ANÁLISE: Intelbras WRN 240

ANÁLISE: Intelbras WRN 240

O Intelbras WRN 240 tem o objetivo de ser uma solução completa para redes domésticas e de pequenas e médias empresas. Assim, o roteador traz especificações mais modestas, focando neste tipo de ambiente que não necessita de aparelhos mais complexos para gerenciar a rede.

Sua instalação e gerenciamento podem ser feitos através de interface web, de forma rÁpida e fÁcil, tudo em português. Este é um dos pontos fortes do produto, que possui um processo de instalação bem detalhado, mesmo para leigos. O roteador adota uma tecnologia de transmissão com taxas de dados de até 150 Mbps, operando com dispositivos IEEE802.11b, IEEE802.11g e IEEE802.11n.

Vamos destrinchar os detalhes do WRN 240 no restante da review.

{break::Design e fotos}Entre as principais qualidades deste modelo estÁ a simplicidade, e isto em um aspecto abrangente. JÁ no design do aparelho vemos traços leves e soluções bastante discretas, o que o torna muito mais apresentÁvel que a maioria dos roteadores. Como esses aparelhos distribuem o sinal através de conexões sem fio, muitas vezes seu posicionamento precisa ser feito no meio de cômodos ou em locais bem visíveis, e ter um visual discreto conta pontos a favor. Não precisa ser uma peça de decoração como o Asus Black Diamond, mas ser feioso não ajuda.

O WRN 240 possui uma antena de 5.1 DBI e uma peça na lateral direita que, quando mudada sua posição, vira o apoio para usar o aparelho em pé. A solução é simples e elegante, e mantém o aparelho em pé com firmeza o suficiente. Na parte frontal hÁ apenas um botão, para configuração do WPS via hardware, e os leds de status das conexões embutidos dentro do corpo do roteador.


Fotos:

- Continua após a publicidade -





{break::Instalação} Voltado para este segmento específico, é visível que a Intelbras se esforçou para tornar a instalação do aparelho o mais simples possível. Além do manual, que é bastante detalhado e todo em português, o CD que acompanha o kit possui um software para auxiliar no procedimento. Uma etiqueta colada nas portas LAN recomenda que você use o CD antes de conectar o aparelho.

No primeiro teste fui no "modo machão" (ou se preferirem, analfabeto funcional) e ignorei manuais, recomendações e o CD e instalei tudo no jeito "plug and play". Para alguém com um pouco de experiência, a instalação e configuração é tranquila, feita pelo browser em uma interface simples e em português.

Utilizando o CD de instalação, configurar o WRN 240 é muito prÁtico, com uma interface que explica passo a passo o processo. Mesmo um leigo não teria maiores problemas em deixar a rede configurada através deste método de instalação. Durante o procedimento, o aplicativo de instalação faz uma anÁlise da rede, para detectar problemas. Infelizmente (ou serÁ felizmente?) o programa não detectou nenhuma falha, então não foi possível ver como ele opera, nos casos em que algo não funcione corretamente.


O único defeito foi, ao final de toda a instalação, o Windows (neste caso, o Windows 7 Ultimate SP 1) retornar a mensagem "seu aplicativo pode não ter sido instalado corretamente". Ignorei a mensagem, e a rede operou sem nenhum outro problema.

{break::Funcionalidades}Como o enfoque do produto são as redes domésticas e as pequenas empresas, o WRN 240 não investe muito em funcionalidades mais avançadas. Possui apenas uma antena operando em 2.4 GHz e quatro portas LAN, além da entrada para a conexão à Internet.

Apesar das especificações modestas, ao acessar a interface de configuração pelo browser (momento utilidade pública: é feito pelo IP 10.0.0.1, senha: admin, usuÁrio: admin) vemos algumas possibilidades interessantes.

- Continua após a publicidade -

Com o WRN 240 é possível configurar até quatro redes WiFi diferentes, além de determinar filtros por MAC,  limitar número de IPs, bloquear acesso a IPs específicos (leia-se: bloquear sites) e uma série de outras configurações que auxiliam bastante o controle da rede. Também é prÁtico visualizar os dispositivos conectados na rede sem fio, facilitando o seu trabalho para descobrir se você tem um "hóspede indesejado".

{break::Experiência de uso}O WRN 240 foi utilizado em um teste doméstico, substituindo o aparelho Linksys WRT54G-LA. No total foram conectados dois computadores por cabos e outros quatro aparelhos via Wi-Fi. Nas conexões cabeadas não houve problema, porém, com o uso de mais de cinco aparelhos por conexões wireless, houve algumas instabilidades, mas não chegavam a derrubar a conexão dos aparelhos.

Como o esperado, o Intelbras WRN 240 não é capaz de suportar um número muito grande de conexões simultâneas, e por operar apenas com uma antena e em uma frequência, é visível que o aparelho nem se propõe a isso.

Em relação ao alcance, o aparelho da Intelbras teve praticamente a mesma Área de cobertura que o aparelho da Linksys, perdendo por uma pequena margem. No ponto mais afastado da casa, no andar superior, o sinal chegava com força mínima, e em alguns momentos caiu, mas pensando no tamanho médio de uma residência ou de uma empresa pequena, é bem provÁvel que o WRN 240 dê conta.

{break::Conclusão}O Intelbras WRN 240 tem como público alvo pequenas empresas e usuÁrios domésticos, e pra isto vem com especificações modestas. Hoje, hÁ uma série de roteadores com funções interessantes como portas USB para compartilhar um HD externo ou outro dispositivo pela rede, vÁrias frequências de operação, entre outras.

Apesar de não trazer muitos recursos, o WRN 240 tem muito mérito em apostar na simplicidade, e faz isso muito bem. Situado entre os aparelhos roteadores mais acessíveis, o Intelbras tem como trunfo trazer um design com qualidade bastante acima da média desse segmento. O manual, assim como toda a configuração e aplicativos de instalação em português, contam pontos a favor do aparelho.

Apesar de bastante simplificada, a tela de configurações traz os principais elementos para quem deseja montar uma rede de pequeno porte. Por conta dessas características, o WRN 240 é possivelmente a melhor opção disponível no mercado para o segmento, não servindo apenas para usuÁrios que precisam de um aparelho mais robusto, ou que tenham uma demanda na rede maior do que a típica de um ambiente doméstico ou de uma pequena empresa.

Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.