ANÁLISE: Sony Ericsson Xperia X10

ANÁLISE: Sony Ericsson Xperia X10

Unir a mobilidade dos smartphones com a versatilidade em encontrar amigos e manter contatos através das redes sociais. É nisso que as companhias do ramo da telefonia móvel têm investido.

Para não ficar pra trÁs, a Sony Ericsson aposta agora em seu primeiro aparelho Android e deu a ele um toque todo especial: o Timescape e o Mediascape, recursos desenvolvidos pela companhia para agregar e gerenciar contatos e arquivos multimídia.

 

O Xperia X10, lançado em fevereiro nos Estados Unidos e no final de abril aqui no nosso país, impressiona logo de cara pelo tamanho da tela: são 4 polegadas e 480 x 854 pixels de resolução, capaz de exibir 65 mil cores.

As dimensões do aparelho, avantajadas para o padrão dos smartphones, dão a leve impressão de que se estÁ manuseando um tablet. Mas isso não significa que o aparelho é um "trambolho". Pelo contrÁrio, sua leveza e a espessura mínima tornam o Xperia X10 um celular elegante e confortÁvel.

Ainda por cima, os 8GB de memória no cartão micro SD incluso garantem espaço suficiente para armazenar e ouvir músicas, assistir a vídeos e guardar as fotos capturadas com a câmera de 8 megapixels embutida.

O Adrenaline testou o aparelho e desdobrou as suas funcionalidades. O resultado, você confere nas pÁginas a seguir.

{break::Overview e especificações}


Tamanho: 119.0 x 63.0 x 13.0 mm
Peso: 135 g
Tipo de bateria: Li-polymer 1500 mAh
Frequências GSM: 850 / 900 / 1800 / 1900  
GPRS: Sim
3G: Sim
HDSPA: Sim
Cores disponíveis: Preto / branco
Resolução: 480 x 854 pixels
Resolução da câmera: 8.1 megapixels
Flash: Sim (LED)
Gravação de vídeo: Sim
Formatos de Áudio: MP3/eAAC+/WMA/WAV
Formatos de vídeo: MP4/H.263/H.264/WMV
RÁdio FM: Não
Entrada de fone de ouvido: 3.5mm
Cartão de memória: microSD de 8GB incluído
Expansão de memória: Sim (até 32GB)
Infravermelho: Não
Bluetooth: Sim
Wi-Fi: Sim
USB: Sim
GPS: Sim
Sistema operacional: Android

- Continua após a publicidade -

Conteúdo da embalagem

  • Smartphone Sony Ericsson Xperia X10
  • Carregador
  • Cabo de dados
  • Manual
  • Cartão de memoria 8Gb
  • Fone de ouvido stereo.

{break::Design e tela}À primeira vista, o Xperia X10 parece grande e quadradão. Porém, sua traseira tem um acabamento fosco e levemente arredondado, o que deixa o aparelho bem confortÁvel nas mãos.


A quase totalidade do preto é quebrada pelos detalhes em prata nas laterais, sendo que a direita abriga os botões de volume (ou zoom, caso o modo câmera esteja ativado) e outro botão para disparo da câmera.


Na parte inferior, estão os três botões clÁssicos dos smartphones com a plataforma Android, também prateados. O primeiro deles abre o menu referente à tela em que o usuÁrio estÁ. O segundo, pressionado rapidamente, ativa a tela inicial do aparelho. Caso o usuÁrio mantenha esse botão pressionado, terÁ outro efeito: a exibição das tarefas em andamento e aplicativos abertos. Por fim, a última tecla física é o "voltar", com a função de retornar às telas acessadas anteriormente. Entre os botões, hÁ um led azulado que acende quando o aparelho estÁ ligado, um detalhe que incrementa o visual.


Acima, fica o botão de liga/desliga, acompanhado do conector de 3.5mm para fone de ouvido e da entrada micro-USB, protegida por uma tampinha. A traseira traz o logotipo da Sony Ericsson em alto relevo e a câmera, bem como o flash LED. Retirando essa tampa, tem-se o compartimento da bateria, do cartão SIM e do micro SD.


Dimensões avantajadas
A tela é o grande atrativo do Xperia X10, ocupando quase a totalidade da parte frontal do celular. Lado a lado com o iPhone, a diferença parece mínima, mas o formato mais retangular do Xperia X10 faz com que o aparelho, na prÁtica, fique ainda maior.

