ANÁLISE: AMD A8-3850

ANÁLISE: AMD A8-3850

Quando a AMD adquiriu a ATi em 2006, analistas de mercado projetaram na época, que seria apenas questão de tempo até que a companhia lançasse processadores carregando no mesmo die, chip grÁfico. Passados alguns meses, a AMD fez um grande alarde na mídia ao anunciar um produto que prometia revolucionar o mercado: o Fusion.

Tratava-se de um produto inovador, ao conjugar em um único chip, uma unidade de processamento central (podendo ser composto por vÁrios núcleos) e de uma unidade de processamento grÁfico – podendo ainda contar algumas/todas funções do northbridge).

O Fusion inaugurava uma nova era na computação: a da APU, também conhecida como unidade de processamento acelerado, e que serviu para definir todo e qualquer chip composto de uma CPU e GPU em um mesmo die.


Após muita expectativa (e vÁrias mudanças no mapa de lançamentos), a AMD finalmente laçou os primeiros modelos do Fusion para desktops.

Atendendo pelo nome de Llano, esta linha de APUs conta com até 4 núcleos "Stars" (geração K10.5) de 32nm e GPU com até 400 Stream Processors, com performance combinada de um processador da linha Phenom II com uma Placa 3D Radeon série 6000.

O Fusion chega em um momento crucial não apenas para a AMD, mas para toda a indústria da computação, onde cada vez mais, cresce o uso e a importância da GPU no dia a dia das empresas e usuÁrios domésticos. O conceito de GPGPU, termo para designar o processamento de tarefas gerais (até então restrita ao processador) realizadas pelo chip grÁfico, é um forte indicativo do "poder" que as GPUs deverão conquistar a cada nova geração que chega.

Vale ressaltar que a AMD não é a única companhia do mercado a oferecer APUs. A sua principal rival, a Intel, também possuir chips combinados com CPU e GPU – linha Sandy Bridge, contudo, as filosofias parecem divergir entre si, conforme poderemos observar no decorrer deste review.

Vale ressaltar que recebemos da AMD, o modelo top da linha Fusion Llano, chamado comercialmente de Vision A8-3850. Nossa anÁlise serÁ bastante elucidativa no que se refere aos benefícios do uso de um processador (aos modelos de um Phenom II) com chip grÁfico Radeon série 6000 em relação às demais soluções do mercado.

{break::A Linha Vision Llano}

A AMD iniciou a sua "revolução" no dia 30 de junho, com o lançamento das primeiras APUs para desktops da linha Llano – plataforma Lynx.

- Continua após a publicidade -

Voltadas para o segmento intermediÁrio, as unidades de processamento acelerado Lynx compartilham o novo socket FM1, contando com o moderno processo de fabricação em 32 nm HKMG, até 4 núcleos "Star" de processamento central x86 , 4MB de cache, DDR3-1866Mhz dual channel, chip grÁfico Radeon série 6000 e TDP variando entre 65-100W.

Para o segmento de entrada – notadamente para netbooks e Nettops, a companhia disponibilizou as APUs Zacate e Ontario. Contudo, quem necessitar de alto poder de processamento, a AMD lançarÁ nas próximas semanas (fala-se em setembro), a linha de CPUs Zambezi FX, baseada na aguardada arquitetura Bulldozer. Nesse meio, hÁ ainda a plataforma para portÁteis do Llano, o Sabine, especialmente projetada para atender os notebooks/laptops. Especificamente sobre o Llano, a linha estÁ dividida em 3 séries, conforme detalhado abaixo:

Vision série A4

Trata-se da linha mais simples, composta de APUs com 2 núcleos, 1MB de cache L2, TDP em 65W e GPU Radeon HD 6410D com 160 Stream Processors. Por enquanto 2 modelos são listados: o A4-3400, com core clock em 2.7Ghz e chip grÁfico rodando em 600Mhz; e o A4-3300, com freqüência de operação em 2.5Ghz e GPU em 443Mhz.

