ANÁLISE: Asus Crosshair IV Extreme

ANÁLISE: Asus Crosshair IV Extreme

A Asus tem duas séries de mainboards voltadas ao público entusiasta: Crosshair e Rampage, destinadas a processadores AMD e Intel, respectivamente.

Hoje iremos analisar o último lançamento da linha Crosshair, precisamente o modelo Crosshair IV Extreme, que suporta o que há de melhor quando falamos em processadores AMD. Como "bônus", traz um chip da Lucid integrado, suportando, assim, cascateamento de placas de vídeo de diferentes marcas e modelos.

Asus CrossHair IV Extreme
Como destacamos acima, a Crosshair IV Extreme é o que de melhor existe por parte da Asus para o socket AM3 da AMD. A placa-mãe é baseada no conjunto de chipsets AMD 890FX + SB850 e traz como características principais o suporte aos processadores mais recentes da AMD, como os modelos Phenom II X6 de seis núcleos, e a memórias DDR3 com overclock até 2133MHz (overclocked).

Abaixo, as principais características da placa:

  • Suporte a processadores AM3, incluindo a série AMD Phenom II X6
  • Suporte a memórias Dual DDR3 2133 (O.C.)
  • Suporte à tecnologia HydraLogix Engine da Lucid
  • ROG Connect- Sistema de monitoramento de características da mainboard
  • RC Bluetooth - Tecnologia de controle remoto de funções da mainboard
  • USB BIOS Flashback - Sistema de segurança para problemas de BIOS
  • Conexões USB 3.0
  • Conexões Sata 6GB/s
  • Core Unlocker
  • Cópia original do 3DMark Vantage Advanced

Assim como outros modelos diferenciados, essa placa também leva o selo Republic of Gamers, conhecido também como ROG. Tal selo é destinado ao público gamer que, além das funcionalidades normais de uma placa-mãe, procura características únicas com destaque ao ganho de desempenho através de overclock.

{break::HydraLogix 200}

Um dos grandes diferenciais da Asus Crosshair IV Extreme está na presença do HydraLogix 200.

Anteriormente chamado de Lucid Hydra 200, o chip SoC (Silicon on Chip) da Lucid que integra várias funções eletrônicas em uma única pastilha de silício passou a se chamar simplesmente de HydraLogix 200.

Apresentado inicialmente em 2008 na versão Hydra 100 e mais recentemente durante a Intel Developer Forum 2009 com o modelo mais refinado e moderno, o Hydra 200, o chip SoC da Lucid chegou fazendo grande "barulho" na mídia especializada, ao prometer o uso de múltiplas GPUs simultaneamente sem o artifício do SLI/Crossfire ou qualquer solução paliativa via software.

- Continua após a publicidade -

Utilizando-se da mais alta tecnologia, basicamente o que o HydraLogix 200 faz é interceptar os comandos das APIs gráficas (OpenGL/DirectX) que tramitam entre CPU e GPU e balanceá-las através das placas 3D presentes no sistema. Assim, as informações finais são lidas pelo chip da Lucid que se encarrega de enviar tais dados para a GPU principal que processa a imagem na tela.

Uma grande vantagem da tecnologia em relação ao SLI/Crossfire é o fato de se poder conectar VGAs de diferentes categorias (desempenhos), como por exemplo, utilizar uma GeForce GTX 580 junto com uma GTX 460. Tudo de forma simples e transparente para o usuário. E o mais importante: com ganho real de performance para o sistema.

Para quem ainda não se convenceu da tecnologia, é possível ainda conectar GPUs de fabricantes diferentes. Assim, será possível, por exemplo, que os donos de Radeons possam se beneficiar da tecnologia PhysX presentes nas GeForces.

O HydraLogix 200 tem em seu “coração” um processador RISC de 32bits com clock de 300Mhz com litografia em 65nm e TDP de apenas 6W.

