ANÁLISE: Batman: Arkham Asylum

ANÁLISE: Batman: Arkham Asylum

Introdução

Depois de muita espera, finalmente um dos games mais aguardados do ano dÁ as caras nas prateleiras de todo o mundo. A expectativa em torno dele era enorme, devido a ser o game com maior implementação da tecnologia Physx - menina dos olhos da Nvidia - por hardware. Obviamente que isso geraria uma antipatia enorme de usuÁrios de placas ATI, mas isso veremos mais adiante.

O fato é que o game chegou e jÁ é considerado um dos mais espetaculares games do ano, tanto em qualidade técnica, quanto em jogabilidade e visual. Mas isso somente caso você seja um feliz proprietÁrio de placas da Nvidia, o que limita um pouco o público do game, jÁ que não abrange todos os jogadores de PC.

{break::História}De cara jÁ dÁ para perceber que algo de ruim vai acontecer. Parece surreal ver o Curinga se entregando pacificamente e indo direto para o Asilo Arkham onde se encontram os maiores e mais famosos vilões da franquia Batman.

É tudo tão óbvio que fica estranho o não-questionamento do motivo do Curinga se entregar tão facilmente. Batman não pode ser tão burro assim, mas isso tem uma intenção clara dos produtores: de não perder tempo e jÁ atirar o jogador no meio da ação que não demora muito para acontecer. E isso é bom, jÁ que não torna maçante o início do jogo, que faz com que muita gente pule sua introdução.

Voltando à história, fica óbvio que o Curinga planeja algo, e de fato algo grande acontece. Tudo é armado para uma grande fuga dos maiores vilões de Gotham City, claro, para encobrir uma catÁstrofe que até então ninguém sabe ao certo o que seria.

- Continua após a publicidade -

Assim começa o game Batman Arkham Asylum, que traz dezenas de personagens famosos dos quadrinhos e filmes.

Uma curiosidade é o fato do game ter seu enredo criado pelo mestre Paul Dini, o mesmo dos filmes animados do Batman, da série animada de TV, e de alguns quadrinhos e livros também. Além disso, jÁ produziu episódios de desenhos clÁssicos como He-Man e Os Mestres do Universo, Transformers, Tiny Toons. Para completar jÁ ganhou vÁrios prêmios Emmy, dentre outros.
Ou seja, Batman Arkham Asylum estÁ em boas mãos!

{break::Jogabilidade #1}A jogabilidade clÁssica de jogos em terceira pessoa estÁ presente em Batman Arkham Asylum na sua totalidade, sem tirar nem pôr. Em um determinado momento do jogo, quando o Morcegão finalmente chega na Área externa, o game ganha ares de GTA, ou seja, Open World, porque a partir dali, o jogo fica por conta do usuÁrio, para fazer o que quiser e ir onde quiser.

Batman conta em sua jogabilidade com movimentos à la Splinter Cell (ou seria Metal Gear Solid?? Eis a questão!), deixando a jogabilidade mais furtiva com modos Stealth. Além dos movimentos, ainda existem as técnicas usadas contra os capangas do Curinga. Quem não se lembra do movimento no game Splinter Cell onde o protagonista Sam Fisher ficava pendurado de cabeça pra baixo apenas esperando a aproximação do inimigo e, na hora H, agarrava o pescoço dele, quebrando-o por completo? Pois é! Em Batman Arkham Asylum existe esse movimento de ataque, e também algumas variações onde Batman pode descer por uma corda até chegar perto do inimigo.

Mas o grande destaque talvez sejam os momentos de luta, onde Batman usa e abusa de ataques diretos nos inimigos, até combos, ataques múltiplos contra vÁrios inimigos, e claro, os contra-ataques. Tudo isso ainda pode contar com ajuda de vÁrias partes e objetos do cenÁrio, tudo posicionado milimetricamente no cenÁrio, favorecendo a utilidade para o jogador. Fica até fÁcil em certos momentos, mas Batman é Batman!