Vision série A6

Esta série contempla APUs mais robustas, do tipo quad core e GPU Radeon HD 6530D com 320 Stream Processors @ 443Mhz, além de 4MB de cache L2 e TDP variando entre 65-100W. O A6-3650 trabalha a 2.6Ghz, com TDP em 100W. O A6-3600 roda em 2.1Ghz (podendo chegar a 2.4Ghz via TurboCore), com dissipação térmica mÁxima de 65W. JÁ o A6-3500 é um mistério. Não estÁ certo se ele chegarÁ de fato ao mercado. Trata-se de um A6-3600 com um núcleo a menos, isto é, triple-core. Devido ao fato de um núcleo estar inativo, a APU possui 3MB de cache L2.

Vision série A8

Eis as APUs mais poderosas da geração Llano. Embora possuam a mesma quantidade de núcleos que os A6 (4) e cache L2 (4MB), os A8 contam com clocks mais elevados e GPU mais robusta (Radeon HD 6550D com 400 Stream Processors @ 600Mhz). O A8-3850 é o mais poderoso da categoria com CPU rodando em 2.9Ghz e TDP em 100W. JÁ o A8-3800 tem core clock em 2.4Ghz (podendo chegar a 2.7Ghz via TurboCore) e TDP em 65W.

- Continua após a publicidade -

Fala-se ainda na chegada de um eventual A8-3870, que trabalharia em 3.1Ghz e possuiria núcleos destravados para overclock. Contudo, por enquanto a APU não passa de um rumor da web.


{break::Por dentro da Arquitetura Llano Lynx}A imagem abaixo "disseca" bem a unidade de processamento acelerado Llano Lynx. A APU tem cerca de 1 bilhão de transistores, distribuído em uma Área de 228 mm². Isso só foi possível graças ao processo de fabricação HKMG de 32nm. AliÁs, trata-se do primeiro chip grÁfico da AMD fabricado pela GlobalFoundries, ao invés da TSMC, que ao menos por enquanto, continua a produzir as GPUs para as VGAs Radeons.


O Lynx tem basicamente 3 elementos principais  fundidos em seu chip: a CPU; a GPU; e o Northbridge. Além disso, hÁ ainda a controladora de memória DDR3, o decodificador de vídeo integrado (UVD), as interfaces PCI Express (24 linhas), as memórias caches L2 e L3, e a interface DDI de conexão aos monitores digitais.

No tocante ao processador, seus núcleos são baseados no design Stars, ou seja, os mesmos presentes nos Athlon II e Phenom II (arquitetura K10.5). Desta forma, cada um dos cores tem 128KB de cache L1, sendo 64KB para instrução e 64KB para dados. No nível L2, a linha A4 possui 512KB por núcleo, enquanto que no A6 e A8 hÁ 1MB por core. Vale ressaltar que não hÁ memória cache L3. Se por um lado essa ausência de L3 impacta diretamente na performance, por outro, a AMD reduz o custo e o preço da APU.

O decodificador de vídeo integrado, chamado pela AMD de UVD (Unified Video Decoder) – é a mesma presente nas VGAs Radeons, se encarregando da reprodução de vídeo, retirando assim o trabalho das "costas" do processador e do chip grÁfico, ficando ainda independente do DirectX Video Acceleration (DXVA).

Não hÁ dúvidas que a grande "estrela" das APUs da AMD é a sua GPU. Compatível com a API grÁfica DirectX 11 da Microsoft, a unidade de processamento grÁfico do Llano Lynx - codinome Sumo - tem uma arquitetura bastante familiar da comunidade. E não é por menos. O Sumo é basicamente o mesmo core encontrado nas linhas Radeons HD 5500/5600 (codinome Redwood).

A grande diferença entre as GPUs Redwood e Lynx estÁ na interface de memória. Enquanto que a primeira tem uma combinação de 128 bits com memória GDDR5, o chip grÁfico Llano mantém os mesmos 128 bits, mas utilizando DDR3.

- Continua após a publicidade -

Outro ponto é que a interface dual channel é compartilhada para todos os núcleos da CPU, bem como pela GPU. Assim, o sistema deverÁ possuir um eficiente sistema de arbitragem, a fim de não gerar gargalo para o sistema.