- Continua após a publicidade -

São 4 polegadas de display sensível ao toque capacitivo, com resolução de 480x854 pixels, porém, nada de multitouch. Não chega a ser uma desvantagem: o aparelho trabalha muito bem com comandos ativados através de apenas um dedo. O acelerômetro garante a rotação automÁtica do display quando o telefone é posicionado na horizontal, embora, algumas vezes, esse processo demore cerca de 2 ou 3 segundos. Nada que atrapalhe muito, tendo em vista que, na maioria das vezes, a rotação da tela é instantânea.

Assim que se liga o aparelho, é preciso arrastar uma seta deslizante para liberÁ-lo, similar ao comando do iPhone. A diferença é que, no Xperia X10, a trajetória é curva e nem sempre tão fÁcil de acertar de primeira. Com isso,o usuÁrio ativa a tela principal do smartphone, que exibe as atualizações do Timescape – recurso que serÁ detalhado mais adiante -, a data e a hora, quatro botões referentes ao Timescape, Mediascape, Mensagens e Discador e uma barra superior também com o horÁrio, além do indicador de bateria e do sinal do serviço e da conexão Wi-Fi (quando conectado) e Bluetooth.


Quando arrastada para baixo, a barra dÁ lugar a uma tela com as últimas notificações, também útil na hora de plugar seu telefone no computador para transferência de arquivos. É nessa tela que o usuÁrio monta o dispositivo USB para que o cartão microSD do telefone seja reconhecido como uma unidade de armazenamento removível pelo PC.

Arrastando a tela, à esquerda, surge uma tela secundÁria com os sites mais visitados e o histórico de navegação. Ali, podem ser incluídos vÁrios widgets, como um relógio analógico, atualizações do Facebook ou mesmo um quadro de fotos, transformando essa tela em uma espécie de mini-Álbum. Também é possível adicionar pastas, como a de amigos do Orkut, por exemplo, através da qual o usuÁrio tem acesso direto aos perfis de cada amigo e pode enviar recados facilmente.


A terceira tela, à direita, também é completamente personalizÁvel e vem, como padrão, com uma barra de pesquisa do Google e uma barra de configurações rÁpidas de redes sem fio e um botão para ativar ou desativar o modo silencioso. O papel de parede também pode ser alterado e as opções variam entre a própria biblioteca de imagens do telefone e as imagens armazenadas pelo próprio usuÁrio.


Para acessar as configurações do telefone, pode-se tanto arrastar qualquer dessas telas para cima e selecionar "configurações" no menu que surgir, quanto pressionar o primeiro botão físico do aparelho e selecionar "configurações". Da primeira forma, porém, o usuÁrio tem acesso a todas as funcionalidades do aparelho, desde ajustes de alarme (que ficam separados das configurações gerais do aparelho, que incluem hora e data), até o acesso ao Android Market, Youtube e aplicativos do Office.


{break::Timescape e Mediascape}Embarcando na onda das redes sociais, a Sony Ericsson tratou de dar o seu toque pessoal à interface do Android. O Timescape e o Mediascape são o grande atrativo do Xperia X10, especialmente para quem não desgruda dos seus contatos e gosta de twittar todo o tempo.

O Timescape é uma espécie de linha do tempo dos últimos acontecimentos, que engloba tweets, atualizações do Facebook, novas mensagens SMS, chamadas recebidas, e-mails, últimas músicas ouvidas, além de vídeos assistidos e gravados e fotos mais recentes. Caso o usuÁrio opte por exibir o Timescape na tela inicial do aparelho, a ação mais recente fica à mostra no display. Clicando nela, o usuÁrio é levado imediatamente à interface do Timescape, onde pode conferir de modo organizado tudo o que aconteceu enquanto o aparelho estava ligado. É possível desativar essa funcionalidade, de forma que as atualizações apareçam somente através do menu de aplicativos.


São vÁrias "linhas do tempo", divididas em abas na interface do Timescape, cada uma referente a uma funcionalidade ou rede social. Nos nossos testes, o celular demorou um pouco para exibir os últimos e-mails recebidos do Gmail. Mas funciona muito bem com o Twitter, por exemplo, exibindo, a cada instante, as atualizações dos usuÁrios seguidos.

- Continua após a publicidade -

Infelizmente, o celular automaticamente puxa a imagem do perfil que, como se sabe, é minúscula. Na tela do aparelho, a imagem é "esticada" e perde muito a qualidade, o que prejudica a estética desse recurso. No entanto, em imagens do Facebook ou fotografias dos contatos, o resultado é bem melhor.


