ANÁLISE: ECS A990FXM-A

ANÁLISE: ECS A990FXM-A

A ECS - Elitegroup Computer Systems - criada em 1987, é principalmente desenvolvedora de motherboards, mas jÁ expandiu seus negócios para a produção de desktops, notebooks, placas grÁficas, entre outros.

A empresa é hoje uma das principais fabricantes ao lado de gigantes como Asus, Gigabyte e MSI, com mainboards jÁ consagradas no mercado, principalmente os modelos que levam o selo Black Series. Um de seus mais recentes lançamentos é a ECS A990FXM-A, mainboard baseada no socket AM3+ e uma das primeiras do mundo com suporte aos processadores da série Bulldozer, que chegam ao mercado no final de 2011.

ECS A990FXM-A
A placa-mãe ECS Black Extreme A990FXM-A utiliza o chipset AMD 990FX, o mais atual e poderoso quando se trata de AMD.

Baseada no socket AM3+, a mainboard jÁ traz suporte aos processadores Bulldozer, que serão lançados no dia 12 de outubro de 2011, além de trazer de volta o suporte a Nvidia SLI em plataforma AMD (também suporta Crossfire).

Entre os demais destaques, slots PCI-Express 16x, Áudio 7.1, conexões Sata 6GB/s e USB 3.0 (com adaptador frontal).

A placa também vem com a nova BIOS amigÁvel da ECS, podendo ser controlada por mouse. Na próxima pÁgina daremos mais detalhes sobre as principais características da mainboard.


{break::Principais características}A ECS A990FXM-A é nada menos do que a primeira placa-mãe do mundo a suportar os novos processadores de 8 núcleos da linha Bulldozer FX, da AMD, que serão lançados no próximo dia 12 de outubro. As outras grandes novidades desta placa são o novo sistema que usa a tecnologia termocrômica para indicar a temperatura da placa, que funciona basicamente dando tons mais avermelhados a um heatpipe à medida que a temperatura aumenta, e a inclusão do suporte à tecnologia SLI da Nvidia, algo que não acontecia desde a compra da ATI pela AMD. Todas as outras características da placa jÁ existiam nas outras versões das mainboards ECS, confira as principais:

Socket AM3+ com suporte à linha Bulldozer FX
Os novos processadores de oito núcleos, recentemente anunciados pela AMD, nem sequer foram lançados ainda e jÁ são suportados pela ECS A990FXM-A. O que dÁ a ela o título de uma das primeiras placas-mãe do mundo a suportar tais processadores. O lançamento da linha FX, que trarÁ processadores de 8, 6 e 4 núcleos, estÁ confirmado para o dia 12 de outubro deste ano. Vale lembrar, que um destes processadores (o FX-8150) foi responsÁvel, um mês antes da data prevista para seu lançamento (13/09), por quebrar o recorde mundial de velocidade de uma cpu, com impressionantes 8.43GHz.

Qooltech™ IV - ECS Exclusive Thermochromic Technology
O sistema Qooltech mostra instantaneamente a temperatura da superfície da placa mãe por meio da tecnologia termocrômica. Quando a temperatura atinge meados de 50ºC, a ilustração do fogo em cima do dissipador adquire um tom alaranjado. Quando esta temperatura estiver mais ou menos em 60º C, além da cor laranja, o desenho ganharÁ a cor vermelha, como você pode ver nas figuras abaixo:

SLI (Nvidia) e CrossFire (ATI)
O suporte a CrossFire você jÁ estava acostumado, mas ao SLI não. A A990FXM marca a volta da compatibilidade entre motherboards AMD e a tecnologia da Nvidia, o que não acontecia hÁ mais de 5 anos, quando da compra da ATI pela AMD, em julho de 2006.

- Continua após a publicidade -

O que esta tecnologias fazem você jÁ conhece. Elas possibilitam o uso de placas de vídeo simultaneamente, oferecendo mais flexibilidade e possibilidade de upgrade grÁfico, melhorando significamente a taxa de FPS, e consequentemente, a experiência e a qualidade em jogos 3D ou edição de vídeos, por exemplo.

ECS GUI UEFI BIOS
Seguindo a tendência do mercado, jÁ adotada pelas principais empresas do ramo de motherboards, a ECS implantou uma nova interface amigÁvel de sua Bios, com ícones e suporte a mouse, por exemplo.