A AMD garante uma largura de banda de cerca de 30GB/s entre a GPU e a controladora de memória, o que em tese, impede qualquer tipo de gargalo. Ainda de acordo com a companhia, o link GPU/controladora pode aparentemente chegar ao teto de 50Gb/s, permitindo assim acomodar futuras APUs com interfaces de memórias mais robustas.

Outro ponto importante a destacar é o fato da AMD poder dinamicamente priorizar a banda de largura de memória entre a CPU e a GPU, minimizando assim qualquer possível tipo de gargalo.

A GPU Sumo – assim como a Redwood – possui 5 clusters do tipo SIMD, sendo que cada um possui 4 unidades de texturas (TMUs) e 16 stream processors (SPs). Por sua vez, cada unidade de SP é composta por 5 ALUs (chamados, pela ATi, de Stream Cores). Dessa forma, a Sumo possui um total de 400 Stream Cores (5x16x5) e 20 TMUs (5x4).

O chip possui duas controladoras de 64 bits compartilhando dois "render back-ends", sendo que cada um contém 4 unidades de color ROPs, resultando em 8 ROPs e bus de 128 bits. Por falar em memória, a APU utiliza 512MB da RAM do sistema como framebuffer para o chip grÁfico. Assim, é importante ressaltar que, quanto maior for a frequência de operação da DDR3, maior serÁ o desempenho da Sumo. Desta forma, recomenda-se o uso de memórias de 1866Mhz.

Com as especificações acima, era de se esperar uma performance muito semelhante à Radeon HD 5570. Na prÁtica, contudo, a GPU do Vision A8-3850 tem um desempenho menor, haja vista que esta tem de dividir a sua preciosa largura de banda de memória com os 4 núcleos da CPU. Ainda assim, a APU possui de longe, o chip grÁfico integrado mais poderoso do mercado. A imagem abaixo ressalta ainda mais o que estamos falando.

A concepção do Llano é completamente diferente em relação à do Sandy Bridge. Enquanto que a Intel dedicou cerca de 50% da Área do die de sua APU para os núcleos de processamento da CPU - ficando a GPU com apenas 20%, a AMD fez uma divisão muito mais equilibrada em sua unidade de processamento acelerado. Como se pode ver na imagem, a GPU do Llano – Sumo – corresponde a um pouco mais de 33% do die, enquanto que o NorthBridge e a CPU/cache ficam com o restante da Área, em partes praticamente idênticas entre si.

A versão quad core do Llano – como é o caso do A8-3850 – tem 1,45 bilhão de transistores, ou seja, 300 milhões a mais do que os hexa cores Gulftown (Core i7 980X/990X) da Intel, que têm ainda de quebra, 12MB de cache L3. O mais surpreendente é que apesar dessa imensa quantidade de transistores, o Llano tem 228mm2 de Área de die, contra 216mm2 do Sandy Bridge, que possui "apenas" 995 milhões de transistores. Outro ponto curioso refere-se ao TDP.

Conforme jÁ explicado neste tópico, a arquitetura do Llano não se resume apenas à CPU e GPU HÁ ainda o processador de vídeo UVD e todas as funcionalidades de alto nível do NorthBridge, como é o caso das controladoras PCI-Express 2.0 e DDR3.

A controladora de memória é uma versão aprimorada da existente nas linhas Athon II e Phenom II, de forma a suportar DDR3 de maiores freqüências. Isso foi fundamental para dar maior desempenho a GPU do Llano, uma vez que quanto mais elevado for o clock da memória, maior serÁ a largura de banda para o sistema. Assim, a AMD ultrapassou o limite de 1066/1333Mhz para patamares muito mais elevados, chegando a 1866Mhz.

A controladora PCI-Express 2.0 é composta de 24 pistas (linhas de comunicação), onde o usuÁrio poderÁ utilizar 16 delas para acoplar uma VGA externa.  4 pistas do PCIe são usadas para conectar-se ao Hub controlador do chipset - FCH (SouthBridge Fusion Controller Hub). As 4 pistas restantes podem ser utilizadas por controladores extras, como é o caso do Áudio, rede (ethernet) ou USB 3.0.

Vale ressaltar que o Fusion Vision série A (Llano) necessita de placas-mães especialmente projetadas para explorar os recursos da APU. Daí a razão da AMD ter criado um novo padrão de socket, o FM1. Ao menos de início, a companhia disponibilizou dois chipsets: o A55 e o A75.