O Hydra 200 tem quatro versões: LT22102, LT22114, LT24102 e LT22104 UNITY 32 lanes PCIe Gen 2.0 SoC.  O modelo utilizado na placa mãe Asus Crosshair IV Extreme é o LT24102, composto de uma conexão PCIe Gen 2.0 de 48 camadas com conectividade de mudança e comunicação ponto a ponto com ponto final incomporporado. O chip SoC conta com uma porta x16 upstream e duas x16 downstreams do tipo configurável para até 4 x8, sendo, portanto uma solução ideal para sistemas multi-GPUs. A porta upstream é tipicamente conectada ao North Bridge do chipset do sistema, ou diretamente ligada ao host do processador. Já as portas downstreams são ligadas em até quatro GPUs de qualquer fabricante ou modelo, sejam da AMD ou NVIDIA.

- Continua após a publicidade -

O ponto final incorporado é formado pelo processador RISC e por engines DMA (de acesso direto à memória) usados por algoritmos próprios da Lucid.

Vale ressaltar que a AMD e NVIDIA utilizam métodos similares para implementar suas soluções multi GPUs, basicamente modelos baseados no recurso Alternate Frame Rendering (AFR) e Split Frame Rendering (SFR). No primeiro caso, cada GPU renderiza frames/quadros inteiros em sequência - uma trabalhando com os frames ímpares e outra ficando responsável pelos pares, um após o outro. Quando a placa escrava/secundária finaliza o processo de um quadro (ou parte dele), os resultados são enviados para a VGA principal, que, então, mostra o frame por completo. Já no segundo método, a imagem processada é analisada a fim de dividir a carga de trabalho em duas partes iguais entre as GPUs. Para isso, o frame/quadro é dividido horizontalmente em várias proporções, dependendo da geometria. Vale destacar que o SFR não escalona a geometria ou trabalho tão bem como o AFR.

Por outro lado, o método de implementação multi GPU da Lucid é bem mais complexo, prometendo ainda sanar os “Calcanhares de Aquiles” dos dois métodos. Enquanto no SFR o “gargalo” está na necessidade de todas as GPUs para replicar todas as texturas e dados de geometria, e portanto, permanecendo com as limitações das geometrias de shaders e largura de banda de uma única GPU; no AFR, a limitação está na latência introduzida pela alternância dos frames entre as GPUs e a latência necessária pela resolução da dependência entre os frames.

A unidade de processamento HydraLogix é projetada para ligar tanto o North Bridge quanto o processador. Essa abordagem necessita tanto do chip HydraLogix de forma dedicada, quanto de um driver bastante inteligente. Normalmente, o driver da VGA iria lidar com os comandos do DirectX e OpenGL. Contudo, o driver da Lucid atua como “meio de campo” no processo.

O mecanismo de distribuição, como é chamado pela Lucid, é responsável por ler as informações passadas a partir do jogo ou aplicativo DirectX antes de chegar aos drivers da NVIDIA ou AMD. Lá, a engine quebra os vários blocos de informação em "tarefas" - uma tarefa é um trabalho específico que HYDRA define que pode ser passado para qualquer uma das GPUs (máximo de quatro) no sistema. Uma tarefa pode ser algo como um efeito de iluminação específico, uma passagem de pós-processamento, um determinado modelo que está sendo desenhado etc.

Uma vez que as tarefas foram criadas, elas são enviadas através do barramento PCI Express para o chip Hydra, onde são rapidamente processadas e divididas entre as GPUs. A Engine  HYDRA passa ao largo dessas tarefas para a GPU, esperando pelo resultado e o retorno dos dados acabados ou pixels e, em seguida, é responsável por passar essa informação a uma das GPUs para a saída final para o monitor.

Essencialmente por interceptar as chamadas do DirectX do jogo para as placas gráficas, a Engine HYDRA é capaz de dividir inteligentemente a carga de processamento em vez de utilizar apenas a “força bruta” dos métodos de AFR e SFR  como acontecem atualmente com as tecnologias SLI e CrossFire. E para completar, de acordo com Lucid, todo este método é feito com praticamente nenhuma interferência da CPU e sem latência em relação ao processamento de uma única GPU.