3X Current Supply for ECS EZ Charger
O EZ Charger proporciona três vezes mais energia para os aparelhos USB conectados ao computador. Ideal para aparelhos que precisam ser recarregados o mais rÁpido possível, tais como celulares, iPhones, iPads e outros.


Applied Solid Capacitor
Recentemente a ECS anunciou a utilização destes capacitores em todas as suas mainboards para alimentação da CPU. Estes capacitores provêm mais durabilidade, proteção e potencial de overclock, jÁ que possui 1.000 vezes maior condutividade elétrica, temperaturas até 10% mais baixas e resistência maior a temperatura mais altas, o que aumenta a segurança e a vida útil da placa-mãe.


Motherboard Intelligent BIOS X (M.I.B X - Ultimate BIOS O.C interface)
Nova interface da Bios, mais conveniente, inteligente e intuitiva. Facilitando tarefas como ajustar clock/voltagem e outras configurações da CPU e das memórias, o que pode trazer melhor performance ao sistema.

- Continua após a publicidade -


{break::Especificações}Abaixo temos as especificações técnicas da placa e chipser 990FX, detalhando suas principais características, como o suporte aos novos processadores bulldozer FX, 3 slots PCI-Express 16x, conexões USB 3.0 e Sata III, nova BIOS amigÁvel com suporte a mouse etc.

  • CPU
    • Support AM3+ 32nm FX-Series processors
    • Support AM3 socket for AMD Phenom™ II processors
    • Support 140W Phenom™ II X8 processors
    • AMD Cool 'n' Quiet™ Technology
    • High-performance HyperTransport 3.0 CPU Interface
    • Support transfer rate up to 5200 mega-transfers per second
    • Note: This board supports CPU up to 140W TDP ; you can refer to AMD website to check your CPU.
  • CHIPSET
    • AMD® 990FX & AMD® SB950
    • North Bridge: AMD® 990FX
    • South Bridge: AMD® SB950
  • MEMORY
    • Dual-channel DDR3 memory architecture
    • Support DDR3 up to 2133(OC)/1866/1600/1333/1066 DDR3 SDRAM
    • * Please refer to Memory QVL for more information
    • 4 x 240-pin DDR3 DIMM socket support up to 128GB per one DIMM support 32GB
    • Due to the operating system limitation, the actual memory size may be less than 4GB for the reservation for system usage under Windows® 32-bit OS.
    • For Windows® 64-bit OS with 64-bit CPU, there is no such limitation
  • EXPANSION SLOT 
    • 3 x PCI Express Gen 2.0 x16 slots
    • 1 x PCI slot
    • 2 x PCI Express x1 slots
  • STORAGE
    • Support by Marvell 9128
    • 6 x Serial ATA 6.0Gb/s devices
    • 2 x eSATA 6.0Gb/s ports supporting external SATA 6.0Gb/s devices
    • 1 x IDE channel support 2 Ultra DMA133/100/66 devices
  • AUDIO
    • Realtek ALC892 8-Ch High Definition audio CODEC
    • Compliant with HD audio specification
  • LAN
    • Dual RealTek RTL8111E Gigabit Fast Ethernet Controllers with Teaming
    • Realtek 8105E 10/100 Lan(Optional)
  • REAR PANEL I/O
    • 1 x PS/2 keyboard/mouse combo port
    • 1 x Clear_CMOS button
    • 1 x Bluetooth
    • 8 x USB 2.0 ports
    • 2 x RJ45 LAN connectors
    • 2 x eSATA 6.0Gb/s ports
    • 2 x USB 3.0 ports compatible to both USB 3.0/2.0 devices (blue)
    • 1 x Audio port (Line-in, Line-out, Mic-in)
    • 1 x optical S/PDIF Out connector
  • INTERNAL I/O CONNECTORS & HEADERS
    • 1 x 24-pin ATX Power Supply connector
    • 1 x USB 3.0 header supports additional 2 USB 3.0 Ports
    • 1 x 8-pin ATX 12V Power Connector
    • 1 x 4-pin CPU_FAN connector
    • 1 x 3-pin SYS_FAN connector
    • 1 x 3-pin PWR_FAN connector
    • 1 x Front panel audio header
    • 1 x Front panel switch/LED header
    • 1 x Buzzer
    • 1 x SPDIF out header
    • 1 x 7S-LED Display
    • 6 x Serial ATA 6Gb/s connectors
    • 1 x Clear CMOS header
    • 1 x PWR button/ 1 x RST button
    • 1 x IDE connector
  • SYSTEM BIOS
    • AMI BIOS with 32Mb SPI ROM
    • Supports Plug and Play, STR (S3) / STD (S4) , Hardware monitor, Multi Boot
    • Audio, LAN, can be disabled in BIOS
    • F7 hot key for boot up devices option
  • FORM FACTOR
    • ATX Size, 305mm*244mm