Ambos suportam RAID e HDs maiores de 2.2TB. Contudo, o A75 fornece ainda 6 portas SATA de 6Gbps e 4 portas USB 3.0.

Como forma de dar uma maior escalabilidade na performance 3D, a AMD equipou a linha Llano com a tecnologia  chamada AMD Dual Graphics. Desta forma, o usuÁrio poderÁ colocar os seguintes modelos de Radeons para trabalhar em conjunto com a GPU integrada da APU: HD 6400, HD 6500 e HD 6600.

{break::Especificações}Confiram abaixo o resumo das especificações da linha Llano Lynx:

Tech/Package:  32nm / FM1 937-pin lidded μPGA, 40x40 mm, 1.27 mm pitch
TDP Configurations: 65W and 100W configurations
Processor Core: "Stars" 32nm HKMG process core (up to 4 cores), 128 KB L1 Cache (64 KB Instruction, 64 KB Data) 1 MB L2/Core, 128-bit FPUs
Memory: Up to DDR3 1866*
Graphics Core: Up to 400 Radeon™ Cores, DirectX® 11 capable, UVD3
Displays: Digital Display I/F DP0: Display Port, HDMI, DVI
                Digital Display I/F DP1: Display Port, HDMI, DVI
Graphics Features: ▪ AMD Dual Graphics
                                ▪ Blu-ray 3D
                                ▪ AMD Steady Video5
                                ▪ AMD Perfect Picture6
                                ▪ DisplayPort 1.1a, HDMI 1.4a
Power Management: ▪ Multiple low-power states
                                   ▪ 32-nm process for decreased power consumption
                                   ▪ PCIe® core power gating
                                   ▪ PCIe speed power policy
                                   ▪ GPU power gating of Radeon™ Cores and UVD3
                                   ▪ AMD Turbo Core technology on select models
AMD A75/AMD A55 FCH
Tech/Package: 65nm / FC BGA, 605-Ball, 23x23mm, .8mm pitch
TDP Configurations: A75: 7.8W, A55: 7.6W
UMI: x4 Gen 2
SATA: A75: 6 ports at 6 Gb/s, A55: 6 ports at 3 Gb/s
RAID: 0,1,10
USB: A75: 4 USB 3.0 Ports, 10 USB 2.0 Ports, 2 USB 1.1 Internal Ports
          A55: 14 USB 2.0 Ports, 2 USB 1.1 Internal Ports
PCIe GPPs: 4x1 Gen2
FIS Support: A75 only
CIR: CIR Receiver
Clock Gen: Integrated
Power Rails: SVID for VDDCR_CPU & VDDR_NB, fixed voltage for other rails

{break::MÁquinas/Softwares utilizados}Utilizamos quatro plataformas para os comparativos, todas com vídeo onboard. A exceção do X6 1100T, todas as demais são APUs, com vídeo integrado ao processador.

Abaixo duas fotos do Vision A6-3850 e uma do sistema montado em uma placa mãe ECS A75F-A, vale destacar que o cooler não é BOX, sendo que recebemos apenas o processador.


MÁquinas utilizadas nos testes:
- AMD Vision A8-3850 (2.9GHz) + ECS A75F-A
- AMD Phenom II X6 1100T (3.3GHz) + Gigabyte GA-890GPA-UD3H
- Intel Core i5 2500K (3.3GHz) + Gigabyte GA-Z68X-UD3H-B3
- Intel Core i7 875K (2.93GHz) + Gigabyte H67MA-UD2H

- Placa de vídeo: Integrada e XFX Radeon HD 6670
- Memórias 4 GB DDR3-1333MHz Corsair Vengeance
- HD 1TB SATA 3 Seagate
- Fonte Thermaltake 450W
- Intel BOX

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 7 64 Bits com Updates
- AMD Catalyst 11.7

Aplicativos/Games:
- 3DMark Vantage
- 3DMark 11
- WinRAR 4.01
- Sandra Lite 2011 build 17.72
- CineBENCH 11.5
- x264 HD Benchmark 4.0
- wPrime 2.04
- Aliens vs Predator
- F1 2010
- Far Cry 2
- Mafia II
- Metro 2033

CPU-Z
A seguir, algumas telas do CPU-Z e GPU-Z mostrando as principais características do processador e sistema.