- Continua após a publicidade -

Outro segredo do sucesso da tecnologia está na habilidade de equilibrar as cargas de trabalho entre os diversos tipos de chips gráficos. Isso é possível graças à utilização de alguns pontos chaves, como por exemplo, o conhecimento pré-existente do time de engenheiros da Lucid sobre uma GPU em questão e o tempo de resposta da GPU quando está sendo enviado dados do HydraLogix. O Driver Hydra irá automaticamente reconhecer as GPUs e estimar o quanto de poder de processamento de cada uma, para então fazer o ajuste fino baseado na estimativa real de processamento em tempo real de cada GPU. Por exemplo, se ao enviar uma tarefa a uma GPU o tempo de resposta for abaixo do esperado, a Engine Hydra vai diminuir a carga de trabalho para este GPU e enviar mais tarefas para a(s) GPU(s) com menos carga de trabalho. Tudo isso é feito em tempo real e em um piscar de olhos.

Portanto, com a capacidade de dividir o processamento gráfico em tarefas e monitorar a carga da GPU, a Engine HYDRA consegue oferece alguns tipos interessantes de escalonamento entre as GPUs.

{break::Especificações}Abaixo, as especificações completas da placa, incluindo as tecnologias suportadas e conexões disponíveis, assim como slots para placas adicionais.

Processadores suportados
AMD Socket AM3: Phenom™ II/Athlon™ II/Sempron™ 100 Series
Compatível com AMD 140W CPU
Tecnologia Cool 'n' Quiet™
Suporta processadores de 45nm

Chipset
AMD 890FX/SB850
Até 5200 MT/s Até 5200 MT/s ; HyperTransport™ 3.0

Memória
4 x DIMM, Máximo de 16 GB, DDR3 2133(O.C.)/2000(O.C)/1600/1333/1066 ECC, Non-ECC, Un-buffered Memory
Arquitetura da memória: Dual Channel

Slots de Expansão
5 x PCIe 2.0 x16 (dual em @ x16, triplo em @x16, quad em @x16 x16 x8 x8)
1 x PCI 2.2

Multi-GPU Support
Suporta a tecnologia ATI CrossFire™X e HydraLogix Engine

Armazenamento
SB850 Chipset
6 x portas SATA 6.0 Gb/s com suporte a RAID 0,1,5,10
2 x controladoers JMicron® 363
2 x portas SATA 3Gb/s (Cinza)
1 x Porta externa com energia SATA 3Gb/s no painel traseiro (SATA On-the-Go)
1 x Porta externa SATA 3Gb/s no painel traseiro (SATA On-the-Go)
* Devido a limitações dos sistemas operacionais Windows XP/ Vista, discos em RAID com capacidade acima de 2TB não podem ser selecionadas como discos boot. Discos em RAID com capacidade acima de 2TB podem apenas ser selecionados como discos de dados.

LAN
Intel® Gigabit LAN

Áudio
- 8 canais de áudio de alta definição
- Suporta Blu-ray audio layer content protection
- Suporta Jack-Detection, Jack-Retasking, Multi-streaming, no painel frontal
- Suporta 1 saída óptica S/PDIF no painel traseiro de I/O

USB
NEC USB3.0 Controller:
- 2 x portas USB 3.0/2.0 painel traseiro

AMD SB850 chipset:
- 13 x portas USB 2.0/1.1 (6 portas integradas na placa, 6 portas no painel traseiro, 1 porta do painel traseiro está destinada ao ROG connect)

ASUS AI Lifestyle Features
CPU Level Up
MemOK!
Onboard Switches: Power / Reset / Core Unlocker / Clr CMOS (at rear)
Q-Fan Plus
ASUS Fan Xpert
ASUS Q-LED (CPU, DRAM, VGA, Boot Device LED)
ASUS Q-Connector
ASUS Q-Shield
ASUS Q-Fan 2
ASUS EZ Flash 2
ASUS CrashFree BIOS 3
ASUS MyLogo 3

