ANÁLISE: Samsung NX10

ANÁLISE: Samsung NX10

A Samsung NX10 é mais uma competidora no crescente - e recente - mercado de câmeras digitais compactas sem espelho, com sensor grande e lentes intercambiÁveis. Concorrente direta das Olympus e Panasonic com sistema Micro-quatro-terços, seu objetivo é preencher o vÁcuo entre as câmeras compactas e uma DSLR. Sua principal diferença é apresentar um sensor do formato APS-C, que confere ao equipamento um fator de corte de 1,5x, muito mais próximo ao das DSLR. O sensor maior promete mais qualidade de imagem, especialmente em sensibilidades ISO mais altas.



Com corpo que lembra uma mini DSLR, a NX10 incorpora um visor eletrônico com sensor de aproximação, uma grande tela AMOLED de 3 polegadas, flash imbutido, suporte a vídeo 720p HD e sistema de limpeza supersônica do sensor. A NX10 apresenta uma grande variedade de modos manuais, semi-automÁticos e o modo Smart Auto, que seleciona automaticamente o melhor modo de disparo. O modo Smart Range permite a captura de detalhes tanto nas Áreas brilhantes quanto nas Áreas escuras da imagem.

Especificações técnicas:

Sensor APS-C CMOS de 15.1 Megapixels
14.6 million de pixels efetivos
Captura de vídeos 720p (H.264, 30 fps)
Auto-foco com detector de contraste
Tela AMOLED de 3 polegadas (614,000 pontos)
Visor eletrônico de 921 mil pontos
Objetiva 18-55mm 1:3.5-5.6
Bateria: 1300 mAh
ISO: 100-3200

Conteúdo da caixa:
Samsung NX10 Camera body
Bateria Lithium-Ion BP1310
Carregador de bateria BC1310
Cabo para recarga
Cabo USB
Cd de softwares (Samsung Master, Samsung RAW Converter, QuickTime Player 7.6)
Correia
Protetores para o corpo, objetiva e visor
Objetiva 18-55mm 1:3.5-5.6
Manuais


{break::O sistema NX}

A Samsung descreve o NX como um sistema híbrido (ainda não hÁ consenso quanto a nomenclatura deste tipo de câmera) que promete a performance e a qualidade de uma DSLR com a portabilidade e a conveniência de uma point-and-shoot.

A chave para o desenho da NX, assim como nas Micro-quatro-terços (Micro Four Thirds), é a ausência do espelho e do visor óptico, que permite que a câmera seja consideravelmente mais fina. A distância entre a lente e o sensor é reduzida em aproximadamente 40%, para apenas 25.5mm. O encaixe da lente também é reduzido, e o resultado é uma câmera com sensor do tamanho de uma DSLR e lentes intercambiÁveis, mas com um tamanho bem menor.

Para a Samsung, uma empresa com pouca experiência em óptica, mas uma enorme bagagem de tecnologia em eletrônicos, o sistema NX representa a possibilidade de produzir uma câmera que se apoie na eletrônica e apresente poucas partes móveis. As SLRs digitais habitualmente colocam lado a lado componentes eletrônicos "state-of-the-art" e sistemas mecânicos que reportam a décadas atrÁs, enquanto estas novas câmeras híbridas são concebidas inteiramente como dispositivos digitais. As mudanças no projeto também devem tornÁ-las muito mais baratas, ao menos para empresas focadas na eletrônica como a Samsung e a Panasonic.

{break::Ergonomia}O surgimento das primeiras câmeras compactas sem espelho e com sensor grande chamou a atenção de muitos fotógrafos. A promessa de combinar a praticidade de uma câmera compacta com a qualidade de imagem das DSLR seduz tanto usuÁrios de câmeras compactas que querem fotos melhores, mas tem medo do tamanho e da complexidade de uma DSLR, quanto donos de DSLR que procuram uma segunda câmera mais prÁtica.

A Samsung entrou neste mercado com a linha "NX", alternativa menor à sua linha GX de DSLRs. A empresa optou por usar um sensor APS-C na NX10 que é aproximadamente 50% maior que o das concorrentes Micro-três-quartos da Olympus e Panasonic, mas mesmo assim conseguiu manter o tamanho do corpo apenas levemente maior que o das rivais, como a Olympus E-PL1.

As primeiras impressões da NX10 são positivas, especialmente se levarmos em consideração seu preço. Mesmo a escolha da Samsung por um corpo todo em plÁstico não faz a câmera passar a impressão de fragilidade e contribui para o peso baixo, em torno de 300g. Com tamanho de 123x87x39.8mm, a NX10 é, sem a objetiva, apenas um pouco maior do que a média de uma câmera compacta, mas com as vantagens ergonômicas de um corpo estilo DSLR. Com a lente 18-55, porém, suas dimensões e peso aumentam consideravelmente, tornando-se mais próximos das de uma Reflex.