{break::AMD 990FX}O AMD 990 é na realidade, o chipset que a companhia produziu especialmente para a nova geração de processadores Bulldozer. Contudo, com o atraso na chegada das CPUs, a companhia resolveu lançar o chipset antes do lançamento da linha Zambezi FX.

A primeira vista pode parecer algo estranho e sem sentido, o lançamento de um chipset para um processador que só deve chegar em outubro. Contudo, é bom lembrarmos que estamos falando da AMD, uma companhia que tem dentre outros méritos, o fato de disponibilizar produtos com um incrível potencial de compatibilidade entre linhas distintas. Se por um lado, a compatibilidade permite uma maior escalabilidade e economia em termos de recursos, por outro, pode retardar a evolução tecnológica, uma vez que o hardware tem de se "prender" a certos requisitos de uma geração anterior, em detrimento do uso de recursos inovadores.
Assim, explica-se agora o fato do chipset AMD 990 ter chegado antes da geração Bulldozer, uma vez que este é retrocompatível com os atuais processadores AM3.

Na verdade, o AMD 990 estÁ longe de ser algo genuinamente novo. De fato, ele é uma evolução da geração anterior, o 890, que por sua vez é baseado no 790.

Apesar de ser possível utilizar uma placa-mãe com chipset AMD 890 em um processador Bulldozer, a AMD projetou a linha 990 para tirar o mÁximo proveito da nova geração de CPUs da companhia. Assim, além do fato dos chipsets 990 terem nativamente suporte ao socket AM3+, estes contam com um aprimoramento na tecnologia HyperTransport (versão 3.1), aumentando assim a vazão do fluxo de dados entre a CPU e o chipset de 5.2GT/s para 6.4GT/s. Trata-se de um fator preponderante para o perfeito funcionamento dos modelos mais poderosos da geração Bulldozer, com o é o caso dos processadores de 8 núcleos da série FX-8000.

O AMD 990 conta ainda com a interface A-link Express III com largura de banda de 4GB/s entre o Northbridge e o Southbridge. A versão SB950 do chip ponte sul presente no novo chipset , possui nativamente suporte ao USB 2.0, Áudio em HD, rede Gigabit, PATA e PCI, além, é claro, de um par de PCI Express Gen 2 x1 e SATA III de 6Gbps. Infelizmente o USB 3.0 ficou de fora, embora seja possível através de uma solução por parte da fabricante da placa-mãe.

Ao todo a companhia disponibilizou 3 versões de chipsets baseados na série AMD 990. São eles: o 970 – para o segmento de entrada, o 990X – para o intermediÁrio, e o 990FX – para o segmento top. Todos os 3 são similares, com o suporte aos processadores socket AM3 e AM3+, memória DDR3, PCIe 2.0 e SATA III. A diferença entre os modelos estÁ no suporte para a tecnologia multi-GPU, devido à quantidade de linhas disponíveis no PCI Express de cada um (mÁximo de até 42 pistas). Enquanto que o 970 suporta apenas uma VGA, o 990X acomoda duas placas 3D e o 990FX suporta até 4 VGAs.

- Continua após a publicidade -

Por falar em multi-GPU, um dos grandes destaques dos chipsets AMD 990 (990X e 990FX), estÁ na volta ao suporte da tecnologia SLI da NVIDIA, permitindo assim o uso de até 4 GeForces simultâneas – assim, é claro, de 4 Radeons em CrossFireX.


Vale ressaltar que a AMD continua a adotar a estratégia do uso de 2 chips na placa-mãe para compor o seu chipset. O Northbridge (ou chip ponte norte) e o Southbridge (ou chip ponte sul) – no caso específico da ECS A990FXM-A é respectivamente o 990FX e o SB950. Juntos, os dois formam a infraestrutura bÁsica para todos os dispositivos da placa, incluindo conectividade e interconexão.

