ANÁLISE: Symantec Norton 360

ANÁLISE: Symantec Norton 360

A Symantec é uma das mais tradicionais companhias de segurança do mercado. Fundada em abril de 1982 com sede em Montain View, na Califórnia (Estados Unidos), a empresa emprega mais de 17.500 funcionÁrios no mundo todo e ocupa a 353ª posição no ranking Fortune 500 das maiores corporações do planeta.

Ao longo dos seus quase 30 anos de vida, a Symantec lançou dezenas de soluções para proteção e manutenção dos PCs. Entre eles, o Norton Antivirus, atualmente em sua versão 2011, o Norton Internet Security, Norton Ghost e Norton Online Backup.

Softwares diversificados desempenham funções diferentes. Que tal, então, unir dezenas de funcionalidades em um único produto, que promete não só defender o sistema de ameaças virtuais, como monitorar o desempenho da mÁquina, controlar uma rede doméstica e automatizar processos de backup?

Essa é a promessa do Norton 360. Definido pela Symantec como "o produto que une as melhores ferramentas da linha Norton", a novidade entra no mesmo nicho do Kaspersky PURE Total Security, que jÁ analisamos aqui no Adrenaline. É não apenas uma suíte de segurança completa, como um software que busca auxiliar o usuÁrio a gerenciar certas atividades cruciais no computador.



O software, que chega agora à sua quinta versão, acumula prêmios como o Editor's Choice da PC Magazine, da CNET e da Computer Shoppers. A companhia prometeu, durante o lançamento, que a suíte é "a mais rÁpida e leve do mercado". SerÁ que o 360 vai se sair bem? Confira nossa anÁlise nas pÁginas a seguir.

{break::Requisitos do sistema e principais características}O Norton 360 é compatível com Windows XP (32 bits), Vista (32 e 64 bits) e 7 (32 e 64 bits). A instalação do software requer pelo menos 300MHz de processador e 256MB de RAM, embora a companhia recomende 512MB. São necessÁrios 300MB de espaço livre no disco rígido, além do Internet Explorer 6 ou superior ou Mozilla Firefox 3 ou superior. A conexão com a Internet é obrigatória para ativar o produto e para o backup online.

Como não poderia deixar de ser, o Norton 360 inclui o bÁsico da proteção para o PC, com antivírus e firewall. Mas, como um produto abrangente, traz diversas outras funcionalidades que o tornam um produto completo para monitoramento da segurança do desempenho do sistema. Confira as principais delas:

  • Insight: verifica instantaneamente a origem dos arquivos e hÁ quanto tempo eles têm sido usados para identificar e bloquear novos crimewares com rapidez
  • Ajuste do PC: libera a memória para que os aplicativos sejam iniciados e executados com maior rapidez e remove os arquivos desnecessÁrios para melhorar o desempenho do disco rígido.
  • Backup automatizado: faz o backup de modo seguro e automÁtico de fotos, vídeos, músicas, documentos financeiros e outros arquivos importantes.
  • Verificador de mídia social Norton Safe Web: permite verificar o mural e as notícias do Facebook em busca de links perigosos e outras ameaças através do Centro de controle Norton.
  • Alertas de desempenho proativos: informam quando um aplicativo estÁ tornando o PC mais lento para que o usuÁrio faça alterações na tentativa de melhorar a performance.
  • Gerenciamento dos controles para pais: fornece as atualizações mais recentes sobre as atividades on-line dos filhos através do Centro de controle Norton
  • Recuperação e restauração on-line: permitem fazer o download de forma rÁpida e segura dos backups on-line, além de exibir, editar e compartilhar os arquivos a qualquer momento, de qualquer lugar, em qualquer computador, por meio de um site protegido por senha.
  • Norton Safe Web: compatível somente com Firefox e Internet Explorer, o recurso avisa sobre sites não seguros ou falsos nos resultados das pesquisas e os bloqueia automaticamente.
  • Proteção comportamental da tecnologia SONAR 3: monitora o PC em busca de comportamento suspeito para detectar com rapidez novos ataques e outros crimewares.