Comparação entre o tamanho da Samsung NX10 e a Canon EOS Rebel T21

Do ponto de vista da construção, é difícil encontrar falhas. A NX10 é sólida, bem construida e dÁ uma sensação de "densidade" que proporciona quase a mesma impressão que uma DSLR. A câmera apresenta um corpo equilibrado com um grip de borracha que permite disparos com uma só mão sem sustos. Os controles também são bem localizados e não exigem muita atenção para operação.

Se o desenho desanima um pouco por não ter um apelo retrô, como as concorrentes, ele compensa ao oferecer uma empunhadura fantÁstica. O formato da câmera, assim como os grips de borracha na frente e atrÁs e o material aderente do corpo tornam a NX10 uma câmera agradÁvel de se segurar.

   
  




{break::Tela AMOLED}Como muitas câmeras em sua faixa de preço, a NX10 apresenta uma tela de 3 polegadas VGA (640x480 pixels de resolução). Seu diferencial, porém, são duas tecnologias que a distinguem de quase todas as outras câmeras no mercado. A primeira é a tela de AMOLED (Active Matrix Organic Light Emitting Diode), que emite a luz seletivamente, ao contrÁrio do LCD, que bloqueia seletivamente a luz produzida por uma fonte de luz branca atrÁs do painel. Isto resulta em uma melhor qualidade de imagem e uma maior duração da bateria, assim como melhor contraste e maior ângulo de visão.

A outra diferença é que, ao invés de usar um trio de pontos, um vermelho, um verde e um azul, para representar cada pixel, ela usa pares de sub-pixels para representar a mesma informação.



Na prÁtica, a tela da Samsung NX10 parece ter uma resolução mais alta do que VGA, mas mesmo assim parece oferecer menos detalhes em comparação com câmeras maiores, como a Canon T2i. No geral, as imagens são excelentes, com muito brilho e contraste, mesmo quando vistas por ângulos impensÁveis com LCDs convencionais.

Mesmo assim, os benefícios da tela da NX10 só são aparentes no modo playback, quando a resolução total é utilizada. No modo "live view" a imagem apresenta uma resolução mais baixa do que a tela suporta, provavelmente para aumentar a velocidade.

{break::Visor eletrônico, conectividade e bateria}A NX10, assim como como suas concorrentes, Panasonic GH1/G1, apresenta um visor eletrônico. Apesar de não ser nada surpreendente, a qualidade é boa, com 921 mil pontos, 100% de cobertura do quadro e uma imagem bastante brilhante.

Logo abaixo do visor hÁ um sensor que automaticamente alterna entre ele e a tela AMOLED quando você aproxima o rosto. Isto não pode ser desativado, o que é um tanto chato por dois motivos. Primeiro porque ele é facilmente desativado por engano, seja pela mão ou pela correia da câmera. A segunda é que, durante os testes, o sensor se confundiu e não alternou a visão por duas vezes quando operado por uma pessoa com óculos.

A duração da bateria também surpreendeu, possibilitando um número enorme de cliques mesmo com uso de flash e longos tempos de exposição. A NX10 conta com um conector USB e um conector mini HDMI.

{break::Estabilizador óptico e limpeza do CMOS}A NX10 oferece um sistema de estabilização óptica de imagens através das objetivas, ao invés de oferecê-lo jÁ no corpo da câmera. Quando ativado, a câmera automaticamente compensa pequenos tremores, comuns em velocidades baixas, que causam desfoques na imagem. Na prÁtica, é possível notar a diferença no resultado final. A operação da câmera continua a mesma, mas fica mais fÁcil tirar fotos com velocidades mais baixas sem desfoque.

Sistema de remoção de pó


A Samsung optou por equipar a NX10 com um sistema de remoção de pó do sensor, uma solução inteligente levando-se em conta que a câmera não tem um espelho para proteção durante as trocas de objetiva. O sistema funciona fazendo o sensor vibrar 60 mil vezes por segundo para remover a sujeira.

O processo dura pouco mais de um segundo e pode ser facilmente acessado pelo menu da câmera.



{break::Modos}Além dos modos comuns de exposição das câmeras DSLR, a NX10 apresenta o modo Smart Auto. A resposta da empresa coreana para os modos inteligentes das concorrentes permite que o usuÁrio apenas aponte a câmera para a cena e deixe que ela selecione automaticamente qual o melhor modo de exposição, dentre 16 possíveis. Este modo torna a NX10 uma perfeita point-and-shoot. Seu funcionamento é adequado, resultando, na prÁtica, em boas fotos, sem que se tenha de fazer ajustes manuais ou selecionar modos pré definidos de exposição.



