Publicidade

Impressões da DEMO DE RESIDENT EVIL 3 - Nemesis volta mais ameaçador do que nunca!

Uma generosa demonstração do próximo game da Capcom mostra o que podemos esperar

20/03/2020 às 14:36 por João Gabriel Nogueira
Reportar erro
Publicidade

A Capcom disponibilizou ontem uma generosa demonstração para o remake de Resident Evil 3, que será lançado para PC, PS4 e Xbox One no dia 3 de abril. A demo pode ser baixada gratuitamente nas três plataformas (pela Steam no PC) e tem pouco menos de uma hora de conteúdo, podendo ter mais que isso dependendo é claro do seu ritmo de jogo. Vou comentar nessa coluna sobre o que achei desse pedaço do game!

1 - O retorno de Valentine

Jill Valentine, além de ser badass até no nome, é um dos personagens mais icônicos de toda a franquia. Para muitos jogadores, incluindo o autor que vos fala, foi no papel de Jill que nos aventuramos pela primeira vez no universo de Resident Evil e ter seu retorno na maravilhosa RE Engine é incrível.

A qualidade dos gráficos e realismo das animações trazem uma nova camada de profundidade à sua forte personalidade, mas não foi só uma repaginada no visual que a moça preparou para seu retorno. Jill agora é capaz do "dibre", ou "finta", como o jogo traduz.  E essa habilidade vai ser muito importante nos combates com Nemesis, como vou explicar depois.

Além disso não há tanta diferença em relação ao RE 2 no gameplay com Jill, então quem jogou o remake anterior vai se sentir em casa. Uma outra diferença que acontece nos equipamentos, e não nas habilidades, é que a faca não poderá ser mais usada para escapar do agarrão dos zumbis, mas em compensação ela não "gasta" mais. Então se prepare pra ficar cutucando vários defuntos no chão.

2 - Nemesis faz justiça ao nome

Publicidade

Apesar da saudade que eu sei que muitos jogadores tinham da Jill, o primeiro crush de muita gente, é o Nemesis que saiu mais na vantagem com as novas tecnologias do remake. O monstro não está mais preso a lutas que podem ser facilmente evitadas escolhendo uma opção na tela e também não é apenas um Mr. X com queimaduras de terceiro grau. O nosso arqui-rival vem com várias habilidades novas que vão infernizar muito mais a vida da heroína.

Esse foi um dos aspectos que mais gostei da demo porque todo bom remake é aquele que consegue entender as intenções dos criadores da versão original que foram limitadas na época pela tecnologia, e trazê-las de maneira melhor realizada com as técnicas atuais. Resident Evil 3 não levava Nemesis no nome à toa, e muito menos o monstro recebe esse nome pra nada. A ideia era trazer mesmo essa sensação de rivalidade, de um inimigo constante, implacável e ameaçador. O novo Nemesis consegue isso não apenas com seus novos truques, mas também não sendo mais uma luta opcional. Se você quiser fugir dele, tem que ser na marra.

3 - Ação com terror

Algo importante que a demo deixa claro é que Resident Evil 3 é um jogo de ação com terror, não o contrário. O suspense está todo ali e é bom estar preparado para uns bons sustos, mas este é um jogo de ação com certeza. O "dibre" da Jill é o melhor símbolo dessa diferença em relação ao game anterior. A finta não se mostra apenas útil, mas indispensável para enfrentar Nemesis e seu progresso no jogo vai depender de dominá-la. 

Um jogo mais focado em ação também vai significar mais tudo. Mais monstros e mais munição para lidar com eles. Isso pode não ser a experiência preferida de muitos jogadores, mas vale ressaltar que não é coisa só do remake. O game original no PSOne também já focava muito mais na ação do que seus antecessores, dando uma sensação de corrida contra o tempo que era até refletida no título original - Biohazard 3: Last Escape.

Publicidade

4 - Explorando uma demo bem completa

A demo de Resident Evil 3 realmente foi muito bem feita. Além de servir para sentir o ritmo da ação do jogo e mostrar as mudanças que fizeram em Jill e Nemesis, o pequeno pedaço do mapa que temos é até que generoso e tem bastante coisa pra explorar. Procurar itens e segredos é um dos temas centrais pra todo Resident Evil e dá pra perder um tempo bom fazendo isso nessa demo. Tem até um cofre pra descobrir o segredo e abrir e itens colecionáveis!

5 - De olho no balanceamento

Essa demo certamente serviu pra me empolgar mais com o jogo do que todos os trailers anteriores, mas também levantou preocupações - afinal, nada é perfeito.

Meus primeiros dois encontros com Nemesis foram um tanto humilhantes, só que depois eu peguei a "manha" da finta e virou um olé atrás do outro. Não dá pra dizer que o jogo chega a ficar fácil, é preciso ficar atento pra não errar o timing e às vezes tem mais monstros no cenário pra atrapalhar, mas é fácil imaginar que quanto mais horas jogadas, melhor no drible fica o jogador.

Então espero que em suas icônicas evoluções o Nemesis ganhe novas habilidades que ajudem a contornar isso. Talvez um golpe lento que não dê pra desviar e você tem que atirar no ponto fraco dele pra impedir em vez disso, ou coisas do tipo. A quantidade da presença do monstro também tem que ter sido muito bem planejada, porque se tiver pouco fica sem graça, e se tiver muito fica chato. A experiência final do game está nas mãos do nosso principal inimigo.

Publicidade
Assuntos
Colunas Games PC Games Playstation Xbox
Tags
capcom ps4 xbox one
CLIQUE PARA COMENTÁRIOS

CONTEÚDOS RELACIONADOS

Life is Strange Remastered Collection: Primeira gameplay da coleção é revelada

Mod Dark Souls: Nightfall é adiado e ganha nova demo

Elden Ring será menos estressante, mas sem perder dificuldade

Amazon libera nova atualização para New World; veja quais são os conteúdos

Rare promete grande ano para Sea of Thieves e fará live com novidades nesta semana

Publicidade