{break::Instalação e interface}A instalação do Norton 360 não tem mistérios e, na verdade, facilita muito as coisas para o usuÁrio leigo: basta iniciar o processo, aceitando ou não a participação no programa Norton Communicty Watch. Quem quiser personalizar a instalação, pode se decepcionar: só é possível escolher o diretório onde o programa ficarÁ. Nada de customizar serviços, por exemplo. Outras configurações, como o comportamento do antivírus, deverão ser feitas com o software jÁ instalado.



O processo acaba rapidamente e, nos nossos testes, ocorreu sem entraves. Uma vez instalado, o software automaticamente começa a monitorar o PC, não exigindo nenhuma configuração adicional. Portanto, se quiser personalizar o Norton 360 antes de executar qualquer verificação, é preciso fuçar as suas ferramentas.

Logo, é hora de destrinchar a interface do Norton 360. O visual segue a identidade grÁfica da companhia desde os tempos mais remotos, com tons quentes puxando para o laranja e o amarelo, intercalados com preto. Pessoalmente, não considero uma escolha muito acertada quando se fala em um software de segurança, mas não posso negar que as cores facilitam muito a identificação com a Symantec e a marca Norton.

O painel principal concentra quatro categorias de ferramentas: segurança do PC, proteção de identidade, backup e ajuste do PC. A seta do mouse não se transforma em "mãozinha" nessa Área, o que pode dar a entender que não existem ícones "clicÁveis". Mas basta encostar o cursor para que o software revele outras opções – essas sim, que podem ser clicadas.



Logo acima, outro painel inclui outras ferramentas. O menu "tarefas", por exemplo, concentra em uma só tela todos os recursos que podem ser acessados através do painel principal. No mais, o menu de configurações permite personalizar a experiência do aplicativo, enquanto a opção "desempenho" exibe, após uma animação um tanto desnecessÁria, um grÁfico mostrando os últimos aplicativos instalados. O Norton 360 parece disposto a provar que não vai transformar o computador em uma carroça e mostra isso exibindo outro grÁfico, mostrando a memória utilizada pelo software.



Na interface principal, hÁ ainda uma Área no rodapé que exibe, por padrão, um mapa-mundi com informações sobre as maiores "epidemias" em cidades de todo o planeta. Se clicar em "detalhes do mapa", surgem os nomes das ameaças mais recentes, cada uma com um link que leva a uma pÁgina no banco de dados da Symantec com dados detalhados sobre cada uma. É uma das inovações mais legais do Norton 360, sob medida para quem gosta de pesquisar informações sobre malwares. Pena que a Área seja pequena, com letrinhas espremidas e, infelizmente, não hÁ nenhuma opção para expandir essa funcionalidade para uma janela única maior.

- Continua após a publicidade -


Clicando nos três ícones na parte inferior, pode-se alterar o que é exibido nesse mesmo rodapé. Outras opções são as estatísticas do Norton Online Family e o Norton Safe Web, outro recurso fundamental da suíte. Com ele, basta inserir a URL de um site para verificar se é ou não seguro sem precisar se arriscar.



Apesar de facilitarem o acesso a determinados recursos, esses ícones parecem perdidos em meio à interface do painel principal. Todos os três estão, claramente, em baixa resolução, o que os torna desfocados. O problema fica ainda mais visível graças ao efeito de ampliação que surge ao encostar o mouse em cada um. Infelizmente, essa é uma Área que ficou, simplesmente, mal acabada.