Características de Overclocking
ROG Connect
RC Bluetooth
ROG iDirect
Power Design:
- Projeto de energia de 8+2 fases para o processador
USB BIOS Flashback
BIOS Flashback
Extreme Tweaker
ProbeIt
iROG
PCIe x16 Lane Switch
Loadline Calibration
Intelligent overclocking tools:
- ASUS TurboV Evo
- O.C Profile
Overclocking Protection:
- COP EX (Component Overheat Protection - EX)
- Voltiminder LED
- ASUS C.P.R.(CPU Parameter Recall)

Painel traseiroI/O Portas
2 x SATA Externo
1 x S/PDIF Out (Optical)
1 x IEEE 1394a
1 x Porta RJ45
8 Canais de Áudio I/O
1 x Clr CMOS switch
1 x Porta PS/2 para teclado (Roxo)
2 x Portas USB 3.0/2.0
7 x Portas USB 2.0/1.1 (1 porta destinada ao ROG Connect)
1 x Interruptor ROG Connect On/Off
1 x Interruptor RC Bluetooth

Conectores Internos I/O
3 x Conectores USB com suporet a 6 portas USB 2.0 adicionais
1 x Conector IEEE 1394a
1 x Conector de saída S/PDIF
1 x En/Dis-able Clr CMOS connector
Conector de Áudio para o Painel Frontal
Painel de Sistema connector
8 x Conectores SATA: 6 x Conectores SATA 6Gb/s (vermelho) 2 x Conectores SATA 3Gb/s(Cinza)
8 x Conectores para ventoinha: 1 x processador / 1 x PWR / 3 x Gabinete / 3 x Opcionais
7 x Ponto de mensuração ProbeIt
3 x Conectores de sensor térmico
1 x Conector de energia de 24-pinos ATX
1 x Conector de energia de 8-pinos ATX 12V
2 x Conectores de energia EZ 4-pinos Molex
1 x OC Station header
1 x RC Bluetooth header
1 x Interruptor Core unlocker
1 x Botão Ligar
1 x Botão Resetar
1 x Go Button
1 x BIOS switch button
1 x Conector para ventoinha de sensos térmico
1 x Conector ROG light

BIOS
16 Mb Flash ROM AMI BIOS, PnP, DMI2.0, WfM2.0, SM BIOS 2.4, ACPI2.0a Multi-Language BIOS

Gerenciamento
WOL by PME,WOR by PME,PXE

Acessórios
Manual do Usuário
1 x I/O Shield
1 x Cabo ROG Connect
1 x Cabo ProbeIt
1 x 2-em-1 ASUS Kit Q-Connector
3 x 2-em-1 SATA 6.0Gb/s
1 x 2-em-1 SATA 3.0Gb/s
1 x Módulo multi-funcional (1-porta IEEE 1394a + 2-portas USB2.0)
1 x Cabo de sensor termal
1 x Cabo Crossfire
1 x Cabo Ties Pack
1 x ROG Theme Label
1 x 12-em-1 Cabo ROG
1 x Placa RC Bluetooth

Bluetooth Accessory Card
Bluetooth V2.0/V2.1+EDR
RC Bluetooth interruptor On/Off

CD de Suporte
Drivers
Kaspersky® Anti-Virus
ASUS AI Suite II
3DMark Vantage

Formato
Extended ATX
12 polegadas x 10.6 polegadas (30.5 cm x 26.9 cm)

{break::Fotos}Nas fotos abaixo podemos ver o excelente acabamento da Asus para esse modelo. Acabamento que, diga-se de passagem, já é conhecido em toda a série "Extreme" com o selo "Republic of Gamers", sempre com modelos diferenciados tanto em tecnologia como visual.

Através da tecnologia ROG Connect e uma versão do aplicativo destinada a Android, conseguimos fazer o gerenciamento de algumas funcionalidades de overclock direto do smartphone. Abaixo, algumas fotos demonstrando a tecnologia, que faz a conexão pelo próprio Bluetooth da placa.

