos os acessórios que compõem o kit do Playstation Move não são cobertas e, como são as mais pesadas, logo sofrem uma pequena ação da gravidade e tendem a bater primeiro no chão, o que pode ocasionar trincos, rachaduras ou quebras inesperadas. Ainda, alguns botões dos controles ficam fora da Área de cobertura das capas e também podem bater no chão facilmente, deixando de ser utilizÁveis em ocasiões mais extremas.

- Continua após a publicidade -


Fora isso, as capas pouco ajudam na aderência e a conter as mãos usadas de escorregar nos dois objetos, o que também pode prevenir possíveis quedas. Não é algo que evita suar porque isso faz parte do metabolismo do corpo humano e das superfícies aquecidas dos acessórios em grande tempo de uso, mas não deixam de cumprir seu papel totalmente. Por isso, recomendamos as capas siliconadas se você for mais desleixado e estabanado com seu PS Move e não houver nenhuma outra opção mais robusta por perto...



  • Design = 7.0 = Simples e sem detalhes extras
  • Acabamento = 6.5 = Silicone muito fino; sem superfície antiderrapante
  • Funcionalidade = 6.5 = Não protege muito (depende da altura e posição da queda); pouco ajuda na aderência das mãos
  • Preço = 7.0 = Não é caro, mas não cumpre muitas funções contra possíveis danos e nem ameniza riscos
NOTA: 6.7

{break::Kit de Esportes - R$ 69.90}Da mesma forma como o Nintendo Wii, o Playstation Move e seu jogo base – "Sports Champions" – ganha um kit para jogos esportivos. O kit lançado pela Tech Dealer traz quatro itens: uma raquete para tênis de mesa, um bastão para beisebol, uma raquete de tênis e um taco de golfe.

Quase todos os itens podem ser usados durante a jogatina do game, sendo que a raquete de tênis mais serve para outros títulos, como "Top Spin 4", e o taco de golfe casa melhor com jogos específicos do esporte, como "Tiger Woods PGA Tour 12". Como não temos os dois games citados, não podemos realizar os testes por completo. E "Sports Champions" não traz modalidades semelhantes, o que inutiliza ambos os acessórios e diminui as chances de investimento no kit.



E na contramão do maior realismo prometido pela Tech Dealer durante as partidas, os outros dois itens apenas reforçam a ideia imaginÁria de que você realmente estaria segurando uma raquete de tênis ou bastão de golfe, sem adicionar mais dinamicidade ou algum propósito realmente vÁlido ou interessante à jogabilidade.

Afinal, o que realmente importa nesse tipo de jogo e de acessório sensível a movimento é a resposta do PS Move, sua fidelidade e captura dos movimentos em relação ao que é feito na tela. E isso não depende de itens acoplados ao Motion Controller ou ao Navigation Controller, mas à sua prÁtica e habilidade como jogador de games esportivos com controles sensíveis a gestos.



Fora isso, todos os itens são feitos em plÁstico sólido não emborrachado e alguns detalhes em azul. O acabamento faz o essencial de proteger e dar firmeza considerÁvel quando os equipamentos são segurados, embora alguns encaixes podem ser trabalhosos demais e os menos cuidadosos podem chegar a quebrÁ-los, caso exerçam força demais sobre eles.  O que pode fazer falta são esporas antiderrapantes, que ajudaria na aderência de apoio da "pegada", importantíssima nesse tipo de produto.

Por isso, recomendamos o kit esportivo da Tech Dealer apenas se quiser fantasiar o empunho e a jogabilidade de jogos reais a partir do Playstation Move. Os quatro itens do conjunto não chegam a ser interessantes e, somado ao seu alto preço de custo, não trazem absolutamente nada de inovador ou inédito ao gameplay, para além de alguns encaixes problemÁtico. Deve agradar mais, na verdade, ao público infantil.



  • Design = 7.5 = Simples – mas funcional – e com alguns detalhes em azul escuro
  • Acabamento = 7.0 = PlÁstico sólido não emborrachado; sem superfície antiderrapante
  • Funcionalidade = 5.0 = Promete mais realismo às partidas. Que grande bobagem...
  • Preço = 5.0 = Caro demais por não cumprir o que promete (realismo maior onde?)

NOTA: 6.0

- Continua após a publicidade -

{break::Extra: Fone de ouvido para Xbox 360 - R$ 49.90}Este é um acessório extra do kit que recebemos para review. Ele é compatível com Xbox 360 e, ao contrÁrio dos periféricos analisados anteriormente, é compatível com qualquer jogo do console que tenha modo multiplayer online. Isso é uma grande vantagem deste fone em relação aos outros itens do kit, porém, não ache que não temos ressalvas a fazer.

A primeira delas é o fato de que, infelizmente, você só serÁ capaz de ouvir no fone aquilo que seus adversÁrios e/ou parceiros na jogatina multiplayer dissserem, isto se eles também tiverem um destes fones. Não vÁ, assim como nós, achando que você poderÁ ouvir todos os sons do jogo pelo tal headphone. Num primeiro momento foi frustrante descobrir esta limitação, principalmente porque você estarÁ usando um fone de ouvido para ouvir as conversas com outros jogadores, enquanto sua televisão ficarÁ encarregada do Áudio do jogo em si.