No mais, a interface pode não ser um primor estético, mas ao menos busca facilitar as coisas para o usuÁrio. Quem quiser executar tarefas rapidamente, como uma verificação por malwares ou um backup, pode usar apenas as quatro grandes opções principais. O usuÁrio mais avançado que quiser aprofundar-se mais no software têm a disposição as ferramentas e as configurações. Critico apenas a escolha do preto, que acaba predominando demais em algumas janelas, o que afasta um pouco o visual da sensação de segurança e proteção. Além disso, eliminar algumas animações poderiam tornar o software mais sóbrio e rÁpido sem prejudicar em nada a usabilidade das suas ferramentas.

{break::Antivírus e capacidade de detecção}A Symantec possui um mecanismo antivírus premiado, com a certificação Advanced+ do AV-Comparatives.org, lado a lado com F-Secure, Avira e Kaspersky. A engine conseguiu atingir a marca de 98,9% de proteção ao mesmo tempo em que manteve um baixo índice de falsos positivos.

No AV-Test.org, o mecanismo também obteve ótimas notas: 5 em proteção, 5.5 em reparação do sistema e 5 em usabilidade, de um mÁximo de 6. Nos testes realizados durante o último trimestre de 2010, o antivírus da Symantec detectou entre 95% e 100% das ameaças 0-day, número superior à média dos demais produtos juntos (82%). Em uma amostragem de 30.532 malwares jÁ conhecidos, o Norton conseguiu 100% de detecção, igualando-se nesse quesito ao Kaspersky Pure. Quanto à detecção de ameaças recentes, descobertas em um período entre dois e três meses, o Norton se saiu um pouco pior que o concorrente russo, na margem entre 93% e 97% contra 98% e 99%.



Infelizmente, o Norton 360 não avisa imediatamente quais infecções encontrou: ele apenas mostra o número de "riscos" – que podem assustar alguns, pois normalmente é elevado. Não entre em pânico! Normalmente, a maioria se trata apenas de cookies do navegador. Para saber exatamente quais malwares foram detectados, a tarefa não é muito fÁcil nem intuitiva: é preciso fuçar um bocado, o que considero um forte ponto negativo. Além disso, hÁ vÁrios caminhos para se chegar na mesma coisa, o que prejudica a experiência de uso.



Nos nossos testes com varredura sob demanda,o Norton 360 enviou automaticamente alguns arquivos para a quarentena e não foi muito fÁcil encontrÁ-los. Falta um simples ícone "quarentena" na interface principal. No caso, é preciso fazer o caminho Segurança do PC > exibir detalhes > verificação de vírus e spywares (detalhes) > histórico de segurança > quarentena. Para verificar a localização do arquivo suspeito e, se for o caso, restaurÁ-lo se não se tratar de um malware, é preciso ainda mais cliques: Mais detalhes > opções. E mais uma coisa: o software pede uma pasta para restaurar o arquivo, ao invés de simplesmente colocÁ-lo novamente no seu local de origem.

- Continua após a publicidade -



No mais, assim como toda boa suíte de segurança, o Norton 360 faz varreduras constantes no PC, monitorando o acesso a arquivos suspeitos. Com o auxílio do SONAR, que identifica comportamentos suspeitos, o usuÁrio fica mais seguro contra ameaças ainda não conhecidas. Combinado com o recurso da quarentena, que apesar de pouco intuitivo funciona muito bem, o usuÁrio pode controlar arquivos dos quais ainda não tem certeza da periculosidade.

Felizmente, o Norton 360 não apaga os arquivos automaticamente, mas os deixa incubados. Fica fÁcil consultar uma "segunda opinião", basta restaurar o arquivo e enviar para um serviço online como o VirusTotal, que envia o arquivo para anÁlise de uma dezena de mecanismos antivírus diferentes.

No momento em que o software encontra uma nova ameaça durante seu monitoramento constante, exibe um pequeno alerta no canto da tela, avisando sobre o bloqueio do arquivo. Basta clicar em "detalhes" para verificar vÁrias informações a respeito do arquivo, sempre com o link para obter ainda mais informações sobre o malware no site da Symantec.