O Northbridge funciona primariamente como um HUB controlador para o processador, memória e links PCIe em direção à GPU do chipset. Contudo, a linha 990 até o presente momento não possui nenhum modelo com vídeo integrado.

Conforme antecipado, o 990FX tem muitos links PCIe dedicados à VGA ou a outras placas. O chipset permite utilizar até 2 placas 3D na configuração completa x16, ou 4 GPUs em 4 links x8. A configuração possível das pistas do PCIe no AMD 990FX é  seguinte: 2x16 ou 4x8, e PCIe x16 e 6x1, 1x4.

O novo chipset da AMD permite ainda uma agressiva configuração RAID (0, 1, 10, 5 – este último apenas para o Southbridge SB950) e para SSD.

Uma grata novidade presente no chipset 990FX é o suporte à tecnologia IOMMU, permitindo o endereçamento virtual de memória pelos dispositivos do sistema. Com este recurso, os dispositivos conseguem utilizar seus drivers nativos em um ambiente virtualizado, de forma a aprimorar ainda mais o desempenho.

Em um ambiente não virtualizado, IOMMU fornece os recursos de isolamento de memória e proteção - o acesso ao dispositivo de memória do sistema é verificado pela IOMMU de tal forma que informações sobre a memória crítica / independentes (como é o caso das paginações do kernel) podem ser protegidas, conferindo assim mais robustez ao sistema.

{break::Fotos}A placa traz o acabamento da linha Black Series da ECS, com layout utilizando cores preto, cinza e branco.

Como podemos ver, ela possui botões de power / reset e debug LED integrados, muito úteis para quem utiliza gabinete aberto. No painel traseiro, também temos botão para resetar a BIOS (clear CMOS).

Outro destaque que a empresa vem adicionando em suas mainboards mais recentes é o adaptador Bluetooth integrado. Diversas conexões Sata e USB 3.0 também vão agradar a usuÁrios que possuem novos hardwares que tirem proveito dessas tecnologias.

Por fim, esse modelo possui uma espécie de sensor que vai alterando a cor na medida que a placa aquece, principalmente em situações de overclock. Esse "mostrador" de temperatura fica justamente no sobre o chip com dissipador contendo o selo Black Series. 

BIOS
A BIOS segue o novo padrão UEFI amigÁvel, como principal característica trazendo o suporte a mouse. O M.I.B X traz opções avançadas para overclock.

{break::MÁquinas/Softwares utilizados}Utilizamos dois sistemas, ambos com os mesmos hardwares, trocando apenas a placa-mãe, que no caso da comparação com a A990FXM-A foi uma Gigabyte 890GPA-UD3H, como o nome sugere, baseada no chipset 890.

MÁquinas utilizadas nos testes:
- Motherboards: ECS A990FXM-A e Gigabyte 890GPA-UD3H
- Processador: AMD Phenom II X6 1100T BE
- Memórias 4 GB DDR3-1333MHz Corsair Vengeance
- HD 1TB SATA 3 Seagate
- Fonte Thermaltake 450W
- Cooler Master V8

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 7 64 Bits
- AMD Catalyst 11.9

Aplicativos/Games:
- WinRAR 4.0
- Sandra Lite 2011
- CineBENCH 11.5
- x264 HD Benchmark 4.0
- wPrime 2.04
- Far Cry 2

CPU-Z
A seguir, algumas telas do CPU-Z e GPU-Z mostrando as principais características da placa e sistema.


{break::Winrar, Sandra, CineBench}Como destacamos em diversas reviews de placas-mãe, hÁ diferença muito baixa de desempenho entre modelos com mesmo chipset, e em algumas situações, também temos pequena ou nenhuma diferença em chipsets de séries diferentes.

Como poderão ver a seguir, isso acontece com as mainboards baseadas nos chipsets 990FX quando comparada a uma mainboard utilizando a versão anterior dos chipsets da AMD, no caso um modelo com 890G. 

WinRAR
Começamos pelo WinRAR, e como falamos acima, diferença praticamente nula.

{benchmark::2166}

SiSoftware Sandra 2011
Mesma coisa com o Sandra, scores quase iguais, inclusive com a mainboard baseada em 890 na frente em dois dos três testes.

{benchmark::2167}

CineBENCH 11.5
Com a renderização de imagem novamente resultados quase idênticos.