BIOS
A BIOS, como já era de se esperar, traz diversas opções avançadas para overclock, afinal foi esse o público que a Asus visou quando desenvolveu a placa. Abaixo, algumas telas.

{break::Máquinas/Softwares utilizados}Fizemos uma série de testes com essa placa, entre eles alguns comparando-a com uma mainboard baseada no chipset 890GX, muito semelhante ao 890FX, tendo como principal diferença o fato de vir com vídeo integrado.

Também fizemos uma série de testes com a tecnologia HydraLogix, como já destacado, um dos grandes atrativos da placa.

Máquinas utilizadas nos testes:
- Motherboards: Asus Crosshair IV Extreme e Gigabyte 890GPA-UD3H
- Processador AMD Phenom II X4 965 BE @ 3.4 GHz
- Memórias 4 GB DDR3-1600MHz G.Skill Trident
- HD 1TB Sata2 Wester Digital
- Fonte XFX 850W
- Cooler Master V8

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 7 64 Bits com Updates
- ATI Catalyst 10.9
- ForceWare 260.89
- HydraLogix Drivers 1.6.108

Aplicativos/Games:
- WinRAR 3.93
- Sandra Lite 2010 (16.67)
- CineBENCH 11.5
- wPrime 2.03
- 3DMark Vantage
- Aliens vs Predator
- Metro 2033

CPU-Z
Abaixo temos algumas telas do CPU-Z, mostrando as principais características da placa e sistema.


{break::Winrar, Sandra, CineBench, wPrime}WinRAR
Como destacamos na página anterior, fizemos alguns testes comparativos e, para isso, utilizamos a placa 890GPA-UD3H. Como já era de se esperar, praticamente não existe diferença de desempenho, afinal os chipsets são bastante parecidos.

{benchmark::995}

SiSoftware Sandra 2010
Com o Sandra tivemos um único teste que acabou dando diferença significativa, Processor Arithmetic, mesmo assim de apenas três pontos. Os demais, como vemos, resultam em um empate técnico.

{benchmark::996}

CineBENCH 11.5
Com o teste do CineBench, que faz a renderização de uma imagem, novamente as placas ficam empatadas tecnicamente.

{benchmark::997}

wPrime
Por fim, o stress test do wPrime também comprovou o que já vimos nos testes anteriores: pouco muda de um modelo para outro quando utilizando o mesmo chipset ou chipset de mesma série como é o caso dos modelos comparados. A diferença foi muito pequena, de pouco mais de um segundo, agora a favor da placa da Gigabyte.

{benchmark::999}

{break::Overclock}Logicamente, fizemos um teste com o processador overclockado, afinal esse é um dos grandes atrativos da Crosshair IV Extreme. Colocamos nosso AMD Phenom II X4 965BE trabalhando a 4GHz, sendo que o clock default é 3.4GHz. A placa possui configurações avançadas e vai agradar usuários que gostam da prática de overclock.

A própria BIOS da mainboard traz alguns perfis, entre eles, a possibilidade de colocar facilmente o processador a 3.9GHz, recurso razoável e muito atrativo, principalmente a usuários inexperientes. Se tivéssemos mais tempo, poderíamos ter ido um pouco além, já que possibilidades a mainboard oferece.


WinRAR
Com o overclock realizado, tivemos ganho de pouco mais de 150 pontos com o WinRAR. Pouco, mas compreensível.

{benchmark::1004}

CineBENCH 11.5
Já com o CineBench tivemos um resultado um pouco melhor, quase 20% de ganho na performance.

{benchmark::1005}

wPrime
Com o wPrime o ganho de desempenho com o sistema overclockado foi de 45 segundos, que representam quase 15%.

{benchmark::1007}

{break::HydraLogix, 3DMark Vantage}Agora vamos aos testes mais aguardados desta review, utilizando a tecnologia Hydralogix da Lucid, que consiste em unir forças de placas de vídeo. Seu diferencial é a capacidade de utilizar modelos de marcas diferentes e não apenas modelos distintos da mesma marca. Isso quer dizer que iremos ver placas como a ATI Radeon HD 5850 trabalhando em conjunto com uma Nvidia GeForce GTX 460, algo inimaginável há algum tempo.