{break::Proteção familiar}Uma tendência das suítes de segurança é a de incluir ferramentas de controle do acesso dos filhos a sites e mensagens instantâneas. Com o Norton 360 não é diferente. No entanto, aqui ele exige a instalação separadamente de mais um componente: o Norton Safety Minder. Além disso, é preciso criar e configurar uma conta no Norton Account.

Uma vez instalado, ele transforma o PC em um verdadeiro espião, monitorando qualquer site e conversas em softwares de comunicação instantânea.É possível observar as atividades mais recentes no próprio painel principal do Norton 360, mas o grande lance estÁ mesmo no Norton Account: online, os pais podem verificar remotamente, em qualquer PC, exatamente tudo o que o filho anda fazendo.



Para aumentar a precisão, o Norton Safety Minder auxilia os pais a criar uma conta do Windows para cada filho e cada uma serÁ monitorada separadamente pelo software. As regras para cada um podem ser configuradas de maneiras distintas. Vamos supor que você tenha um filho "maiorzinho" e mais responsÁvel... bom, ele pode ter um pouco mais de liberdade na web do que um irmão mais novo.



Toda a configuração das permissões é feita online. O console principal do Norton 360 serve mais para dar uma referência dos últimos acontecimentos. Toda a atividade dos filhos fica a disposição dos pais na pÁgina do Norton Account: termos pesquisados em sites de busca, sites acessados, logins em redes sociais e contatos em comunicadores instantâneos. É possível permitir as conversas totalmente, monitorÁ-las para saber com quem os filhos estão conversando ou bloqueÁ-las, liberando somente após a aprovação dos pais para cada contato. Na pÁgina, pode-se facilmente proibir certas pessoas de manter contato com os filhos em serviços como o Live Messenger. E não tem como escapar: para desativar o Safety Minder, o Norton pede o login e a senha dos pais.

{break::Segurança nos navegadores}Além da proteção bÁsica contra malwares, com o antivírus, antimalware, proteção residente contra potenciais ameaças com o SONAR e firewall, o Norton 360 traz alguns recursos para a administração geral do PC. O primeiro deles é a Proteção de Identidade, que funciona como uma caixa-forte para informações de login e senha e credenciais de cartão de crédito.

Basta escolher uma senha-mestra (quanto mais difícil, melhor – o Norton inclusive exibe o grau de complexidade da palavra-chave escolhida) e, depois, acrescentar um a um os sites que deseja gerenciar. O Norton preenche automaticamente os logins e senhas nessas pÁginas, ou dados de cartão de crédito, quando for o caso. Isso não só dificulta a ação de keyloggers como facilita a vida do usuÁrio: ele poderÁ utilizar senhas distintas e mais fortes em casa serviço, jÁ que precisarÁ lembrar de apenas uma.



Em um grau mÁximo de paranóia, porém, vale lembrar que um keylogger ainda é capaz de capturar a senha mestra. Falta a opção de um teclado virtual para incrementar um pouco mais a segurança. Além disso, a configuração dos logins pode ser um pouco complexa. Nos nossos testes no Internet Explorer 9, por exemplo, não bastou incluir o endereço http://www.gmail.com. Foi preciso copiar exatamente a URL que aparece no browser na tela de login e, então, colocÁ-la no Norton, ou seja: https://www.google.com/accounts/ServiceLogin?service=mail&passive=true&rm=false&continue=http%3A%2F%2Fmail.google.com%2Fmail%2F%3Fui%3Dhtml%26zy%3Dl&bsv=llya694le36z&scc=1
No Firefox 4, o complemento do Norton para o gerenciamento da identidade segura permanece desativado devido à incompatibilidade com a nova versão do navegador.  Por enquanto, não hÁ suporte para o Chrome e nem para outros browsers.