{benchmark::2168}

x264 HD Benchmark 4.0
Outro testes, resultados semelhantes, quase nenhuma diferença entre as mainboards com chipsets de gerações diferentes.

{benchmark::2169}

wPrime
Com o wPrime a diferença é inferior a 2 segundos, também bastante pequena na proporção do resultado final.

{benchmark::2170}

Far Cry 2
Finalmente alguma diferença, por um lado até um pouco inesperado, afinal foi justamente em cima de um game, que na grande maioria dos casos nem mostra muita diferença nas comparações entre placas.

Como podemos ver, quando testamos o game rodando em baixa qualidade, a diferença entre as mainboards ficou em quase 4 FPS, pouco, mas se mostrou superior a todos os testes anteriores.

{benchmark::2171}

JÁ quando rodamos o game em DX10 e em alta qualidade, temos a maior diferença de todos os testes, chegando a quase 6 FPS, que representam 14% de ganho.

{benchmark::2172}

{break::Overclock}Um dos atrativos desse modelo estÁ em ser desenvolvida visando ter bom ganho em overclock, utilizando de funções específicas para isso na BIOS, chamada de M.I.B X pela ECS.

Infelizmente o que vimos não foi bem isso, apesar de conseguir bons resultados de overclock, colocando o processador a 4.1GHz e até mesmo 4.2GHz, na prÁtica o overclock não teve resultado, entre os motivos pelo fato da placa não responder bem nessa situação. Tentamos diversas configurações, mas não teve jeito de resultar bom desempenho prÁtico, pelo menos não o esperado.

Vale destacar que estamos utilizando um processador Phenom II X6 1100T, e não um Bulldozer que seria ideal, mas se o socket é "retro-compatível" penso que deveria ter bom comportamento nessa situação, resta saber de quem é o problema, da placa ou do chipset.

Abaixo a tela principal do CPU-Z com clock em 4.1GHz, como destaquei, chegamos a colocar em 4.2GHz estÁvel, mas com nenhuma mudança em cima dos resultados de 4.1GHz, dessa forma deixei esse resultado por ter feito testes semelhantes com a mainboard 890 na review dela.


WinRAR
Como podemos ver, mesmo com um aumento considerÁvel no clock, o ganho prÁtico com o WinRAR não chegou a 5%, muito abaixo do esperado.

{benchmark::2173}

CineBENCH 11.5
Novamente resultado bastante abaixo do esperado, como podemos ver novamente o ganho é bem baixo.

{benchmark::2174}

wPrime
Por fim, com o teste do wPrime o ganho se mantém na média dos anteriores, apenas 15 segundos, que não representam nem 5%.

{benchmark::2175}

{break::Conclusão}Com o atraso no lançamento dos processadores da série Bulldozer, que estÁ confirmado para dia 12 de outubro, próxima quarta-feira, a AMD decidiu não fazer o mesmo com as mainboards que utilizam o chipset 990, isso porque um de seus principais atrativos é o fato de ser retro-compatível com os processadores socket AM3, incluindo todos os processadores AM3, como os modelos Phenom II X6 1100T, TOP de sua geração. Além dessa situação, outro detalhe que torna o chipset atrativo é o fato de trazer novamente o suporte a SLI em plataforma AMD, que não acontecia em um novo lançamento hÁ anos, pouco depois da AMD comprar a ATI.

Agora apesar desses atrativos, quem esperava ter algum ganho em desempenho sobre a geração de chipsets, vai se frustrar, pelo menos quando rodando com os processadores socket AM3, como foi o caso do Phenom II X6 1100T que utilizamos. Resta saber se o comportamento da placa serÁ melhor quando rodando com um novo processador Bulldozer, logicamente faremos esse teste para saber até onde o processador estÁ influenciando na placa.

Outra característica que deixou muito a desejar foi em overclock. Apesar da placa alcançar clocks altos, na prÁtica não se mostrou nada eficiente. Como vimos nos testes o ganho foi inferior a 5% em média, muito abaixo do esperado. Vale destacar ainda que tentamos até mesmo overclock via software de overclock da empresa(eOC), que também não surtiu o efeito esperado.

PRÓS
Ótimo acabamento
Suporte a Crossfire e SLI
Conexões Sata III e USB 3.0 com adaptador frontal
Bluetooth
CONTRAS
Chipset com poucas melhorias sobre a geração anterior da AMD
Baixo rendimento em overclock
Assuntos
Tags
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.