Outro recurso interessante é o botão "infinito". Com ele, é possível obter todas as informações e atualizações possíveis de um só contato, sem que seja necessÁrio alternar entre diversos menus.
O Orkut, porém, ficou de fora. Mas uma alternativa interessante é incluir o widget do aplicativo em uma das telas do smartphone. Com ele, o usuÁrio tem acesso imediato à sua lista de amigos e pode conferir suas atualizações, fotografias e enviar recados diretamente.

Sempre é bom lembrar que é bom tomar cuidado com esses recursos, jÁ que eles exigem que a pessoa fique conectada à Internet o tempo todo, o que, é claro, tem um custo: tanto no bolso, quanto na bateria do aparelho. A não ser, é claro, que se use uma conexão Wi-Fi e se tenha o carregador sempre em mãos, pois, se você realmente não larga o telefone, pode ficar na mão em menos de 24 horas.

Organizador de mídia
O Mediascape, outro diferencial do Xperia X10, é responsÁvel por agregar, catalogar e classificar os arquivos multimídia do usuÁrio. Assim como o Timescape, o Mediascape é dividido por abas, que organizam os arquivos em diferentes categorias: música, vídeo e foto.

Fica muito fÁcil compartilhar arquivos através da rede. É um ponto positivo para a Sony Ericsson, que desenvolveu um sistema que integra muito bem o conteúdo offline com o online, de modo que o usuÁrio consegue visualizar ou fazer o upload de fotos com pocos cliques para serviços como o Picasa, Facebook ou Flickr. Com apenas um toque na tela com o arquivo de mídia selecionado, o usuÁrio pode optar por enviÁ-lo via e-mail, mensagem ou Bluetooth, ou ainda fazer o upload direto para o Facebook ou Orkut. No caso dos vídeos, com uma conta corretamente configurada, o
usuÁrio pode mandÁ-los diretamente para o Youtube.


A aba dedicada às músicas apresenta um visual bonito e é bem fÁcil de usar, exibindo as capas dos Álbuns armazenados. Clicando em "mais", é oferecida ao usuÁrio uma gama de opções de organização, como "incluídas recentemente" e "mais tocadas".


Os vídeos, por sua vez, ficam organizados em miniaturas, o que facilita muito o processo de encontrar algo específico em uma biblioteca variada. Como ponto negativo, o aparelho não tem suporte aos formatos DivX e XviD, que não são nem sequer listados caso existam no cartão micro SD.


{break::Navegação e multimídia}O browser padrão WebKit proporciona uma boa experiência de navegação web, ainda muito privilegiada pela dimensão do display, que não oferece dificuldade para visualizar as pÁginas. O multitouch nem chega a fazer falta. Na verdade, a solução desse navegador é bem prÁtica e inteligente: a pÁgina é aberta automaticamente em um tamanho confortÁvel para os olhos, mas basta um toque em um botão virtual para que o zoom mude para a exibição da pÁgina inteira. Com o dedo, o usuÁrio "rastreia" a pÁgina, de modo que somente a Área selecionada seja aumentada. Isso facilita muito a visualização do site como um todo, ao mesmo tempo em que garante que o internauta encontrarÁ as informações que deseja rapidamente, sem precisar aproximar por completo a pÁgina o tempo todo.


Ao acessar alguns sites, o usuÁrio notarÁ alguns espaços "vazios". É a falta de suporte ao Adobe Flash, uma falha que pode incomodar. Porém, essa é uma limitação do próprio sistema operacional, que deve ser corrigida em atualizações futuras. A plataforma jÁ estÁ sendo testada e logo as versões 2.x do Android deverão ganhar suporte.

A câmera não decepciona. Seus 8 megapixels garantem imagens de até 3264x2448 pixels de resolução. A captura de imagens é fÁcil e personalizÁvel: é possível disparar a câmera tanto pelo botão físico na lateral quanto pelo toque na tela, basta escolher rapidamente essa opção no menu de configuração da câmera.

AliÁs, opções não faltam na câmera do Xperia X10. Além de escolher a resolução da foto, existem vÁrios ajustes pré-definidos que garantem uma boa imagem tanto em ambientes iluminados quanto em fotos noturnas.


O usuÁrio pode optar, por exemplo, por definições que variam entre modos de paisagem, retrato ou cena noturna. VÁrios tipos de foco também podem ser selecionados, como o centrado em um único ponto ou o multi-foco.


O flash, na verdade, é uma pequena lâmpada LED que permanece acesa quando ativada. É uma solução que apresenta resultados inferiores aos aparelhos com flash de xenônio, que emitem uma quantidade muito maior de luz em um curto intervalo de tempo. Logo, a nitidez e o nível de detalhe em fotos capturadas em ambientes escuros deixam um pouco a desejar.