- Continua após a publicidade -

{break::Jogabilidade #2}Além desses movimentos, Batman ainda tem muita carta na manga que seria impossível ficar aqui explicando cada um deles. Juntando experiências e upgrades, o jogador ainda pode aprimorar cada golpe e/ou movimento. Para você ter uma idéia, o manual do game só cita cinco movimentos clÁssicos de combate, que são Strike, Counter, Cape Stun, Redirect/Evade, e o uso de Gadgets, como o famoso Batarang (Bumerangue do Batman), mas informa que desbloqueando novas habilidades, Batman tem acesso a inúmeros novos golpes de combate.

Batman ainda tem alguns "poderes" especiais, como o modo Detetive (Detective Mode), onde a visão se torna uma espécie de Raio X, que mostram os inimigos, ou melhor, seus esqueletos, onde quer que eles estejam. Quando começa a se usar essa habilidade, dÁ a impressão de que serÁ fÁcil demais finalizar os inimigos, porém mais tarde a coisa não fica tão fÁcil quanto parece que vai ser.

Outra habilidade especial do herói morcego é o analisador de cenÁrio, ou Environmental Analysis, que nada mais é do que mais uma espécie de Raio X que mostra em cada cenÁrio as Áreas úteis para o personagem. Seja por causa de itens ou locais acessívieis, como por exemplo, os gÁrgulas presentes em alguns cenÁrios onde Batman pode ficar em cima ou pendurado. Além disso, o analisador também serve para dar dicas de alguns puzzles presentes durante a jogatina.

No geral, Batman Arkham Asylum tem uma jogabilidade realmente prazerosa, com infinitas opções e com reais possibilidades de se terminar o game sem usar todos seus golpes e claro, modos de jogo.

{break::GrÁficos #1}O maior destaque de Batman Arkham Asylum são os grÁficos e tanto a crítica quanto os jogadores elogiaram esse quesito por unanimidade.

O fato é que o game foi feito com tanto capricho que alguns efeitos são até inovadores, como o uso desenfreado da tecnologia Physx patenteada pela Nvidia.

- Continua após a publicidade -

Obviamente que os detentores de VGAs Nvidia terão um ganho extra no visual, e que ganho extra! Talvez a maior evolução em um game ligada diretamente à tecnologia de física da Nvidia. Isso deixa claro que a aposta da empresa no game foi gigantesca, deixando as concorrentes para trÁs.

Apesar de muita gente ter reclamado da exigência de uma VGA da Nvidia para usufruir de vÁrias funções grÁficas no game, todos têm uma mesma opinião: O jogo muda de cara com o uso dessa tecnologia. E quem viu o game rodando com a opção de Physx ativada em FULL, não vai querer jogar mais sem o uso dela.

A tecnologia possibilita alguns efeitos fundamentais em um game como Batman Arkham Asylum. Por exemplo, é inadmissível que um game desse porte, com um clima obscuro e porque não dizer com toque de terror, não tenha fumaça, ou aquelas Áreas com uma penumbra, principalmente dentro de cavernas. Quem não tem uma VGA da Nvidia não poderÁ saborear esse visual que, ao contrÁrio do que muita gente pensa, interfere até em alguns aspectos da jogabilidade, como poder se esconder e/ou desaparecer para os inimigos, no meio da fumaça. Coisas típicas dos filmes do Batman.

{break::GrÁficos #2}Outra coisa bem interessante com Physx, e nesse caso apenas visualmente falando, é que vÁrios objetos em cena - seja sujeira, papéis no chão, folhas das Árvores, etc. - sofrem reações de acordo com a ação que você fizer. Obviamente que quem não tem uma placa com esse recurso verÁ apenas uma textura estÁtica, sem possibilidade de interação. O ruim é que se perde certa magia do clima de realismo do game.

Além desses efeitos grÁficos, ainda existem outros que só aparecem usando a tecnologia Physx, como bandeirolas, banners, efeitos de Água lindíssimos, dentre outros.

Confira nesse vídeo abaixo, as incríveis diferenças em relação ao uso da tecnologia Physx. Aposto que você ficarÁ surpreso!