Por falar em navegador, o Norton 360 inclui o Safe Web, que verifica rapidamente a reputação de um site, bastando inserir a URL na caixinha dedicada ao recurso no rodapé do painel inicial. Em um navegador compatível, a ferramenta inclui uma toolbar e monitora constantemente tanto os resultados de buscas no Google e no Bing, exibindo sinais de aleta para cada link. Para saber mais detalhes, basta encostar o cursor do mouse na "bolinha". Um clique nela leva o usuÁrio ao banco de dados da Symantec, com informações ainda mais detalhadas. Infelizmente, assim como a proteção de identidade, esse recurso não é compatível com o Firefox 4.

- Continua após a publicidade -



O Safe Web também estÁ presente no Facebook: basta instalar o aplicativo na rede social para que ele escaneie os links enviados no seu mural. Infelizmente, não conseguimos realizar a tarefa nos nossos testes: em um dos computadores, no Firefox 4 e no IE 8, a pÁgina ficou em um loop infinito sem instalar o app. No Chrome, após aceitar as permissões, o Safe Web solicitava-as novamente toda hora, sem que ficasse ativo no perfil. Em outra mÁquina, o resultado foi um pouco melhor, mas ainda longe do esperado: o Norton Safe Web for Facebook exibiu um aviso de manutenção. Menos mal. Provavelmente, escolhemos a hora errada para avaliar a função.

{break::Funcionalidades adicionais e desempenho}Outro recurso do Norton 360 é o agendamento de backups. Uma característica muito interessante é a de escolher conjuntos de backup, o que agiliza bastante a tarefa. Serve para quando você quiser salvar apenas suas músicas, por exemplo. Ou optar por guardar fotos e vídeos. E, é claro, também é possível configurar o backup para salvar tudo. O usuÁrio também pode criar algumas exceções facilmente, excluindo arquivos específicos do processo.



Depois, é só escolher o local do backup, que pode ser um disco rígido, uma unidade de CD/DVD ou Blu-Ray, um dispositivo USB removível ou um servidor online. Por fim, resta apenas a periodicidade do backup. As opções não são muito detalhadas, mas dão conta do recado: automÁtico (a tarefa começa quando o PC estÁ ligado, mas sem uso, desde que a unidade de armazenamento não seja uma mídia óptica), semanal, mensal ou manual. Nesse último caso, o backup só começa quando o usuÁrio mandar.



O processo é rÁpido e fÁcil. Para os diversos conjuntos de backups salvos, o Norton exibe uma lista para que o usuÁrio escolha qual deles deseja recuperar. É possível, ainda, escolher o local para onde irão os arquivos: o mesmo diretório de origem ou um novo destino. PrÁtica e eficiente, além de fÁcil de usar, a ferramenta de backup é um dos aspectos fortes do Norton 360.



Por fim, o Norton 360 tem a capacidade de manter uma rede doméstica protegida, evitando que os seus integrantes sejam infectados por conta de algum equipamento "doente". É preciso instalar o software em cada mÁquina que se deseja gerenciar – não é à toa que o programa é vendido com uma licença para até três PCs. O nível de confiança de cada dispositivo conectado pode ser ajustado separadamente, mas as ferramentas aqui não são muito intuitivas. Falta um controle fÁcil e rÁpido para fazer uma verificação remota em qualquer mÁquina da rede, por exemplo.

{image}


Com um amplo leque de funcionalidades, o Norton 360 é uma suíte de segurança e gerenciamento completo do sistema. E seu desempenho surpreende. Mesmo nos scans sob demanda com outras aplicações rodando, o desempenho do sistema não foi visivelmente prejudicado. Aconteceram alguns picos de atividade que, inclusive, podem ser monitorados no Norton Insight. Nada que demore muito ou chegue a congelar o PC.



Em netbooks, a situação fica um pouco mais crítica: nos nossos testes, em um processador Atom e 1GB de RAM, o software chegou a atingir um pico de 100%, mas a média de uso dos recursos do sistema ficou pouco superior a 50%. Um índice que poderia ser menor, mas não chega a inviabilizar o uso da mÁquina. Vale lembrar que a Symantec tem softwares específicos para esse tipo de equipamento, como é o caso do Norton Internet Security Netbook Edition e o próprio Norton 360 Netbook Edition.