Antes dos testes, vamos esclarecer alguns pontos sobre essa tecnologia. Assim como Crossfire e SLI, para obter um bom resultado é necessário suporte por drivers. Como se não fosse algo complexo, a Lucid ainda precisa se preocupar com os games, para aí sim conseguir tirar proveito da tecnologia. Mas, então, vem um outro porém. Quando falamos de Crossfire ou SLI, falamos de unir forças de duas placas com mesmo chip e não é possível utilizar modelos diferentes. Já com HydraLogix, as possibilidades são muito maiores, mas em diversas combinações o resultado pode ser ZERO, como acontecia antigamente e ainda acontece com Crossfire e SLI em algumas situações, dependendo das placas e games utilizados.

Escolhemos placas de segmento intermediário, precisamente os modelos Radeon HD 5850 e 5770 por parte da ATI, e GeForce GTX 460 de 1GB da Nvidia. Dessa forma, além dos resultados com as placas em modo "single", fizemos mais combinações: 5850+5770, 5850+GTX460 e GTX460+5770. Unimos também duas GTX460 via HydraLogix sem o conector unindo as placas, já que a mainboard não suporta SLI, além de Crossfire de 5770. Dessa forma, podemos ver bem o comportamento dos cascateamentos em diversas situações e, melhor ainda, comparar com um Crossfire.

Vale destacar que existem slots específicos na mainboard destinados à combinação Crossfire e via HydraLogix. Então, antes de colocar as placas, é importante conferir o manual da placa.

Abaixo, algumas telas dos drivers, fotos do sistema e placas e uma imagem do sistema rodando o 3DMark Vantage, destacando a parte superior esquerda da tela. Ali, o sistema acusa que a tecnologia está funcionando, inclusive a versão do DirectX, e também especifica o modo do cascateamento, neste caso o X-Mode, utilizado para caracterizar placa ATI+Nvidia.

3DMark Vantage
Começamos os testes com o 3DMark Vantage, com as duas GTX 460 tomando o topo da tabela, sempre lembrando que elas não estão trabalhando em SLI, já que a mainboard não suporta tal tecnologia. Dessa forma, elas estão sendo gerenciadas pela tecnologia HydraLogix, o que torna o resultado ainda mais impressionante, afinal o ganho sobre uma GTX 460 trabalhando sozinha foi de 60%.

Na segunda e terceira posição temos resultados realmente interessantes, afinal tratam-se de placas da ATI e Nvidia trabalhando juntas. A combinação de uma 5850 com uma GTX 460 ficou cerca de 20% atrás das duas GTX460, mas mostra que a "união" de forças em marcas e modelos diferentes é uma realidade e totalmente possível.

Reparem também que a combinação GTX460+5770 ficou à frente da 5850+5770, curioso não? Temos que nos acostumar que, em muitas situações, modelos de mesma marca não vão trazer o melhor resultado.

Para finalizar, o ganho em performance das 5770 em Crossfire para uma 5770 trabalhando sozinha foi de 60%, semelhante ao HydraLogix de GTX460.

{benchmark::1024}

{break::Hydralogix: Aliens vs Predator}Começamos os testes em games com o Aliens vs Predator, de novo com resultados bastante curiosos. AS duas GTX 460 novamente alcançam resultados incríveis, praticamente um SLI, mas sem nenhum bridge fazendo a ponte entre as placas. Em ambas as resoluções tivemos praticamente 90% de ganho das placas combinadas sobre uma única GTX460.

Agora, aproximando a segunda colocada das GTX460, temos a combinação 5850+GTX460, mostrando um desempenho incrível. Alguém imaginaria isso?

Nas demais combinações vemos o que destacamos na parte introdutória dos testes com a tecnologia Hydralogix. Devido à dificuldade e à grande variedade de combinações, em muitos casos praticamente não existe diferença. No caso do Aliens vs Predator vemos alguns exemplos, como a 5850+5770, que ficou apenas 2,1 FPS na frente de uma 5850, ganho que a placa teria facilmente se fosse overclockada.

