Publicidade

Outriders é divertido, mas deixa péssima impressão inicial com lançamento problemático

Confira nossas primeiras impressões com o jogo da Square Enix

07/04/2021 às 18:02 por Mateus Mognon
Reportar erro
Publicidade

Vivemos em um mundo onde um jogo de videogame digital chega a custar quase R$ 300, mas isso não garante que o produto chegará com qualidade para o consumidor final. E o caso é tão crítico que essa descrição aberta dada na frase acima pode ser aplicada para muitos games atuais. Eu poderia estar falando do ainda quebrado Cyberpunk 2077, de Balan Wonderworld, que chegou recheado de problemas, mas a pauta do dia é Outriders, a nova aposta da Square Enix no mercado de games online.

Desenvolvido pelo estúdio People Can Fly, o jogo é divertido e, apesar da cara de genérico, até entrega uma bela dose de personalidade com seu gameplay frenético e cheio de efeitos visuais. No entanto, a Square Enix deu mais uma aula de como não fazer um lançamento decente no mundo dos games e deixou o jogo com uma péssima impressão inicial.

Se você está por fora das novidades, Outriders é um novo game do gênero loot and shoot com foco no multiplayer para até três pessoas, mas que pode ser jogado integralmente no single-player. A produção conta com uma história original que mostra uma porção da humanidade sobrevivendo em um novo planeta chamado Enoch, após a Terra ser praticamente destruída. Como protagonista, você ganha poderes durante uma tempestade alienígena e precisa assumir um papel messiânico para salvar o que sobrou da raça humana.

Com pitadas de jogos como Destiny e Gears of War, o jogo se destaca pelas mecânicas envolvendo os superpoderes, o gameplay de loot simplificado e as modificações de equipamento que fazem a diferença na hora do combate. As habilidades vão desde skill no estilo Avatar, como controlar fogo e terra, até criar armadilhas temporais, numa vibe que lembra Quantum Break. Não é nada muito inovador, mas é muito divertido quando você consegue jogar. Quando consegue...

O maior problema: os servidores

Para quem pagou até R$ 280 na versão básica de Outriders durante a pré-venda e queria aproveitar o feriadão do início de abril para jogar, o lançamento foi um balde de água fria. O game sofreu com problemas de servidores desde que foi liberado. No sábado (3), foi praticamente impossível jogar por aqui nas duas versões do game que temos disponíveis, no Xbox Series X, via Game Pass, e no PC (cortesia da Nvidia e Square Enix).


Uma das telas que mais encarei no fim de semana de estreia de Outriders.

Até quando você joga sozinho, Outriders exige conexão constante com servidores. Mesmo se você tornar a partida 100% privada, ainda é necessário estar conectado na internet para jogar. Até mesmo a ação de pausar o game não está disponível e só pode ser realizada no PC com o uso do Ansel, o modo foto presente nas GPUs GeForce. E se uma conexão de alta velocidade não é um problema para você, a infraestrutura web do game da Square Enix ainda pode gerar dores de cabeça.

Publicidade

Além de ficarem fora do ar durante a janela de lançamento, os servidores ainda geram alguns probleminhas atualmente em partidas online. Nosso gameplay na Twitch foi o maior exemplo disso: o game simplesmente nos expulsou de uma partida. A pior parte é quando isso acontece no meio da ação em missões longas, o que acaba fazendo todo o progresso ganho sumir até o último ponto de salvamento.

A necessidade da conexão constante em um jogo como Outriders é bastante questionável. Apesar de o foco do ser o gameplay em equipes de três pessoas, o game é totalmente otimizado para funcionar no single-player. A simples presença da opção de jogar offline certamente ajudaria a limpar a barra da produção no lançamento, já que muita gente poderia ter jogado sozinho ao invés de ficar encarando uma tela de erro de conexão.

Bugs pequenos, mas incômodos

Enquanto os servidores são a maior problema de Outriders em sua estreia, o game também conta com alguns bugs pequenos, mas incômodos. Um dos principais são os engasgos na versão de PC.

A edição de computador de Outriders está consideravelmente bem otimizada e a presença do DLSS até permite mandar bala em 4K e 60 quadros por segundo na RTX 2060. No entanto, independente do poder do hardware, o game sofre com engasgos que chegam a aparecer até mesmo nas cutscenes.

Publicidade

Todos os problemas listados acima são estruturais e podem ser resolvidos facilmente com atualizações -- alguns patches, inclusive, já estão em desenvolvimento. Também não podemos esquecer que erros sempre acontecem, somos seres humanos, mas ainda é constante vermos jogos de alto orçamento chegando de maneira desleixada ao mercado.


Outriders merecia um lançamento melhor. (Imagem: Mateus Mognon/Captura de tela)

Outriders foi sucesso em pré-venda no PC e angariou a atenção de muitos jogadores no Xbox com o lançamento direto no Game Pass, o que certamente deixou uma péssima má impressão sobre o game para uma grande quantidade de usuários. Mesmo com as falhas, o título entrega uma experiência divertida, que abordaremos em nossa análise completa, e merece a atenção de quem curte dar uns tiros com os amigos.

No entanto, com o estado atual do game, vale mais a pena jogar Outriders pelo Game Pass de console, para quem possui um Xbox, ou deixá-lo na sua lista de desejos até que o jogo esteja melhor e com corte no preço. Para quem quiser fazer um test drive, a demo gratuita é bem completa e está disponível no PC, PlayStation e Xbox.

Publicidade
Assuntos
Colunas Games PC Games Playstation Xbox
Tags
steam nvidia xbox series x xbox one ps4 ps5
CLIQUE PARA COMENTÁRIOS

CONTEÚDOS RELACIONADOS

Life is Strange Remastered Collection: Primeira gameplay da coleção é revelada

Mod Dark Souls: Nightfall é adiado e ganha nova demo

Elden Ring será menos estressante, mas sem perder dificuldade

Amazon libera nova atualização para New World; veja quais são os conteúdos

Rare promete grande ano para Sea of Thieves e fará live com novidades nesta semana

Publicidade