Se você não conseguiu imaginar a situação, nós descrevemos: você estarÁ na frente de uma TV emitindo sons, enquanto você estÁ com ouvidos tapados escutando as conversas do seu time. Isso te obrigarÁ, ou a aumentar consideravelmente o volume principal, ou deixar uma das orelhas descobertas. É um tanto quanto ridículo para as pessoas que chegam na sala e não fazem a menor ideia do que estÁ acontecendo. Elas só sabem que você estÁ vestindo um fone, com a TV nas alturas e com uma das orelhas para fora.

Uma grande vantagem que talvez você não saiba, é que a conexão do fone é feita diretamente com o controle do Xbox, na parte debaixo, recebendo todo o Áudio pela conexão wireless entre o videogame e o joystick. Isso facilita bastante, uma vez que não cria a necessidade de longos cabos e o perigo de tropeços, enrolamento de fios e assim por diante.


Por outro lado, você não demorarÁ a notar que a entrada existente no seu controle não é nada mais do que a convencional P1 (mesma utilizada para alguns mp3, celulares e afins), ou seja, pelo menos para ouvir, você poderÁ utilizar qualquer fone de ouvido que consiga permanecer encaixado naquele espaço. Só não esqueça que assim seus amigos não poderão te ouvir, apenas você conseguirÁ ouvi-los.

Não adianta pesquisar na internet sobre headphones que sejam capazes de reproduzir o Áudio do jogo inteiro, no modo campanha por exemplo. Todos, com raríssimas exceções, fazem o mesmo trabalho que este, uma vez que são conectados diretamente no controle e demandariam muito do envio de dados do console com o joystick para mandar todo o Áudio do jogo. Seria pedir muito. Uma opção para conseguir fazer isto é utilizar fones de ouvido com cabos extremamente grandes e ligÁ-los diretamente na televisão, o que trarÁ aqueles problemas de tropeços, desconforto e confusão de fios.

Por último, analisamos os aspectos ligados ao design e acabamento do produto. A sensação que passa ao utilizÁ-lo é de extrema fragilidade, com um material que faz parecer que pode quebrar a qualquer momento, com almofadas que praticamente se candidatam a se rasgar em algumas semanas. Por outro lado, toda essa fragilidade contribui, senão, para o baixo peso, sem comprometer o conforto. É muito leve e confortÁvel utilizÁ-lo. A haste flexível do microfone ainda te dÁ a possibilidade de posicionÁ-lo onde for melhor para você. HÁ ainda um botão de liga/desliga e de controle de volume logo após a conexão com o controle, estes com bom acabamento e boa funcionalidade.


O design não atrapalha. Cumpre seu papel lançando mão das características jÁ perpetuadas pelo próprio console a que o fone é destinado, com as cores brancas, cinza e detalhes em verde. Bonito, mas nada surpreendente.

Design = 8.0 = Segue o padrão do Xbox. Não ousa mas não corre riscos.
Acabamento = 6.0 = Parece que vai quebrar a qualquer momento. Pelo menos é leve...
Funcionalidade = 7.5 = Cumpre com seu papel, embora esse papel seja compatível apenas com os modos online e não reproduzir os sons do jogo.
Preço = 8.0 = É pagÁvel. Quem gosta de jogar se comunicando com os jogadores - o que facilita bastante em estratégias, não deve se incomodar tanto com 50 reais.

NOTA: 7.3

{break::Considerações finais}

Os controles sensíveis a gestos estão ganhando cada vez mais força na geração atual de jogos eletrônicos e podem, na próxima, tornarem-se um dos padrões de jogabilidade. Com o Playstation Move, acessório da Sony para o Playstation 3, a Tech Dealer se mostra interessada em abraçar um mercado jÁ consideravelmente consolidado com o lançamento do Playstation Move Kit.

O conjunto, que traz um volante, uma pistola, duas capas de silicone e um kit completo de esportes contendo outros quatro itens numa só caixa (todos vendidos separadamente), até pode prometer alguma inovação na maneira de jogar ou algum tipo de realismo às partidas. Mas como prometer é diferente de realizar, não corresponderam às expectativas.

Na verdade, ficaram bastante aquém do esperado, pois não agregam quase nenhuma diversão a mais do que a própria capacidade de divertir do Playstation Move. Isso porque permitem que o jogador apenas experimente diferentes objetos acoplados que até podem simular uma "pegada" mais fiel, mas que em nada alteram as mecânicas ou as sensações de dirigibilidade, tiroteio ou jogadas esportivas.

Sendo assim, apenas recomendamos a compra dos acessórios para os jogadores que buscam mais por descontração e simulação temporÁria de alguns movimentos mais parecidos com a vida real, ao mesmo tempo em que não fazem questão de muita seriedade durante o gameplay. Ou, ainda, em momentos de pura descontração, como festas de criança e encontros com familiares nos fins de semana.

Assuntos
Tags
  • Redator: Andrei Longen

    Andrei Longen

    Jornalista pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Andrei Longen é entusiasta por videogames desde os 7 anos, quando ganhou um Odyssey 2, seu primeiro console. Hoje tem PS4, PS3 e PS Vita e adora caçar troféus em todos os jogos. Colabora no Adrenaline com notícias, análises, artigos, colunas e vídeos.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.