O lado bom é que a luz sempre acesa auxilia na captura de vídeos em ambientes com baixa luminosidade. Nesse aspecto, é um ponto positivo para o Xperia X10, que grava vídeos em resolução WVGA. A boa notícia, confirmada pela assessoria de imprensa da Sony Ericsson é que, com o upgrade para a versão 2.1 do Android, que deve ser oferecido gratuitamente aos usuÁrios do aparelho no final do ano, haverÁ a possibilidade de gravar vídeos em 720p.

Não é preciso dizer mais uma vez que a tela avantajada do aparelho é excelente para a reprodução de vídeos. Como o navegador web, por enquanto, não é compatível com Flash, hÁ um aplicativo específico para o Youtube. Os vídeos hospedados no site ficam muito bem na telona do Xperia X10.


O fone de ouvido incluso, com conector de 3.5mm garante uma ótima experiência sonora, mas o alto-falante do aparelho deixa a desejar. Não que se espere usÁ-los para reproduzir músicas, mas, dependendo do ambiente, fica difícil ouvir os alertas de mensagens ou até mesmo as chamadas.

{break::Funcionalidades e performance}O Xperia X10 usa o sistema operacional de código aberto Android, portanto, tem à disposição toda a variedade de aplicativos desenvolvidos para ele, que podem ser acessados através do Android Market no próprio aparelho.

Embora o Timescape e o Mediascape sejam o grande trunfo da Sony Ericsson no Xperia X10, é claro que o smartphone não se resume a isso. O celular jÁ vem com algumas funções que, por si só, jÁ podem satisfazer ao usuÁrio bÁsico, como agenda de contatos, despertador, suporte a jogos, navegador WebKit, calculadora e modo "avião", além de GPS, visualizador de arquivos do Office e toda a gama de aplicativos do Android Market à disposição.

Além disso, o telefone jÁ vem com o aplicativo do Gootle Talk pré-instalado, um visualizador de vídeos do Youtube e um aplicativo especial para o Orkut.


A organização é um ponto forte do aparelho. As mensagens SMS, por exemplo, ficam agrupadas por contatos, o que torna muito mais fÁcil encontrar um torpedo de alguém específico. A integração com os serviços do Google, por outro lado, pode trazer um pequeno problema, pois, assim que o usuÁrio configura a sua conta para receber e-mails através do Timescape, o celular automaticamente puxa todos os contatos para a sua agenda interna.

A ideia é boa: facilitar a inclusão de contatos. O Xperia X10 exibe, em ordem alfabética, todos os seus conhecidos e automaticamente puxa as fotos que estão na agenda do Gmail. Acontece que nem todo mundo pode querer ter a agenda do celular "invadida" pelos contatos do Google que, normalmente, aparecem somente com o endereço de e-mail. Pode dar muito trabalho padronizar tudo, com foto, nome completo e telefone, sendo que o ideal seria que o telefone oferecesse a possibilidade de aceitar ou recusar a funcionalidade.


Um recurso muito útil é o visualizador de arquivos do Office. Infelizmente, não é possível editÁ-los, mas a navegação pelos arquivos é tranquila, mesmo sem multitouch. A tela fica limpa para a visualização completa do documento ou apersentação e, com um toque na tela, o celular exibe botões virtuais para zoom e avançar ou retroceder.


Processamento e bateria
O Xperia X10 é turbinado por um processador Snapdragon QSD8250 de 1GHz, acima de vÁrios Androids do mercado, como o Motorola Dext e o HTC Magic, que usam processadores de 528MHz. Isso aumenta as expectativas em relação ao desempenho do aparelho, mas, na prÁtica, nem sempre o poder é gerenciado da melhor forma.

Inicialmente, o Xperia X10 se comporta muito bem, com aplicativos que abrem rapidamente. Algumas vezes, porém, o aparelho "engasga" um pouco ao abrir os menus e, quando o usuÁrio rola as opções com o dedo, ocorre um certo lag que faz com que a rolagem não ocorra sempre de forma suave. Esse problema não incomoda muito, jÁ que ocorre poucas vezes, mas é algo inesperado levando em conta o poder de processamento do celular.

O desempenho começa a cair mesmo após o uso intensivo dos aplicativos que o aparelho oferece. No entanto, isso estÁ mais relacionado ao software do que ao telefone em si. Isso porque o Android é um sistema multitarefa, mas nem todos os aplicativos trazem a opção de fechÁ-los e, portanto, ficam rodando em background. Baixar um programa para forçar o encerramento dos programas, como o Advanced Task Killer, pode resolver o problema.