Mas é bom destacar que mesmo com uma VGA que não tenha Physx o jogo continua impecÁvel! A qualidade grÁfica, desde texturas em altíssima resolução, personagens ultra-detalhados, Batman com uma roupa que rasga de acordo com nível de danos dele incluindo sua capa, movimentos e animações de um realismo impressionante e naturalíssimos, cenÁrios impecÁveis no geral, dentre outras coisas, ficam perfeitos em VGAs de última geração, seja de que marca for.

Falando em animações, o que mais se destaca é o momento das lutas, onde dependendo do golpe ou combo usado pelo Batman, a câmera muda de posição dando mais ênfase ao inimigo sofrendo o golpe e, claro, em câmera lenta para mostrar tudo nos mínimos detalhes. Realmente dÁ gosto ver! Tanto é que conforme você "zera" esses combates em determinados locais, ele são habilitados em uma opção de jogo onde se luta em certo tipo de arena com vÁrios e vÁrios inimigos à sua volta, e com as lutas valendo pontos.

Batman Arkham Asylum tem hoje um dos melhores grÁficos da atualidade. Tudo ultra-detalhado e pensado nos mínimos detalhes. O ponto controverso é o uso da tecnologia Physx por hardware, somente possível para quem tem uma placa da Nvidia, mas que dÁ um "up" gigantesco no quesito grÁfico, como mostrado mais acima.

{break::Áudio}Como tudo no jogo merece destaque e estÁ sempre acima da média, por causa disso, o Áudio, apesar de ser também de ótima qualidade, acaba ficando abaixo em relação aos outros quesitos, ou seja, em segundo plano.

Acontece que as músicas incidentais e as que tocam constantemente são de ótima qualidade, tanto na sua produção quanto na qualidade sonora em si. Tudo digno dos melhores filmes de Hollywood.

A dublagem também tem destaque na qualidade técnica, leia-se na combinação de cada voz com seu personagem. Tudo se encaixa perfeitamente, combinando com cada personagem, seja caricato ou não, e na entonação de acordo com o clima em um determinado momento da jogatina.

Apesar dos outros quesitos, tanto grÁficos quanto jogabilidade, tirarem o foco do Áudio, fazendo com que quase não se perceba a qualidade do som, o Áudio de Batman Arkham Asylum estÁ entre os melhores jÁ vistos em um game, em todos os aspectos.

Os efeitos sonoros também brilham no game. principalmente nas Áreas externas, onde apenas "sentindo" o som do jogo, jÁ dÁ um certo calafrio e o jogador "sente" um clima mais sombrio. Tudo isso devido à variação imensa dos efeitos sonoros, gerando uma clima extremamente realista.

{break::Conclusão}Embora o game tenha uma impecÁvel qualidade técnica, não importando que VGA você utilize, os felizardos donos de uma placa Nvidia terão um ganho extra, e por que não dizer, indispensÁvel.

O fato concreto é que uma vez que você veja com seus próprios olhos o Batman Arkham Asylum rodando com uma Nvidia, você não vai querer saber do jogo rodando sob uma placa diferente, porque, em vÁrios momentos, a diferença é absurda e muda totalmente o clima do jogo.

Deixando esse fato de lado, o game é um primor em qualidade técnica visual e sonora. Sua jogabilidade é uma das melhores que um game pode ter e o enredo idem, criado pelo mestre Paul Dini.

Finalmente os fãs do Batman têm em mãos um game à altura do que o herói morcego merece. AliÁs, porque não dizer, um game à altura de um super-herói, jÁ que Batman Arkham Asylum pode ser considerado facilmente o melhor jogo de super-herói jÁ feito.

Assuntos
Tags
  • Redator: João Paulo Losada

    João Paulo Losada

    Gamer por natureza, JP Losada, ou simplesmente DJLosada como é conhecido por toda a comunidade gamer, é um grande conhecedor de games em geral. Eventualmente analisa lançamentos e comenta sobre os sucessos e decepções relacionadas aos games que chegam ao mercado através do portal Adrenaline. Jé escreveu para revistas de games, artigos para produtoras, além de ter citações em seu nome em caixas de jogos de PC lançados no Brasil. Possui parceria com algumas produtoras, principalmente de corrida

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.