{break::Winrar, PhotoShop, Sandra 2011}WinRAR
É muito importante deixar claro que este processador é o mais barato entre os avaliados, chegando a custar cerca de U$75 dólares a menos que o melhor colocado chip da Intel, ou seja, mais da metade do valor do próprio A8-3850.

No teste, embora tenha sido o último, ainda é um resultado dentro dos padrões esperados para este clock (2.9GHz).

{benchmark::2046}

SiSoftware Sandra 2011
Em matéria de processamento, perde "feio" para os outros testados. Contudo, é bom não esquecer de seu preço, cerca de U$150 dólares a menos do que o primeiro colocado, U$75 mais barato que o segundo e U$60 mais em conta que o terceiro.

{benchmark::2050}

Adobe Photoshop
Estamos adicionando este novo teste em algumas reviews, que consiste no tempo que o sistema leva para aplicar um filtro (Extrude) a uma imagem em alta resolução (5182x9754).

O AMD Vision A8-3850 é, em termos de preço, comparÁvel a um i3-2100 da Intel. Estes testes (abaixo e acima) não são, na verdade, parâmetro para que se tenha um veredito acerca de seu desempenho. Antes que você pergunte o porquê de se utilizar estes processadores nos testes, esclarecemos que trata-se da primeira APU da AMD, ou seja, que traz uma placa de vídeo integrada Radeon. Isso significa que nos testes que utilizam a placa de vídeo (em jogos) os resultados vão se alterar significamente. Acompanhe nas pÁginas a seguir.

{benchmark::2051}

{break::CineBench, x264, wPrime}CineBENCH 11.5
Aqui ainda temos testes que utilizam muito mais o processamento do que a placa de vídeo, e como não poderia ser diferente, o resultado dele continuou distante dos outros.

{benchmark::2047}

x264 HD Benchmark 4.0
Nestes teste, assim com no anterior, jÁ se percebe uma pequena aproximação dos resultados, que eram muito díspares na pÁgina anterior. A tendência é que se aproximem cada vez mais.

{benchmark::2048}

wPrime
Veja que  o A8-3850 conseguiu ficar na mesma centena que um de seus concorrentes. Nos outros testes, mesmo os com resultados em dezenas, isto não havia ocorrido.

{benchmark::2049}

{break::Far Cry 2, F1 2010}Abaixo os testes com o game Far Cry 2, primeiro utilizando as opções mais simples possíveis no que diz respeito a grÁficos(DX9). Os resultados mostram desempenho do A8-3850 pouco mais de 10% abaixo do X6 1100T, processador TOP de linha da série Phenom II.

{benchmark::2052}

Quando testamos com qualidade alta em DX10, como previsto, os resultados se tornaram praticamente iguais. Neste caso, jÁ dÁ pra ser um pouco otimista e considerar empate técnico.

{benchmark::2053}

F1 2010
JÁ em cima do game F1 2010, os testes foram feito com o Adrenaline Racing Benchmark Tool, em duas configs, "ultra low" e "high".

No teste com a config em baixa qualidade, vemos que o resultado deixou o novo processador da AMD bem abaixo dos outros concorrentes. Outro ponto destacado nos grÁficos é o fato da plataforma com o Phenom II não finalizar o teste de jeito algum, tentamos uma série de vezes, todas sem sucesso, não sabemos o motivo.

{benchmark::2054}

JÁ no modo high, tanto o Phenom II resolveu funcionar, quanto o A8 resolveu mostra a que veio, empatando em resultados todos os concorrentes, praticamente. Claro que isso se dÁ ao fato de todos estarem utilizado a mesma placa de vídeo offboard, e neste caso, haver uma demanda muito maior de processamento de vídeo que de processamento de dados.