É claro que nem todas as situações serão cobertas pelos 16 modos de exposição pré-programados, mas a ferramenta é útil para que um fotógrafo amador possa tirar fotos decentes sem ter de esquentar a cabeça. A velocidade de operação da câmera neste modo é outro ponto que merece destaque.

Foco automÁtico

Ao contrÁrio das câmeras DSLR convencionais, que usam um sistema de auto-foco com detecção por fases, a NX10 usa o mesmo sistema Contrast AF das câmeras compactas. Mesmo assim, isto não significa que a NX10 tenha um sistema lento de foco automÁtico. A sua velocidade fica a par com a de suas concorrentes e até mesmo com algumas DSLRs.

Além dos modos habituais Single, Continuous e Manual, hÁ outros três modos de AF selecionÁveis, que são listados abaixo:

Selection AF: permite a seleção da Área de foco desejada
Multi AF: seleciona múltiplas Áreas que devem permanecer em foco
Self-Portrait Tracking: o foco segue o rosto em auto-retratos.

Foco manual

O foco manual, como em câmeras DSLR, pode ser feito através do anel da objetiva. O destaque da NX10, neste caso, é que cada vez que o anel é acionado, hÁ um zoom na imagem exibida na tela, o que confere mais precisão na focalização e compensa a resolução mais baixa do display em modo de disparo, que jÁ foi comentada acima.

O único problema é que a funcionalidade dificulta o uso da câmera em modo manual para fotos mais rÁpidas, onde se faz foco e enquadramento ao mesmo tempo, jÁ que, ao tentar focar, a câmera deixa de exibir o quadro habitual e exibe um recorte ampliado da imagem.

Sensibilidade ISO e Balanço de branco

A NX10 apresenta uma faixa de ISO que vai de 100 até 3200. HÁ 6 valores de balanço de branco pré setados, além do modo automÁtico e custom, que permite ajustes precisos em valores Kelvin.

{break::Usabilidade}O menu da NX10 é bastante prÁtico, com opções bem localizadas e de acionamento simples. HÁ sete menus principais dispostos em uma coluna horizontal de ícones, num esquema bem parecido com o utilizado nas DSLR Canon. O botão Fn, presente na traseira da câmera, facilita ainda mais a vida do usuÁrio, oferecendo acesso rÁpido às funções mais usadas. Devido à grande tela AMOLED, todas as opções são claras e legíveis. O manual, fornecido junto com a câmera, também é muito simples, facilmente compreensível e bem ilustrado.



O tempo de inicialização da NX10 também impressiona, com cerca de um segundo entre o girar do botão e a primeira foto. A câmera leva em torno de 1 segundo para armazenar uma imagem JPEG, mas permite que você continue fazendo outros disparos enquanto isso. Armazenar uma imagem RAW leva em torno de 4 segundos.

A Samsung NX10 tem um ótimo modo de disparo sequencial que permite até 3 quadros por segundo com um número ilimitado de imagens JPEG ou até 5 imagens RAW em sequência. HÁ ainda um modo que permite a captura de 30 imagens em um segundo com um único apertar de botão, mas ele só permite a captura de imagens JPEG de 1,4 megapixel.

Uma vez que a foto foi capturada, a NX10 oferece uma ótima gama de opções para visualizar, gerenciar e editar suas imagens. Você pode instantaneamente navegar pelas imagens que tirou, ver thumbnails, aumentar e diminuir o zoom para até 7.2x, ver slideshows, deletar e proteger imagens e setar a orde de impressão. O modo de edição de imagens oferece vÁrias formas de manipular a imagem, inclusive com redutor de olho vermelho, compensador de luz de fundo, redimensionamento, rotação e retoque facial - que funciona como uma maquiagem digital.


Exemplo do sistema de retoque facial da Samsung NX10. Como a foto evidencia, ele não faz milagres, mas pode ser útil



{break::Qualidade de Imagem}
A Samsung NX10 produziu imagens de excelente qualidade durante o período de testes. O sensor APS-C CMOS é capaz de produzir imagens sem ruído com ISO entre 100 e 400. O ruído jÁ estÁ presente nas imagens em ISO 800, mas sem comprometer a qualidade. Com o ISO em 1600 o ruído jÁ começa a se pronunciar e com o ISO em 3200 jÁ hÁ perdas notÁveis na qualidade da imagem, com perda de detalhes e saturação, mas mesmo assim as imagens ainda continuam perfeitamente utilizÁveis para impressões em pequenos formatos e publicação na web. O software interno na NX10 aplica uma considerÁvel redução de ruído nas imagens JPEG, que pode ser percebido em comparações com imagens capturadas em RAW. Seguem abaixo exemplos de fotos em JPEG tiradas com diferentes as diferentes configurações de ISO de 200 a 3200. Clique sobre as imagens para vê-las ampliadas.