De modo geral, o Norton 360 é sim um software leve, especialmente quando estÁ trabalhando "silenciosamente" em segundo plano, sem varreduras sob demanda. DÁ até para esquecer que o software estÁ rodando, tanto em mÁquinas de ponta quanto em computadores mais defasados, como uma mÁquina equipada com processador Pentium E2160 com 1.8GHz e 2GB de RAM. Vale lembrar que ele também passou no teste de desinstalação: o processo foi rÁpido e "indolor", sem deixar rastros e nem prejudicar o funcionamento do sistema.

{break::Conclusão}O Norton 360 é um software que oferece um nível a mais de proteção para o usuÁrio. Com ótimas taxas de detecção de malwares, poucos falsos-positivos e um sistema de quarentena realmente funcional, que dÁ ao utilizador um controle maior sobre seus próprios arquivos, a novidade da Symantec é mais uma boa opção entre as diversas suítes de segurança do mercado.

Sua interface não é das mais bonitas e intuitivas, mas deve agradar aos clientes fieis à marca Norton. De qualquer forma, o painel inicial oferece o acesso rÁpido às funções mais importantes, o que facilita as atividades para quem não quiser se aprofundar muito no software. Alguns pequenos detalhes incomodam e parecem deixar o visual um pouco mal acabado, como é o caso dos ícones em baixa resolução na parte inferior da janela principal e da animação esquisita que o Norton faz para exibir o painel "desempenho". Por fim, a predominância do preto em certas Áreas é uma escolha que deixa o visual do software um pouco "pesado".

Ponto para a Symantec no desempenho e nos recursos de backup. O Norton 360 é pouco intrusivo, bastante leve e costuma executar suas tarefas rapidamente. Inclusive, passa muitas vezes despercebido pelo usuÁrio. A varredura sob demanda apresenta ótima performance e consome poucos recursos da mÁquina, apresentando apenas alguns poucos picos de atividade. A configuração dos backups é intuitiva e prÁtica, assim como a recuperação dos arquivos. É uma ótima ferramenta para proteger ainda mais o sistema e suas informações pessoais de possíveis danos.

Não podemos deixar de citar o controle familiar, recurso fundamental para pais que querem proteger suas crianças de conteúdos perigosos. A possibilidade de monitorar remotamente a atividade dos filhos pode parecer invasiva e "paranóica", mas não deixa de ser uma comodidade que vai deixar algumas famílias muito mais tranquilas.

É uma pena que os complementos para o Safe Web e o Identity Safe ainda não estejam funcionando no Firefox 4, apenas no Internet Explorer 8. Resta esperar futuras atualizações da Symantec para tornar as extensões compatíveis com outros navegadores, que vêm conquistando mais usuÁrios. No mais, o software funciona bem. Ótimo desempenho, recursos extras interessantes e, o fundamental: uma proteção efetiva contra ameaças digitais.


PRÓS
Ferramenta de backup simples e intuitiva
Ótimo desempenho
Arquivos suspeitos vão direto para a quarentena
FÁcil acesso ao verificador da reputação de URLs
CONTRAS
A interface ainda pode melhorar
Faltam controles mais intuitivos nos ajustes de rede
Safe Web precisa de refinamento para aumentar a compatibilidade com os browsers
Encontrar os nomes e localização das infecções é um caminho tortuoso
Assuntos
Tags
  • Redator: Risa Lemos Stoider

    Risa Lemos Stoider

    Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e gamemaníaca desde os 4 anos de idade. Já experimentou consoles de várias gerações e atualmente mantém uma ainda modesta coleção. Aliando a prática jornalística com a paixão pela tecnologia e os games, colabora com a Adrenaline publicando notícias e artigos.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.