{benchmark::1026}

{benchmark::1027}

{break::HydraLogix: Metro 2033}Em nosso último teste com a tecnologia HydraLogix vamos testar o comportamento das placas e combinações sobre o Metro 2033.

Assim como no 3DMArk Vantage e AvsP, a melhor combinação foi das duas GTX 460. Podemos até dizer que era algo esperado por serem duas placas iguais, mas ao mesmo tempo curioso por não estarem trabalhando em SLI com o bridge unindo as placas, e sim pela tecnologia HydraLogix. O ganho dessa combinação sobre uma única GTX 460 foi superior a 50%.

Na segunda colocação temos a combinação 5850+GTX460, que novamente comprova ser possível unir força de placas de diferentes marcas. O ganho da combinação sobre uma única GTX460 é de cerca de 40%.

Nas demais combinações não temos ganho de performance. No caso da GTX460+5770 temos perda de desempenho, algo possível, como destacado anteriormente, e que acontecia muito quando as tecnologias SLI e Crossfire chegaram ao mercado.

{benchmark::1029}

{benchmark::1030}

{break::Conclusão}Aos interessados em comprar uma placa mãe TOP de linha para a plataforma AMD AM3, é possível que a Asus Crosshair IV Extreme seja a melhor placa do mercado, principalmente se você é um usuário amante de overclock e que gosta de inovações como é o caso da tecnologia HydraLogix.

A mainboard, assim como todas da linha "Extreme" da Asus, se destaca pelo excelente acabamento, visual muito imponente e tecnologias de ponta. Algumas não são tão usadas, como a de controlar características de overclock direto de um smartphone, mas mostram o comprometimento da Asus em busca de novas tecnologias, sempre visando se diferenciar da grande maioria de empresas do ramo. Convenhamos, algo que ela faz muito bem.

A placa possui diversos botões e leds. Os botões são muito práticos para quem utiliza sistema aberto, inclusive com controle do barramento dos slots PCI. Já os leds informam como está o andamento da placa e seus componentes, se a placa de vídeo estiver com problema, um led específico informará tal problema.

O chip HydraLogix da Lucid, mesmo que para muitos não passe de uma tecnologia interessante, mas que ainda precisa amadurecer, é o principal atrativo da placa ao meu ver. Posso dizer que esperava muito menos: primeiro porque foi possível tirar algumas dúvidas, inclusive uma que sequer existia inicialmente e, na verdade, não esperava. Estou falando do fato de duas GTX460 trabalharem perfeitamente bem juntas como se estivessem em SLI, mas sem nenhum conector fazendo a ligação entre as placas, o que é necessário na tecnologia. Também constatamos algo que era muito difícil de acreditar há pouco tempo: a possibilidade de placas de marcas diferentes trabalharem juntas. Vimos que a combinação 5850+GTX460 funcionou muito bem. Em alguns casos, como nos games, ficaram bem próximas das combinação entre placas da Nvidia. Se a Lucid, que desenvolve a tecnologia, tiver apoio e continuar nesse caminho, podemos cada vez mais ter bons resultados. Quem sabe, futuramente, esteja presente em mais mainboards, até mesmo direto nas placas de vídeo ou através de uma placa add-on ao invés do chip integrado na placa mãe.

Seu preço está dentro da realidade dos modelos TOP de linha: é alto, mas condizente pelas tecnologias oferecidas e pelo acabamento da placa.


PRÓS
Excelente acabamento
Muito boa para overclock, traz controles avançados
Acompanha "placa" Bluetooth
Tecnologias diferenciadas como ROG Connect
Botões de ações diretas na placa, como "Go Button" e "Probe IT", Power, Reset etc
HydraLogix agradará a muitos pelo conceito de unir placas de marcas e modelos diferentes
CONTRAS
Assuntos
Tags
amd
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.