{benchmark::2055}

{break::Overclock: Processador}Colocamos o A8-3850 de 2.9GHz trabalhando a 3.6GHz, aumento de 24% no clock. Tentamos alguns clocks superiores, mas sem sucesso, entre os motivos, estÁ o fato de estarmos utilizando um cooler não tão bom, muito semelhante a um cooler BOX, agora vale destacar também que o overclock foi bom para o processador na situação que tinhamos. Não alteramos a voltagem para o overclock.

Abaixo a tela principal do CPU-Z.


WinRAR
Podemos notar que é um overclock modesto, que não chega sequer a ultrapassar o pior resultado dos testados sem overclock.

{benchmark::2056}

CineBENCH 11.5
JÁ rodando o CineBench, mesmo os outros estando com clock normal, ainda assim os resultados ficaram significativamente longe, entre o A8 e o penúltimo colocado.

{benchmark::2057}

x264 HD Benchmark
Se você ainda estÁ perdido, perceba que o @ (arroba), do resultado em amarelo, indica o resultado do processador em overclock. Isto mostra que mesmo com overclock o desempenho do A8 é inferior aos outros em casos em que hÁ grande demanda de processamento de dados.

{benchmark::2058}

wPrime
Pela primeira vez o overclock se mostrou realmente eficiente, fazendo o A8 pular de último para primeiro lugar nos testes. E olha que estamos num caso onde hÁ uma grande utilização do processador. Só que não dÁ pra esquecer que os outros não estão em overclock.

{benchmark::2059}

{break::Overclock: Memórias}Apesar do processador em sí não suportar overclock muito alto, consequentemente essa prÁtica não surtir muito efeito, quando overclockamos as memórias o vídeo on-board tem um belo salto de desempenho.

Abaixo fizemos dois testes, com o Sandra 2011 e com o game Aliens vs Predator.

SiSoftware Sandra 2011
Com o Sandra a diferença chegou a quase 28% na comparação da memória trabalhando em 1333MHz para com 1866MHz, ganho bastante expressivo.

{benchmark::2076}

Aliens vs Predator
Reparem que o ganho chega a ser de nada menos que 26% quando a memória estÁ trabalhando em 1866MHz na comparação com 1333MHz. Quando estÁ em 1600MHz o ganho é de quase 13%.

{benchmark::2075}

{break::Radeon HD 6550D: 3DMarks, AvP}Um dos principais atrativos das novas APUs com selo "Fusion" estÁ em cima do vídeo integrado, no caso do A8-3850 em anÁlise, baseado em uma Radeon HD 6550D. Abaixo temos a tela principal do GPU-Z, com os principais detalhes no que diz respeito ao "chip" grÁfico, logo depois começamos uma bateria de testes comparando o vídeo integrado Radeon HD 6550D com o Intel HD Graphics 3000, seu principal concorrente, além do vídeo integrado de uma mainboard com chipset AMD 890.

OBS.: Tentamos a todo custo ativar o vídeo "on-board" do A8-3850 para trabalhar em Crossfire com uma Radeon HD 6670, inclusive fazendo testes com duas placas-mãe diferentes, ambas sem sucesso. Uma pena jÁ que essa possibilidade de Crossfire com vídeo on-board+vga add-on estÁ entre os principais atrativos da plataforma.


3DMark Vantage
Enfim o A8 mostra um de seus diferenciais, o poder de sua placa integrada, colocando em prÁtica as suspeitas de que seu poder grÁfico é maior que os concorrentes da Intel, neste caso temos, inclusive, uma larga vantagem. A ausência neste teste do Intel Core i7 875K, se deve ao fato de este não ter uma placa grÁfica integrada ao chip do processador, diferente de modelos mais modestos daquela geração.

{benchmark::2066}

3DMark 11
Dos avaliados este é o único processador com suporte a DirectX 11, o que explica a ausência de resultados dos concorrentes e a soberania do A8.

{benchmark::2067}

Aliens vs Predator
Mesma explicação do teste anterior, apenas o novo processador da AMD tem suporte a última API da MS.