As imagens capturadas jÁ são boas sem edição posterior, com cores vibrantes sem serem excessivamente saturadas. HÁ ainda a opção de escolha do modo Vivid se você precisa de cores ainda mais saturadas.

O flash embutido funciona bem em situações indoor, sem provocar olhos vermelhos e nem exagerar na exposição. Fotografia noturna com a NX10 também apresenta resultados satisfatórios, com velocidade de obturação mÁxima de 30 segundos e modo bulb de até 8 minutos. Vale lembrar que a câmera leva aproximadamente o mesmo tempo da exposição para aplicar a redução de ruídos, então uma foto com 15 segundos de exposição vai demorar aproximadamente 30.

{break::Fotos de exemplo}Segue abaixo uma sequência de fotos tiradas com a Samsung NX10 sob vÁrias condições. Nenhuma das fotos sofreu nenhum tipo de edição antes da publicação.





{break::Teste comparativo}

Para possibilitar uma melhor avaliação da  qualidade das imagens capturadas pela NX10, segue abaixo uma série de fotos tiradas por ela e por uma Canon EOS Rebel T2i. As cenas foram capturadas com o auxílio de um tripé. As duas câmeras foram utilizadas com a mesma configuração em cada uma das imagens. O balanço de branco ficou no automÁtico.

Vale lembrar que as duas câmeras não são concorrentes diretas. A Canon é uma DSLR "de verdade" e se situa numa faixa de preço superior em relação à NX10. Mesmo assim, a comparação é vÁlida por demonstrar como a pequena câmera da Samsung consegue resultados muito próximos aos da DSLR Canon.

Nas fotos abaixo, as imagens capturadas pela Samsung estão à direita e as capturadas pela Canon, à esquerda.


 
 
 
 

{break::Vídeo}

Apesar de capturar vídeos em 720p HD, a NX10 não impressiona neste aspecto. A qualidade que impressiona nas fotografias não se repete aqui, e o resultado é apenas razoÁvel. Nada comparÁvel aos vídeos feitos pelas DSLR de entrada da Canon, por exemplo. Episódios de rolling shutter também são frequentes, mas isto é esperado em sensores CMOS.  Segue abaixo um pequeno vídeo para exemplo. Recomendo abrí-lo no Youtube para visualização em HD.



{break::Conclusão}

A Samsung NX10 é uma excelente porta de entrada para o mundo das câmeras com lentes intercambiÁveis, oferecendo facilidade de uso, ótima qualidade de imagem e bom preço. O seu único problema em relação às concorrentes Micro Four Thirds são as lentes NX, que são um pouco maiores.

Tudo nela, desde o desenho do corpo, passando pela interface, até a qualidade de construção, mostram a atenção - e os recursos - que a Samsung investiu nesta linha de produtos. A NX10 pode ser maior e, portanto, não tão prÁtica quanto suas concorrentes da Olympus e Panasonic, mas ela oferece uma pegada mais próxima de uma DSLR. A construção toda em plÁstico também não afeta a sensação ao segurar a câmera e garante à NX10 um preço tentador em comparação com as rivais.

A NX10 ainda oferece todas as vantagens de um sensor APS-C DSLR, especialmente melhor performance em ISOs mais altos, em relação a câmeras com sensores menores. Com este sensor, é possível tirar ótimas fotos em qualquer ajuste de ISO entre 100 e 1600 sem uso de flash. O modo de vídeo, apesar de não ser tão sofisticado e não apresentar uma qualidade impressionante, serve para quebrar um bom galho e é melhor do que o da maioria das câmeras compactas.

O visor eletrônico excelente e o display AMOLED ainda melhor são ótimos atrativos. A NX10 realmente parece com - e se comporta quase como - uma DSLR. Tanto para quem quer partir de uma câmera compacta para algo que ofereça mais opções e maior qualidade, quanto para quem tem uma DSLR mas quer uma câmera um pouco mais portÁtil e barata, a NX10 se mostra uma opção bastante vÁlida.



PRÓS
- Qualidade de imagem
- Qualidade de construção
- Ótima interface
- Tela de AMOLED
- Boa duração de bateria
CONTRAS
- Qualidade de vídeo apenas mediana
- Balanço de branco automÁtico pouco efetivo em algumas ocasiões
Assuntos
Tags
  • Redator: Alexandre Lunelli

    Alexandre Lunelli

    Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Alexandre é um entusiasta da fotografia, música, e demais áreas que não cansem muito. Fã da comunidade opensource, e sonha com um mundo mais bonito, igualitário e sem o trabalho, mal que corrompe a humanidade.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.