Por falar em download de programas, vale lembrar que eles só podem ser armazenados na memória interna do aparelho e não no cartão micro SD. Isso deixa o usuÁrio com menos de 1GB disponíveis para instalar aplicativos.

Por fim, o celular vem com Android 1.6, que jÁ pode ser considerado ultrapassado, jÁ que outros aparelhos, como os HTC Desire e Legend e o Samsung Galaxy Portal, jÁ usam a versão 2.1. O Xperia X10 só receberÁ um upgrade para a versão posterior no final deste ano.

Em relação à bateria, os reviews do Xperia X10 costumam apontar sua curta duração. Nos nossos testes, porém, foi possível concluir que é possível fazer a bateria durar um tempo razoÁvel, especialmente no caso de pessoas que não fazem um uso tão intensivo do aparelho.

No primeiro dia de uso, o Wi-Fi ficou ativado por cerca de cinco horas e o Timescape permaneceu buscando atualizações constantes. O browser foi usado para navegar na web durante vÁrios minutos e a câmera foi amplamente utilizada, tanto para capturar fotos quanto vídeos. Algumas chamadas também foram feitas, algumas das quais chegaram a durar dez minutos. Dessa forma, a bateria precisou ser recarregada logo no final do dia.

Depois, com um uso menos intenso, o resultado foi bem diferente. O Wi-fi era ativado ocasionalmente, para verificar e-mails e atualizações no Timescape, bem como enviar tweets e recados no Orkut. A câmera foi usada da mesma forma, com o flash LED ligado, inclusive. Com ligações mais curtas e menos aplicativos rodando em background, a bateria chegou a durar três dias. Pode-se dizer então que o usuÁrio médio ficarÁ, provavelmente, bastante satisfeito

{break::Considerações finais}O Xperia X10 é um celular que impressiona. A tela avantajada e suas cores vivas, a câmera de 8 megapixels e o Timescape são grandes atrativos para quem busca um celular que vÁ além do "fazer chamadas e enviar torpedos".


Quem fica o tempo inteiro conectado a redes sociais não terÁ do que reclamar, se tiver um plano de dados gordo ou uma conexão Wi-fi sempre disponível. Verificar as últimas atualizações e interagir com os amigos através do Timescape é fÁcil e viciante. A experiência só ficaria ainda melhor e mais completa com um teclado físico, jÁ que a digitação nas teclas virtuais é menos Ágil. Por outro lado, a inclusão de um teclado físico tornaria o aparelho bem mais robusto, anulando uma de suas características mais interessantes: a leveza e espessura, apesar das grandes dimensões.

{image}

Caso todos os recursos sejam usados ao mÁximo, a bateria vai mesmo durar pouco. No final do dia, serÁ sempre necessÁrio recarregÁ-la e, além disso, o aparelho começarÁ a demonstrar queda de desempenho. No entanto, caso o usuÁrio saiba gerenciar os aplicativos abertos (o download de um "matador de programas" é essencial) e ficar atento ao tempo em que o celular permanece conectado, não ficarÁ na mão tão cedo.

Alguns podem julgar o Xperia X10 desatualizado por vir com Android 1.6, mas é algo que acaba não fazendo muita diferença, a julgar pelos recursos exclusivos do aparelho. De qualquer forma, no final do ano, a atualização gratuita para a versão 2.1. serÁ disponibilizada. Só falta, então, esperar para ver como fica a compatibilidade com Flash.

 

Quem gostou do celular, fique atento, porque no mês de julho, o Adrenaline sorterÁ um XperiaX10. Publicaremos mais informações nos próximos dias.

PRÓS
Tela grande
Design bonito e funcional
O Timescape é um bom diferencial
Experiência perfeita em navegação web
Cartão micro SD de 8GB incluso
CONTRAS
O flash LED limita a câmera
Ausência de teclado físico pode incomodar
Quedas de desempenho, apesar do processador de 1GHz
Sem suporte a DivX e XviD
Assuntos
Tags
  • Redator: Risa Lemos Stoider

    Risa Lemos Stoider

    Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e gamemaníaca desde os 4 anos de idade. Já experimentou consoles de várias gerações e atualmente mantém uma ainda modesta coleção. Aliando a prática jornalística com a paixão pela tecnologia e os games, colabora com a Adrenaline publicando notícias e artigos.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.