{benchmark::2063}

{break::Radeon HD 6550D: F1 2010, Far Cry 2, Mafia II e Metro 2033} F1 2010
Assim como aconteceu no outro teste do F1 2010 anterior em baixa qualidade, o AMD Phenom II travou em todas as tentativas. Melhor para o A8, que mostrou porque sua placa de vídeo integrada é considerada seu grande diferencial entre os processadores concorrentes, superando inclusive o i5, que nem chega a ser seu concorrente direto em matéria de preço. Vale lembrar que nestes testes só estamos utilizando os processadores com APU´s, ou seja, que tenham placas grÁficas integradas ao CPU.

{benchmark::2062}

Far Cry 2
JÁ com o Fay Cry 2, onde testamos em duas situações diferentes, em baixa e alta qualidade.

Com a qualidade inferior, os resultados são praticamente iguais, mesmo o i5 sendo cerca de 75 dólares mais caro que o A8.

{benchmark::2060}

E como era de se esperar, à medida que  hÁ maior demanda de grÁficos, melhor se sai o A8 em relação aos concorrentes. É sua performance 3D sendo posta à prova, mesmo que 19,33 FPS não seja suficiente para uma boa execução do jogo.

{benchmark::2061}

Mafia II
A explicação para o baixo desempenho do Phenom II é o fato de que sua aceleradora grÁfica estar presente na placa mãe e não no processador, como nos outros dois casos. DÁ pra ver que é uma alternativa um pouco menos satisfatória, pelo menos neste caso.

{benchmark::2064}

Metro 2033
Aqui temos uma superioridade do i5, embora o A8 não tenha ficado tão longe. Além disso, os três resultados são, definitivamente, prova da incapacidade destes processadores de rodarem sozinhos o Metro 2033

{benchmark::2065}

{break::Conclusão}Não resta dúvida que o Fusion chegou em um momento extremamente importante para  a AMD, onde o foco do consumidor cada vez mais cresce em relação à experiência visual, seja através do desempenho 3D, seja através dos recursos multimídias.

Conforme explicado nesta review, a AMD conferiu à Llano Lynx, um peso muito importante ao desempenho da GPU (basta notar a divisão da Área do die da APU). Isso ficou bastante evidente em nossos testes, onde o A8-3850 não conseguiu acompanhar seus rivais nos testes de desempenho em processamento geral – que utiliza o processador. Entretanto, quando utilizada a GPU, a APU da AMD "falou mais alto", reforçando que em matéria de chip grÁfico integrado, a companhia não tem concorrente nesse segmento.

Dito isto, o leitor deve ficar atento na escolha de sua próxima APU/processador. De um lado temos a Intel com CPUs bastante robustas em termos de processamento geral, mas que deixam a desejar no desempenho 3D; e de outro a AMD com a linha Fusion Vision, com uma solução mais harmônica em termos de processamento geral e 3D, mas que pode comprometer, caso o usuÁrio realize de forma intensa, certos tipos de atividades do dia-a-dia. Outro ponto a destacar diz respeito ao preço. As APUs da AMD possuem preços bastante atrativos, resultando assim em uma ótima relação de custo x benefício.

Talvez o que tenha mais pesado contra a linha Vision seja os núcleos do processador, baseados na jÁ desgastada geração K10.5 (Athlon II – Phenom II). Certamente se o Lynx utilizasse núcleos Bulldozer, a história seria completamente diferente. Entretanto, o usuÁrio terÁ de esperar pela próxima geração – Trinity – prevista para o próximo ano.

Outros pontos importantes merecedores de críticas são: 1. Ausência da tecnologia TurboCore no A8-3850; e 2. Limitação no que diz respeito ao overclock.

Portanto, caberÁ ao leitor fazer seu próprio juízo de valor e decidir qual solução mais se adequa ao tipo de atividade, e claro, ao bolso.

PRÓS
- Preço bastante convidativo;
- Ótimo desempenho 3D / multimídia;
- Suporte a tecnologia AMD Dual Graphics.
CONTRAS
- Desempenho geral (CPU) baixo para os padrões atuais;
- Ausência da tecnologia TurboCore;
- Overclock limitado.
Assuntos
Tags
amd
  • Redator: Filipe Braga

    Filipe Braga

    Filipe Braga é um cearense extremamente simpático formado em Ciências da Computação e apaixonado por computadores e tecnologia em geral. Também participa de reviews de hardware, especialmente placas de vídeo, processadores e placas mãe.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.